[Resenha] Quem Tem Medo da Noite?

Quem Tem Medo da Noite? (Amanhã #6)
Título Original: The Night Is for Hunting (Tomorrow #6)
Autor(a): John Marsden 
Editora: Fundamento           Páginas: 216
Lançamento: 2011               ISBN:9788576764168
 ||Compre||     ||Skoob||  ||Goodreads|
Uma guerra destrói prédios, casas e pontes de um país, assim como vidas inteiras, o jeito de ser e de pensar de seus habitantes. Será que Ellie perdeu para sempre sua doçura e sua gentileza? O destino colocou outra vez Ellie e seus amigos diante de um desafio: cuidar de um grupo de órfãos da guerra, extremamente afetados pelo horror que viram e viveram. Não vai ser fácil para cinco adolescentes - um pouco mais velhos que essas crianças - tomarem para si essa grande responsabilidade. Enquanto provam, com a ajuda das crianças, que ainda há espaço para a esperança e a afeição em seus corações, Ellie, Fi, Homer, Lee e Kevin não podem esquecer que a morte os espreita em todos os lugares. Os cinco lutam para escapar de perigosas armadilhas e precisarão de muita força, coragem e sangue-frio para sobreviver ao inimigo que invadiu sua pátria e lentamente se aproxima do único local seguro para eles. Será esse o fim de Ellie e seus amigos? Quem tem medo da noite? é o sexto volume da série que foi escolhida como a mais fascinante pelos jovens leitores nos EUA, na Suécia e na Austrália. Uma história que prende o leitor do início ao fim. Este livro vai ficar na sua memória para sempre.
Quem Tem Medo da Noite? é o sexto volume da série Amanhã, de John Marsden, publicada no Brasil pela Editora Fundamento. Eu li os primeiros cinco volumes praticamente na sequencia, mas o intervalo entre Vingança em Chamas e este aqui foi de praticamente um ano e ao começar esta leitura me dei conta do quanto senti falta desta aventura.

Temos aqui um grupo de jovens australianos que viu seu país ser invadido por um exército inimigo e desde então eles estão vivendo escondidos e tentando achar uma forma de libertar parentes e amigos, quem sabe libertar até sua nação. Já passaram por muita coisa e a cada volume você nota como amadureceram e endureceram.  É palpável essa transformação, assim como toda a gama de emoções que vivem.

O grupo de adolescentes que conhecemos inicialmente está bem reduzido, o que significa que muitos morreram pelo caminho. É uma série voltada para o público jovem, mas nem por isso o autor suaviza os acontecimentos. Eu adoro esta abordagem mais forte, que sempre me faz acreditar que tudo aquilo é de verdade, que eles estão mesmo lá presos e lutando pela vida todos os dias.

A história é narrada por Ellie, que escreve em um diário o que está acontecendo e desta forma sempre me sinto bem próxima dela. Ela é corajosa e teimosa, já senti muita raiva dela em alguns momentos e em outros admiração. É super humana e falha. A verdade é que adoro Ellie. Estar na sua cabeça é uma montanha russa de emoções. É uma menina em muitos aspectos, nas em outros – por conta de tudo que viu nesta guerra – uma anciã. Fala de tudo sempre com sinceridade e honestidade, não omite nem aquelas horas que os amigos a criticam abertamente.

Falando nos amigos, além de Ellie , temos Homer, Fi, Lee e Kevin. Eles não tem o mesmo espaço que Ellie, mas ainda assim pelas palavras dela você acaba os conhecendo bem e se apegando aos mesmos.

Este volume foi um dos mais tocantes na minha opinião, que mostrou o quanto eles estão sensíveis e no limite das forças. Foi aquela hora de abrir o coração e perceber que talvez nunca cheguem a vida adulta. No entanto, não desistiram de lutar e acabaram tomando para si a responsabilidade de ajudar alguns órfãos da guerra.

O acréscimo de crianças na trama foi um ponto positivo, um sopro de ar fresco em um mar de sangue. Eu vi um vislumbre de uma manhã melhor com estes pequenos selvagens, como Ellie carinhosamente os chamava.

As lutas neste volume acontecem, mas não tanto quanto em outros livros e as relações pessoais, a questão de adaptação do ser humano com as adversidades da vida é que são o foco. Ellie se reconcilia com os amigos, acho que eles aos poucos estão recuperando um pouco do equilíbrio e da sanidade perdida.

A história não tem um ritmo acelerado, embora tenha passagens que são de pura adrenalina e com fugas espetaculares. Mas eu gostei deste ritmo mais imersivo e íntimo, curto demais estar ali com eles tentado digerir e encontrar uma saída. E mesmo sem grandes reviravoltas, há uma tensão latente no ar e o desfecho só mostrou que o último livro vai ser quente, muito quente.

Estou desesperada por O Outro Lado do Amanhecer, torcendo para que eles vençam esta guerra e tenham um futuro feliz.






2leep.com

4 comentários:

  1. Oie, Cida!

    Sou doida pra ler essa série! Acho as capas espetaculares, assim como a premissa. E depois de tantos volumes, às vezes a qualidade da história dá uma decaída, mas saber que a história continua empolgante depois de tanto tempo me anima mais ainda a ler!

    xx Carol
    http://caverna-literaria.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. oi cida, de verdade não é uma série que me intrigue, apesar da sua boa indicação deixo passar
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Eu gosto das séries da Fundamento, são sempre muito bacanas. Essa eu não conheço ainda, mas as capas chamam bastante atenção e os títulos bem enigmáticos me causaram curiosidade :)

    www.vivendosentimentos.com.br

    ResponderExcluir
  4. Oi, Cida!
    Eu lembro quando lançou o primeiro livro alguns anos atrás.
    Não sei se leria, pois é uma série gigante, mas gostei de como a história é narrada. Essa forma de diário é bem legal para nos aproximar dos personagens.
    Beijos
    Balaio de Babados
    Sorteio Literário de Carnaval
    Sorteio Três Anos de Historiar

    ResponderExcluir

Obrigada por seu comentário.

Sua participação é muito importante.

Um grande beijo!