[Resenha] Mil Beijos de Garoto

Mil Beijos de Garoto 
Título Original: A Thousand Boy Kisses
Autor(a): Tillie Cole 
Editora: Planeta (Outro Planeta)      Páginas: 400                           
Lançamento: 2017                           ISBN: 9788542209822
 ||Compre||     ||Skoob||  ||Goodreads||
Um beijo dura um instante. Mas mil beijos podem durar uma vida inteira. Um garoto. Uma garota. Um vínculo que é definido num momento e se prolonga por uma década. Um vínculo que nem o tempo nem a distância podem romper. Um vínculo que vai durar para sempre. Ao menos era o que eles imaginavam. Quando, aos dezessete anos, Rune Kristiansen retorna da Noruega para o lugar onde passou a infância – a cidade americana de Blossom Grove, na Geórgia –, ele só tem uma coisa em mente: reencontrar Poppy Litchfield, a garota que era sua cara-metade e que tinha prometido esperar fielmente por seu retorno. E ele quer descobrir por que, nos dois anos em que esteve fora, ela o deletou de sua vida sem dar nenhuma explicação.
Mil Beijos de Garoto é o livro de estreia da autora Tillie Cole e tem sido bem elogiado o redor do mundo. Eu estava curiosa para conferir a história e posso dizer que além de ser bem diferente do que imaginei, despertou em mim uma série de sentimentos conflitantes.

Rune e Poppy conheceram-se ainda crianças quando ele foi morar com os pais nos EUA. O garoto chegou na nova vizinhança totalmente revoltado e se negando até mesmo falar inglês. Ele continuava agindo como se estivesse na Noruega ainda e só quando aquela garota pulou a janela da casa ao lado e parou na sua frente com um olhar atrevido e curioso e fez questão de se apresentar, foi que Rune acreditou que ali poderia ser, sim, um lar.

Os anos passaram e os dois foram além da amizade, tornaram inseparáveis e prometeram um ao outro um amor para sempre e sempre, até o infinito. Juntos estavam dispostos a cumprir a promessa que Poppy havia feito para a avó quando esta morreu, encher um pote com mil beijos de garoto. Não qualquer beijo, só os especiais, aqueles de fazer o coração explodir.

A missão pote de beijos estava indo bem, mas a família de Rune precisou voltar para a Noruega e após alguns meses de namoro a distância, Poppy sumiu e partiu o coração do rapaz. A escuridão que um dia ela tirou dele desta vez o invadiu e o deixou revoltado e amargo. Dois anos depois, de volta aos EUA, Rune não era o mesmo e ainda assim precisava saber a razão de Poppy ter lhe abandonado.

A princípio parece mais um romance adolescente bem meloso e realmente a relação de Rune e Poppy esbanja doçura. Eles são bem jovens, mas desde cedo viveram seu amor com uma intensidade sem igual. Eu até me espantei com isso, fiquei mesmo incrédula sobre uma experiência de vida destas. Independente disso, o fato é que o amor deles transborda das páginas. É bem evidente que ele é muito dependente dela, muito possessivo e protetor. Já Poppy o ama também, mas abre em sua vida espaço para amar outras pessoas, enquanto ele apesar de gostar dos pais, direciona sua vida e alma só à ela.

Então, até a viagem era este romance todo, mas a autora preparou algumas surpresas para o casal pelo caminho. Eu considerei duas alternativas para o sumiço de Poppy e acertei. Logo que o fato foi revelado a trama mudou de rumo e virou uma contagem regressiva para um momento inevitável e doloroso. E Rune e Poppy tiveram que lidar com imensos desafios.

Que jornada emocionante e comovente! Eu perdi as contas de quantas vezes chorei durante esta leitura e vivi emoções intensas e, como citei, conflitantes. Há temas abordados na trama que foram trazidos a baila de uma forma que vai contra o que acredito. Na verdade o certo seria dizer que as crenças abordadas não são minhas. Eu não acredito em certas coisas, sou muito cética e para evitar spoilers sobre a história – já que o gostoso é ir desvendando-a aos poucos – só digo que Poppy tem uma espiritualidade profunda inexistente em mim  e vê algo adiante que eu nunca consegui ver.  

Mas isso nem de longe me deixou descontente com a personagem. Eu adorei esta garota. Ela é gentil, doce, alegre e esbanja tanta positividade que nos passa uma sensação boa de paz e vontade de aproveitar cada segundo da vida. Poppy nos inspira a buscar a felicidade. Já Rune não me impressionou muito e fiquei bem triste com a forma que ele julgou e condenou os pais pela volta para a Noruega. Eu senti tanta pena do pai dele. Que dor no coração ver o coitado sendo desprezado pelo filho e ainda assim lhe dando só amor. E lá vem mais conflito, eu entendi a atitude de Rune, não concordei, mas entendi e sei que muitas vezes nossa dor nos torna egoístas e cruéis.

Mas calma minha gente. Ele não é má pessoa, é um adolescente frágil e meio perdido em suas emoções e Poppy sempre foi sua bússola. E quando ela precisou dele, lá estava Rune de uma maneira incrivelmente bela.

Belo é a palavra da vez, já que a história esbanja momentos de muita beleza. São sentimentos, gestos, palavras e muito mais. Eu chorei de tristeza, de alegria, pura e simplesmente por observar estes dois vivendo algo grande demais para ser posto em palavras. É algo para ser sentido. E você realmente sente a cada página, já que a autora consegue fazer com que sua história seja viva, transborde e nos envolva.

Eu fiquei angustiada demais ao acompanhar os dois, em especial ela, foi tão sufocante estar na pele de Poppy. Tentando encarar o que ela estava encarando e sinceramente fiquei péssima. Que trajetória! E aí eu volto ao começo, que parecia um romance leve e definitivamente não é.

Pode ser doce e sensível, mas é triste e pesado também. A história de amor de Poppy e Rune me atropelou e sei que vou levá-la comigo. A forma da protagonista ver a vida mexeu comigo, mesmo quando discordei.

Controverso para mim! Há aspectos que me incomodaram bastante, como citei. A forma de Rune tratar a família, sua possessividade com Poppy, a precocidade da relação deles e certas passagens meio religiosas e até mesmo o final desconcertante (que vai de encontro ao que não acho possível).
 
Por outro lado eu amei sem limites as amizades, os pais dos jovens, aquele bosque, aquelas flores de cerejeira, a musicalidade da trama, aquela caixa que Poppy deu para Rune, aquela praia, o baile de formatura, a exposição de fotos, aquela viagem para Nova Iorque, o concerto no Carnegie Hall, as diferenças de Poppy e Rune…

E agora escrevendo a resenha e, revivendo tudo novamente, estou tão comovida como quando li cada passagem citada e afirmo então que este livro é incrível. Não importa que eu tenha discordado mais do que concordado, o importante é que foi uma história que marcou minha vida de leitora. Acho muito válido um livro que nos abale, que não me permita ser indiferente ao que não me é familiar e me incomode, me faça refletir, me faça ir além do que me cerca. Não dei a nota final ainda, vou terminar de digerir. Leiam! Sei que para cada pessoa vai ser uma experiência diferente e esta foi a minha. E não, não vou revelar nada mais sobre a história, Vai ler! Vai logo.





2leep.com

14 comentários:

  1. Oi, Cida!
    Mais uma que ganhou o selinho de sobrevivência desse livro hein?
    Menina, é como eu digo: é uma história linda, mas dolorosa. Eu no lugar da Poppy não sei se encararia a vida do jeito que ela encarou.
    Amei sua resenha! Estava bastante ansiosa pela sua opinião.
    Beijos
    Balaio de Babados
    Sorteio Dois Anos de Família Hallinson

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Lu! Eu não teria aquela serenidade, ficaria bem descontrolada.

      Excluir
  2. Eita, eu tinha curiosidade mas nunca tinha lido uma resenha desse livro que me fizesse qrer correr p conseguir ele!
    Muito boa sua resenha, parabéns!!

    Bjooos
    muitospedacinhosdemim.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  3. Nossa! Eu super achei que fosse bem bobinho. Não esperava nada disso.
    Amei e super vai pra lista de desados ♥

    Bjks

    ResponderExcluir
  4. Maravilhosa sua resenha! Aliás, só tenho lido resenhas assim sobre esse livro né, todo mundo chorando, aiai! hahaha Já está na minha listinha *-*
    Eu tbm acho muito importante valorizar qnd o livro te abala de forma diferente como leitora, apesar de discordar de algumas passagens ;)
    Bjs
    http://acolecionadoradehistorias.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. Oi Cida, como vai?
    Eu já ouvi falar muito neste livro. O quanto ele é forte, intenso e como destroça com nossas emoções. Eu recebi pela parceria com a Planeta, mais ainda não li. aliás, peguei para ler, mas como não estava num bom dia para a leitura, a coisa não fluiu. Resolvi largar e ler outras coisas, para depois retornar a ele. Lendo sua resenha já vi que preciso voltar a ler o mais rápido possível.
    Bjus
    www.docesletras.com.br

    ResponderExcluir
  6. Oi Cida! Que resenha linda, fiquei emocionada aqui só de ler seu texto. Eu li muitas críticas positivas em relação a essa obra, mas por ser algo muito pesado eu vou deixar para ler em outro momento, mas quero conferir e embarcar nesse drama ,3

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  7. Oi Cida,
    Estou até agora apaixonada e comovida por essa história.
    Um dos livros mais lindos que já li. <3
    AMEI, AMEI, AMEI!
    Beijos
    http://estante-da-ale.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Oioi bonita!

    Fico me perguntando como se pronuncia Poppy no Brasil sem parecer engraçado haha! Esse livro está na lista!

    Como uma fã de carteirinha dos romances da CoHo, estou atrás de outras autoras que me faça chorar hehe Adorei a resenha!

    Beijão
    www.cretinaliteraria.com

    ResponderExcluir
  9. oi Cida, eu também fui lendo a resenha e torcendo o nariz para alguns pontos que você destacou como não tão bons, principalmente a forma prematura e intensa que a trama romântica se desenvolveu
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Oi Cida!
    Um livro que traz tantos sentimentos conflitantes como esse me chama a atenção. Fiquei com vontade de ler.

    Beijos,
    Sora | Meu Jardim de Livros

    ResponderExcluir
  11. Oi Cida, tudo bem?
    Todas as resenhas que li desse livro são positivas.
    Porém, tenho medo desse final. Não aguento mais livros em que o personagem morre no final. Você pode deixar um comentário lá no blog me contando se é isso que acontece? :/
    Beijos,

    Priih
    Infinitas Vidas

    ResponderExcluir
  12. Oi Cida,

    Ai preciso ler esse livro, amei a resenha e fiquei com mais vontade ainda de ler ^_^


    Beijos :**

    Literatura Por Amor
    Top Comentarista

    ResponderExcluir

Obrigada por seu comentário.

Sua participação é muito importante.

Um grande beijo!