[Resenha] Good Omens: Belas Maldições

Good Omens: Belas Maldições
Título Original: Good Omens: The Nice and Accurate Prophecies of Agnes Nutter, Witch
Autor(a): Terry Pratchett, Neil Gaiman 
Editora: Bertrand Brasil       Páginas: 364
Lançamento: 2019               ISBN:9788528624021
 ||Compre||     ||Skoob||  ||Goodreads||
O mundo vai acabar em um sábado. No próximo sábado, para falar a verdade. Pouco antes da hora do jantar. Não há nada que possa ser feito para frustrar o Grande Plano divino. Mas quando uma freira satanista um tanto distraída estraga um esquema de troca de bebês e o pequeno Anticristo acaba sendo entregue ao casal errado, tem início uma série de erros cômicos que podem ameaçar o próprio Armagedom. Aziraphale é um anjo que atua na Inglaterra e dono de um sebo nas horas vagas. Crowley é um demônio e ex-serpente responsável pela mesma região. Ambos veem nessa confusão uma grande oportunidade, porque os dois, que vivem entre os humanos desde o Princípio, apegaram-se demais ao mundo para desejar a grande batalha entre o Céu e o Inferno. Em sua jornada para evitar o Armagedom e encontrar o Anticristo, agora um menino de 11 anos vivendo tranquilamente em uma cidadezinha inglesa, eles acabarão trombando com uma jovem ocultista, dona do único livro que prevê com precisão os acontecimentos do fim do mundo, com caçadores de bruxas ainda na ativa e, quem sabe, até com os Quatro Cavaleiros do Apocalipse. Mas eles terão de ser rápidos. Não é só o tempo que está acabando... Esta edição contém a tradução revisada a partir do original revisto, aprovado por Neil Gaiman e pelo Pratchett Estate, que corrige vários erros de digitação e imprecisões presentes em edições anteriores.
Eu já havia lido obras de Gaiman e de Pratchett e gostado bastante, desta forma a curiosidade de saber como seria uma parceria dos dois sempre foi grande. Good Omens: Belas Maldições estava faz tempo na lista de leituras desejadas e com a estreia de sua adaptação, achei este o momento ideal para fazer a leitura.

Eu já possuía a edição revisada e com nova tradução lançada pela Bertrand em 2017, mas acabei recebendo esta nova edição de 2019 com capa da série e revisão da edição anterior e optei por ler a versão mais recente. Vou manter as duas versões da obra. A de 2017 por preferir o título principal como Belas Maldições e a de 2019 por ter achado a capa mais linda.

A história é sobre o fim do mundo, ou melhor, a preparação para o Apocalipse. O Anticristo está chegando e cabe ao anjo caído Crowley se encarregar de que ele seja entregue para uma proeminente família humana e cresça em um ambiente onde seja fácil influenciar as pessoas e dar inicio ao fim. O anjo precisa levá-lo até um hospital para que seja colocado no lugar do filho de um político, só que as coisas não saem como planejadas e o garoto é entregue para uma família comum.

Crowley aceita a missão, mas não concorda com ela. Faz tempo que vive na Terra e gosta da vida que leva aqui dirigindo seu carro antigo e ouvindo muito Queen. Ele então faz contato com um anjo que também está na Terra, mas este a serviço dos céus. Juntos ambos bolam um plano para impedir o Anticristo e o Apocalipse.

Aziraphale é um anjo dono de um sebo, mas não vende os livros, mantém todos lá de tanto que os ama. A dupla representante dos dois lados da batalha do fim do mundo é excêntrica, não quer o Apocalipse e ao invés de inimigos, com o passar do séculos, tornaram-se amigos e aliados. Os dois anjos são personagens divertidos e cheios de sagacidade. 

Eu gostei demais da construção dos dois personagens, da atuação de ambos na história e da inteligência perspicaz de seus diálogos. Esta obra, no todo, é bem inteligente e acho que o que mais gostei, além de todas as confusões ao redor do Apocalipse, foram os comentários na entrelinhas que descreviam muito bem os humanos e suas falhas e qualidades. As críticas inseridas  na obra sobre caráter, responsabilidade, honestidade, bem e mal é forte e certeira.

Apesar desta crítica, a obra em si não é severa e dura. Ao contrário, a narrativa é leve, descontraida e garante momentos muito divertidos. A dupla de anjos é hilária, mas também temos outros personagens que compõe a trama e dão sua contribuição à história. Há os caçadores de bruxas, os Cavaleiros do Apocalipse e o grupo do menino que é o Anticristo.

Os três grupos mencionados aparecem mais na metade do livro e seguem até o fina. São bons, apenas os Cavaleiros, na minha opinião,  não cumpriram um papel marcante. Eu achei que eles causariam o caos e nos final foram bem superficiais em suas ações.

Esta história de fim do mundo não vai ser daquelas que temos batalhas e muito sangue derramado, na verdade é uma história que mostra pessoas lutando para impedir o fim do mundo. Desta forma esteja pronto para encontrar um mundo de criaturas extravagantes e meio doidas, tão típico da mente de Gaiman e um clima de magia e fantasia, por vezes gentil e adorável, próprio da mente de Pratchett. A obra em si une bem o talento destes dois excelentes autores e, como os outros livros deles que li, me cativou e divertiu demais.

Dividindo o livro em três partes, acho que a parte inicial e a final são as melhores. O meio da obra perde um pouco do ritmo inicial, mas se recupera no terço final e fecha a história bem. Eu quero muito ver a adaptação e conferir se toda a graça de Belas Maldições foi bem representada na tela, assim como seus personagens. Quem gosta de fantasia, com um pouco de excentricidade e bom humor, não pode deixar de conferir.


2leep.com

7 comentários:

  1. Oi, Cida! Tudo bom?
    Eu fiquei tão completamente apaixonada por esse livro que AAAAAAAAAA dá saudade só se lembrar! Adorei o bom humor e as sátiras bem encaixadas na narrativa, o desenvolvimento dos personagens (principalmente do Azi e do Crowley) e aquele final cheio de reviravolta.
    Tô assistindo a minissérie agora e ainda mais apaixonada por tudo!

    Beijos,
    Denise Flaibam.
    www.queriaestarlendo.com.br

    ResponderExcluir
  2. Oi Cida!
    Eu nao vi nem a serie e nem tenho pretenção de ler o livro. Apesar da tematica me chamar atençao, os livros do Neil Gaiman nao me agradam muito nao e geralmente passo batido. Esse particular eu acabei me saturando pq foi o maior boom. Todo mundo falava e so tinha isso. Por hora nao lerei.

    Abraços
    David
    http://territoriogeeknerd.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  3. Oiii Cida

    Também recebi essa nova edição que realmente está bem linda e será minha próxima leitura, não conheço a escrita do Gaiman e estou bem curiosa. Gosto dessa trama apocaliptica com uma pegada de humor, mas estou com receio de me sentir confusa com o inicio, li numa resenha que a narrativa às vezes é complicadinha... vamos ver né, espero também gostar do livro.

    Beijos, Ivy

    www.derepentenoultimolivro.com

    ResponderExcluir
  4. Oi Cida,
    Eu vi umas partes da série que me animaram.
    Nunca li nada do Gaiman, mas quero conferir em breve.
    beijos
    http://estante-da-ale.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  5. Oi, Cida!
    Eu amei o título original. Tem muito a ver com a história.
    Não li o livro, mas assisti a série e amei demais! Pena que ele se perdeu um pouco, mas soube se encontrar.
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir
  6. Oi Cida,
    Infelizmente, ainda não li nada do autor. Conheço mais pelas adaptações.
    E esse aqui vai seguir, mas espero ler futuramente.

    até mais,
    Canto Cultzíneo

    ResponderExcluir
  7. Olá, Cida.
    Eu fui surpreendida porque já tinha lido outros livros do Neil e não tinha gostado. E esse eu gostei muito. A amizade entre os anjos é o melhor do livro. Só não dei nota máxima porque achei que os cavalheiros e os caçadores deixaram um pouco a desejar.

    Prefácio

    ResponderExcluir

Obrigada por seu comentário.

Sua participação é muito importante.

Um grande beijo!