[Resenha] O Verão em Que Tudo Mudou

O Verão em Que Tudo Mudou
Autor(a):  Vinícius Grossos, Thaís Wandrofski, Gabriela Freitas
Editora: Faro                        Páginas: 304
Lançamento: 2017               ISBN: 9788562409929

 ||Compre||     ||Skoob||  ||Goodreads||
A vida às vezes guarda inúmeras surpresas. Sem avisar, ela muda de direção. Na hora você não entende, já que “tudo parecia estar bem”. Então percebe que havia sinais.... um sentimento, uma lembrança, um fato que parecia bobo, mas não era... É quando a gente entende que todo o caminho estava errado, que nada fazia muito sentido. Pelo menos, pra você. Fred sente-se absolutamente comum diante de um mundo com tanta gente especial. Lavínia, ao alcançar aquilo que parecia um sonho, algo pelo qual tanto lutou descobre que a nova conquista nunca foi realmente um desejo seu. E Sol, sem perceber, vive sempre à espreita, desconfiada, em constante alerta, tentando controlar tudo ao redor, na esperança de não se ferir novamente... Mas que controle podemos ter diante de tudo? Três jovens, de cidades distantes, com diferentes realidades, descobrindo o mundo a partir de suas próprias escolhas: complexo, difícil, libertador.Três histórias que se cruzam, no exato momento em que se coloca, diante de cada uma delas, uma exigência capaz de definir algo para o resto de suas vidas.
Existem fases e FASES da vida, mas acredito que uma das mais complicadas é a passagem da adolescência para a vida adulta. Aquele momento que você sai do ensino médio e segue rumo a faculdade, aquele momento que é feito de escolhas que você levará para toda a vida. É assustador e muitas vezes paralisante e, por mais que tenhamos a família e amigos ao nosso lado, é um momento nosso, apenas nosso.

O Verão Em Que Tudo Mudou traz três contos que se passam nos meses de verão e cada um foi escrito por um autor diferente. No entanto, há uma ligação entre os mesmos, temos personagens que estarão presentes nos três. Além disso, em dois deles, temos jovens que estão vivendo está difícil FASE, cada qual em uma cidade e lidando com problemas diversos.

Dezembro

Quando Infinitos Se Encontram – Vinicius Grossos

Este conto é sobre o Fred, um menino que sem saber bem o que fazer da vida, arrumou um emprego em uma livraria e foi vivendo um dia após o outro sem grandes planos para o futuro. Ele não se sentia muito bem com esta ausência de sonhos e seu comodismo, mas de fato não tinha nada em mente que gostaria de ser ou fazer. Na noite de Natal ele conheceu a jovem Valentina e dali em diante tudo mudou.

Eu gostei demais do Fred e este conto transborda carisma desde o primeiro capítulo. A jornada dele é muito legal, tem momentos divertidos e ainda assim não deixa de lado a seriedade do que o garoto está vivendo. Em dado momento, talvez quando perdeu os avós, Fred ficou meio que anestesiado e deixou a vida levá-lo, mas a chegada da Valentina foi um choque e ele acordou.

Esta garota é uma explosão de energia e vivacidade e mesmo que de cara pareça ser arrogante e mandona, logo se mostra dona de uma grande coração. Mandona ela é sim, mas uma mandona que faz o Fred correr riscos e buscar as respostas que ele nem imaginava que precisava.

As aventuras deles em uma noite foram extraordinárias, desde a elaboração de uma super-mega-deliciosa pizza até um cover de (I Can't Get No) Satisfaction - Rolling Stones num karaokê. São situações breves, mas cheias de conteúdo, que inspiraram nosso garoto profundamente.

É um conto fofo e belo, de aquecer o coração e com certeza foi o meu favorito do livro. Eu amei e agora preciso ler mais história do Vinicius.  

Janeiro

Mantenha- se Viva – Gabriela Freitas

Eu vim super empolgada do conto anterior e estava esperando encontrar no segundo algo tão ou mais empolgante, mas este conto não me atingiu da mesma forma e não fui cativada pela protagonista.

Lavínia é amiga da nossa Valentina e acabou de ser aprovada para uma das melhores faculdades de arquitetura do país. Foram alguns anos de empenho para isso e finalmente quando a resposta chega e seus pais estão pulando de alegria, ela percebe que não á mais aquilo que deseja para si.

A jovem resolve passar um mês em Búzios para colocar as ideias no lugar e quem sabe assim encontrar um caminho para seguir. Os pais não aceitam muito bem, mas deixam que vá contando que na volta ela seguirá o que eles desejam. Os problemas de Lavínia não se resumem apenas a escolher um curso universitário, após perder a irmã mais velha anulou sua vida e quis ser a filha que a outra era para os pais. Só que ela não era a irmã e o custo por tal sacrifício veio de uma só vez.

Vemos Lavínia sair de um longo relacionamento e  tentar buscar a si mesma nas areias da praia. Ela passa a encarar tudo aquilo que sempre temeu ou achava que não gostava. Queria, do fundo do coração, ser uma nova pessoa. No começo está perdida, mas quando arranja um novo namorado, ele lhe dá o empurrão necessário para ousar.

Eu entendo que deva ter sido difícil perder a irmã, em especial da forma como foi, mas a Lavínia não é aquele tipo de pessoa que me faça sentir pena dela e compartilhar de sua dor. Eu não consegui me conectar com a garota, apesar de achar corajoso o que fez. Minha falta de afinidade com a personagem fez com que não surgisse aquela torcida e aquela empolgação pelo que ela conquistaria.

Eu achei a Lavínia mimada, uma garota que sempre foi a princesinha dos pais e nunca precisou lutar de verdade por algo, diferente do Fred que era um menino de origem humilde e que suava a camisa todo dia para ter sua liberdade e conforto.  Acho que ela não precisava ter se envolvido com um novo namorado para dar os primeiros passos, poderia ter sido algo vindo de sua própria iniciativa. No final, senti que faltou algo pra mim, mas essa é minha opinião. Leia também e sinta a história.


Fevereiro


Pôr do Sol - Thais Wandrofski

E esta é a história da Sol (amiga da Valentina e da Lavínia) e sua jornada foi cheia de energia a alto astral.

A Sol é aquela que vive a história mais cheia de personagens e reviravoltas. Ela na verdade não está tão relacionada a FASE da vida que citei, mas sim a mudar seu jeito de ser a amadurecer. Não são bem escolhas que marcam este conto e sim formas de se relacionar com as pessoas e aprender com os erros para acertar.

Ela era mandona, controladora e não percebia o quanto comandava as pessoas ao seu redor. Quando teve uma discussão com a melhor amiga e ela criticou seus defeitos, a Sol parou e repensou seus atos e começou a ver menos a si mesma e olhar mais ao redor.

Foi uma jornada engraçada essa da protagonista que quis mudar o mundo. Ela acertou bastante, ajudou muita gente e foi se encontrando aos poucos. Claro que nem sempre suas boas intenções deram resultados positivos, mas no saldo geral o que temos é uma nova Sol. Uma nova garota que passou a realmente enxergar o mundo e as pessoas.

Vai ter passeio de garotas, festas animadas, momentos em família aconchegantes e até um romance de cinema. Eu curti muito e fiquei encantada com a energia positiva deste conto. Ah! E quando terminei a leitura, estava morrendo de vontade de comer brownies. Vocês não fazem ideia.

Em suma, O Verão Em Que Tudo Mudou é um livro animado, pra cima e que nos faz ter vontade de dar uma transformada em algo, seja uma repaginada no visual, uma mudança de atitude ou mesmo uma mudança total na vida. É um livro que te faz sentir vontade de se colocar em movimento e curtir muito. Gostei bastante.

Nota: Eu não costumo comentar sobre edições, mas esta aqui merece destaque. É toda colorida, com ilustrações que combinam com as histórias e destaques para quotes. É uma edição alegre.



2leep.com

11 comentários:

  1. Oi Cida,
    Gosto de tramas que se passem no verão e no caso desse livro os contos parecem trazer boas mensagens. Dica anotada!!

    *bye*
    Marla Almeida
    http://loucaporromances.blogspot.com.br/



    ResponderExcluir
  2. Oi Cida.
    Eu não sou muito de ler contos, mas gostei da vibe desses e vou anotar a dica, para futuramente dar uma chance.
    Beijos.
    www.docesletras.com.br

    ResponderExcluir
  3. tem um bom astral, eu curti a proposta Cida, creio que leria sim

    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Oie Cida =)

    Apesar de não gostar muito de contos, são tantas resenhas positivas desse livro que ando lendo que estou começando a ficar tentada em dar uma chance para ele.

    Beijos;***
    Ane Reis | Blog My Dear Library.

    ResponderExcluir
  5. Oi Cida, mais um livro da Faro na minha lista! Eu adoro histórias de verão e gostei da premissa dos contos. E a capa é linda!

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  6. Oi Cida!
    Que legal esse livro de contos. Pela sua resenha acho que eu também ia gostar mais da história do Fred.

    Beijos,
    Sora | Meu Jardim de Livros

    ResponderExcluir
  7. Oi, Cida!
    Eu acho a capa desse livro linda! E acontece mesmo em livros assim algum conto não nos cativar.
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir
  8. Oiii Cida

    Não sou muito de livros de contos, as histórias dificilmente me prendem porque sou aquela leitora mais lenta, que gosta de vários capitulos pra adentrar mesmo na história. A capa é linda e fico feliz em saber que a leitura é legal, mas dessa vez deixarei a dica passar porque sinto que esse não é pra mim.

    Beijos

    aliceandthebooks.blogspot.com

    ResponderExcluir
  9. Olá, Cida.
    Eu já peguei o livro na mão e achei a edição incrível. Não sei se eu leria por ser um livro de contos e estar em uma faixa etária que não me atrai tanto. Mas acho legal os contos se complementarem.

    Prefácio

    ResponderExcluir
  10. Oi Cida,
    Parace ser uma coletânea adorável. Adoro contos e histórias de verão.

    tenha um ótimo final de semana
    Nana - Canto Cultzíneo

    ResponderExcluir

Obrigada por seu comentário.

Sua participação é muito importante.

Um grande beijo!