[Resenha] Amor Amargo

Amor Amargo
Título Original: Bitter End
Autor(a): Jennifer Brown
Editora: Gutenberg              Páginas: 256
Lançamento: 2015               ISBN: 9788582353066
gut_04 ||Compre||     ||Skoob||  ||Goodreads||

Último ano do colégio: a formatura da estudiosa Alex se aproxima, assim como a promessa feita com seus dois melhores amigos, Bethany e Zach, de viajarem até o Colorado, local para onde sua mãe estava indo quando morreu em um acidente. O Dia da Viagem se torna cada vez mais próximo, e tudo corre conforme o planejado. Até Cole aparecer. Encantador, divertido, sensível, um astro dos esportes. Alex parece não acreditar que o garoto está ali, querendo se aproximar dela. Quando os dois iniciam um relacionamento, tudo parece caminhar às mil maravilhas, até que ela começa a conhecê-lo de verdade… Em um retrato realista de um relacionamento conturbado, a autora Jennifer Brown – do sucesso A Lista Negra – nos leva até o limite de nossos sentimentos.

A Lista Negra foi um dos livros mais marcantes que li e também um dos meus favoritos de todos os tempos. A narrativa realista, atual e visceral de Jennifer Brown mexeu comigo de tal forma, que mesmo hoje, muito tempo depois de ter lido a obra, eu fico emocionada com a trajetória dramática que a protagonista teve. E foi por ter ficado tão impressionada com o talento da autora, que dei pulos de alegria com a chegada de um novo livro dela aqui no Brasil. 

Amor Amargo, publicado pela Gutenberg, apresenta a história de Alex, uma jovem extremamente carente e em busca de respostas. Ela perdeu a mãe muito cedo, não recebe nenhuma atenção do pai e não tem uma relação próxima com as irmãs. As únicas pessoas em sua vida que demostram algum afeto por ela são os amigos Zach e Bethany.

Alex sonha em fazer uma viagem para o Colorado assim que se formar, quem sabe então encontrar respostas para todo o mistério que cerca a morte da mãe, no entanto a  ideia é deixada em segundo plano com a chegada de Cole.

O garoto,  bonito e descolado, é o mais novo aluno do colégio de Alex e logo dedica muita atenção à garota. Ela, carente e com sede de atenção, acaba se apaixonando perdidamente por ele, ao ponto de ficar cega para o comportamento possessivo e violento do namorado.

E mais uma vez Brown nos leva para dentro do universo adolescente e aborda um tema atual e de muita importância, a violência doméstica. Embora Cole e Alex não fossem casados, sua relação era muito intensa, ao ponto dela deixar de lado tudo que antes era importante em sua vida e se dedicar apenas à ele.

Eu não li a sinopse e comecei a leitura sem imaginar onde a história iria chegar, eu já tinha ouvido comentários que seria algo dramático e muito triste, e sem dúvidas foi muito mais que isso, foi algo que mexeu muito comigo e precisei me colocar na pele da protagonista para aceitar suas decisões e não massacrá-la com críticas.

No começo parece ser apenas mais um romance adolescente passado no ensino médio, mas conforme a história avança, o namoro de Alex vai dando os primeiros indícios de ser uma relação nada saudável e fadada ao fracasso. Eu fiquei bem chateada ao ver a garota deixando de lado seus sonhos e amigos para fazer apenas os gostos de Cole, mas sei bem que não é raro ver o deslumbramento de uma paixão anular a racionalidade do ser humano, infelizmente parece que nós mulheres temos maior tendência a fazer isso, talvez pelo sonho do príncipe encantado ou por apenas acreditar sem maldade em palavras doces e sorrisos encantadores, o fato é que Alex foi absorvida totalmente por uma ilusão e a necessidade de amor a empurrou mais ainda para o fundo do poço.

Como citei, precisei entrar na pele dela para aceitar, é complicado não condenar a forma como tentava justificar as agressões e explosões do namorado, mas ao vê-la acreditar que tudo era sua culpa, o coração do leitor se parte e dá até para sentir um peso na consciência por ter julgado. No começo eu pensava que ela era estúpida e poderia escapar, poderia mandá-lo passear ou chamar a polícia, mas ao observar detalhes, ficou evidente que Alex era frágil e, tão abalada emocional e psicologicamente, que não conseguia reagir.

As cenas onde Cole ataca Alex são terríveis e angustiantes, mas o pior mesmo é mergulhar no lado psicológico. O mais marcante desta obra é ver a decadência da personagem, que a cada dia fica mais e mais arrasada e não consegue levantar. Na medida que Cole ficava mais violento, ela ficava mais conformada e apática, sinceramente eu virava as páginas imaginando que naquele momento Alex iria morrer. É triste ver o quanto uma relação que deveria ser de amor e proteção, torna-se algo ruim e destrutivo, eu já li outros livros onde este tema foi abordado, mas ao ver uma adolescente no papel de vítima, admito que o impacto foi maior.

Alex não tem o carisma e determinação da Valerie de A Lista Negra, não chega a ser a protagonista que vai ganhar sua admiração e respeito, a verdade é que o papel que desempenha é o retrato da baixa auto-estima e perda de amor próprio e isso não é algo para se espelhar e admirar, só que ela representa o apelo para milhares de mulheres criarem coragem e gritarem por socorro. Ela é a mártir para mostrar que não importa a situação, a culpa não é de quem apanha, é de quem bate. 

Amor Amargo é direto o objetivo ao mostrar uma triste realidade vivida por muitas mulheres pelo mundo, a autora não coloca panos quentes para suavizar o tema e admiro a honestidade de Brown em seu texto. É aquele livro ideal para toda esta galerinha adolescente e poderia ser uma obra incluída nos currículos escolares. É inteligente e realista o bastante para ser tema de debates.

Não esperem por um final totalmente feliz, nem soluções fantasiosas que farão tudo se resolver num piscar de olhos, esperem por algo vivo e estejam cientes que Amor Amargo é mais que uma obra ficcional, é um retrato da vida real.







2leep.com

11 comentários:

  1. Cida!
    Triste ver uma adolescente envolvida em um relacionamento de abuso físico e psicológico...
    É muita baixa estima.
    E é sempre assim, a mulher abusada tenta 'defender' seu agressor, acha que vai melhorar e fica escondendo por tudo que passa... bem triste!
    ”Uma vida sem desafios não vale a pena ser vivida.”(Sócrates)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    Participem do nosso Top Comentarista, serão 3 ganhadores!

    ResponderExcluir
  2. Oi, Cida!
    Muitos dizem que mulheres com problemas na família tendem a entrar em relações desse tipo. Mas a verdade é que qualquer pessoa, seja com uma boa base familiar ou não, é suscetível a entrar em relações abusivas.
    Realmente as mulheres são as que mais acontecem esse tipo de coisa por causa do tão falado príncipe encantado. Quando ele vira um sapo, somos levadas a acreditar que foi por alguma culpa nossa.
    Posso dizer que quase passei pelo mesmo que Alex, mas, por sorte minha, o meu relacionamento terminou antes que pudesse se transformar nisso.
    Parabéns por sua resenha! É muito difícil lermos com personagens do jeito da Alex e não julgá-la.
    Beijos
    Balaio de Babados | Participe da promoção Natal do Babado

    ResponderExcluir
  3. Esse livro me derrubou. Fiquei me perguntando se a "Jéssica" já havia acabado.
    Catei caquinhos de mim por dias.
    Como não tinha curtido A Lista Negra, não estava esperando nada, nem tinha lido a sinopse, só algumas opiniões, então mergulhei no escuro. Foi a melhor coisa que fiz.

    Amei a resenha, me emocionei de novo com a mesma história :/ Isso é muito bom!!!

    Bjksssssss

    Lelê

    ResponderExcluir
  4. Acho ótimo que um tema assim seja debatido na literatura. É sempre muito importante lembrar que a culpa dessas agressões nunca é da vítima. Por mais que ela não faça nada a respeito, o único culpado das agressões é o próprio agressor!
    Gostei do livro, leria sim!!

    Beijos
    www.ooutroladodaraposa.com.br

    ResponderExcluir
  5. Olá ^^

    Ainda não li nada da autora, mas os livros parecem sempre tratar de temas fortes!

    Ótima resenha!

    Bjinhos,

    http://livrosentretenimento.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  6. Nossa, não imaginava que o livro retratava esse assunto! Já li Lista Negra e é mesmo pesado, mas pelo jeito esse livro em questão é mais ainda, caramba, só pela sua resenha fiquei chocada, nós leitores ficamos irritados pela personagem, querendo que ela tome uma atitude, fuja, mas e se de fato fossemos nós na pele dela, sentindo toda a carência, alimentando uma ilusão? É péssimo onde dependendo do nosso estado espiritual podemos chegar :/

    xx Carol
    http://caverna-literaria.blogspot.com.br/
    Tem resenha nova no blog de "Amy & Matthew", vem conferir!

    ResponderExcluir
  7. a trama me parece super boa e só porque você falou associei com a autora de a lista negra! se este for a metade daquele livro ja será maravilhoso
    felicidadeemlivros.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  8. Oi ...
    Adorei a premissa desse livro , parece ser uma leitura bem bacana .
    Já botei aqui nos desejados .
    Beijos

    http://coisasdediane.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Oi Cida

    Li esse livro recentemente e amei muito a escrita da autora, também li A Lista Negra e por incrivel que pareça não tinha gostado tanto assim apesar dos inumeros elogios mas agora esse livro me deixou em frangalhos com toda certeza fala de um tema muito atual e que merece realmente ser discutido nas escolas e em debates.

    Esse livro se tornou meu queridinho agora na reta final de 2015!

    Beijos

    www.livrosechocolatequente.com.br

    ResponderExcluir
  10. Oi Cida,
    Também gostei muito da escrita da autora em 'A Lista Negra', ela escreve de uma maneira que mexe bastante com nosso emocional.
    Gostando dos temas que ela aborda em seus livros e pessoal precisa ouvir/ler mais sobre relacionamentos abusivos.

    tenha uma ótima quinta.
    Nana - Obsession Valley

    ResponderExcluir
  11. Fiquei comovida com a história da protagonista. Perder nunca é bom e sempre me emociona em livros. Achei a história carregada de emoção, Cida. Ainda mais por não conter um final feliz haha

    ResponderExcluir

Obrigada por seu comentário.

Sua participação é muito importante.

Um grande beijo!