[Resenha] O Bazar dos Sonhos Ruins

O Bazar dos Sonhos Ruins
Título Original: The Bazaar of Bad Dreams
Autor(a): Stephen King  
Editora: Suma                      Páginas: 528
Lançamento: 2017               ISBN:9788556510303
 ||Compre||     ||Skoob||  ||Goodreads||
Mestre das histórias curtas, o que Stephen King oferece neste livro é uma coleção generosa de contos – muitos deles inéditos no Brasil. E, antes de cada história, o autor faz pequenos comentários autobiográficos, revelando quando, onde, por que e como veio a escrever (ou reescrever) cada uma delas. Temas eletrizantes interligam os contos; moralidade, vida após a morte, culpa, os erros que consertaríamos se pudéssemos voltar no tempo... Muitos deles são protagonizados por personagens no fim da vida, relembrando seus crimes e pecados. Outros falam de pessoas descobrindo superpoderes – como o colunista, em “Obituários”, que consegue matar pessoas ao escrever sobre suas mortes; ou o velho juiz em “A duna”, que ainda criança descobre uma pequena ilha onde nomes surgem misteriosamente na areia – nome de pessoas que logo morrem em acidentes bizarros. Em “Moralidade”, King narra a vida de um casal que vai se despedaçando quando os dois mergulham no que, a princípio, parece um vantajoso pacto com o Diabo. Incríveis, bizarros e completamente envolventes, essas histórias formam uma das melhores obras do mestre do terror, um presente para seus Leitores Fiéis.

Venha Leitor Fiel…

O Bazar dos Sonhos Ruins é uma coletânea de contos de Stephen King que para mim não foi uma leitura, mas uma conversa amistosa com este autor genial.

Ele é genial não apenas por criar excelentes histórias de vários gêneros, mas por conseguir fazer isso com graça, carisma, inteligência e um bom humor absoluto . King é conhecido como mestre do terror, mas ele manda bem no suspense, no romance policial e até no drama. Neste livro há até um conto com desfecho romântico e fiquei atiçada para saber se o Mestre possui outros livros com finais felizes assim.

São vinte contos, alguns com menos de dez páginas e outros com mais de trinta, que navegam pelos diversos genêros já trabalhados em outras obras do autor. Seria mesmo uma experiência de leitura sem muitas novidades, mas se tratando de Stephen King há inovação. Eu amei as histórias, uma ou outra pode não ter me marcado tanto, mas no geral todas são bem escritas. No entanto, para mim foi uma conversa com King muito pessoal e íntima.

Cada conto é antecedido por comentários dele e em cada um destes King nos fala de si. O que o motivou a escrever tal história e em qual momento de sua vida a ideia de cada uma surgiu.

Assim, vemos o quanto dele está em cada trama, até ele mesmo é personagem em Blockade Billy. Só que vai além disso, King realmente fala de si com muita honestidade e sinceridade. Fala da mãe, da época dos estudos, dos filhos, da esposa, das estradas que passou, da moto que teve e até mesmo de seu período envolvido com drogas. Desabafa, divaga e se abre conosco. Fechei a obra me sentindo não apenas mais próxima de Stephen King, mas também uma confidente.

Ele é simpático, tem um humor peculiar e conquista o leitor. Eu que já era fá, virei fã de carteirinha. Acho que O Bazar dos Sonhos Ruins serve para introduzir leitores no universo King e apresentá-lo bem para estes marinheiros de primeira viagem. Para nós que já o conhecemos, deixá-lo mais humano e mostrar que atrás de IT, de Mr.Mercedes e de tantos outros, há uma pessoa de carne e osso, que vive de maneira bem semelhante a nossa e que como ele salienta em vários momentos, precisa pagar as contas. King é brilhante e humano acima de tudo,  mostra isso para seus leitores em cada palavra desta obra.

O meu conto preferido foi Ur. É uma celebração para os amantes de livros e tem como personagem principal um Kindle rosa. Não existe Kindle desta cor e imaginem então o que o aparelho da história é capaz de fazer. Eu queria um daqueles, com obras de grandes autores não escritas. E foi este conto que teve um final romântico fofo.

O humor aqui é sombrio, mas, na minha opinião, esse é muitas vezes o melhor tipo. Porque, veja bem, quando se trata de morte, o que podemos fazer além de rir.


Indispensável para qualquer fã de Stephen King.  




2leep.com

14 comentários:

  1. Oi, Cida!
    Finais românticos e fofos não é algo que associo com o King hahahahah
    Não sabia que era essa quantidade de contos... E confesso que me dá uma agonia essa capa. Não consigo olhar pra ela por muito tempo.
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mulher! Eu sou apaixonada pela arte dessa capa.

      Excluir
  2. Oi Cida, eu adorei o livro, foi meu primeiro contato com o autor e gostei bastante. Ur é incrível com o Kindle rosa, mas o meu preferido é o primeiro, muito medo daquela perua comedora de gente heheheheheh

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mi, aquele conto é assustador demais.

      Excluir
  3. Oi Cida,
    Eu amei os contos! Adoro essa pegada mais pessoal do King, ele contando histórias da vida é ainda melhor que a ficção. UR é demais mesmo!

    bjs
    Nana - Canto Cultzíneo

    ResponderExcluir
  4. Oii Cida, tudo bem? conheci seu blog ao acaso e já estou amando seu cantinho, é claro que já vou seguir para conferir tudo hahahahaha eu só li um livro do King que foi It e eu amei , esse livro me chama muito a atenção principalmente pela capa, e por ser contos acho que será uma experiência diferente já que não leio muita coisa do gênero, vou ver se leio esse livro ainda esse ano.
    - Beijos, Carol!
    http://entrehistoriasblog.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Estou doida pra ler este livro!!!
    Amei a resenha... e só tô imaginando o kindle rosa ♥

    Bjkssssss

    ResponderExcluir
  6. eu acabo não lendo muitos livros do King exatamente porque ele me apavora, mas que bom que curtiu
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Olá, Cida.
    Eu ao contrário não gosto dos livros do autor hehe. E esse não foi diferente. Até gostei de alguns contos, mas na maioria achei eles chatos.

    Prefácio

    ResponderExcluir
  8. Eu quero dizer que não passo mais a vergonha de nunca ter lido King, depois de muitas resenhas e muitas vergonhas eu li hahaha "Carrie, a estranha" ano passado. E só por ter lido o primeiro livro dele deu para entender pq ele é tão elogiado, ele consegue inquietar a gente de um jeito muito particular. É impressionantemente cativante! "Bazar dos sonhos ruins" vai sim para minha lista de livros que vou ler. Ei, você falando de Ur e de um Kindle com obras de grandes autores não escritas lembrei da Biblioteca do Sonhar de Neil Gaiman e da Biblioteca da Babilônia de Borges (a Babilônia como Ur é uma cidade da Mesopotâmia) King dialogando com Borges e Gaiman??? Nossa!! Preciso ler para saber!!!

    Jaci
    Uma Pandora e Sua Caixa

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Jaci! Borges eu nunca li, mas Gaiman sim e ficaria encantada em saber os detalhes de uma interação dele com King.

      Excluir
  9. Oi, Cida

    Também acho o autor genial, mas não é todo livro dele que me agrada. Inclusive minha resenha mais recente é sobre um livro dele que não me agradou.
    Mas se teve uma coisa que eu adorei na sua resenha foi essa história de Kindle rosa! Hahahahahaha

    Beijocas
    - Tami
    http://www.meuepilogo.com

    ResponderExcluir
  10. Cida querida que saudade de vir aqui no seu cantinho e ler suas resenhas maravilhosas.
    Amei ver que vc se mantém firme e forte, parabéns (falo isso pq algumas blogueiras andaram sumindo, enfim 😳😨😉 amei sua dica de leitura, estou aos poucos adentrando no mundo do King e essa sua dica foi perfeita. Já notei no skoob para não esquecer né!?
    Parabéns pela leitura, pelo ótimo texto e pelas argumentações que me convenceram 💕📚💕😘😘😘
    Ótima semana para vc viu!!!
    Leituras, vida e paixões!!!

    ResponderExcluir

Obrigada por seu comentário.

Sua participação é muito importante.

Um grande beijo!