[Resenha] Cretino Abusado

Cretino Abusado
Título Original: Cocky Bastard
Autor(a): Vi Keeland   
Editora: Planeta (selo Essência)       Páginas: 272                          
Lançamento: 2017                           ISBN: 9788542211443
 ||Compre||     ||Skoob||  ||Goodreads||
Após ser traída pelo ex-namorado – chefe da firma de advocacia em que trabalhava – Aubrey decide que precisa de um recomeço. Deixa tudo para trás e aceita um emprego em uma startup na Califórnia, Estados Unidos, e parte em uma viagem de carro que mudará toda a sua vida. Em uma parada na estrada, Aubrey conhece Chance, um homem atraente que viajava de moto. Com o corpo perfeito e sotaque australiano, o ex-jogador de futebol era bem convencido e arrogante. Quando sua moto quebra, Chance precisa da ajuda de Aubrey. Ele promete levá-la em segurança até seu destino em troca de uma carona, e os dois decidem seguir viagem juntos. Aubrey está traumatizada após seu último relacionamento, mas sente uma atração incontrolável por aquele cretino abusado. Apesar da ligação cada vez mais forte entre os dois, Chance guarda um segredo que poderá separá-los para sempre.
Depois de ler Amor Imenso, fiquei encantada com a escrita de Penelope Ward e seu protagonista apaixonante (Justin ♥) e assim que vi outro livro dela fiquei com muita vontade de ler. E não é que ela repetiu a fórmula e trouxe um boy incrível de novo! Chance Bateman é outra perdição.

Ward dessa vez faz parceria com Vi Keeland e nos apresentou uma história de amor muito incerta e empolgante. Mas eu não vou mentir, logo no começo eu não estava curtindo não. Embora tenha curtido o Chance de cara, a relação dele com Aubrey não tinha aquele tempero de ar água na boca e protagonista era muito chata e implicante. Mas calma, vamos por partes.

Chance e Aubrey se conhecem numa loja de beira de estrada e ele vendo uma moça bonita por perto não perde tempo e joga seu charme. Só que Chance não jogava charme de maneira direta, na verdade ele adorava fazer piadas e se utilizar de provocações. E Aubrey, toda introspectiva, sentia tanto um incomodo pela ousadia dele, quanto uma atração inegável. Ele era lindo, gostoso e tinha um sotaque de deixar a mulherada de perna bamba.

A moto do Chance quebra e ele sem nenhuma vergonha pergunta para onde ela vai e pede uma carona. Relutante, mas nem tanto,  Aubrey cede e aceita o passageiro e os poucos dias que passaram na estrada juntos foram dias de descoberta, aventura e muita sinceridade. É engraçado como fora do cotidiano ela se sentiu mais livre e deixou a verdadeira Aubrey se libertar, resolveu arriscar bastante com aquele moço cheio de gracinhas e abusado, que ela passou a chamar carinhosamente de cretino abusado.

Foram noites em hotéis, em barracas e até arrumando um bichinho de estimação exótico (um cabrito, gente) e quando Las Vegas surgiu depois da curva, aí sim a viagem se tornou inesquecível. Mas, um grande MAS, não no bom sentido. Algo aconteceu e aí…

Então desde a chegada em Las Vegas a trama finalmente começou a funcionar comigo. De começo achei tudo muito simples e instantâneo e não estava simpatizando com a protagonista,  muito menos pondo fé no romance. Estava apostando no máximo em uma relação quente e nada mais. Eu não estava vendo a mão de Ward ali, fique me perguntando onde estava aquela história cheia de sentimentos como a que tinha visto em Amor Imenso. Então o tempo passa. E passa mesmo e Chance assume a narrativa que até então estava na voz de Aubrey e você descobre que a história não era nada do que parecia ser.

Não vou dizer o que a vida reservou para os dois, mas depois de Las Vegas ambos vão sofrer muito e passar por momentos difíceis. Serão obrigados a recomeçar do zero e encontrar um sentido para vida. Assim o romance simples fica complicado, a relação antes superficial ganha profundidade e o jogo de conquista se torna um dos mais fofos e doces ( com muitos doces e lattes Starbucks) da vida.

Eu amei Chance, odiei-o depois de uma mancada e amei de novo sem limites. Ele é cativante, tem um coração enorme e não mede esforços quando precisa mostrar os sentimentos. A Aubrey por seu lado, depois de um baque, mudou. Ela amadureceu, ficou mais legal e ganhou meu carinho também. A evolução dos personagens é grande no decorrer da história e o romance deles empolga muito.

Eu pensei que o livro fosse ser bem hot, não pela capa nacional, mas a capa gringa passa essa ideia. Só que não. Há sim cenas de sexo quentes, mas bem poucas e mais de 90% do tempo o que temos são duas pessoas tentando achar um equilíbrio e amor.

A narrativa é fluida e leve. Tem muito bom humor do começo ao fim. As autoras deixam a jornada de Aubrey e Chance cheia de detalhes que terão um significado especial. Tudo começa com um  bonequinho de Obama, depois alguns doces, um cabrito, um vibrador e até molho de pimenta. Parece estranho, mas inseridos na trama cada um desses elementos ganha sentido e marca a trajetória do casal.

Cretino Abusado me ganhou pouco a pouco e fechei o livro encantada com a história. É um romance leve e despretensioso, que não vai mudar sua vida, mas vai te deixar feliz e sorridente. Duvido você ler e não ficar querendo encontrar na beira da estrada um Chance também. Recomendo.  



2leep.com

9 comentários:

  1. Oi Cida,
    Eu acho que não leria se fosse só pela capa e sinopse, mas sua opinião me animou.
    Gosto de romances, mas achei que este fosse algo mais superficial, sabe?
    Não deixa de ser um pré-conceito, mas vou mudar isso lendo ;)
    Beijos
    https://estante-da-ale.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Oi Cida, tudo bem?
    Achei o título divertido e saber que os protagonistas vão se conhecendo durante uma viagem, me deixou curiosa e animada para lê-lo. Dica anotada!!!

    *bye*
    Marla
    https://loucaporromances.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Oi Cida,

    Ja li outro livro da autora e gostei da sua escrita.
    Esse não me chamou tanta atenção, mas não descartaria uma leitura.
    Bjs
    http://diarioelivros.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  4. oi Cida, a trama parece bem interessante, com aquele romance ardente e clichê que eu amo
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Oi Cida, tudo bem?
    Ainda não conhecia esse livro, valeu pela dica
    Blog Entrelinhas

    ResponderExcluir
  6. Olá, Cida.
    Que bom que gostou do livro, mesmo com um começo mais morno. Eu infelizmente não vou ler porque ultimamente tenho fugido de livros assim. Não sei porque não consigo gostar do gênero.

    Prefácio

    ResponderExcluir
  7. Oi, Cida

    Eu não curti a proposta do primeiro livro, por isso não quis ler esse também.
    Que bom que a história começou a funcionar depois de um tempinho e que você acabou curtindo tanto assim.

    Beijos
    - Tami
    https://www.meuepilogo.com

    ResponderExcluir
  8. Oi Cida, eu morro de vontade de ler algo dessa autora! Bom saber que o começo não é tao empolgante e eu sempre tenho problemas com protagonistas chatas, mas fico feliz depois tudo fique melhor rsrsrs Tá na minha lista de leituras!

    BJs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  9. Oi Cida,

    Não conhecia esse livro e nem a autora. Confesso que no início da resenha não me pareceu um livro que me prenderia o interesse, achei que poderia ser só mais um livro hot, mas quando tu mencionou que o livro, apesar de cenas hot, é 90% sobre as pessoas tentando encontrar equilibrio e amor já ficou mais aprazível. Gosto de indicações de livros leves e despretensiosos, sempre vêm bem quando precisamos acalmar a mente depois de leituras mais intensas.

    Beijos
    http://espiraldelivros.blogspot.com/

    ResponderExcluir

Obrigada por seu comentário.

Sua participação é muito importante.

Um grande beijo!