[Resenha] A Zona Morta

A Zona Morta
Título Original: The Dead Zone
Autor(a): Stephen King  
Editora: Suma                      Páginas: 480
Lançamento: 2017               ISBN:9788556510334
 ||Compre||     ||Skoob||  ||Goodreads||
Depois de quatro anos e meio, John Smith acorda de um coma causado por um acidente de carro. Junto com a consciência, o que John traz do limbo onde esteve são poderes inexplicáveis. O passado, o presente, o futuro - nada está fora de alcance. O resto do mundo parece considerar seus poderes um dom, mas John está cada vez mais convencido de que são uma maldição. Basta um toque e ele vê mais sobre as pessoas do que jamais desejou. Ele não pediu por isso e, no entanto, não pode se livrar das visões. Então o que fazer quando, ao apertar a mão de um político em início de carreira, John prevê o que parece ser o fim do mundo?

Quando criança John Smith sofreu uma queda bem feia, mas distraído com brincadeiras acabou deixando o acidente de lado. Tal acontecimento fez com que ele adquirisse uma sensação premonitória leve, uma intuição acima da média.

Johnny cresceu, virou um simpático professor e começou a sair com Sarah. Ambos estavam naquela fase inicial de um relacionamento promissor, estavam aprendendo um sobre o outro até aquela noite trágica mudar sua vidas. Ele foi vítima de um acidente de trânsito, mergulhou em um coma profundo de quase cinco anos e quando despertou não apenas sua vida tinha ficado parada enquanto todos ao seu redor seguiam em frente, como também aquela sensação premonitória leve havia se tornado um dom de vidência incomum e incontrolável.

Eu adoro as histórias de terror  e suspense de King, mas há livros do mestre que enveredam por outros caminhos e, assim como Joyland, A Zona Morta se aproxima mais do drama e traz uma narrativa do mestre um tanto diferente daquela que estamos acostumados.

Eu não sabia se ia gostar desse livro, o mesmo já foi adaptado como seriado de TV e eu nunca curti este seriado ( O Vidente) e desta forma demorei para fazer a leitura. Posso dizer que não deveria ter duvidado do autor para mais uma vez me conquistar.

Quem não conhece a obra de King e gostaria de conhecer, mas tem receio de pegar uma história assustadora, pode apostar nesta obra e ser feliz. Além de “pegar leve” com a gente, ele deixa de lado aquelas longas construções de personagens que costuma fazer. Não achem, no entanto, que os personagens aqui são superficiais, não mesmo. São extremamente bem apresentados, mas quem conhece o autor sabe que suas apresentações são sempre detalhistas e extensas e desta vez ele optou por brevidade.

A Zona Morta relata a jornada de um rapaz carismático e boa gente, mas que infelizmente foi privado de uma vida normal por causa de um acidente e do estranho dom que adquiriu. Seguir Johnny é encantador e doloroso em igual medida. Encanto vem de seu jeito doce, gentil e absurdamente frágil. Doloroso por saber que ele, mesmo sobrevivendo, perdeu sua vida de alguma forma. No meio de muitas pessoas, ele se vê isolado e solitário, ninguém é capaz de entender de verdade sua perda e entender como ele se sente.

Há amor ao seu redor, mas não supre todo o vazio de seu coração e lidar como o dom incomum o torna ainda mais solitário. Você não faz ideia se Johnny vai virar uma celebridade, um experimento de laboratório ou um homem louco. A vontade de saber se ele vai um dia se encontrar, encontrar um caminho e ser feliz é enorme e faz com que a leitura flua facilmente.

É um livro fácil de ler, com uma história sensível e cheia de significados. A Zona Morta tem sua trama iniciada em meados dos anos 50 e segue por quase três décadas depois.Não fica presa apenas no drama de Johnny, acaba também debatendo fanatismo religioso e o cenário político da época e nos apresenta uma série de fatos históricos muito interessantes. O engraçado, é que mesmo os assuntos políticos sendo de anos antes de eu nascer, não pareceram tão desatualizados e percebi que quase nada mudou desde então neste cenário, que infelizmente,  é sempre palco de corrupção. A história, torna-se assim, atemporal.

Há também duas histórias que seguem paralelas a de Johnny e que vão aos poucos se conectando com ele e em uma delas é possível reconhecer um pouco do King de outras obras mais brutais, mas ainda assim é uma passagem rápida usada mesmo para evidenciar a grandeza do que o dom de Johnny pode alcançar.

E voltando a saga de nosso Johnny, só posso dizer que a mesma partiu meu coração em pedacinhos. A vontade que eu tinha era a de proteger esse rapaz, não no sentido romântico, mas de amizade e até mesmo como uma irmã. Ele foi forte por suportar tudo o que passou, mas também era frágil demais e desamparado. Ele foi um personagem marcante e que ganhou meu coração facilmente, sei que será um personagem de King que nunca vou esquecer.

A Zona Morta é um livro com uma história comovente, triste e cheia de carisma. Recomendo para os fãs do autor que apreciam seu trabalho e sua honestidade na caracterização do ser humano e para aqueles que desejam conhecer o mestre, mas de uma forma mais leve e sem tomar sustos. Eu amei.







2leep.com

8 comentários:

  1. Olá, Cida.
    Eu não sou muito fã do autor. E é engraçado porque mesmo não gostando tanto dos livros dele, não consigo não ler hehe. E esse foi um dos que acabei gostando. E como você disse, mesmo sendo um livro mais antigo, os assuntos continuam em pauta. O tempo passa e as coisas não mudam para melhores. É uma pena.

    Prefácio

    ResponderExcluir
  2. Nossa, que trama, hein?! Os livros dele são perfeitos pra roteiros de filmes tb, chega dá pra ver a cena na nossa cabeça, hehe. Nunca li nada do autor, mas tenho muita vontade. E se esse aí é sem susto, já gostei, hehe! ♥

    =)

    Suelen Mattos
    ______________
    ROMANTIC GIRL

    ResponderExcluir
  3. Oi Cida, estou só agora conhecendo o King, li recentemente Belas Adormecidas e foi uma leitura incrível, já quero esse também!

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  4. Oi Cida,
    Adoro como parte das histórias de King são atemporais.
    Esse é mais um que preciso colocar na lista. Adorei!

    bjs
    Nana - Canto Cultzíneo

    ResponderExcluir
  5. eu não me envolvo muito com os enredos do King, apesar de saber que ele é um mestre da escrita e um clássico autor de sucesso!

    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Oi, Cida!
    Chocada que esse livro era O Vidente na tv oO
    Eu curti muito Joyland, então acho que vou curtir esse também.
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir
  7. Que lindo!!

    Achei que este livro fosse bem pesado, mas de forma de medo mesmo, não de tristeza. Fiquei comovida e empolgada ao mesmo tempo. Quero ler!!

    Bjks

    ResponderExcluir
  8. Oi Cida,
    Já comentei algumas vezes que nunca li nada do autor, por não ser muito fã do gênero, mas “A Zona Morta”, parece ter uma trama menos assustadora e fiquei curiosa para entender o porquê e como o protagonista adquiriu dons premonitórios/vidência. Dica anotada!!

    *bye*
    Marla
    http://loucaporromances.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Obrigada por seu comentário.

Sua participação é muito importante.

Um grande beijo!