[Resenha] O Par Perfeito

O Par Perfeito
Título Original: The Perfect Hope (Inn BoonsBoro Trilogy #3)
Autor(a): Nora Roberts
Editora: Arqueiro                 Páginas: 320
Lançamento: 2016               ISBN: 9788580415254 
 ||Compre||     ||Skoob||  ||Goodreads||

Mesmo sendo conhecido como o mais durão dos irmãos, Ryder Montgomery deixa as mulheres aos seus pés quando coloca seu cinto de ferramentas. Nenhuma delas é imune a seu jeito sexy quando está no trabalho. Sem contar, é claro, Hope Beaumont, a gerente da Pousada BoonsBoro. Ex-funcionária de um luxuoso hotel em Washington, Hope está acostumada à agitação e ao glamour, porém isso não significa que ela não aprecie os prazeres da cidade pequena. Sua vida está exatamente como ela deseja – exceto pela questão amorosa. Sua única interação com alguém do sexo oposto são as frequentes discussões com Ryder, que sempre lhe dá nos nervos. Ainda assim, qualquer um vê que há uma química inegável entre os dois. Enquanto o dia a dia na pousada transcorre sem problemas graças aos instintos infalíveis de Hope, algumas pessoas de seu passado estão prestes a lhe fazer uma indesejável – e humilhante – visita. Mas, em vez de se afastar ao descobrir que Hope tem seus defeitos, Ryder só fica mais interessado por ela. Será que pessoas tão diferentes podem formar um par perfeito? No livro que encerra a trilogia A Pousada, Nora Roberts apresenta Ryder Montgomery, que, ao tentar driblar o amor refugiando-se no trabalho, acabou sendo surpreendido pelo sentimento mais nobre e profundo que já teve.
Chega ao final a Trilogia A Pousada, de Nora Roberts, publicada no Brasil pela Editora Arqueiro

Nesta série fomos apresentados aos irmãos Montgomery: Beckett (Um Novo Amanhã), Owen ( O Eterno Namorado) e Ryder (O Par Perfeito). Eles moram na pequena cidade de BoonsBoro e são empreiteiros, tendo como projeto mais ousado a restauração de um antigo prédio para transformá-lo numa pousada romântica e especial. Nesta jornada acabam tendo suas vidas entrelaçadas com um trio de amigas – Clare, Avery e Hope – e assim temos os casais de cada livro.

Desde o começo Ryder Montgomery foi o irmão que mais chamou minha atenção, embora eu adore Beckett e seu jeito super romântico e protetor.  Ryder sempre foi o mais atraente na minha opinião. Jeito de durão, gênio forte e de poucas palavras, um enigma delicioso para ser decifrado.

E Hope também se mostrou um par a altura dele desde o começo. Uma mulher forte, independente, moderna e determinada. Eu não via a hora de ver como se daria o entendimento destes dois, já que desde o primeiro encontro sempre brigaram e soltaram faíscas.

Há ainda nesta história um fantasma que vive na pousada, é uma moça que morreu ali esperando pelo amor de sua vida e até hoje vaga pelo local na esperança de um reecontro e os Montgomery e amigos se empenham em ajudar na união do casal. Romance pra todo lado na trilogia de Nora.

Eu gostei demais desta série deste o primeiro livro por conta da ternura das relações, do clima da cidade, da construção da Pousada BoonsBoro e todo o contexto criado por Nora para a trilogia. Eu gosto das obras da autora por não serem focadas apenas no casal e sim por ter espaço para  todo o núcleo de personagens, de forma que a história começada lá no primeiro livro se estenda até o final e permita que o leitor acompanhe uma longa jornada da vida de cada pessoa. Há um equilíbrio perfeito de romance atual com os anteriores e foi excelente torcer por Ryder e Hope enquanto comemorava as conquistas dos outros irmãos.

O desenvolvimento do núcleo é tão bom que mesmo eu não gostando tanto assim do casal de O Eterno Namorado, eu ainda assim curti a história, pois temos muito mais que o par. Mas voltando ao casal atual, exceto pelo pontapé inicial para que se aproximassem definitivamente, no mais eu shippei esta relação ao máximo.

O pontapé citado é a intervenção da moça fantasma, eu acho que este aspecto poderia não fazer parte da trilogia. Nora poderia ter criado muitas situações para aproximar os casais (no melhor estilo Quarteto de Noivas), sem precisar do sobrenatural. Na minha opinião seria algo dispensável, mas isso é comigo e talvez você aprecie este elemento peculiar. No mais o relacionamento do casal é super crível e realista, adorei a maturidade de ambos e a forma como conduziram seu romance.

Não foi aquele arroubo de paixão e amor eterno declarado em instantes, tudo começou com uma atração forte (sempre mascarada por aquelas brigas) , que evoluiu para laços sólidos de amizade, respeito e admiração. Ryder surpreendeu demais ao mostrar que por trás daquele jeito sério, existia um homem compreensivo, atencioso e até mais romântico do que Beckett. Cada gesto do protagonista derreteu meu coração. E Hope pode até deixar você irritado com a relutância em aceitar o que sente por ele, mas eu entendi cada uma de suas negações, pois sei como é ter um desilusão e temer acreditar ou mesmo arriscar –se em um novo relacionamento.

Foi uma leitura fluida e extremamente prazerosa. Nora fechou bem sua trilogia, mantendo o mesmo clima aconchegante de família e amigos que encontramos desde o primeiro volume. O desfecho foi para todos os personagens, não apenas para Ryder e Hope, e sei que vou sentir saudades de  BoonsBoro. Eu adoraria ver um seriado de TV baseado em A Pousada, seria uma delícia de acompanhar. Recomendo sem dúvidas. Faça as malas e passe uma temporada nesta adorável cidade. 

Confira


  

2leep.com

12 comentários:

  1. Oi! A trilogia parece ser linda e não sabia desse toque sobrenatural. Bjos ❤

    Click Literário

    ResponderExcluir
  2. eu ainda não li essa série, mas estou curiosa, gostei da proposta base da trilogia e um romance Nora Roberts é sempre bom!
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Oi, Cida!
    Eu ainda vou conferir essa trilogia.
    Amo quando os casais vão se apaixonando aos poucos e, acima de tudo, se tornam amigos. E é esse detalhe que eu adoro nos livros da Nora.
    Beijos
    Balaio de Babados
    Participe do #Sorteio1KSeguidores

    ResponderExcluir
  4. Gostei da dica, mas vai ficar pra outro dia... no momento não estou nessa vibe.
    Mas Nora é sempre Nora... ou seja, sempre uma boa pedida!

    Bjks

    ResponderExcluir
  5. Oi Cida, tudo bem?
    Eu estou com a trilogia na lista desde o lançamento, mas ainda não deu pra adquirir. Lendo sua resenha, fiquei ainda mais a fim de ler! Adorei sua resenha.
    Bjus
    www.docesletras.com.br

    ResponderExcluir
  6. Oi Cida,

    Conheço a trilogia da Nora, mas nunca li.
    Fico feliz que tenha gostado tanto.

    Bjs
    http://diarioelivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Nunca li nada da Nora, até porque não é bem meu estilo de leitura, mas gostei da sua resenha, com detalhes bem curiosos sobre a história :)

    www.vivendosentimentos.com.br

    ResponderExcluir
  8. Olá, tudo bem? Essa triologia deve ser muito legal mesmo, tenho vontade de ler. Curti saber que a leitura é fluída... Adorei a resenha!

    Beijos,
    Duas Livreiras

    ResponderExcluir
  9. Oi Cida, sua linda, tudo bem?
    Eu me apaixonei por essa autora pelo mesmo motivos: ela não cria livros, ela cria famílias. E é lindo poder acompanhar a interação desses personagens em todos os livros. Essa trilogia parece ser muito romântica, a minha cara de apaixonada, risos... Estou louca para ler!!! Adorei sua resenha!!!
    beijinhos.
    cila.
    http://cantinhoparaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Olá, Cida.
    Essas séries de irmãos o mais interessante sempre fica para o último livro não é? hehe. Eu me interessei por essa trilogia por causa da tal fantasma, espero que não ache ela desnecessária igual a você hehe.

    Prefácio

    ResponderExcluir
  11. Como eu li o primeiro volume e não gostei, preferi nem ler os volumes seguintes. Fico feliz por terem sido leituras prazerosas pra você, e achei legal que a fantasma apareça até o último volume. Se tornou uma personagem constante e importante né haha

    xx Carol
    http://caverna-literaria.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  12. Eita Cida que resenha exemplar, amei. Li a trilogia e assim como vc amei os casais e suas histórias que se confundem com a história da cidade e além disso a mãe dos meninos é demais!!! E a parte sobrenatural prendeu minha atenção também. E as crianças e os cachorros, meu Deus uma bagunça gostosa e bem real, ao estilo família grande, tão raro atualmente.
    Adoro esses laço familiares e de amizade que existem nos livros da Nora Roberts.
    Agora quero mais e mais. Beijos e parabéns pelo lindo texto.

    P.s. Vc sabi que a Pousada Bonsbooro existe de verdade e que a Nora é sua proprietária !!?? Vi em um blog essa informação e uma foto da autora na frente, achei o máximo.

    Leituras, vida e paixões!!!

    ResponderExcluir

Obrigada por seu comentário.

Sua participação é muito importante.

Um grande beijo!