[Resenha] Deixada Para Trás

Deixada Para Trás
Título Original: The Girl Who Was Taken
Autor(a): Charlie Donlea
Editora: Faro                        Páginas: 368
Lançamento: 2017               ISBN: 9788595810082

 ||Compre||     ||Skoob||  ||Goodreads||
Nicole Cutty e Megan McDonald são alunas do ensino médio na pequena cidade de Emerson Bay, Carolina do Norte. Quando elas desaparecem de uma festa na praia em uma noite quente de verão, a polícia inicia uma busca maciça. Nenhuma pista é encontrada e a esperança é quase perdida, até Megan milagrosamente aparecer depois de escapar de um bunker no fundo da floresta. Um ano depois, o best-seller de sua provação transformou Megan de heróina local para celebridade nacional. É uma história triunfante e inspiradora, exceto por um detalhe inconveniente: Nicole ainda está desaparecida. A irmã mais velha de Nicole, Livia, é uma perita forense e espera que em um breve dia o corpo de Nicole seja encontrado e entregue a alguém como ela para analisar as provas e finalmente determinar o destino que sua irmã teve. Em vez disso, a primeira pista para o desaparecimento de Nicole vem de outro corpo que aparece no necrotério, de um jovem ligado ao passado de Nicole. Livia vai até Megan para pedir ajuda, esperando descobrir mais sobre a noite em que as duas foram levadas. Outras meninas também desapareceram e Livia está cada vez mais certa de que os casos estão conectados. Mas Megan sabe mais do que ela revelou em seu livro best-seller. Flashes de memória estão se juntando, apontando para algo mais escuro e mais monstruoso do que sua memória descreve. E quanto mais ela e Livia cavam, mais elas percebem que às vezes o verdadeiro terror está em encontrar exatamente o que você está procurando.
A Garota do Lago foi o primeiro livro de Charlie Donlea que li e quando terminei já queria mais obras do autor. Tive sorte de no mesmo ano ter o lançamento de Deixada Para Trás e mais uma vez o autor conseguiu me surpreender positivamente. Este livro é ainda melhor do que o anterior. Virei fã do Charlinho!

Temos aqui duas estudantes do ensino médio desparecidas na noite de uma festa na praia. Megan e Nicole não eram amigas e existia até uma certa rivalidade entre as duas e aí logo fiquei encucada com isso, já que não consegui ver um cenário onde as duas estivessem juntas e sumissem ao mesmo tempo.

Megan consegue escapar e após um ano de sua fuga vira celebridade. Escreve um livro sobre o sequestro e as pessoas olham ela como uma fonte de inspiração. E Nicole? Bem, ela não foi encontrada e as pessoas preferem olhar o lado positivo do caso, ou seja, a salvação de Megan.

No entanto, nem todos esqueceram a jovem desaparecida, em especial Livia, a irmã mais velha dela. Megan também não, ela não acha certo seu sucesso ofuscar um crime não resolvido. E quando Livia, que é legista, realiza a autopsia de um homem que supostamente foi namorado de Nicole e desapareceu na mesma época das garotas, ela percebe que isso não pode ser coincidência e acaba embarcando na investigação do sequestro, resolve ela mesma buscar justiça para a irmã.

Assim como em A Garota do Lago, o autor coloca uma mulher forte e determinada na caça de um criminoso. Livia é nossa investigadora e não vai medir esforços para saber o que de fato aconteceu com Nicole e quem sabe encontrá-la. Com isso a legista descobre não apenas fatos sobre o sequestro que dá inicio a esta história, mas sim uma rede de garotas desaparecidas e assassinadas em diversos estados dos EUA. Poderiam ser penas crimes parecidos, mas o uso de um sedativo em comum  nas vítimas (cetamina) faz a moça acreditar que se trata de um mesmo criminoso.

Gente! Que drama, que história! Não é apenas a investigação que nos fisga e faz devorar as páginas. Claro que este é o ponto forte e eu li em menos de dois dias esse livrão, imaginando vários culpados e achando indícios em cada vírgula para fundamentar minhas especulações. Há mais do que isso na história de Donlea. Os personagens são complexos, cheios de nuances e você sente necessidade de conhecê-los pra valer. Quer que as máscaras caiam para ver o rosto real de cada um. E não digo isso fisicamente, mas interiormente. As pessoas aqui têm culpas, medos, anseios profundos e até mesmo doentios, que disfarçam bem e somente observando–os é que vamos notando as distorções. A carga psicológica é carregada e causa comoção, é impossível não se deixar envolver pelo que os personagens sentem, pensam e vivem.

O autor explorou bem as personalidades de Megan e Livia, que podem ser consideradas nossas protagonistas. Mas também deu espaço para as vítimas e as apresentou no cerne de seu desespero nos cativeiros ou mesmo no que antecedeu os momentos finais de sua liberdade. Nicole é com certeza a pessoa mais problemática e, mesmo sendo uma vítima, não há como negar que ela procurou o perigo.

O clima é puro suspense e nunca sabemos o que o autor está prestes a revelar, só dá para saber que vai ser forte. O grau de violência é alto e o abuso faz parte do cenário que compõe a trama.

É bastante pesado e extremamente realista. Eu me arrepiei com certas passagens, especialmente as autopsias e as ações do criminoso. Não foi fácil imaginar tudo aquilo, mas eu amei cada detalhe que deixou tudo mais vivo e crível.

Como citei, este livro me surpreendeu muito. Eu nem imaginava o que movia o criminoso e nem quem ele era e adorei não adivinhar o final. Sem dúvidas o drama psicológico é outro fator para não ser subestimado, pois nas armadilhas da mente humana o autor escondeu parte da solução do mistério, nos enganando, confundindo, capturando e, finalmente, libertando. Eu super recomendo.  Você, fã de thrillers, precisa ler Charlie Donlea.





2leep.com

9 comentários:

  1. Oi, Cida!
    Menina, faz tempo que estou procurando um thriller pra ler e acho que esse vai ser o escolhido. Fiquei curiosa como as duas meninas foram parar juntas, já que nem se gostar elas se gostavam hahahaha
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir
  2. apesar de não ser o tipo de livro que eu em geral curto ler a proposta me deixou bem curiosa

    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Oie Cida =)

    Normalmente esse é um tipo de livro que não chamaria minha atenção, mas lendo a sua resenha me vi curiosa para saber o que de fato aconteceu com a Nicole e o real papel da Megan em tudo isso.

    Parece ser uma história realmente surpreendente.

    Beijos ;**
    Ane Reis | Blog My Dear Library  

    ResponderExcluir
  4. Oi Cida!! Caracas a Faro está só arrasando nos lançamentos! esses dias eu devorei um livro deles tb em dois dias, já quero esse, parece um excelente drama psicológico mesmo, de fundir os neurônios rsrsrsr

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  5. Oi Cida, tudo bem?
    Ainda não conhecia esse, valeu pela dica!
    Blog Entrelinhas

    ResponderExcluir
  6. Oi Cida, sua linda, tudo bem?
    Feliz 2018!!! Que seu Natal tenha sido mágico e que 2018 seja repleto de sonhos e realizações!!! Eu sou louca por thrillers e já estava de olho nesse, mas não sabia nada sobre a história ainda. Eu adoro quando o autor consegue me enganar. Gosto muito quando ele se aprofunda no perfil das vítimas também. Adorei sua resenha!!!
    beijinhos.
    cila.
    https://cantinhoparaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Olá Cida! Tudo bem?
    Feliz ano novo!!
    nossa, parece muito boom!! fiquei doida pela sua resenha! quero muito conhecer a escrito do 'charlinho' heheh os dois livros me chamam muita atenção!!
    beeijo

    http://lecaferouge.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Oi Cida, estou lendo no momento e adorando!

    tenha uma ótima quinta =D
    Nana - Canto Cultzíneo

    ResponderExcluir
  9. Olá, Cida.
    Eu ainda não consegui ler A garota do lago e já quero ler esse também. Eu amo um trillher, mesmo com essas cenas mais fortes que acho que são necessárias para dar mais veracidade as cenas. Gostei da sua empolgação e assim que der eu vou ler ele.

    Prefácio

    ResponderExcluir

Obrigada por seu comentário.

Sua participação é muito importante.

Um grande beijo!