[Resenha] A Herdeira

A Herdeira
Título Original: The Heir (The Selection #4)
Autor(a): Kiera Cass 
Editora: Seguinte                 Páginas: 392
Lançamento: 2015               ISBN: 9788565765657
10393701_594371014029880_2668112296962817671_n ||Compre||     ||Skoob||  ||Goodreads||
No quarto volume da série que já vendeu mais de 500 mil exemplares no Brasil, descubra o que vem depois do “felizes para sempre”. Vinte anos atrás, America Singer participou da Seleção e conquistou o coração do príncipe Maxon. Agora chegou a vez da princesa Eadlyn, filha do casal. Prestes a conhecer os trinta e cinco pretendentes que irão disputar sua mão numa nova Seleção, ela não tem esperanças de viver um conto de fadas como o de seus pais… Mas assim que a competição começa, ela percebe que encontrar seu príncipe encantado talvez não seja tão impossível quanto parecia.

A Escolha marcava o fim da Trilogia A Seleção, ao longo de três livros e dois contos  vivi vários tipos de emoções com a saga de America Singer e mais trinta e quatro garotas na disputa pelo coração do príncipe Maxon. Intrigas, momento românticos, rebeliões, um triângulo amoroso e muita, mas muita indecisão por parte da mocinha, tantas reviravoltas e um final, que pelo menos na minha opinião - apesar de tantas mortes –, foi o que eu queria.

Uma história com jeito de contos de fadas e glamour, que iria deixar saudades, até o dia que Kiera Cass anunciou que teríamos mais volumes. Aguenta coração com mais da Seleção! O quarto volume, A Herdeira, acabou de chegar aqui no Brasil, publicado pela Editora Seguinte, trazendo a historia de Eadlyn, filha de Maxon e America.

Há vinte anos atrás Maxon escolheu America e hoje ambos reinam. Pais de quatro filhos lindos e vivendo o fim das castas, poderiam estar pensando em descansar, mas longe disso, o reino esta um caos e a única atitude viável para aplacar a revolta do povo é uma distração. Maxon resolve ressuscitar a Seleção e colocar sua filha mais velha no papel que ele ocupou no passado, agora serão trinta e cinco garotos lutando pelo coração da herdeira, o problema e que Eadlyn não tem a boa vontade do pai para esta missão, nem tampouco o desejo de casar. Ela quer reinar, mas sozinha, e mesmo aceitando participar da Seleção, não age como deve e desperta mais ainda a ira do povo. Ao que tudo indica, a monarquia está chegando ao fim.

A narrativa de Kiera continua tão fluida e envolvente como antes, você logo se sente imerso na trama e no cenário particular desta série, muitas mudanças ocorreram, como o fim das castas, mas no geral ainda temos aquele mesmo clima de antes, embora os vestidos de luxo tenham aberto espaço para mais questões politicas. Foi um retorno gostoso e a curiosidade de saber como seria esta sequencia depois de vinte anos, afinal o desfecho havia sido redondinho e começar tudo outra vez não seria algo fácil, mas Kiera conseguiu criar algo novo e tão complicado quanto antes.

Um alerta e conselho: Eadlyn não é America. Tudo bem que fica difícil não comparar  e sentir falta de nossa antiga protagonista, com sua audácia e ousadia, e até mesmo a eterna indecisão, ela nos conquistou, mas agora é hora de abrir a mente para sua filha e ver se ela tem o mesmo carisma que a mãe.

Logo que comecei a leitura percebi o quanto as duas eram diferentes e resolvi abrir a mente, me livrar da vontade de comparar, acredito que este tenha sido um dos principais fatores que me permitiram entender Eadlyn e mesmo não achando suas atitudes legais, aceitá-las. Ela não é fácil, tem um gênio forte e age como a dona do mundo. Mimada, prepotente, egocêntrica e por aí vai, qualquer um logo nota que ela acredita que o mundo deve curvar-se à sua vontade e isso vira um grande problema, pois o povo não deseja uma rainha tão fria e distante depois de ter um rei e uma rainha tão amorosos e gentis. Os irmãos sendo todos graciosos complicam ainda mais as coisas.

Confesso que logo nas primeiras paginas eu fiquei bem irritada com ela e queria que sumisse da história. Sério gente, ela me enervou, mas relevei e  aos poucos fui vendo como era complicado ter o peso de um trono nas costas e ter crescido sabendo disso, uma responsabilidade enorme que leva a pessoa a se fechar em busca de proteção e força, eu mesma não sei se agiria diferente , teria sim a mesma dificuldade de abrir o coração e mostrar fragilidade, no seu lugar não era possível confiar muito nas pessoas, e isso se provou certo em pouco tempo, suas palavras eram usadas contra ela e poucos eram amigos leais.

Você percebe uma pessoa de verdade por baixo das camadas quando ela começa a interagir com os selecionados, não que tenha sido rápido, antes ela aterrorizou todos eles, mas depois foi se deixando envolver e sentiu na pele o preço de ser mais normal, não apenas a herdeira do trono. Quando esta parte chegou eu fiquei muito empolgada, mas não no sentido de esperar por um romance, mas de esperar Eadlyn achar seu eixo, seu equilíbrio entre uma jovem de 18 anos e uma futura rainha. 

Eadlyn é  o centro de tudo, e diferente dos livros anteriores, a Seleção não e tão importante assim, afinal não sabemos nem se dará certo ou não, é a transformação e amadurecimento da herdeira e o que importa.

Nossas expectativas antes eram pela decisão do coração: Aspen ou Maxon? E depois America ou outra das garotas? O lado romântico sempre o maior peso, mas não vi tanto romance em A Herdeira, há alguns envolvimentos dela com certos rapazes, mas sinceramente não vi aquela faísca, nem um deles demonstrou ser alguém mais promissor que um amigo, vocês podem até discordar, mas eu não estou esperando por romance, minha torcida e para que ela consiga ser uma boa rainha, e sinceramente,  que consiga isso sem precisar se casar.

Sabe, depois de tudo que vi aqui, sua independência deveria ser considerada uma qualidade, não defeito. Gente, na era atual a mulher pode se sair bem sem um homem de lado. Eadlyn merece amar e ser amada, mas sem a pressão da Seleção, que incutiu nela o amor como obrigação, quando na verdade o que surgiu entre os pais dela foi espontâneo. Todo mundo lembra bem que America nem queria ir para a Seleção e seu coração foi pego de surpresa. Eadlyn precisa sim,  mudar vários aspectos de seu caráter, mas a garota do começo não foi a mesma que chegou no final do livro, já mudou e ficou mais sensível, tomara que não perca sua determinação depois do choque que veio no desfecho, triste para todos nós.

Sim! Eu gostei de Eadlyn, depois de um começo difícil eu acabei aceitando a filha de America e Maxon. A  série A Seleção começou com ares de distopia, enveredou pelo romance e hoje chega em um outro nível, uma trama cheia de jogos políticos, intriga e fortemente voltada para o papel da mulher no mundo atual.

A Seleção
Confira as resenhas!






2leep.com

17 comentários:

  1. tenho os 2 primeiros da série que dá vida a herdeira e ainda não li, mas espero em breve remediar isso, ja que coloco muitas expectativas na história
    felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. OI Cida...
    Eu ainda penso se quero ler essa série, quem sabe no futuro. Nunca diga nunca né
    E ainda tem outro livro não é? Achei que ele era o último.
    Mas acho que gostaria da autora abordar a mulher contemporânea.


    livrosvamosdevoralos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  3. A Seleção é minha série favorita e a Kiera é uma das melhores autoras que eu já conheci. Eu amei a Herdeira, mas sou suspeita pois eu sempre vou gostar de tudo que ela escreve!
    Mil Beijos!
    http://pensamentosdeumageminiana.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Oi Cida!
    Eu também gostei da Eadlyn e estou feliz por perceber que não sou a única, confesso que nunca gostei muito da America, então não fiquei comparando elas. Também notei essa evolução da Eadlyn e adorei, com certeza ela vai começar o próximo livro sendo uma pessoa melhor do que foi nesse!
    Bem, eu estou torcendo pelo Hale, mas não sei se vai rolar!
    Beijos... Samantha Culceag.
    Só pra Menores

    ResponderExcluir
  5. Oi Cida

    Poxa vida me sinto uma patinho feio na lagoa quando vejo várias resenhas e elogios da série rsrs nunca li ela e não é algo que me chame muito a atenção ainda , espero poder ler um dia e sair dessa zona de conforto rsrs adorei a resenha a escrita da autora parece ser ótima


    Beijos

    www.livrosechocolatequente.com.br

    ResponderExcluir
  6. Oi Cida,
    Eu li apenas o conto de Maxon e depois desistir de ler a série, então no momento não tenho planos de ler a “Herdeira”, mas que bom que você gostou do livro e que a protagonista conseguiu evoluir durante a trama.

    *bye*
    http://loucaporromances.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Oi Cida,
    Que resenha maravilhosa!
    Preciso começar essa série e as capas são tão lindas.

    Ah lendo sua resenha eu gostei da personalidade da filha deles, a mente dela.
    Também curti como a autora mudou o jogo, agora são os garotos, acho que vai ficar bacana de acompanhar!

    bjs e tenha um ótimo final de semana.
    Nana - Obsession Valley

    ResponderExcluir
  8. Oi, Cida!!
    Você foi a primeira que vejo que tentou entender a Eadlyn, todo mundo tá achando ela chata. hahaha
    Que bom que a Kiera continua com sua escrita fluida!
    Muito boa a resenha! Bjo <3

    ResponderExcluir
  9. Ainda não li nenhum livro dessa série que a princípio seria uma trilogia e cada resenha que leio dos livros me deixa ainda mais interessada em conferi isso tudo que dizem, só já vi resenhas super positivas dos livros.

    ResponderExcluir
  10. Cida!
    Há muito quero ler a série e a cada nnova resenha que leio minha vontade só aumenta.
    Esse exemplar tem dividido os leitores, li algumas que não gostaram tanto e outras que amaram.
    Quero constatar por mim mesma.
    “O segredo é não correr atrás das borboletas... É cuidar do jardim para que elas venham até você.”(Mario Quintana)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    Participe no nosso Top Comentarista!

    ResponderExcluir
  11. Oie Cida,

    Menina você acredita que eu somente li o primeiro livro dessa serie, eu lembro de ter gostado na época, mas não tinha os outros livros nunca mais pegue nem emprestado, tenho lido boas criticas sobre a herdeira.


    Beijos, Le Pimenta Coisas de Mineira

    ResponderExcluir
  12. Olaaa
    Eu ja tenho o livro e estou louca para iniciar a leitura, amei o enredo e as resenhas que li até agora, a sua está otima também.

    Beijos
    Reality of Books

    ResponderExcluir
  13. Olá, tudo bem??
    Você foi a primeira pessoa que fala que gostou da protagonista kkkkk eu mesmo sem ter lido o livro criei uma boa antipatia por ela kkkkk. De verdade não tenho pretensão de ler o livro... ainda vou ler a Escolha e para mim a série finaliza ai... infelizmente já soube da escolha do Maxon, as pessoas não conseguem ficar sem dar spoiler, mas fico de boa porque a série não é a minha preferida, então não fiquei chateada quando soube do final de A escolha antes mesmo de ler A Elite kkkkkkk, enfim... pelo que vi você curtiu muito a leitura o que é bom... xero!!

    ResponderExcluir
  14. Oi Cida, tudo bem?

    Eu não li nenhum livro dessa série e confesso que não pretendo, mas fico feliz pela filha da América ser melhor do que ela e também fico feliz que a série voltou a falar sobre os problemas políticos, pois lembro que muita gente reclamou disso no fim da trilogia.

    Beijos.

    http://livrosleituraseafins.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  15. Oi Cida, tudo bom?
    Realmente a Eadlyn é intragável e não consigo aceitar essa atitude porque os irmãos dela tiveram a mesma educação e são gentis e amorosos. Não que ela não seja, mas acredito que desde criança ela foi treinada e virou um robô. Apesar disso, gostei e aproveitei a leitura desse livro. A escrita da Kiera continua com uma bela fluidez.
    Beijos,
    http://livrosyviagens.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  16. Nossa, como a Eadlyn me irritou! Eu não consegui entendê-la não, até porque no livro temos o exemplo de outra princesa que teve que encarar a mesma pressão - quanto a ser rainha, pelo menos - e encara as coisas de forma bem diferente. Mas pelo menos ela amadurece e melhora bastante, é o que importa! A escrita da Kiera é incrível, e estou ansiosa pela continuação.

    Beijo.

    Ju
    Entre Palcos e Livros

    ResponderExcluir
  17. Não fiquei tão animada para ler a herdeira. Mas acabei lendo e nossa Eadlyn me irritou mais do que o pai do Maxon nos livros da Seleção, A Kiera e tão boa no que faz que mesmo não suportando a garota consegui ler, a sua resenha está maravilhosa.

    ResponderExcluir

Obrigada por seu comentário.

Sua participação é muito importante.

Um grande beijo!