[Resenha Dupla] Dorothy Tem Que Morrer + A Ascensão do Mal

Oi gente!!!
Prontos para ir comigo para a terra de Oz?
Vem agora!!!








A série Dorothy Tem Que Morrer, de Danielle Paige, é uma releitura de O Mágico de Oz. Na verdade a história se baseia nos fatos acontecidos no clássico original e segue dali em diante contando o que aconteceu com Oz depois de toda a aventura vivida por Dorothy. São quatro livros ao todo, além de alguns contos paralelos. Temos Dorothy Tem Que Morrer (#1), A Ascensão do Mal (#2), Yellow Brick War (#3) e The End of Oz (#4) . Os dois primeiros lançados no Brasil pela Editora Rocco, no selo Jovens Leitores.



Dorothy Tem Que Morrer 
Título Original: Dorothy Must Die (Dorothy Must Die #1)
Autor(a): Danielle Paige    
Editora: Rocco Jovens Leitores            Páginas: 384
Lançamento: 2016                               ISBN: 9788579802737

 ||Compre||     ||Skoob||  ||Goodreads||
Primeiro de uma série, Dorothy tem que morrer engrossa um filão de sucesso no mercado editorial, no cinema e na TV: o reconto de clássicos infantis com nova roupagem para os jovens. Nesta releitura  sombria do clássico de L. Frank Baum O mágico de Oz, Amy Gumm é uma nova garota do Kansas, que, em meio a um tornado, é enviada à terra de Oz com a missão de remover o coração do homem de lata, roubar o cérebro do espantalho, tomar a coragem do leão e destruir a garota dos sapatinhos vermelhos. Livro de estreia de Danielle Paige, Dorothy tem que morrer chega ao Brasil depois de figurar na lista dos mais vendidos do The New York Times.
Amy é uma adolescente que não sabe direito quem é e que passou a vida lutando para ajudar a mãe. Quando os pais dela se separaram, a vida deu uma guinada. De uma casa sólida, foram viver em um trailer. Uma mãe ativa, passou a se uma mulher bêbada e deprimida. E na escola os amigos sumiram e Amy virou objeto de desdem e zombaria. Para todos era Amy Esmola.

Então,  quando foi parar na terra das histórias infantis, não fugiu. Mesmo Oz estando do avesso, ali ela conheceu um grupo de bruxas que viu nela potencial para enfrentar a Dorothy má e com isso, pela primeira vez, a garota sentiu que tinha um propósito e um lugar para pertencer,  uma identidade para assumir.

E neste primeiro livro seguimos com Amy nesta jornada de crescimento pessoal e de desvendar a nova Oz. Eu não lembrava muito dos detalhes da história de  O Mágico de Oz, afinal era bem criança quando a conheci. Lembrava, é claro, dos pontos principais como o furacão no Kansas, a estrada dos tijolos amarelos, do Homem de Lata, do Espantalho, do Leão e daquilo que cada um buscava e de sua associação com Dorothy. Assim esse livro me fez relembrar os menores detalhes, enquanto apresentou algo novo e bastante promissor.

O clima é bem sombrio e sangrento, o que achei muito empolgante. Eu gosto de histórias de fantasia mais pesadas ao invés de doces e levinhas. Quero ação e quando ouvir a palavra vilão, saber que vou encontrar maldade de verdade e algo de arrepiar. O cenário é ricamente descrito e fácil de ver, me encantei com o local e suas criaturas. Sinceramente, preciso de imediato ao menos ver uma adaptação cinematográfica do original e em breve ler a obra de L. Frank Baum.


A cada passo que Amy dá, literalmente, na estrada de tijolos amarelos, encontra grandes exemplos da vilania de Dorothy. No começo ela não sabe bem como digerir aquilo, mas quando se vê envolvida na luta percebe que precisa fazer algo para ajudar os inocentes. Apesar de ser bem ingenua muitas vezes, Amy é uma pessoa boa e que tem mania de querer ajudar quem está perdido. Nem sempre a pessoa quer ou merece ajuda, mas ela tenta mesmo sendo prejudicada.

Em Oz não dá para confiar em ninguém, não dá para saber quem é bom e quem não é. Você vai lendo e fica na dúvida sobre tudo, incerto sobre o que virá na próxima pagina e considero isso um fator positivo, já que gosto de imprevisibilidade. A história é cheia de mistérios e o final  complexo é cheio de reviravoltas. Você fecha o livro achando que não entendeu nada, ou melhor que não sabe de nada, não sabe a verdade porque todos estão mentindo e as verdades são meias-verdades todas costuradas na magia de Oz. Eu curti bastante, em especial o clima sombrio e as bruxas aliadas de Amy. Parti em seguida para o segundo volume.



A Ascensão do Mal 
Título Original: The Wicked Will Rise (Dorothy Must Die #2)
Autor(a): Danielle Paige    
Editora: Rocco Jovens Leitores            Páginas: 240
Lançamento: 2017                               ISBN: 9788579803802

 ||Compre||     ||Skoob||  ||Goodreads||
A protagonista da série é uma outra garota do Kansas, que chega em Oz depois de um tornado e encontra a história que ouviu na infância bem viva na sua frente ou quase isso. Amy Gumm se depara com uma Oz onde Dorothy não é mais a mocinha e sim a vilã, onde a magia está praticamente extinta e tudo de bom que existia ali foi corrompido. Até mesmo os antigos vilões mudaram e agora são os mais próximos de bondade que existe e estão lutando para tirar Dorothy do poder. Até o Homem de Lata, o Espantalho e o Leão são maus e Amy acaba envolvida nesta luta pela salvação de Oz.

A Ascensão do Mal começa imediatamente do final do livro anterior, com Amy abalada depois de uma grande e mágica batalha e analisando tudo o que já viveu. Está preocupada com as semelhanças gritantes entre ela Dorothy. Amy tem medo de ser consumida por maldade como a outra foi e logo os primeiros sinais de que isso pode acontecer se revelam. Este segundo volume é mais focado nos conflitos internos de Amy e no que ela esta se transformando. Há ainda uma missão a ser cumprida para salvar Oz, resgatar velhos amigos e derrotar os vilões, mas o ritmo não é tão acelerado e ágil quanto em Dorothy Tem Que Morrer e senti falta de mais ação e das bruxas amigas de Amy.

O Mágico de Oz é um personagem que chegou de fininho e vem causando estragos, mas do lado de quem ele está, ninguém sabe.  Esta e outras perguntas vão sendo respondidas no decorrer da história, mas o que mais surpreende é ver Oz mudando outra vez e sendo tomada por magia. Amy fará novas alianças, ficará mais forte e, infelizmente, ainda se deixará levar pelo coração mole e acabará confiando em pessoas que vão trair e preparar armadilhas para ela. O desfecho foi surpreendente mais uma vez e com isso a autora manteve minha curiosidade em grau máximo. Tomara que o terceiro volume chegue logo aqui. Se você curte releituras, vai gostar. Se curte história de fantasia, também. Não deixem de conferir. 

2leep.com

7 comentários:

  1. Oi, Cida!
    Eu sou louca pra ler essa série. Estava esperando sair logo tudo pra começar a conferir.
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir
  2. essa nova roupagem é interessante, eu mesma adoro ver os recontos
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Oi Cida!
    Eu adoro a história do Mágico de Oz. Não sabia que esse livro era uma série, vou esperar lançarem todos os livros pra começar a ler.

    Beijos,
    Sora | Meu Jardim de Livros

    ResponderExcluir
  4. Oi Cida,
    Gosto de releituras, e fiquei curiosa para saber como e porque Oz e Dorothy foram tomados pelo mal.
    Feliz 2018!!

    *bye*
    Marla
    http://loucaporromances.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Olá, Cida.
    Eu amo releituras, por isso me interessei pelo primeiro livro desde que lançou. Mas não conheço a história original, só de filmes. Mas então eu comecei a ler as resenhas do segundo livro e me desinteressei. Mas quem sabe eu lai um dia quando lançarem todos.

    Prefácio

    ResponderExcluir
  6. Oi Cida, eu gosto bastante de releituras do mágico de Oz e histórias com reviravoltas! Já tinha lidos outras resenhas positivas e parece uma ótima leitura!

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  7. Eu gostei muito do primeiro livro... e já quero ler o segundo. Vou reler o finalzinho dele pra pegar embalo.
    Adorei as duas resenhas ♥♥

    Bjks

    ResponderExcluir

Obrigada por seu comentário.

Sua participação é muito importante.

Um grande beijo!