[Resenha] Todo Dia

Todo Dia
Título Original: Everyday
Autor(a): David Levithan
Editora: Galera Record     Páginas: 280
Lançamento: 2013       ISBN: 9788501099518


1148884_10151823174092713_1136857015_n



Neste novo romance, David Levithan leva a criatividade a outro patamar. Seu protagonista, A, acorda todo dia em um corpo diferente. Não importa o lugar, o gênero ou a personalidade, A precisa se adaptar ao novo corpo, mesmo que só por um dia. Depois de 16 anos vivendo assim, A já aprendeu a seguir as próprias regras: nunca interferir, nem se envolver. Até que uma manhã acorda no corpo de Justin e conhece sua namorada, Rhiannon. A partir desse momento, todas as suas prioridades mudam, e, conforme se envolvem mais, lutando para se reencontrar a cada 24 horas, A e Rhiannon precisam questionar tudo em nome do amor.


O primeiro contato que tive com David Levithan foi em Will & Will, que ele escreve em parceria com John Green, e gostei bastante de seu trabalho, ambos são escritores que não têm medo de colocar em suas obras temas que a maior parte das pessoas fica incomodada em debater, tudo de uma forma inteligente, sem falso moralismo.
Você aprende o verdadeiro valor de um dia porque todos os dias são diferentes.”
A hoje é um garoto drogado, amanhã um jogador e quem sabe, neste momento, seja uma garota que pretende suicidar-se… A é A, mas também pode ser eu, você ou qualquer pessoa. A cada dia acorda em um novo corpo, vive a vida daquela determinada pessoa e justamente à meia-noite, durante o sono, migra para um novo hospedeiro e vive uma nova vida. A não tem família e sua origem não é explicada, nem ele mesmo sabe quem é, tudo o que sabemos e que todo dia ele vai ser alguém diferente, nunca repetindo a pessoa.

A está tranquilo com esta forma de vida, não desenvolve sentimentos, nem cria laços,  já que nunca sabe onde vai acordar, mas isso muda no dia que acorda no corpo de Justin, o namorado nada atencioso de Rhiannon. A garota mexe com A, seja por seu jeito, seja por sua atitude, ela faz nascer algo naquele coração viajante, que não fazia parte dos planos de A.



Dia 5994… 5995… 5996

Assim é o começo de cada capítulo, a contagem dos dias de nosso protagonista, A. Eu coloquei a referência ao seu gênero nesta resenha no masculino, mas vejam bem que poderia ser também no feminino. A, pode ser tanto homem, quanto mulher, então aqui, gênero é o que menos importa. Eu posso ter feito esta escolha já que no primeiro dia ele foi Justin e apaixonou-se por uma garota, mas logo vemos que isso é totalmente irrelevante na obra, Levithan, ressalta a cada página que somos mais que homem ou mulher, feminino ou masculino, somos quem somos pela nossa essência, alma, caráter. Isso é comprovado ao acompanhar a jornada de seu personagem, que mesmo sendo de sexo, cultura e até mesmo nacionalidade diferente,  todo dia, era sempre a mesma pessoas, com os mesmos sentimentos e alma.

Mas manter-se firme e ser ele mesmo é algo complicado, A muitas vezes sofria a influência da pessoa que o hospedava, e foi o amor que sentia por Rhiannon que lhe salvou na maior parte do tempo. Quando acordou no corpo de um viciado em drogas e até mesmo no de uma menina que queria se matar, foi a imagem de sua amada que lhe impediu de fazer uma grande bobagem, e até mesmo conseguir fazer algo para ajudar seu hospedeiro.


Não há na história a preocupação com explicações, então não ficamos sabendo como A ficou assim, nem mesmo de onde ele veio. A trama de Levithan é focada no ser, na vida em si e todas as suas controvérsias, o próprio personagem é cheio de dilemas, e conforme conta as situações que está vivendo, coloca sempre tudo por dois ângulos. Tudo é muito cheio de conflitos, até mesmo dele, ao tomar certas atitudes e questionar-se se aquilo é certo ou errado. Tudo é efêmero, apenas a intensidade de momentos.


Não concordei com muitas de suas atitudes, achei algumas egoístas e outras desesperadas,  e mesmo que dissesse que amava Rhiannon, eu não torcia pelo casal, não acho mesmo que ela estivesse pronta para aquela relação maluca. Ali eu vi algo que precisava acontecer para despertar Rhiannon para a vida e ser feliz, apenas um momento, nada eterno.

Queria que o amor conquistasse tudo. Mas o amor não conquista tudo. Ele não pode fazer nada sozinho. Ele depende de nós para conquistar em seu nome.”

O que realmente é interessante, e angustiante, pois essa sensação ficou comigo durante toda a leitura, é ver A falando das pessoas de maneira tão crua. Por estar sempre do lado de fora, sem envolvimento emocional, ele consegue falar sobre a humanidade de maneira muito sincera, sem floreios, sem amenizar, é é bem chocante, como estar despido de tudo em público.


Cada vez que postei uma atualização desta leitura nas redes sociais, foi bem movimentado, muitos comentários e perguntas, com certeza é um livro que causou furor e despertou a curiosidade da galera. Me falaram muito de emoção e lágrimas, mas no meu caso, não foi um livro para chorar, mexeu sim com meus sentimentos, mas no sentido de choque e saída da zona de conforto. Achei que a forma como o autor abordou religião, homossexualismo, drogas, sexualidade e outros assuntos bem polêmicos foi perspicaz e inteligente, sem ser agressivo e como eu disse anteriormente, com falso moralismo. Ele mostra que são assuntos que estão ali e precisam ser incorporados a nossa vida, como respirar, não como um bicho papão. Eu achei demais, chega de preconceito e limites.

"É somente nos pontos mais delicados que fica complicado e controverso, a incapacidade de perceber que, não importa qual seja nossa religião, sexo, raça ou localização geográfica, todos nós temos cerca de 98 por cento em comum com todos os outros. Sim, as diferenças entre homens e mulheres são biológicas, mas se você observa a biologia como uma mera questão de porcentagem, não há muita coisa diferente.”

A narrativa segue conforme as emoções de A, e vemos claramente em alguns capítulos mais curtos, a ansiedade e correria do personagem.


Todo Dia não é só um romance, não é um livro que vai trazer respostas. Não importa quem é A, ou se ele e Rhiannon vão ficar juntos, a questão aqui é abrir os olhos e ver o mundo de verdade, cru, realista, não só o mundo, mas também as pessoas e sentir a essência de tudo isso. Viver sem medo da verdade.


A, significativo e perceptivo, às vezes egoísta, outras não. Te admirei, mas também te odiei. Vi em você muito sobre amar e ser amado, você é extremamente, intrigante.
“O passado não me ofusca, nem o futuro me motiva.Concentro-me no presente, porque é nele que estou destinado a viver.”



Participe!!


2leep.com

35 comentários:

  1. Uau, adorei a resenha! Eu já tinha vontade de conferir esse livro pela quantidade de elogios que vi e porque curti a sinopse também. Eu nunca tinha parado pra ler uma resenha dele, e que bom que parei, só aumentou minha vontade de ler ele. Deu pra perceber que é um livro que faz a gente questionar as coisas, passa uma mensagem legal e achei interessante o personagem não ter um sexo, acho que deve ser bem interessante fazer a leitura com ele sendo uma pessoa diferente a cada dia mas possuindo uma mesma essência sempre. Com certeza quero conferir em breve. E adorei as quotes que você colocou na resenha!

    Beijos.
    http://viciosemtres.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. esse livro me tas recordações muito boas
    beijos
    ja estou seguindo beijos
    livro-azul.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  3. Fico muito feliz em ler sua resenha porque na verdade é tudo que espero desse livro. Comprei faz pouco tempo em função de outras resenhas de amigos e espero curtir bastante a leitura. Essa coisa de A poder ser homem ou mulher é muito interessante, será uma experiencia nova pra mim no que diz respeito à narrações.

    (desconstruindoaspalavras.blogspot.com.br)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Achei legal frisar isso, pois evita o susto de alguns leitores, a pessoa já vai ler de mente aberta para possibilidades.

      Excluir
  4. que enredo interessante Lê! fiquei com vontade de conhecer mais, mas ja tô aqui doida pro A. conseguir ser feliz e quem sabe ao lado da Rhiannon
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Eu já tinha visto este livro em alguns Blogs, mas nunca tive curiosidade o suficiente para ler uma resenha e nem mesmo a Sinopse. Fiquei muito surpresa ao saber do que a história tratada, e mais surpresa ainda por ser tratada de forma tão forte e realista. Já notei que o protagonista é intrigante, e isso me deixou curiosa. Ainda não tive oportunidade de ler nada do autor, por saber que ele vêem sendo tão bem elogiado, vou pensar melhor e ver se consigo ler este livro em breve.
    Amei os Quotes.
    Beijos,
    ~Yasmin
    deitadosnagrama.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi! Este é um dos autores que estão sendo bem falados este ano e merecidamente, ele é de uma safra de jovens que têm novas ideias e não tem medo de falar sobre elas.

      Excluir
  6. Oie Cida
    eu adorei o livro e concordo com você em tudo. Muita gente se decepcionou com o final, por não ter trazido respostas para a condição de A, mas acho que David quis passar não foi só isso. Como você disse, ele fala abertamente sobre religião, preconceito, bullying, sexualidade e outros temas que são tabus, mas o fez com muita leveza.
    Eu me emocionei muito, e virei fã do autor.
    bjos
    www.mybooklit.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A questão era mais ampla que explicações, não vi isso como foco, e sim tudo que envolvia A e as vidas ao seu redor, a maneira de ser e sentir acima de tudo.

      Excluir
  7. Desde a primeira vez que olhei a capa deste livro fiquei sem entender o porque de todas as pessoas "caindo" do céu, isso me deixou extremamente curiosa por isso desatei a ler algumas resenhas sobre ele e simplesmente amei!
    Eu sou católica, mas acredito em reencarnação, por isto o livro me chamou muito a atenção, além de claro, o romance impossível de A, em uma das resenhas que li a blogueira falou que o livro era agridoce e que não há como ser perfeitamente feliz isso me deixou pensando se A vai arranjar alguma maneira de ficar com Rhiannon no final ou este é mais um livro ao qual vou morrer de chorar por não ter um final que me deixe feliz. Eu sei que você disse que em Todo Dia a "questão é abrir os olhos e ver o mundo de verdade", mas eu realmente estou muito ansiosa pelo desenrolar do romance, claro que vou absolver toda mensagem que ele passar, como qualquer livro que eu leia, mas eu não posso fugir da pessoa romântica que sou.
    Eu amei muito a resenha que você fez, em breve o meu exemplar vai chegar e vou poder desfrutar dele *O*

    http://worldbehindmywall.fanzoom.net/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu não quis falar muito da questão do romance para evitar spoiler, apesar de eu não ter torcido pelo casal, mas eu não sou contra romance, é que neste caso eu vi algo mais importante no ar.

      Excluir
  8. cara eu sou doida por esse livro
    <3
    acho a história sensacional e bem criada, espero ter a oportunidade de ler logo ele

    ResponderExcluir
  9. Oi Cida, eu gostei muito desse livro e me surpreendi com as questões levantadas pelo autor. Lendo sua resenha fiquei com vontade de me aventurar novamente por essas páginas para ver se entendo um pouco mais A. Ele é mesmo um personagem intrigante. Levithan construiu uma história criativa e veemente, impossível não chocar um pouco. Não me lembro se chorei, mas teve umas cenas um pouco fortes como a da menina que queria se suicidar quando foi conversar com o pai.
    Abraços, Raquel.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aquela cena que ele é um viciado também foi bem forte, foi uma agonia ver ele naquele quarto tentando resistir ao vício.

      Excluir
  10. Achei bem diferente a ideia do protagonista, viver cada dia no corpo de uma pessoa e fiquei curiosa para saber como o autor desenvolve isso, apesar de não ter gostado de saber, que não é explicado a origem de “A”.

    *bye*

    http://loucaporromances.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  11. Esse livro é completamente diferente de qualquer coisa que eu já li.
    Já tinha lido algumas sinopses, mas nenhuma delas me deixou tão intrigada quanto a sua.
    Estou curiosa sobre tudo a respeito dessa história, preciso comprar o livro para ontem hahaha
    beijos,
    Paula
    http://www.interacaoliteraria.com/

    ResponderExcluir
  12. Gostei da resenha ;)
    Bjs
    http://eternamente-princesa.blogspot.com.br/
    http://lizajoneslivros.wix.com/lizajones

    ResponderExcluir
  13. Oi Cida,
    eu não conhecia este livro, mas parece ser bom, nunca tinha visto um livro com esta temática.
    Fique bem curiosa.

    Bjos

    http://blog.vanessasueroz.com.br

    ResponderExcluir
  14. Oi Cida.
    Todo Dia tem uma narrativa muito diferente e surpreendente.
    Eu estranhei um pouco devido a ausência de respostas, não consegui me conformar com isso, mesmo sabendo que não era o foco da história.
    Mas com certeza a leitura foi uma delícia.

    Até mais.
    Leituras da Paty

    ResponderExcluir
  15. Oi.

    Não conhecia o livro mas fiquei curiosa para ler deve ser muitooo om.
    rs Parabéns pela resenha e já vai para a lista. hehehe


    Beijos Fê

    http://fernandabizerra.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  16. Oi Cida!
    Eu amei esse livro!
    Não esperava muito dele, mas acabei apaixonada.

    BjO
    http://the-sook.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  17. Hye Cida,
    Que resenha maravilhosa e gostosa de ler.
    Eu ainda não li nada do autor, mas espero sentir o mesmo que você durante a leitura desse livro.

    E uma leitura 'mente aberta' é sempre bem vinda.

    bjs
    Nana - Obsession Valley

    ResponderExcluir
  18. Gente do céu, ainda não entendo como não li o livro.. que raiva dessa falta de tempo. A premissa é simplesmente genial.. estou louca para acompanhar as aventuras de A. Ainda não li nenhum livro do autor, mas só escutei elogios sobre a narrativa dele. Espero também gostar. Beijos, Mi

    www.recantodami.com

    ResponderExcluir
  19. Tô louca por esse livro, li um esses dias que tem pontos bem parecidos, e amei!
    Creio que vou gostar demais desse também...

    ResponderExcluir
  20. Resenha Poderosa Cida!!
    Vc definiu muito bem nas suas conclusões..

    beijos Mila

    ResponderExcluir
  21. Nao fazia ideia deste livro, achei o enredo dele muito bom! Nao vejo a hora de poder lelo!!


    xx

    ResponderExcluir
  22. Ah eu amei esse livro! Até favoritei. É lindo, e nos faz pensar mesmo sobre o que realmente importa e a dar valor a quem nos cerca. Mal posso esperar pelo proximo!

    Um beijo
    http://escolhasliterarias.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  23. Já tinha ficado bem interessada quando o livro foi lançado pelo fato dessa viajem do tempo. Li com bastante atenção a tua resenha e quero quando puder comprar este livro e matar minha curiosidade, por que fiquei bem interessada no livro.

    ResponderExcluir
  24. Oie, parece ser um livro para pensar e que essas mudanças levam o leitor a reflexão.
    Imagina acordar todo dia em um corpo? É estranho pensar dessa forma e só a leitura do livro poderá abrir minha mente para o assunto.
    ;)
    Beijos
    http://livrosyviagens.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  25. Oi Cida!
    Assim como tuas resenhas, esse livro parece ser único.
    Não sei se irei amá-lo ou odiá-lo, mas com certeza estou curiosa pra ler.
    Beijos... Elis Culceag. * Arquivo Passional *

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi amiga, é bem esse o sentimento geral, de um extremo ao outro. Como você é hiper romântica, é bom estar preparada para um romance fora do comum.

      Excluir
  26. Oi Cida, tudo bem?
    Quanto tempo que eu não venho aqui no seu blog :/
    Então, este foi um dos livros que mais me deixou intrigada. Eu ainda não li, mas só quando comecei a ler sua resenha, já me senti angustiada e cheia de perguntas rsrs A sinopse é muito interessante! E o livro parece ser muito bom ;)
    Ainda não li nenhum livro do autor, mas tenho muita vontade. Acabei de colocar "Todo Dia" na minha lista de livros desejados rsrs

    Beijos,
    salaodelivros.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  27. Amiga, sua resenha está muito boa e me deixou muito intrigada em conhecer a história.
    Fiquei curiosa em conhecer o A ou a A. Parabéns pela resenha.
    Repito, fiquei muito intrigada e quero ler essa história.
    Beijos

    Jéssica
    www.leitorasempre.com

    ResponderExcluir
  28. Oi!
    Eu continuo divida entre ler ou não o livro, e penso que deve ser algo aflito ter que mudar de corpo e mais ainda ter que encontrar a pessoa que ama e convencê-la que é você, dificil ne. bjs

    ResponderExcluir
  29. Essa já é a terceira resenha que eu leio desse livro, estou começando a me interessar por ele, quem saiba eu tire um tempo para enfim ler.

    ResponderExcluir

Obrigada por seu comentário.

Sua participação é muito importante.

Um grande beijo!