[Resenha] A Última Camélia

A Última Camélia
Título Original: The Last Camellia
Autor(a): Sarah Jio 
Editora: Novo Conceito        Páginas: 304
Lançamento: 2017               ISBN: 9788581638355
||Compre||     ||Skoob||  ||Goodreads|| 
Às vésperas da Segunda Guerra Mundial, o último espécime de uma camélia rara, a Middlebury Pink, esconde mentiras e segredos em uma afastada propriedade rural inglesa. Flora, uma jovem americana, é contratada por um misterioso homem para se infiltrar na Mansão Livingston e conseguir a flor cobiçada. Sua busca é iluminada por um amor e ameaçada pela descoberta de uma série de crimes. Mais de meio século depois, a paisagista Addison passa a morar na mansão, agora de propriedade da família do marido dela. A paixão por mistérios é alimentada por um jardim de encantadoras camélias e um velho livro. No entanto, as páginas desse livro insinuam atos obscuros, engenhosamente escondidos. Se o perigo com o qual uma vez Flora fora confrontada continua vivo, será que Addison vai compartilhar do mesmo destino?
A Última Camélia é o segundo livro que leio de Sarah Jio e mais uma vez a autora soube compor uma história com a dose certa de romance, drama e mistério.

Nesta obra tudo se inicia com a descoberta de uma rara camélia – a Middlebury Pink –, em meados de 1803. A flor torna-se objeto de cobiça e admiração em igual medida ao longo de décadas e enquanto muitos buscam sua posse, desenvolvem -se ao redor da flor dramas da vida real.

A trama se alterna entre passado e presente. Em 2000 temos a paisagista Addison que acredita estar no melhor momento de sua vida ao lado do marido Rex, até que um homem de seu passado aparece a chantageando e ameaçando. Ela na verdade é Amanda e nunca contou ao marido sua verdadeira identidade e nem o que aconteceu quando adolescente. Disposta a enterrar estes fantasmas e fugir do chantagista, convence Rex a ir passar uma temporada na antiga mansão que os pais dele compraram na Inglaterra e lá o casal se depara com o mistério que assombra a Mansão Livingston, lar da Middlebury Pink.

Em meados de 1940 temos a jovem Flora, que cuida da padaria ao lado dos pais em Nova Iorque, mas as dívidas elevadas levam a moça a aceitar um emprego na Inglaterra. Ela viaja acreditando que vai fazer algo honesto e se vê envolvida com um vigarista que quer roubar a Middlebury Pink. Ele a obriga a se passar por babá na Mansão Livingston e encontrar a flor para ele. Só que Flora acaba se apegando a família e se vendo dentro de uma drama onde há traição e garotas desaparecidas.

Num primeiro momento estas duas mulheres têm  em comum o tempo que vão passar na Mansão Livingston, mas logo suas vidas vão se entrelaçar de maneira ímpar e mesmo a diferença das épocas não irá importar para que ambas desvendem o enigma presente naquele local e também se apaixonem pela última camélia.

Eu adoro histórias que se alternam entre passado e presente, é bom demais esperar pela conexão das épocas e das vidas dos personagens que estão vivendo em cada uma delas. Sempre há um mistério presente e este é outro fator que me atrai prontamente. E se você tiver a ambientação em uma antiga mansão inglesa, um drama de tocar o coração e um grupo de crianças adoráveis que precisa de amor, então me ganhou de vez.

Na trama criada por Jio estão presentes todos estes elementos e mais alguns outros. E ela conecta os acontecimentos que os marcam com maestria e naturalidade. Parece muita coisa para abordar, mas não fiquem preocupados com isso, pois a autora encaixa cada peça no seu devido lugar e nos apresenta uma história comovente e muito bonita.

Não vou entrar em detalhes sobre todo o mistério que cerca os Mansão Livingston, garanto que o melhor é ir lendo e descobrindo os segredos desta família complicada. Eu amei seguir cada passo da jornada de Flora como babá das crianças e todas os acontecimentos que fizeram parte de sua curta estadia com eles. O passado foi minha época preferida, não apenas pelo carisma dos personagens, mais por ser mesmo a parte mais profunda da história.

O presente com Addison é interessante também, até porque serve para esclarecer fatos do passado que somente anos depois poderiam vir à tona. É um complemento necessário para o desfecho de Flora e dos Livingston, ainda que Addison tenha sua própria jornada para ser definida.

Este é aquele livro que daria um ótimo filme familiar, daqueles antigos da Sessão da Tarde. Lembrei um pouco de a Noviça Rebelde, não pelo lado romântico, mas pela forma como Flora agiu como babá. No entanto, A Última Camélia não traz uma história muito alegre, mas sim uma marcada por muita tristeza e perdas.

Eu curti demais esta leitura e apenas gostaria que o final tivesse sido mais generoso com Flora, não que ela tenha sido deixada em segundo plano, mas por sua importância na história acho que merecia um epílogo tão detalhado como o de Addison.

E nossa flor rara marcou momentos importantes da vida de todos os personagens e com certeza serviu-lhes para lembrar que apesar de tudo, por mais difícil que a vida possa ser, ainda há beleza no mundo. Recomendo!  




2leep.com

7 comentários:

  1. Oie Cida =)

    Tenho dois livros da Sarah Jio aqui e ainda não li nenhum (shame). Sempre leio ótimas resenhas dos livros da autora, mas acabo deixando ela para outra oportunidade que claro nunca chega rs...

    A Última Camélia parece possuir uma história muito bonita que eu espero uma hora conferir.

    Ótima resenha!

    Beijos;***
    Ane Reis | Blog My Dear Library.

    ResponderExcluir
  2. Oi, Cida!
    Nossa, e eu jurando que a história era toda alegrinha. No momento, estou evitando de ler histórias tristes, mas fico feliz que tenha curtido a leitura.
    Beijos
    Balaio de Babados
    Sorteio Três Anos de A Colecionadora de Histórias

    ResponderExcluir
  3. Cida, eu comprei esse livro, por isso dei só uma zapeada na resenha, mas os livros da Sarah sempre são bons, com histórias emocionantes
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Adorei!!
    Preciso ler logo essa autora, todos falam tão bem... e essa sua resenha me deixou com ainda mais vontade. Adoro esse clima sessão da tarde com drama carregado, rsrs.


    Bjks

    ResponderExcluir
  5. Boa tarde,
    Como vai?
    Eu nunca li nada da autora mas me recomendaram pela boa trama que ela faz.

    Gostei muito da resenha, adoro histórias com mistura de passado e presente *-*

    Beijos e tenha uma excelente semana
    www.rimasdopreto.com

    ResponderExcluir
  6. Olá, tudo bem? Obrigada pela dica, com certeza vou ler a obra, parece ser boa... Adorei a resenha!

    Beijos,
    Duas Livreiras / Sorteio de 11 kits

    ResponderExcluir
  7. Oi Cida.
    Os livros desta autora costumam conter muito drama, e serem de fortes emoções. Ainda não li este, apesar de já estar aqui em casa há um bom tempo.
    Bjus
    www.docesletras.com.br

    ResponderExcluir

Obrigada por seu comentário.

Sua participação é muito importante.

Um grande beijo!