[Resenha] Retalhos

Retalhos 
Título Original: Blankets
Autor(a): Craig Thompson  
Editora: Quadrinhos na Cia                Páginas: 592
Lançamento: 2009                             ISBN: 9788535914481
 ||Compre||     ||Skoob||  ||Goodreads||
Uma das graphic novels mais premiadas dos últimos tempos, Retalhos é um relato autobiográfico da vida no meio-oeste americano. Thompson retrata sua própria história, da infância até o início da vida adulta, numa cidadezinha de , no centro dos Estados Unidos, que parece estar sempre coberta pela neve. Seu crescimento é marcado pelo temor a Deus - transmitido por sua família, seu colégio, seu pastor e as trágicas passagens bíblicas que lê -, que se interpõe contra seus desejos, como o de se expressar pelo desenho. Ao mesmo tempo Thompson descreve a relação com o irmão mais novo, com quem ele dividiu a cama durante toda a infância. Conforme amadurecem, os irmãos se distanciam, episódio narrado com rara sensibilidade pelo autor. Com a adolescência, seus desejos se expandem e acabam tomando forma em Raina - uma garota vivaz, de alma poética e impulsiva, quase o oposto total de Thompson - com quem começa a relação que mudará a visão que ele tem da família, do futuro, de Deus, e, enfim, do próprio amor. Retalhos traz as dores e as paixões dos melhores romances de formação - mas dentro de uma linguagem gráfica própria e extremamente original.
Retalhos, de Craig Thompson, é uma graphic novel na qual o autor nos conta como foi sua infância, adolescência e inicio da vida adulta.

Assim como em Persepolis, esta graphic novel não suaviza a realidade. Traz uma história cheia de sentimentos e que muitas vezes não é feliz e nem bonita. Você vê essa capa doce e meiga e imagina algo leve, já alerto que não é o caso. Retalhos mostra um rapaz que cresceu de maneira difícil e cercado de muita pressão psicológica, algo que fez meu coração doer. Não acho que criança nenhuma mereça uma vida como a de Craig.

Ele era de uma família humilde e muito religiosa, tanto que para mim beirava o fanatismo. As partes que mostram ele na igreja e interagindo com os outros membros desta me deixaram muito nervosa, não com a história, mas com a fé cega e preconceituosa daquelas pessoas. Craig ficava desnorteado quando bombardeado com tantos sermões e moralismos baratos. Acho revoltante esse tipo de coisa.

Mas esta era apenas um das partes da vida dele, ao ler a obra, vamos vendo algo que parece mesmo uma colcha de retalhos, com vários pedacinhos de uma vida. E, desta forma, a narrativa não segue de maneira linear, alternando-se então entre as várias fases da vida de Craig.

Muito é abordado em Retalhos. Além desta questão da religião, há bullying, descoberta do primeiro amor, iniciação na vida sexual, relações familiares, amadurecimento e, infelizmente, até abuso sexual.

Apesar de boa parte do tempo os assuntos serem bem sérios e densos, há um alivio imediato quando Craig nos conta como era a relação como irmão caçula Phil. Nestas partes eu me emocionei bastante e fiquei encantada com a relação dos dois, que mesmo com altos e baixos, sempre foi de amor e muito companheirismo.

Eu fiquei feliz com o caminho que Craig tomou, pensei que ele afundaria, mas não. O rapaz foi esperto o bastante para escapar e no final posso dizer que se encontrou de alguma forma.

As ilustrações são mágicas e falam por si só. É puro sentimento e reflexão. Dor, paixão, medo, ansiedade que transborda de cada quadrinho. Retalhos é real e visceral. Não é para crianças. É uma graphic novel voltada para o leitor mais maduro que vai tanto apreciar sua sensibilidade e honestidade, como também se questionar sobre escolhas e limites. Recomendo. 





2leep.com

9 comentários:

  1. Oi, Cida!
    Bom saber que a HQ é bem direta e cru nos assuntos que aborda. Adorei a combinação das cores na capa...
    Beijos
    Balaio de Babados
    Participe do Natal Literário e ganhe prêmios maravilhosos

    ResponderExcluir
  2. Assim como você, eu me emocionei bastante com essa graphic. Linda demais e uma das minhas favoritas.
    Comprei Persépolis e pretendo ler logo.

    Bjks mil!!

    ResponderExcluir
  3. Oláá! Tudo bem?
    Não costumo ler graphic novel, mas tenho a maior curiosidade em comprar alguma para começar. gostei dessa, fiquei querendo ver como ele retrata esse temas super comuns no nosso dia a dia né ^^
    beeijo

    https://lecaferouge.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Oi Cida, eu já tinha alguma coisa dessa Graphic Novel mas não sabia que ela era tão boa! Ano que vem quero explorar mais essa parte de quadrinhos da Cia, dica anotada!

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  5. Oiii Cida

    Nossa, a HQ é bem mais densa do que eu imaginei em um primeiro momento. Nunca imaginei que fosse abordar temas mais profundos e duros como abuso sexual. Deve ser bem tocante e triste. Fiquei curiosidade porque é diferente de outras graphic novels que conheço

    Beijos

    aliceandthebooks.blogspot.com

    ResponderExcluir
  6. Oi Cida!
    Não sabia que essa graphic novel contava a história do próprio autor, parece ser interessante!

    Beijos,
    Sora | Meu Jardim de Livros

    ResponderExcluir
  7. Oi Cida,

    Parece ser uma leitura muito interessante. Confesso que a premissa não me chamou tanta atenção a ponto de ler, mas gostei de saber mais da Graphic Novel.
    Bjs
    http://diarioelivros.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  8. Olá, Cida.
    Ela reúne dois elementos que não sou muito fã, Graphic Novel e biografia. mas a sua é a segunda resenha que leio e fiquei com vontade de ler. Mesmo fugindo da minha zona de conforto, acho que vai me agradar.

    Prefácio

    ResponderExcluir
  9. Oi Cida,
    A maioria das Graphic andam com essa pegada mais biográfica né? Até li uma outro dia, com uma proposta assim. Já curti essa e espero ler em breve. Adorei os assuntos abordados.

    bjs
    Nana - Canto Cultzíneo

    ResponderExcluir

Obrigada por seu comentário.

Sua participação é muito importante.

Um grande beijo!