[Resenha] A Caverna das Maravilhas

A Caverna das Maravilhas
Título Original: Cave of Wonders (Infinity Ring #5)
Autor(a): Matthew J. Kirby
Editora: Seguinte                 Páginas: 208
Lançamento: 2014               ISBN: 9788565765459
55016_gg ||Compre||     ||Skoob||  ||Goodreads||
Próxima parada: Bagdá, 1258. É para lá que o Anel do Infinito manda Sera, Dak e Riq, com o objetivo de corrigir mais uma falha histórica em sua missão de salvar a humanidade. Em meio a caravanas de mercadores e feiras onde são vendidos perfumes, sedas, tapetes e especiarias, os três aventureiros precisam descobrir um jeito de impedir a destruição de uma das maiores bibliotecas da época. Os mongóis estão cada vez mais perto, e o cerco a Bagdá é inevitável. Pelo que Dak sabe, os invasores vão jogar todos os livros da cidade no rio Tigre, até deixá-lo preto de tanta tinta! Mas a importância dessas páginas vai além da preservação de documentos históricos: sem as informações contidas ali, os três viajantes do tempo não poderão continuar a missão, e tudo o que eles conseguiram até então irá por água abaixo. Agora, os riscos são maiores do que nunca.
No quinto livro da série Infinity Ring, publicada no Brasil pela Editora Seguinte, vamos conferir a continuação das aventuras de Dak, Sera e Riq e suas viagens no tempo para corrigir fraturas. O autor da vez é Matthew J. Kirby.

Nem parece que já foram cinco livros. Nossos amigos estão em sua décima segunda viagem no tempo consertando as falhas da História, ou fraturas, afim de evitar uma tragédia de grandes proporções, o Cataclismo. Eles já ajudaram com a descoberta da América por Colombo, enfrentaram os vikings, os grilhões da escravidão e viveram um tempo com os Maias, agora no ano de 1258, em Bagdá, a missão é impedir que um dos maiores acervos de livros do mundo seja destruído quando a cidade for invadida, entre estes livros há um muito especial, que revela a fratura fundamental, se ela não for reparada tudo o que fizeram até agora terá sido em vão. A maior dificuldade desta missão é a falta de informações, pela primeira vez eles não têm dicas sobre o que vão enfrentar, vão contar apenas com a experiência adquirida no decorrer das viagens e sua intuição.

Narrado em terceira pessoa, A Caverna das Maravilhas apresenta capítulos focados em cada um dos protagonistas, Dak está cada dia mais ousado e cheio de graça, irrita demais os outros dois com seus planos arriscados e impensados, mesmo que os outros não admitam, dão certo sempre que é necessário, embora também compliquem tudo quando dão errado. Mas Dak é assim, alivia o clima enquanto Sera e Riq estão apavorados com o futuro, ela por saber onde o mundo vai parar se falharem e ele por ter medo de desaparecer em breve, os dois jovens estão muito irritados e até mesmo sendo duros demais com Dak, não há como não temer a separação do trio, a torcida para que entrem em sintonia é grande, já que eles devem estar unidos para terem êxito na missão.

Eu adoro estes três jovens, cada um me conquistou com seu jeitinho de ser, mas não posso deixar de dizer que neste livro Dak é a estrela, pela primeira vez pude ver que ele amadureceu muito, tanto quanto os outros, embora não mostre isso claramente. Digo isso porque ele não se mostra tão marcado e aflito quanto os demais, mantém seu jeito irreverente sempre, mas eis que aí reside seu segredo, sua força, ele acaba ajudando  quando estão ao ponto de perder o controle, seja os irritando ou apenas sendo o foco de suas reprimendas, ele é a válvula de escape de Sera e Riq.

O que foi mais sentido por mim neste livro e me deixou preocupada, foi o distanciamento de Sera e Dak, lembro sempre das primeiras cenas do livro um, onde os dois estavam no topo de uma árvore sonhando com dias melhores, sendo acima de tudo amigos e companheiros em uma realidade caótica e desesperadora, a aliança e a amizade dos dois sempre me deixou feliz, acho linda a relação completa que têm e ver rachaduras nesta amizade é algo que deixa o leitor com o coração apertado. Como citei Dak é a estrela da vez, rouba a cena quando ouve as aflições de Sera e a conforta com um abraço, ali ele resgata os anos que viveram juntos e consolida o que os une.

Riq que vem mergulhado em sombras desde o terceiro livro consegue abrir seu coração, não para os companheiros, mas para alguém que confia, isso é algo muito bom, a coragem e força ressurgem no garoto e pela primeira vez em muito tempo ele mostra sinais daquele otimismo que sempre lhe acompanhou.

Mas além de vermos nossos protagonistas lidando com seus problemas, temos a oportunidade de acompanhar mais uma aventura, a SQ está mais atenta do que nunca e Daq, Sera e Riq são capturados tantas vezes que duvidei que a missão teria um desfecho positivo. Enquanto eles usam de toda a astúcia para corrigir mais uma fratura, continuamos aprendendo História de maneira divertida. O final não foi tão impactante quanto o do livro anterior, foi mais leve e menos emocional, já conduz para a próxima aventura, imagino que será perigosíssima, afinal eles chegaram em uma cidade onde até nos tijolos há o símbolo da SQ. Será que desta vez serão derrotados?

A série é ousada por ter cada livro escrito por um autor diferente, fico feliz em ver que todos estão conseguindo manter a trama coerente e conectada, sem um choque para o leitor na troca das mãos que escrevem cada nova aventura. Leitura leve, divertida e muito rica. Recomendo!




Leia o livro, acesse o jogo.

Confira as resenhas dos outros livros da série.

2leep.com

7 comentários:

  1. apesar dos seus bons comentários não é uma saga que me anime!
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Uma pena mesmo essa rachaduras na amizade de Sera e Daq!
    Que bom que nessa série nós aprendemos História de maneira divertida, amo isso!
    Ótima resenha! Bjs <3

    ResponderExcluir
  3. Oi Cida...
    Ouço falar muito dessa série, mas confesso que não tenho muita vontade de ler.
    Quem sabe um dia né...
    É bom gostarmos assim de uma série já no quinto livro.


    livrosvamosdevoralos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  4. Oi Cida!
    Só li o primeiro livro dessa série e confesso que não curti muito. Mas acho interessante essa ideia de ser um autor diferente por livro, quem sabe me animo a continuar!

    Beijos,
    Sora - Meu Jardim de Livros

    ResponderExcluir
  5. Acho o argumento dessa série tão foda, mas ainda não consegui comprar nenhum. Espero que ela tenha a maestria de 39 clues kkk
    Adorei a resenha vou tentar conferir o primeiro logo logo

    http://penelopeetelemaco.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Achei super interessante cada livro ser escrito por um autor, ao mesmo tempo que é diferente um do outro, da aquele medinho de um ser ruim e tal... que aflição rs

    ResponderExcluir
  7. Ainda não comecei a ler essa série, mas leio muita coisa positiva e espero poder ler logo.

    Beijos.

    http://livrosleituraseafins.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Obrigada por seu comentário.

Sua participação é muito importante.

Um grande beijo!