[Resenha] Salve-me

Salve-me
Título Original: Rescue Me (Lovett, Texas #3)
Autor(a): Rachel Gibson
Editora: Geração (Jardim do Livros)                 Páginas: 272
Lançamento: 2016                                            ISBN: 9788584840076
 ||Compre||     ||Skoob||  ||Goodreads||
A salvação de Sadie Hollowell e Vince Haven depende de muitos fatores. Ele voltou traumatizado da guerra ao terrorismo no Afeganistão e ela, aos 33 anos, acha ridículo ser convidada para ser dama de honra do casamento de uma prima no interior do Texas, onde nasceu. Ambos estão perdidos, à procura das raízes e de uma identidade que a vida foi esfacelando, e são atormentados por uma atração sexual violenta que demora muito a se transformar em amor e compromisso. O que se oferece aos leitores é uma história tensa, em que preconceitos e hesitações lutam contra o amor, sem saber qual dos lados terá o triunfo final. Vale a pena ler e torcer por ele.

Salve-me, de Rachel Gibson, é o terceiro livro da série Lovett, Texas, lançada no Brasil pela Geração Editorial

Em cada livro conhecemos a história de amor de um nativo desta pequena cidade onde os moradores adoram uma boa fofoca e dar opinião na vida alheia.

Sadie Hollowell é herdeira de um grande rancho de gado em Lovett, mas nunca conseguiu sentir-se em casa ali. Ela perdeu a mãe cedo, não conseguiu criar com o pai uma ligação afetiva profunda e assim que ficou mais velha caiu na estrada e foi viver bem longe da família. O casamento de uma prima fez Sadie retornar e ela nem imaginava o quanto esta volta seria o começo de uma grande mudança em sua vida. Desde a hora que encontrou aquele cara na estrada com o carro quebrado e ofereceu uma carona, até o momento que seu pai se machucou e foi internado as pressas em um hospital, nada foi igual outra vez

Vince Haven é um ex-seal e após aposentar-se precocemente de sua carreira como militar, ficou por aí sem rumo. Ele foi para Lovett a pedido da tia e acabou ficando por ali ao assumir uma loja. Vince acredita que será um projeto a curto prazo, mas desde que aceitou a carona daquela bela mulher quando seu carro quebrou, a cidade ficou muito mais atraente.

O livro é narrado em terceira pessoa focando em Sadie e Vince, o que  permite ao leitor seguir o desenvolvimento de  uma relação totalmente movida por atração sexual. Sadie Hollowell e Vince Haven têm medo de sentimentos mais fortes. Ambos carregam uma série de traumas e evitam uma entrega total, uma entrega de corpo e alma. Eles afirmam que querem apenas sexo sem compromisso e assumem uma amizade com benefícios.

O leitor de Gibson, sempre acostumado com seus enredos mais descontraídos, se depara com um casal mais sério e problemático. Mesmo os moradores de Lovett sendo mostrados de maneira caricata e estereotipada, afim de evidenciar seu jeito obsoleto de pensar, não chegam a ser cômicos com vimos em Daisy Esta na Cidade e Maluca Por Você.

A pergunta que faremos até a última pagina é: Surgirá um amor para derrubar todas as barreiras e triunfar?

Logo nas primeiras páginas a trama não me prendeu totalmente, eu sou fã das obras da autora e fiquei surpresa por não ter sido captura de imediato. Eu sei que isso aconteceu porque os protagonistas não se mostraram tão carismáticos, são fechados e lutam para mostrar que não querem sentimentos mais fortes em suas vidas. Este distanciamento e frieza os mostram como pessoas mais razão que coração, mas conforme fui avançando na leitura e vendo realmente que ambos carregavam um fardo pesado, entendi que esta maneira de agir era um escudo, a maneira que encontraram para evitar sofrer outra vez. Além de ambos terem problemas com o pai, Vince também sofre de estresse pós-traumático, algo que ninguém além de seu terapeuta sabe.

Sendo assim o conflito que ambos enfrentam não é na relação que têm, e sim algo individual. O encontro dos dois serve como distração dos problemas e um refúgio da vida real.

Eu fui cedendo aos poucos e Sadie me ganhou quando vi sua luta para mostrar ao povo de Lovett que uma mulher pode, sim, ser realizada sem um marido e um bando de filhos. Ninguém acreditava que ela poderia sem bem sucedida se não fosse casada e isso é um preconceito machista e antiquado, senti na pele a aflição de Sadie por cada comentário maldoso que ouviu e teve que manter um sorriso educado no rosto para não revidar. O pior é quando isso vinha de uma mulher, inacreditável. Quando a doença do pai a deixou perdida, sem chão e as deficiências da relação dos dois foram abordadas profundamente, foi impossível não ceder, sentir uma dor no coração e aceitar a moça.

Vince veio em seguida, sendo não só um amante, mas um amigo para ela. Provando que Sadie era importante para ele. Pode ter sido apenas instinto, ou mesmo sua intenção, o fato é que ele esteve ao lado dela na hora certa. Finalmente vi esperança para um romance. Quando vi o amor surgindo, a nova pergunta que surgiu foi: Será que duas pessoas com tanto medo do amor, serão capazes de agarrar esta oportunidade?

Quando você tranca tudo bem apertado para que a dor não possa sair, você também impede que as coisas boas entrem.

Entre mil e um tropeços e a mesma medida de acertos, Vince e Sadie foram se encontrando. Ao salvar um ao outro, acabaram salvando a si mesmos. Eles formam uma casal maduro, inteligente e de coração enorme. A história de ambos me ganhou aos poucos e conforme Gibson os desconstruía e reconstruía, o romance foi se moldando e invadindo meu coração. Torci por esta dupla e posso dizer que esta trama mais séria e, de sentimentos mais profundos, foi uma visão diferente do trabalho da autora. Passado o estranhamento inicial, pude desfrutar e curti imensamente. Recomendo.

Nota: Vince tem uma irmã chamada Autumn e quando é citado que ela namora um jogador de hockey, logo lembrei da outra série de Gibson - Chinooks Hockey Team (Simplesmente Irresistível) –,  e conferindo as sinopses vi que ela é a protagonista do livro seis Any Man of Mine, ainda não publicado no Brasil.

A edição segue o padrão das anteriores, sempre femininas e no clima da história. 








2leep.com

12 comentários:

  1. Ai que delícia... Um romance maduro. Adorei isso. E sem um monte de filhos, rsrs. Amei isso também.

    Esse povo de Lovett é muito esquisito, mas é muito amor!! Vou ler com certeza!

    Bjks

    Lelê

    ResponderExcluir
  2. Oi, Cida!
    Ainda não li nada da Rachel, mas essa série está na lista de leitura.
    Em pleno século XXI e o povo ainda não se acostumou que, pra mulher ser realizada, ela não necessita de uma cambada de filho e um marido.
    Beijos
    Balaio de Babados
    Participe do sorteio Mês das Mulheres em Dobro
    Porcelana - Financiamento Coletivo

    ResponderExcluir
  3. Olá, tudo bem?
    Estou com esse livro para ler, mas ainda não o comecei.
    A premissa é interessante e gostei de saber que a autora foi além do romance e tratou o problema pessoas dos protagonistas. Ademais, a quebra do machismo através da Sadie também me faz querer ler a obra.
    Excelente resenha.

    Desbravador de Mundos - Participe do top comentarista de reinauguração. Serão quatro vencedores!

    ResponderExcluir
  4. Estava curiosa para ler uma resenha sobre este livro e foi muito legal poder ler a sua. Gostei de saber que a autora mais uma vez criou uma história que envolve momentos quentes, mas que também dispõe de outros temas, deixando a obra muito prazerosa de ser lida. Os personagens parecem ter aquela química e momentos que não nos deixa querer largar o livro. Amei!
    Bjs!

    ResponderExcluir
  5. gosto desses autores que conseguem ousar de uma trama para a outra! as histórias de Rachel tem esse ar cômico, mas eu creio que mesmo trazendo a seriedade e sobriedade a trama, ainda assim será uma bonita históriahttp://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Oi, tudo bom?
    Não me dou bem com livros da Rachel... não gostei do que li, não me interesso muito, mas legal saber que você curte a autora e aproveitou a leitura mesmo no começo não sendo isso tudo... as vezes acontece.
    um beijo
    whoosthatgirrl.blogspot.com

    ResponderExcluir
  7. Adoro esses livros que quebram os tabus da idealização da mulher em casar e ter filhos. Ótima resenha.

    Abraços.
    http://aressacaliteraria.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Olá, Cida.
    Não sei se sou fã da autora. Eu amei Simplesmente irresistível, mas achei Maluca por você tão sem graça. Mas ainda quero ler outros livros dela. Esse eu amei a capa, mas você que é fã demorou a gostar, então não sei se esse seria o livro dela para eu ler no momento.

    Blog Prefácio

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Sil! Simplesmente é o meu favorito da autora e Maluca Por Você doi o que achei mais simples. Leia Sem Clima Para o Amor, este é muito bom.

      Excluir
  9. Olá :)
    Pela sua resenha é uma história que foge um pouco do humor de outros da autora e tem um romance mais maduro, a premissa parece bem legal também e coloquei na minha "listinha" rsrs

    Beijos!

    ResponderExcluir
  10. Olá, Cida, tudo bem?

    conheci o primeiro volume dessa serie, através da Sarah, que leu e gostou muito *-* mas preciso confessa que este não me chamou tanta atenção como deveria, talvez seja pelo fato dos personagens serem mais fechados como você mencionou! A verdade fico sem rumo quando a leitura não fisga logo nas primeiras paginas! Mas pude notar uma coisa, os protagonistas desse livro parecem ser muito mais maduros, adorei a resenha mas minha lista esta enorme, quem sabe mais pra frente?

    Beijinhos

    http://resenhaatual.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  11. Bom dia Cida, tudo bem?

    Um livro diferente e com uma remota menção do terrorismo já chama muita atenção, a protagonista parece uma mulher forte, a capa é um chama também.


    Beijos.


    http://deslumbreacessorios.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Obrigada por seu comentário.

Sua participação é muito importante.

Um grande beijo!