[Resenha] Cadê Você, Bernadette?

Cadê Você, Bernadette?
Título Original: Where'd You Go, Bernadette
Autor(a): Maria Semple
Editora: Companhia das Letras                 Páginas: 376 
Lançamento: 2013                                     ISBN: 9788535922936
 ||Compre||     ||Skoob||  ||Goodreads||
Bernadette Fox é notável. Aos olhos de seu marido, guru tecnológico da Microsoft e rock star do mundo nerd, ela se torna mais maníaca a cada dia; para as demais mães da Galer Street, escola liberal frequentada pela elite de Seattle, ela só causa desgosto; os especialistas em design ainda a consideram uma gênia da arquitetura sustentável, e Bee, sua filha de quinze anos, acha que tem a melhor mãe do mundo. Até que Bernadette desaparece do mapa. Tudo começa quando Bee mostra seu boletim (impecável) e reivindica a prometida recompensa: uma viagem de família à Antártida. Mas Bernadette tem tal ojeriza a Seattle - e às pessoas em geral - que evita ao máximo sair de casa, e contratou uma assistente virtual na Índia para realizar suas tarefas mais básicas. Uma viagem ao extremo sul do planeta é uma perspectiva um tanto problemática. Para encontrar sua mãe, Bee compila e-mails, documentos oficiais e correspondências secretas, buscando entender quem é essa mulher que ela acreditava conhecer tão bem e o motivo de seu desaparecimento. Maria Semple revela, em seu segundo romance, a influência de grandes escritores contemporâneos como Jonathan Franzen e Jeffrey Eugenides, ao mesmo tempo que se afirma como uma voz original, marcada pelo melhor humor das séries de TV norte-americanas. Sem sentimentalismos, mas com muita empatia, Cadê você, Bernadette? trata do amor incondicional de uma filha por sua mãe imperfeita.
Bernadette Fox é um mulher inteligente, ousada e excêntrica. Ela ganhou um grande prêmio como arquiteta ao criar e realizar um projeto intitulado Casa de Vinte Milhas, mas isso foi há anos atrás e hoje ela é uma mãe de família com pavor de sair de casa e se relacionar com estranhos.

Quando sua filha Bee é aprovada com excelência na escola, ela pede uma viagem para a Antártida. É a partir deste momento que começamos a acompanhar a saga de Bernadette Fox, pois a iminência desta viagem a coloca em estado de pânico e alerta. Ela começa a se apavorar com a possibilidade de sair novamente para o mundo após anos isolada, teme cada pedacinho da viagem e começa a tentar organizar este passeio de maneiras um tanto esquisitas, mas as únicas que consegue lidar.

É meio trágico esse pânico dela com o mundo, mas a narrativa de Maria Semple trata isso de forma inteligente e leve. Ainda que seja algo grave, nos faz rir pela excentricidade que apresenta. A trama é um drama, mas não daqueles que nos deixam depressivos e acaba sendo algo mais delicado e divertido em boa parte do tempo.

Bernadette um dia foi uma arquiteta em ascensão e muito talentosa, mas por algum motivo deixou essa vida para trás e se trancou em uma casa antiga, criando a filha Bee. No começo não sabemos a razão dela ser como é, do motivo que a leva a querer total distância das pessoas e abominar as tentativas das outras mães da escolha da filha de se aproximar. Você até pode pensar que ela é esnobe, mas de fato Bernadette teve e tem problemas que vão se explicando conforme mergulhamos na trama.

Uma personagem interessantíssima, com várias camadas e que me encantou desde a primeira página. Eu sei que ela pode até despertar sentimentos contraditórios nas pessoas, levar-nos a pensar que não passa de uma pessoa mesquinha, mas apesar de em alguns momentos eu achar que Bernadette exagerou, eu gostei dela demais e senti uma grande empatia por seus sentimentos. Ela não é mesquinha, é um pessoa falha, mas que em seu mundo incomum, amava a filha acima de tudo.

Acredito que ela tinha motivos para agir como agia, não achei justa a forma como as pessoas a julgavam por se como era sem antes entender tudo que a cercava e fazia parte de sua jornada. Bernadette não era um mulher comum, era um ser de mentalidade própria, existência única e muito acima da média dos demais em vários aspectos. Não é fácil descrevê-la em poucas palavras, apenas com idas e vindas entre passado e presente é possível ir juntando peças e compondo esta pessoa e assim você consegue entendê-la melhor.  

Eu sempre achei que a história fosse mais voltada pela busca da filha pela mãe, pois em determinado momento Bernadette some do mapa. Só que não. Embora Bee saia procurando a mãe, e obra é mais voltada para Bernadette e tudo que aconteceu com ela, até mesmo antes de ser mãe.

Se dividirmos a obra em três partes, temos duas delas dedicadas ao passado e presente de Bernadette e só uma voltada para a filha que busca a mãe. No todo, cada parte se une a outra com perfeição e traz muitas e muitas surpresas e reviravoltas.

Bee e Bernadette são adoráveis, personagens que ganharam meu carinho de imediato. No entanto, não apenas as duas compõe o núcleo de personagens, há outras pessoas importantes na trama. O pai de Bee, um gênio da Microsoft, é essencial para o desenrolar de alguns fatos e disparo de gatilhos. Elgin é um homem esperto na área que atua, mas um total imbecil em família. Já adianto que foi o personagem que menos gostei, especialmente depois de fazer o que fez com a esposa.

A história é bem apresentada, tem um tom de mistério por conta de Bernadette ser tão enigmática e prende facilmente. Eu nem vi as páginas passarem durante a leitura, foi envolvente e me cativou. 

Há um filme baseado na obra, que após ter a data de estreia adiada por diversas vezes, está programado para chegar ao Brasil em agosto deste ano. A atriz que fará Bernadette é a Cate Blanchet e de fato não consigo ver outra na pele da personagem. Admito que li toda a obra com a imagem dela sendo a protagonista.

Eu gostei muito deste livro, apenas o final eu acho que foi bem calmo em relação a toda a turbulência que a história apresentou. Eu esperava algo mais chocante, mas ainda assim foi um final bonito, que deixou mais evidente a forte e cúmplice relação da mãe e da filha. Não sei como demorei tanto para ler esta história maravilhosa. Recomendo!





2leep.com

12 comentários:

  1. Oie!

    Adorei sua resenha! Eu já queria ler esse livro faz tempo, e sua resenha me deu ainda mais vontade! :D

    Que legal que terá um filme, eu sempre gosto de ver depois da leitura, porque dá uma outra dimensão para a história, na minha opinião.

    bjao
    Início de Conversa

    ResponderExcluir
  2. Amei sua resenha, só a capa desse livro já deixa a gente apaixonada, também amei a história e saber que ela se desenvolveu bem!

    https://www.kailagarcia.com

    ResponderExcluir
  3. ja tinha visto a capa desse livro em algumas livrarias e gostei bastante de conhecer mais da historia por aqui

    www.tofucolorido.com.br
    www.facebook.com/blogtofucolorido

    ResponderExcluir
  4. Olá! Não conhecia o livro, mas gostei! Parece que todo o desenrolar da trama e os problemas de Bernadette são apresentados de forma leve e isso me chamou bastante a atenção. Amei a resenha! ♥

    Beijos!
    Estante Bibliográfica > blog novo!

    ResponderExcluir
  5. Oiii Cida

    Apesar do final morno, eu adorei a história, quero ler pois acho que vou gostar. Esse plus do mistério sempre me prende e se as personagens são cativantes, tenho certeza que tb vou ler em nada. Até tenho curiosidade em também conferir a adaptação, mas quero ler o livro primeiro.

    Beijos

    www.derepentenoultimolivro.com

    ResponderExcluir
  6. Oi Cida. Confesso que não me interessei tanto pelo livro, mas achei bacana a ideia de mostrar o amor incondicional da filha pela mãe, mesmo que esse não seja o foco central da trama, porque geralmente é o oposto que é salientado nas histórias. A capa é linda e original, mas não sei se lerei.
    Beijos, Adri
    Espiral de Livros

    ResponderExcluir
  7. Oi Cida,
    Pela capa, sempre achei que fosse um livro animado, talvez pelas cores, não um mistério.
    E a Cate Blanchet como Bernadette foi uma ótima escolha para associar a protagonista, acho que leria sim a obra.
    beijos
    https://estante-da-ale.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  8. Oi, Cida!
    Menina, olha... não sabia que teria filme, mas Cate como protagonista já quero na vida!
    Pela capa e título, parece ser um chick-lit fofo...
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir
  9. Eu queria tanto ler esse livro, sempre vejo críticas positivas, sem contar que a história de Bernadette parece divertida! Adorei sua resenha <3

    Beijo
    http://www.leiapop.com/

    ResponderExcluir
  10. Oi Cida!! Fico sempre curiosa com essa história, quero saber o que acontece com a protagonista!! E não sabia do filme, tomara que não adiem mais!

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  11. Oi Cida, tudo bem?
    Nossa, Cate Blanchett me parece perfeita pra viver essa personagem excêntrica e cheia de camadas.
    Adorei a resenha e, mesmo que não leia o livro, adoraria conferir o filme.
    Beijos,

    Priih
    Infinitas Vidas

    ResponderExcluir
  12. Olá, Cida.
    É interessante a gente ler várias resenhas sobre o mesmo livro porque já tinha lido algumas e a sua me passou uma outra face do livro. Achei a personagem principal bem interessante e se der vou ler ele.

    Prefácio

    ResponderExcluir

Obrigada por seu comentário.

Sua participação é muito importante.

Um grande beijo!