[Resenha] Um Beijo Inesquecível

Um Beijo Inesquecível
Título Original: It's in His Kiss (Bridgertons #7)
Autor(a): Julia Quinn 
Editora: Arqueiro                 Páginas: 272
Lançamento: 2016               ISBN:9788580414851
 ||Compre||     ||Skoob||  ||Goodreads||
Toda a alta sociedade concorda que não existe ninguém parecido com Hyacinth Bridgerton. Cruelmente inteligente e inesperadamente franca, ela já está em sua quarta temporada na vida social da elite, mas não consegue se impressionar com nenhum pretendente. Num recital, Hyacinth conhece o belo e atraente Gareth St. Clair, neto de sua amiga Lady Danbury. Para sua surpresa, apesar da fama de libertino, ele é capaz de manter uma conversa adequada com ela e, às vezes, até deixá-la sem fala e com um frio na barriga. Porém Hyacinth resiste à sedução do famoso conquistador. Para ela, cada palavra pronunciada por Gareth é um desafio que deve ser respondido à altura. Por isso, quando ele aparece na casa de Lady Danbury com um misterioso diário da avó italiana, ela resolve traduzir o texto, que pode conter segredos decisivos para o futuro dele. Nessa tarefa, primeiro os dois se veem debatendo traduções, depois trocando confidências, até, por fim, quebrarem as regras sociais. E, ao passar o tempo juntos, eles vão descobrir que as respostas que buscam se encontram um no outro... e que não há nada de tão simples – e de tão complicado – quanto um beijo.
Ah! Como eu estava com saudades dos Bridgertons! Eu torço pela chegada de cada novo livro desta série, mas confesso que quando começo a ler meu coração fica apertado, pois sei que em breve teremos o último livro e aí vai chegar a hora de dizer adeus para a família literária mais adorável e amorosa de todos os tempos.

Um Beijo Inesquecível, volume sete da série de romances de época de Julia Quinn, Os Bridgertons, é protagonizado pela última irmã solteira desta família que não posso chamar de tradicional, mas influente e bem conhecida na sociedade inglesa. Eu não os classifico como modelo dos padrões, pois embora sigam boa parte das regras impostas aos de sua classe, acabam pondo por terra a regra de casamentos por conveniência.

Os Bridgertons, inspirados pelo casamento bem sucedido dos pais, não querem para si nada menos que uma união por amor. Claro que no começo nem eles mesmos percebem que desejam isso, mas com a ajuda de Violet ( a matrona da família), eles enxergam que nada além de amor os tornará completos e felizes.

A mocinha da vez - Hyacinth Bridgerton -, é a mais inteligente e espirituosa das irmãs. E por ter uma mente tão sagaz, acaba assustando os pretendentes. Após diversas temporadas, não há casamento em vista e isso deixa a família desesperada. Ela, no entanto, mesmo desejando um companheiro, teme se deixar levar por um homem que consiga enfrentá-la em seu intelecto. Quando conhece o libertino Gareth St. Clair, neto de sua melhor amiga, a velha e desbocada Lady Danbury, a garota sente algo diferente e, pela primeira vez na vida, fica sem palavras.

Gareth não é um libertino qualquer, ele optou pelo caminho menos virtuoso em sua vida apenas para contrariar o pai. A relação dos dois é complicada e rancorosa, os segredos da família St.Clair são um escândalo a parte e contribuem para que pai e filho se odeiem.

O fato é que estes dois jovens acabam sentindo uma atração bem forte e já podemos ver um romance chegando, embora nada convencional, afinal estamos falando de uma Bridgerton. Preparem-se para uma história cheia de reviravoltas, cenas comoventes e muitas risadas.

Eu amo esta série e vi a mesma passar por uma transformação no decorrer dos livros. Os dois últimos deixaram a comicidade e seguiram por uma linha mais séria trazendo casais com experiências amorosas anteriores e por isso mais maduros.   Já neste sétimo, a autora resgatou a essência dos primeiros e mesmo sem a presença marcante de Lady W., a nossa querida fofoqueira, a trama é sarcástica, espirituosa, sagaz e muito leve.

O romance é terno e adorável. Inocente ainda, pois estes dois jovens estão vivendo seu primeiro amor e isso o torna mais terno e doce. Hyacinth e Gareth parecem dois moleques arteiros. Vocês não imaginam as loucuras que cometeram. E não por amor, mas para desafiar regras e viver grandes aventuras. Claro que há beijos e momentos mais quentes, mas mesclados com as traquinagens destes dois que foram incríveis.

Só que é uma história amor e como tal vai ter seus altos e baixos, embora eu não a tenha achado tão desafiante quanto as dos outros irmãos. Senti falta de atritos entre o casal, daquela resistência de uma das partes que obriga o outro a usar todas as armas no jogo da conquista. Hyacinth e Gareth até discutem, mas seu entendimento é fácil. O que é belo é como são perfeitos um para o outro, aceitando-se até nos defeitos.

Ele não é tão sedutor como os protagonistas anteriores, mas tem seu charme e dá vontade de cuidar deste moço. Já ela é aquela pessoa vibrante, que queremos em nossa vida para que os dias nunca sejam nublados.

O narrativa em terceira pessoa alterna o foco entre os dois e com isso podemos acompanhar a transformação que  ocorre na vida deles com a chegada do amor e como um afeta o outro em igual medida. Duas almas livres em busca de um ninho.

E então, de repente, Hyacinth viu que certas coisas apenas se sabem, e não há como explicá-las. Naquele momento, ela soube que se casaria com aquele homem. Ninguém mais serviria.

Violet é uma presença marcante como sempre, dando o conselho certo aos filhos quando necessário, mas senti falta da interferência de Colin, tão presente nos romances das outras irmãs. Desta vez quem aparece é Gregory,  protagonista do oitavo livro.

Julia Quinn mais uma vez aqueceu meu coração ao apresentar uma história onde o valor da família é sempre ressaltado e o amor é colocado acima de aparências e acordos lucrativos em uma época que casamento era sinônimo de negócios.
 
Gosto demais desta forma sensível que ele mostra o que está no coração de seus personagens, é empolgante vê-los superando seus temores e lutando por um final feliz não apenas por si, mas pelo companheiro. Em suma, mais um livro encantador que faz o leitor sorrir e suspirar a cada virada de página.

Mas, dessa vez, faria direito. Aquele seria o primeiro beijo dos dois. E seria um beijo inesquecível.

Confira as resenhas dos outros livros da série.


  


2leep.com

20 comentários:

  1. Oi, Cida!
    Eu estava decidida a não começar mais nenhuma série. Porém, vejo tantas pessoas falando bem dessa que vou ter de começar porque quero ser encantada com essa família.
    É tão triste quando uma série que gostamos muito vai chegando ao final. Eu sofro por antecipação hahahhaha
    Beijos
    Balaio de Babados
    Porcelana - Financiamento Coletivo

    ResponderExcluir
  2. Eu nunca li nenhum livro dessa série, mas toda vez que eu entro aqui e leio as suas resenhas, eu fico morrendo de vontade de conhecer melhor essa série. As capas são lindas e eu amo um belo romance. <3
    Mil Beijos!
    http://pensamentosdeumageminiana.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Ooi! Eu só li o primeiro livro da série e não senti muita simpatia pela personagem, apesar de ela se mostrar diferente desde criança. O que mais me deixa curiosa para ler esta obra é a presença de Lady Danbury. :}
    Beijos
    Sil - Estilhaçando Livros

    ResponderExcluir
  4. Oi, tudo bem? Tenho apenas os dois primeiros livros da série e ainda não li nenhum. Tenho muita vontade de ler, pois preciso ler logo algum livro do gênero... Bela resenha!

    Beijos,
    Duas Livreiras

    ResponderExcluir
  5. Siiim, entendo e compartilho da sua ansiedade e dor. Não quero que Os Bridgertons acabe! Never! Sempre tem os primos e filhos, né :( hahaha mas é uma alegria imensa receber os livros da série. Gostei bastante desse em particular, embora tivesse imaginado a protagonista diferente, ela sempre pareceu mais enérgica, segura de si mesma.

    xx Carol
    http://caverna-literaria.blogspot.com.br/
    Tem resenha nova no blog de "Os Humanos", vem conferir!

    ResponderExcluir
  6. Olá, Cida.
    Eu só li até o quarto livro dessa série e estou guardando porque sei que já estou na metade. E assim como você eu amo essa família. Acho que é uma das melhores da literatura. Mas assim que der eu chego nesse hehe.

    Blog Prefácio

    ResponderExcluir
  7. como acompanho a série desde o inicio, eu vi Hyacinth crescer e vê-la se tornando mulher pelo amor e pelas aventuras vividas, foi mágico e nostálgico, com uma sensação de pertencimento desses personagens e dessa familia
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Hoje como eu necessito dessa série.
    Já perdir a conta das milhares de resenhas que li sobre ela.
    Muitas elogios outras críticas, mas todas maravilhosas, faz séculos que essa série está na minha lista de leitura, e agora eu com certeza preciso com ainda mais urgência, gostei de saber que pelo menos um dos livros com menos estritos que os anteriores, Sou apaixonada por romances de época, e assim como você fico muito triste quando estou perto de terminar uma série que amo.
    Estou enrolando com dois livros, por que eu não quero que acabe nunca, que é Os Sombras da J.R.Ward e Proibido da Tabitha Suzuka, os dois são maravilhosos.
    Boa Tarde.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. IAN é bom demais, eu ainda não cheguei neste, mas seio bem como é não querer que termine.

      Excluir
  9. Olá :)
    Eu gostei muito da história, mas confesso que desde o livro da Eloise as histórias ficaram mais fraquinhas, por isso estou ansiosa para o último ^^

    Beijos!

    ResponderExcluir
  10. Acho que já falei várias vezes aqui que morro de curiosidade de ler sobre os Bridgertons, né? Mas a série é muito grande e infelizmente não estou podendo me comprometer assim, tenho muitos livros para serem lidos na estante, e essa é minha preferência no momento, mas espero ter a oportunidade de ler um dia!
    Ah! Te indiquei para receber um prêmio bem legal lá no blog, não sei se já ganhou, mas depois dê uma passadinha lá pra entender melhor!

    Obrigada pelo carinho. Beijos :*
    Claris - Plasticodelic

    ResponderExcluir
  11. Oi Cida,
    Ahhh esses Bridgertons ♥
    Parei no do Colin, mas pretendo pegar a sequencia para ler semana que vem.
    É impossível não gostar dessa família ♥
    Não quero que acabe também :(
    Bjs e uma ótima noite!
    Diário dos Livros
    Siga o Twitter

    ResponderExcluir
  12. Oi Cida!

    Sou suspeita pra falar já que amo a Julia Quinn, mas adorei o livro. Achei os protagonista super carismáticos e amo a Lady Danbury sempre sensacional rsrsrs

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  13. Oi Cida, tudo bem?
    Impressionante, todo mundo fala bem dos livros da Julia Quinn!
    Nunca li nenhum romance de época, mas acho que começaria por essa autora.
    Beijos,

    Priscilla
    Infinitas Vidas

    ResponderExcluir
  14. Cida!
    Bem triste por não ter lido ainda nenhum dos livros da série.
    Além de gostar dos romances de época, quando a família está envolvida e bem participativa me conquista ainda mais.
    “A simplicidade é o último degrau da sabedoria.” (Khalil Gibran)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    TOP Comentarista especial de aniversário em abril: com 6 livros 5 ganhadores, participem!

    ResponderExcluir
  15. Oi Cida, sua linda, tudo bem?
    Esse livro da série parece ser mais romântico, mais inocente. Tenho certeza de que ficarei encantada com as traquinagens deles, ainda mais sabendo o drama que ele tem em casa, com o pai dele. É tão lindo ver o amor envolvendo duas pessoas. Estou louca para ler essa série. Adorei sua resenha, seu texto está super romântico me deixou suspirando aqui, ah.....
    beijinhos.
    cila.
    http://cantinhoparaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  16. Olá,

    A Julie Quinn sempre arrasa! Essa série é sensacional e eu lembro até hoje quando vi o primeiro livro na livraria e li que ela estava sendo considerada a Jane Austen contemporânea ❤️ Adoro as histórias e recentemente terminei de ler O Conde Enfeitiçado. 😉

    Parabéns pela resenha!

    www.booksimpressions.com.br

    ResponderExcluir
  17. Assim como vc também já li e resenhei os outros títulos da série Bridgertons, mas confesso que essa sua resenha foi uma das melhores que li até agora. Parabéns pelo belo texto, você soube organizar suas ideias e opiniões de um jeito que apresentou a série como um todo, os livros anteriores e esse em questão teve seu destaque na hora certa.
    São resenhas assim que me inspiram a melhorar sempre mais meu jeito de escrever, expressar minha opinião e argumentar com objetividade. Parabéns pelo ótimo trabalho, pela leitura e pelo incentivo à leitura dos romances de época. Beijos

    Leituras, vida e paixões!!!

    ResponderExcluir
  18. Nossa Senhora, preciso começar ler logo a série dos Bridgertons, voce ainda me deixa com mais vontade. Preciso comprar o duque e eu pra ontem e ler todoos, as capas brasileiras sao mais lindas que as gringas e o enredo parece muito bom, eu queroo! otima resenha, flor, beijo

    ResponderExcluir
  19. Essa série tá dmais!
    Ainda não consegui ler, mas qro dmais conferir!
    Romances de época me fascinam!
    Adorei a resenha!
    Bjs!

    ResponderExcluir

Obrigada por seu comentário.

Sua participação é muito importante.

Um grande beijo!