[Resenha] Encontrando-me

Encontrando-me
Título Original: Finding It (Losing It #3)
Autor(a): Cora Carmack
Editora: Novo Conceito        Páginas: 288
Lançamento: 2015               ISBN: 9788581637129
 ||Compre||     ||Skoob||  ||Goodreads||
A maioria das garotas mataria para passar meses viajando pela Europa após a formatura da faculdade, sem responsabilidade, sem os pais e sem limite nos cartões de crédito. Kelsey Summers não é exceção. Ela está tendo o momento de sua vida... ou isso é o que ela continua dizendo a si mesma. É um negócio solitário, pois está tentando descobrir quem ela é, especialmente porque está com medo de não gostar do que pode encontrar. Nenhuma quantidade de bebida ou dança pode afugentar a solidão de Kelsey, mas talvez Jackson Hunt possa. Depois de alguns encontros casuais, ele a convence a fazer uma viagem de aventura ao invés de ficar bebendo. A cada nova cidade e experiencia, a mente de Kelsey se torna um pouco mais clara, e seu coração menos. Hunt ajuda a desvendar seus próprios sonhos e desejos, mas quanto mais ela conhece sobre si mesma, mais percebe o quão pouco ela sabe sobre ele.

Encontrando-me é o terceiro volume da série Losing It, de Cora Caramack, lançada no Brasil pela Editora Novo Conceito. Em cada volume vamos conhecer a história de amor de um dos integrantes do trio de amigos universitários: Bliss, Cade e Kelsey.

Primeiro tivemos Bliss e Garrick (Perdendo-me) e em seguida Cade e Max (Fingindo), agora chegou a hora de Kelsey e Hunt. Ela sempre foi a mais doidinha do trio e teve participação ativa no primeiro livro, sendo que no final partiu em uma viagem pelo mundo e no segundo não tivemos muitas notícias. 

Então, só agora vamos poder conhecê-la e saber como seguiu após o término da faculdade. Assim damos de cara com uma moça rica que está gastando todo o dinheiro do pai pela Europa, curtindo literalmente a vida sem nenhum pudor ou medo. 

Ela está passando por várias cidades, vivendo de albergue em albergue e travando amizade com desconhecidos. Bebe até cair e aposta no sexo casual com o cara que parecer mais atraente em cada noite. Uma vida vazia, superficial e fútil. A típica de garota mimada, ao menos é o que parece a princípio.

Numa dessas noites Kelsey conhece Hunt, um cara enigmático de porte militar, que resiste ao seu charme e não a leva para cama imediatamente, na verdade ele parece um anjo da guarda sombrio, que ajuda a garota nas situações mais embaraçosas e nunca tira proveito dela. Com o passar dos dias os dois acabam viajando juntos e ele propõe um desafio para Kelsey. Seja pela vontade de seduzi-lo, seja pela curiosidade de desvendá-lo, o fato é que ela aceita e pela primeira vez na vida consegue sentir o gosto do que é ser feliz.

Havia esperança neste mundo insano , se eu conseguisse mantê-la protegida das trevas.

Eu diria que você pode ler este livro sem ter lido os anteriores e entender bem a trama, salvo por uma ou outra referência ao primeiro livro que não revela nada muito substancial da história e nenhuma referência direta ao segundo, é o mais independente dos três.

Eu via Kelsey como uma garota desencanada e que levava a vida sem nenhuma insegurança, mas eis que aqui fiquei surpresa por encontrar exatamente o contrário. Embora nos primeiros capítulos ela transmita a imagem de mimada e atirada, logo vemos que esta é sua maneira de enterrar um trauma vivido na adolescência, momento que os pais fizeram pouco caso do acontecido e varreram a sujeira para debaixo do tapete.  Caiu assim por terra a imagem de mimada e notei que ela nunca recebeu atenção da família, era vista apenas como mais um investimento do pai.

Quanto a ser atirada demais, isso ela era mesmo e desta forma em momento algum consegui ver romance em sua relação com Hunt. Ela sentia uma atração bem forte por ele e mesmo quando a proximidade foi maior, ainda assim esta história de amor não derreteu meu coração. Nos livros anteriores a autora conseguiu me convencer da profundidade dos sentimentos dos casais. Havia algo além de sexo, uma ternura que os cercava, mas entre Kelsey e Hunt vi uma atração desmedida e um desespero enorme para encontrar afeto, isso dos dois lados, embora no caso dele esse fato seja revelado apenas nos últimos capítulos.

Hunt é um bocado intrigante e dá até vontade de arriscar e desvendar seus segredos, um cara interessante, mas não cheio de carisma. Kelsey não seria uma garota que eu ficaria amiga. Sei lá! Ela é perturbada e destrutiva demais. É frágil? Sim! Um conflito ambulante. 

Cora Carmack não nos trouxe desta vez uma trama que mescla doçura, amor e uma pitadinha de drama, optou apenas pelo romance conturbado e personagens cheios de problemas pessoais que os moldaram como inseguros para a vida. Eu achei estranha a forma como Kelsey topou viajar pela Europa com um cara totalmente desconhecido e que não gostava de falar nem o nome completo, mas dada a forma kamikaze como ela levava a vida deu para entender no final, mas não concordar.

Uma aventura é janela aberta e um aventureiro é a pessoa disposta a rastejar pelo peitoril e saltar. 

Encontrando-me é narrado em primeira pessoa pela protagonista e assim nos permite acompanhar todo o turbilhão de emoções que povoam sua vida. É uma montanha russa e esta história não é previsível em momento algum, você não sabe onde este tour pela Europa vai te levar, o único ponto que consegui desvendar rapidamente foi a razão da presença de Hunt na vida de Kelsey. Só que a reação dela em relação a esta descoberta eu não previ.

É uma história sobre descobrir-se, achar um rumo para a vida e um lugar no mundo. O casal forma uma dupla que nunca teve um lar de verdade e precisa muito de raízes. Hunt foi o juízo que faltava para Kelsey e ela a emoção que ele não se deixava sentir. Mesmo que eu não tenha acreditado em amor, e sim visto paixão, acho que o encontro de ambos foi na hora certa. Eles precisavam um do outro para aparar arestas. Não sei se, em um futuro distante, permaneceriam juntos, mas naquele momento a união deu certo. Não foi o meu preferido da série, os outros são tão fofos que não há competição, mas ainda assim é uma história que vale a pena ser conferida.

 Eu me sentia como uma flor tentando criar raízes no concreto.



2leep.com

10 comentários:

  1. Olá :)
    Confesso que não curti o primeiro livro dessa série e não curto muito protagonistas muito fêmeas fatais, mas talvez dê uma conferida no livro.

    Beijos,
    http://livrosentretenimento.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. é o meu livro preferido da trilogia, eu o amei do começo ao fim, Kelsey me conquistou por seu jeito de ser, altiva e madura e Hunt é o cara
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Oi Cida, tudo bem?
    Como foi de festas? Espero que tenha sido maravilhoso.
    Eu amei o primeiro livro. Gostei muito do segundo e ainda não li este, apesar de já estar aqui em casa. Pretendo ler agora nas férias.
    Uma pena que o livro não te fisgou como os outros dois. Espero gostar e que pelo menos a autora tenha conseguido terminar a série de modo satisfatório...
    Bjus
    Lia Christo
    www.docesletras.com.br

    ResponderExcluir
  4. Já ouvi tanto desse livro e sua resenha ficou completa e me deixou bastante animada.
    Fiquei com vontade de ler todos.
    Um beijo

    www.tecontopoesia.com

    ResponderExcluir
  5. Gostei do início da resenha e da descrição dos personagens, mas a história em si, não me chamou atenção. E quando você disse que a autora criou personagens que vivem um romance conturbado, sem romance e doçura, não fiquei empolgada em lê-lo.

    ResponderExcluir
  6. Tenho muuuuita vontade de ler essa série <3
    E nem sabia que cada volume é pela perspectiva de um personagem! Muito bacana!!
    Eu tenho o primeiro na lista dos que quero ler no skoob há um tempão, espero conseguir tê-los e lê-los logo!!
    Muito bom seu post, parabéns!

    Beijo grande :*
    Sankas Books

    ResponderExcluir
  7. Ooi! Da trilogia esse é o livro que eu menos gosto. Acho a protagonista não me encantou, sei lá... faltou alguma coisa. Já Hunt foi o que salvou o livro. Ele é tão fofo e a forma como ele entrou na vida dela, diante daquela situação eu achei muito ♥

    Beijos
    SIL ~ Estilhaçando Livros

    ResponderExcluir
  8. Oi Cida,
    Tenho vontade de começar essa trilogia, minha prima adora...
    E nossa, tenho medo de albergue desde que vi o filme HAHAHAHA

    Tenha uma ótima sexta.
    Nana - Obsession Valley

    ResponderExcluir
  9. Cida!
    É uma das melhores trilogias que li.
    Gosto dos romances leves e que vão se desenvolvendo aos poucos até se tornar algo bem profundo.
    “Sábio é aquele que conhece os limites da própria ignorância.” (Sócrates)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    Participe do TOP COMENTARISTA de Janeiro, são 4 livros e 3 ganhadores!

    ResponderExcluir
  10. Cida!
    É uma das melhores trilogias que li.
    Gosto dos romances leves e que vão se desenvolvendo aos poucos até se tornar algo bem profundo.
    “Sábio é aquele que conhece os limites da própria ignorância.” (Sócrates)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    Participe do TOP COMENTARISTA de Janeiro, são 4 livros e 3 ganhadores!

    ResponderExcluir

Obrigada por seu comentário.

Sua participação é muito importante.

Um grande beijo!