[Resenha] Como Se Fôssemos Vilões

Como Se Fôssemos Vilões
Título Original: If We Were Villains
Autor(a): M.L. Rio 
Editora: Naci                        Páginas: 352 
Lançamento: 2022               Mistério, Crime, LGTB, Dark Academia
Tradução: Laura Pohl
||Compre||     ||Skoob||  ||Goodreads||

 

Inteligente, empolgante e rico em detalhes, Como se fôssemos vilões é uma história sobre o poder duradouro das palavras. Oliver Marks acabou de cumprir uma pena de dez anos na prisão por um assassinato que pode ou não ter cometido. No dia de sua soltura, ele é procurado pelo homem que foi responsável por prendê-lo. O detetive Colborne está para se aposentar, mas, antes disso, quer saber o que realmente aconteceu uma década atrás. Sete jovens atores estudam Shakespeare em uma faculdade de artes de excelência, Oliver e seus amigos interpretam os mesmos papéis tanto no palco quanto na vida real: herói, vilão, tirano, sedutora, donzela, figurantes, mas, quando a escolha de elenco muda e os personagens secundários roubam o lugar das estrelas, as peças de teatro começam a mergulhar perigosamente na realidade, e um dos amigos é encontrado morto. O restante então enfrenta o maior desafio teatral de suas vidas: convencer a polícia (e uns aos outros) de que são inocentes.

Como Se Fôssemos Vilões foi aquele livro que li por apenas acreditar que tivesse uma dose de mistério e assassinato e por fim me vi surpreendida por uma trama complexa, que mostra vários lados da personalidade humana. 

A história mostra um grupo de estudantes de artes cênicas vivendo seus dias na universidade mergulhados em Shakespeare. Eles são viciados nisso, conversando por meio das falas da obra dele, interpretando constantemente seus personagens e chegando ao ponto de não saber mais diferenciar a realidade da ficção. 

Você gostar de algo é saudável, mas ser viciado, fanático e esquecer o resto do mundo por isso meio que vira quase uma prisão, uma insanidade. Oliver Marks  e seus colegas ficaram prisioneiros das tragédias de Shakespeare , ao ponto de criarem em suas vidas a própria grande tragédia.

Ele é nosso narrador e acaba de sair da prisão após cumprir dez anos de pena por um crime ocorrido na universidade. O policial responsável pelo caso se aposentou, mas pede que Oliver lhe conte a verdade sobre o acontecido. 

Oliver aceita, volta a universoidae e assim narra para nós o passado. Conta como ele os amigos eram unidos, até que um deles de torna violento e dá motivo para que todos o odeiem. Richard era o grande astro, mas dono de um ego enorme e após uma festa aparece morto. 

Ele se acidentou ou foi assassinado? 

Não dá para saber direito o que aconteceu, até mesmo se é pela morte de Richard que Oliver foi preso. Tive a impressão que poderia ter mais mortes na trama, mais problemas dado a forma como Oliver e amigos eram totalmente desequilibrados emocionalmente e confusos sobre si mesmos. 

Para mim todos pareciam suspeitos, já que são um grupo nada confiável. Eu tinha certeza que Richard tinha sido assassinado, só não sabia se por um deles ou por todos. Já que motivos não faltavam. 

Por mim quem fosse culpado não ia fazer muita diferença, pois apego aos personagens não desenvolvi. Eles são aquele tipo de pessoa difícil de gostar, egoístas, mesquinhos, egocêntricos e alguns muito mimados. Mas se lhes falta carisma, sobra personalidade intrigante e complexa e querer desvendar quem cada um é de verdade, é que faz desta obra uma história super envolvente e difícil de largar. 

Eu amei a complexidade e camadas de cada personagem, a forma deturpada como enxergavam o mundo e a loucura, paixão, obsessão que os envolvia. É algo tão intrigante de observar, de nos fazer desejar entender, mesmo sabendo que algo bom não vai sair dali. 

Eu li apenas duas obras de Shakespeare (Romeu e Julieta e Sonho de Uma Noite de Verão), não sou muito familiarizada com o universo dele e nesta obra há uma enxurrada de citações e exploração de seus personagens e histórias. Pensei que ficaria meio perdida, mas não, a forma como isso foi inserido ficou tão natural e bem explicativa, que mesmo não tendo lido tudo de Shakespeare, senti a mensagem que queria ser transmitida. 

Como Se Fossemos Vilões é uma obra complexa, que envolve fácil quando você não apenas gosta de desvendar um mistério sobre morte, mas também desvendar mistérios que envolvem a personalidade das pessoas e suas ações. É um desvendar de tudo nesta trama e ao final ainda não conseguimos entender de todo estes seres humanos. 

É uma história dramática, triste e muitas vezes sombria. Gostei muito do desenvolvimento, mas admito que o final, para ser mais precisa, a escolha que Oliver fez me frustrou muito. Para mim ele foi o cara mais tolo deste mundo, o mais estúpido em todos os sentidos e nem valeu a pena. 

Não que isso tire o brilho da história, para alguns vai soar como um gesto nobre, mas eu queria muito que ele tivesse agido diferente. 

Em suma, é uma história intensa de ler e bastante impressionante. Eu recomendo para quem busca algo diferente, com drama, mistério e forte carga psicológica. 



7 comentários:

  1. Oi!
    Ando gostando bastante de histórias do gênero dark academia e adorei saber que nesse os personagens tem várias camadas e que a abordagem de Shakespeare não deixa o leigo sem entender nada, pois li umas obras inspiradas em Shakespeare esse ano que adorei e queria acompanhar mais.

    Beijão
    https://deiumjeito.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. Eu li esse livro tem uns dois anos e achei ele ok. Como li em inglês, as partes que envolviam recitar Shakespeare me atrapalhou um pouco...
    Realmente o final é meio frustrante, mas a história em si tem potencial.
    Beijos
    https://www.balaiodebabados.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Oi
    eu já vi algum youtuber literário comentar que iria ler esse livro, isso do fanatismo de esquecer do resto do mundo e virar uma insanidade é exatamente o cenário político atual que vivemos.
    Que bom que gostou da leitura, parece ser um bom mistério de ler ler e legal que acabou sendo surpreendida.

    https://momentocrivelli.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  4. Olá!
    Fiquei feliz em saber que gostou dessa leitura. Eu não costumo ler livros assim pois fico muito ansiosa querendo desvendar o mistério.
    Beijos.


    https://www.parafraseandocomvanessa.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Oi Cida, tudo bem?
    Amo histórias relacionadas a crimes e mistérios, e isso por si só já chamou minha atenção. Tendo as camadas psicológicas e essa maluquice obsessiva dos personagens, fiquei ainda mais curiosa!
    Beijos,

    Priih
    Infinitas Vidas

    ResponderExcluir
  6. Acho que essa é a segunda resenha que vejo sobre esse livro (a outra foi no insta). E acho bem curiosa a premissa dele. Inclusive, será a leitura tema de dezembro num grupo de leitura coletiva que participo. Mas é bom saber que você gostou da experiência, apesar das ressalvas. Eu li do autor clássico 'Sonho de uma noite de verão' e 'Hamlet' (meu favorito da vida!), então acredito que não ficarei perdida também nas referências, como você não ficou.
    Bjks!

    Mundinho da Hanna
    Pinterest | Instagram | Skoob

    ResponderExcluir
  7. Oi Cida, tudo bem?
    Não conhecia o livro, mas gostei da mistura Shakespeare e mistério. Dica anotada!!!

    *bye*
    Marla
    https://loucaporromances.blogspot.com/

    ResponderExcluir

Obrigada por seu comentário.

Sua participação é muito importante.

Um grande beijo!