[Resenha] Outros Jeitos de Usar a Boca

Outros Jeitos de Usar a Boca
Título Original: Milk and Honey
Autor(a): Rupi Kaur 
Editora: Planeta                                               Páginas: 272                          
Lançamento: 2017                                          ISBN: 9788542211856
 ||Compre||     ||Skoob||  ||Goodreads||
Maior best-seller de poesia dos últimos anos, agora em edição limitada com capa dura, bilíngue e com prefácio inédito da autora. Outros jeitos de usar a boca é um livro de poemas sobre a sobrevivência, o amor, o sexo, o abuso, o trauma, a perda e a feminilidade. O volume é dividido em quatro partes, e cada uma delas serve a um propósito diferente. Lida com uma dor diferente. Cura uma mágoa diferente. Outros jeitos de usar a boca transporta o leitor por uma jornada pelos momentos mais amargos da vida e encontra uma maneira de tirar delicadeza deles. Publicado inicialmente de forma independente por Rupi Kaur, poeta, artista plástica e performer canadense nascida na índia – e que também assina as ilustrações presentes neste volume –, o livro se tornou o maior fenômeno do gênero nos últimos anos nos Estados Unidos, com mais de 1 milhão de exemplares impressos.
Outros Jeitos de Usar a Boca é uma coletânea de poemas da indiana Rupi Kaur, que ainda criança foi viver no Canadá e carregou com ela toda a dor e sofrimento que viu seu povo passar. 

Esta edição em capa dura e bilingue, tem um prefácio inédito da autora, que permite ao leitor logo de cara perceber os sentimentos dela colocados em cada poema e a relevância dos temas abordados.

Eu não sou uma pessoa dada a ler obras deste estilo, mas os livros de Rupi sempre são bem comentados e lembro de ver, durantes idas e vindas do trabalho, pessoas no ônibus ou metrô, imersas na obra. Não é sempre que vemos pessoas tão fixadas em um livro na rua e ainda mais um livro de poemas, já que livros de romance, mistério e fantasia acabam sendo mais populares.  

Acabei me rendendo a obra Outros Jeitos de Usar a Boca e a achei fascinante do começo ao fim. Os poemas desta obra são sobre a mulher, mais precisamente ser mulher. A autora inicia com poemas retratando a realidade de mulheres extremamente subjugadas e dominadas pelo homem. Aquelas que não podem ter voz e sempre foram vistas como um corpo, um bem do pai que passa para o marido. Mostra como são levadas a acreditar que seu corpo não lhes pertence, que violência e abuso são normais. Normais dentro do casamento, vejam só. 

Estes primeiros poemas são dolorosos, machucam e nos fazem sentir a dor daquelas que não gozam de liberdade para escolher.

Há outros poemas que falam de amor, dos primeiros passos embalados pelos acordes deste sentimento. Das descobertas quando surge pela primeira vez e que nem sempre termina em um final feliz.

O legal da obra é que ela aborda a realidade sem medo, mostrando que nem sempre na vida tudo termina bonito. Por outro lado, se vem a desilusão com o amor e a dura jornada de superar e muitas vezes recuperar a auto-estima, há o lado positivo que mostra um renascimento, o entendimento sobre perdas e a consciência de que dependência é tóxica e antes de amar outro, devemos nos amar.

Os poemas abordam muito mais do universo feminino, mas de fato achei os temas mencionados acima os mais marcantes. A obra é reflexiva e não apenas para a mulher, mas para homens lerem e pensarem na maneira como nos tratam a aprender o que é respeito.

Eu gostei muito. Não imaginei me ver tão impactada por um livro de poemas, mas Rupi Kaur tem o dom de abrir almas e corações com suas palavras e nos tocar. Não é por menos que este livro se espalhou tão fácil por aí. Leiam, mesmo que não seja um gênero ao qual você está familiarizado, a riqueza do tema merece ser conferida. Há escuridão na obra, dor, tristeza, pesar, mas também esperança, luz e muita força.

as pessoas vão mas como elas foram sempre fica


2leep.com

6 comentários:

  1. eu tbm tenho esse livro e adoro, os poemas sao mt tocantes e empoderadores

    www.tofucolorido.com.br
    www.facebook.com/blogtofucolorido

    ResponderExcluir
  2. Olá, Cida.
    Esse é o tipo de livro que eu só leria se ganhasse ou se não tivesse outros livros para ler. Não é o tipo de livro que eu goste de ler. Mesmo só tendo lido elogios a ele até agora.

    Prefácio

    ResponderExcluir
  3. Oi Cida,
    Li esse livro há um tempo e alguns poemas foram bem pesados para mim.
    Acho que é uma obra válida, porém não foi de todo proveitoso, confesso. Talvez, por eu não estar acostumada com o tipo de obra. Prefiro histórias com começo, meio e fim.
    beijo
    http://estante-da-ale.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. Oi Cida,

    Não é muito meu estilo de leitura, mas tem livros que valem muito a pena se ler e esse parece ser um deles.
    Tambem tenho visto elogios por ai.

    Bjs e um bom fim de semana!
    Diário dos Livros
    Conheça o Instagram

    ResponderExcluir
  5. Oi, Cida!
    Eu só vejo ótimos elogios a essa coletânea, mas como não sou muito de poemas ela não me enche os olhos de vontade
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir
  6. Oi Cida,
    Eu amo o trabalho da Rupi, sempre escreve coisas tão lindas e que me tocam. Tenho vontade de ler os livros, apesar que sinto que ela já postou tudo no Instagram haha.

    até mais,
    Canto Cultzíneo

    ResponderExcluir

Obrigada por seu comentário.

Sua participação é muito importante.

Um grande beijo!