[Resenha] Quando Tudo Faz Sentido

Quando Tudo Faz Sentido
Título Original: Falling into Place
Autor(a): Amy Zhang   
Editora: Rocco Jovens Leitores            Páginas: 320
Lançamento: 2017                               ISBN:978-8579803420
 ||Compre||     ||Skoob||  ||Goodreads||
Liz Emmerson é uma garota popular no colégio e tem uma vida aparentemente invejável. Por que ela tentaria tirar a própria vida, simulando um acidente de carro depois de assistir a uma aula sobre as Leis de Newton? Neste surpreendente romance de estreia, Amy Zhang, que nasceu na China e mora no estado de Nova York, aborda temas como abandono, bullying, depressão e suicídio com uma narrativa crua e pungente que vai arrebatar os fãs de obras como As vantagens de ser invisível, Nuvens de Ketchup e Meu coração e outros buracos negros, entre outros. Na trama, Liz é resgatada por Liam, um garoto que ela sempre desprezou, mas talvez uma das poucas pessoas ao seu redor capaz de enxergá-la além das aparências. Envolvente e emocionante, o livro – que prende também pelo mistério se a protagonista vai ou não sobreviver (e que só é revelado no final) – mostra a fragilidade, a solidão e os dilemas dos jovens de forma sensível e sincera.
Em Quando Tudo Faz Sentido a autora Amy Zhang traz a história de uma jovem que cansada da solidão e do silêncio resolve por fim em sua vida. O acidente de Liz Emmerson não é o fim da história e sim o começo. Do momento que ela é resgata até a última página, enquanto os médicos tentam salvar sua vida –, vamos de fato saber o que a levou a tentativa de suicídio e se Liz sobreviverá no final.

Desde a primeira página fui capturada pela narrativa fluida e carregada de emoções de Zhang. Seguir cada passo da jornada de Liz foi algo que muito mexeu comigo e tocou meu coração. Liz era uma menina triste, solitária e carente. Teve uma infância cheia de amor, mas desde a morte do pai a mãe simplesmente esqueceu da existência da filha e a deixou cercada de conforto material e sem nenhum amor.

A mãe de Liz fugiu da dor e do sofrimento causados pelo luto e somente quando percebe que poderá também perder a filha é que se dá conta do quanto foi negligente. Ela olha para a jovem na cama do hospital, cheias de tubos e monitorada por uma centena de aparelhos e recorda da menina cheia de vida. Não entende como ela chegou ali.

Como ela chegou ali? Bem, se virar para sobreviver não foi fácil e, infelizmente, Liz escolheu seguir pelo pior caminho. Na escola foi má com os mais fracos, mesmo sabendo que era errado. Teve duas grandes amigas, mas não foi amiga também e carregava consigo a culpa de tê-las ajudado a se destruir. Não teve uma grande romance, escolheu sexo. E, no mais, o álcool e as drogas que justificavam sempre viver no limite e se arruinar. Uma vida triste e vazia.

O acidente é o catalisador que liberta emoções, não apenas as da protagonista, mas de todos aqueles que a cercavam. Liz é a personagem central, mas seu acidente leva os outros a encarar a si mesmos e seus fantasmas, o que faz que esta seja também a história deles. Temos então a mãe de Liz, as duas amigas dela e até um garoto que sempre a amou em segredo sendo dissecados e retratando a vida como ela é, dando um caráter muito realista para a trama.

É um drama que centra em problemas que inundam a adolescência de muitos jovens, na forma como se perdem de si mesmos e precisam desesperadamente de apoio e atenção. As escolhas erradas podem até ser culpa deles mesmos, mas será que não poderiam ter sido evitadas com melhor orientação e um tantinho de amor dos pais? Não estou justificando todas as coisas erradas que Liz e companhia fizeram a si e aos outros, mas nesta história a autora se preocupa em mostrar dois lados de uma moeda e nos fazer entender as pessoas e suas falhas.

É tocante, envolvente e de uma fragilidade e delicadeza sem igual. Eu gostei demais, senti como se estivesse ao lado de cada personagem e digo que torci muito não apenas para Liz sobreviver ao acidente, mas para que cada um dos que me foram apresentados também sobrevivessem ao que os afligia. Ao luto, ao bullying, aos corações partidos, a rejeição, ao aborto, as drogas, ao álcool, as expectativas não atendidas e muito mais… Você se vê torcendo pela oportunidade de recuperar o tempo perdido e conquistar segundas chances.

A narrativa é fluida, inteligente, diferente e viaja entre presente e passado para deixar claro o que culminou no acidente. Há a presença de um narrador(a) misterioso, que você não tem certeza de quem seja. Ele (a) tem uma visão bem pessoal e próxima dos fatos e nos deixa curiosos sobre sua identidade. Achei uma artificio esperto e motivador.

A angustia pela salvação de Liz é sufocante e apenas na última página a autora revela o destino da personagem, que independente de qual seja, me emocionou bastante.

Li este livro sem saber muito o que esperar e me surpreendi com a forma que a história foi profunda, honesta e verdadeira. Simplesmente bela! Recomendo. 




2leep.com

14 comentários:

  1. Oi, Cida!
    Não li mas o livro me deu vibes de Se Eu Ficar.
    Pela sua resenha, percebe-se que a história é bem angustiante e tocante. E fiquei feliz em saber que essa alternância entre passado e presente não atrapalha a leitura. Geralmente eu tenho problemas com narrações assim; fico meio (pra não dizer totalmente) perdida.
    Beijos
    Balaio de Babados
    Sorteio Dois Anos de Família Hallinson

    ResponderExcluir
  2. Caramba!! Eu não conhecia e já estou apaixonada. Adoro esse tipo de drama e é claro que quero ler.
    Vai pra super lista com estrelinha dourada do lado.

    Bjks

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acredita que lembre de você quando li. Acho que você vai gostar. Bjos!!!

      Excluir
  3. Fiquei curiosa! Gosto desse estilo de livro que nos mostra algo além da superfície e vai mostrando o que há por trás das atitudes dos personagens, embora não aprecie suspense, nesses casos até calha bem.

    #DoQueEuLeio

    ResponderExcluir
  4. Oi Cida,
    Gostei de saber que a autora dar espaço a outros personagens, para assim dar um melhor desenvolvimento a trama. Quero ler. Ótima resenha!!!

    *bye*
    Marla
    http://loucaporromances.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Oi Cida, só pelo enredo eu já fiquei interessada e saber que a narrativa é fluida, o interessa aumenta ainda mais. Parece ser bem bonito <3

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  6. Nossa, não fazia ideia da carga emocional que esse livro possuía. O tipo de livro que nos faz refletir e pensar em quantos jovens existem perdidos por aí. Jovens sem instruções, sem amor, sem quem os guie, e que se perdem através das más companhias, tentando se encontrar, tentando fazer parte de algo. Achei bem pesado ela tentar se suicidar para libertar toda a frustração, mas algumas realidades devem mesmo ser impactantes para nos abrir os olhos. Ótima resenha!

    xx Carol
    http://caverna-literaria.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  7. ainda não conhecia o livro, mas quero pra ontem! que trama envolvente
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. É sempre bom passar por estes espaços e ver algo de bom pra ler, pelo menos pra ficar na fila, rs...

    Bjssss

    https://palavrandoels.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Olá, olá! =)
    Tudo bem?
    Primeiro adorei a capa do livro, depois preciso dizer que essas temáticas (abandono, bullying) me tocam, interessam e me emocionam muito.
    Quero ler esse livro e eu não conhecia ele. Valeu a dica.

    Bjinhos.
    Di, Blog Vida & Letras
    www.blogvidaeletras.blogspot.com

    PS: Primeira vez aqui, estou segundo <3

    ResponderExcluir
  10. Oie, tudo bem?

    Nossa, que resenha maravilhosa! Eu não conhecia o livro, mas agora fiquei muito afim mesmo de conhecer! Confesso que o gênero não é um dos meus preferidos, mas ainda assim, o enredo desse em especial chamou muito a minha atenção!
    Vou adicionar a minha listinha de leitura com certeza!

    Beijos,
    Ana | Blog Entre Páginas
    www.entrepaginas.com.br

    ResponderExcluir
  11. Oie Cida =)

    Preciso ficar de olhos nos lançamentos da Rocco com mais frequência rs...
    Não conhecia o livro, mas gostei bastante da premissa dele. Gosto de narrativas com essa carga emocional mais forte e quando ela é bem desenvolvida é a receita certa de emoções e lágrimas.

    Adorei a resenha!

    Beijos;***
    Ane Reis | Blog My Dear Library.

    ResponderExcluir
  12. Oi, Cida!

    Faz muito tempo que não leio algo com este tema e parece que a autora soube abordá-lo muito bem. Adoro leituras que nos fazem refletir e nos mostram algo que acontece diariamente com tantos jovens.
    Adorei sua resenha! O livro já está na minha lista de leitura.

    Beijocas.
    http://artesaliteraria.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  13. Oi Cida.
    Eu não conhecia o livro, mas pelo que li da sua resenha senti uma certa semelhança com Se eu Ficar, estou certa? Achei muito interessante a autora abordar tantos temas importantes e atuais usando um acidente e a possível morte da vítima como uma motivação. Gostei da premissa. Eu não curto muito esta ida e volta ao passado, costumo em desanimar, mas é bom saber que neste livro a autora soube usar bem este recurso.
    Bjus
    www.docesletras.com.br

    ResponderExcluir

Obrigada por seu comentário.

Sua participação é muito importante.

Um grande beijo!