[Resenha] Caraval

Caraval
Título Original: Caraval (Caraval #1)
Autor(a): Stephanie Garber
Editora: Novo Conceito        Páginas: 352
Lançamento: 2017               ISBN:  9788581638560
||Compre||     ||Skoob||  ||Goodreads|| 
Scarlett nunca saiu da pequena ilha onde ela e sua irmã, Donatella, vivem com seu cruel e poderoso pai, o Governador Dragna. Desde criança, Scarlett sonha em conhecer o Mestre Lenda do Caraval, e por isso chegou a escrever cartas a ele, mas nunca obtivera resposta. Agora, já crescida e temerosa do pai, ela está de casamento marcado com um misterioso conde, e certamente não terá mais a chance de encontrar Lenda e sua trupe, mas isso não a impede de escrever uma carta de despedida a ele. Dessa vez o convite para participar do Caraval finalmente chega à Scarlett. No entanto, aceitá-los está fora de cogitação, Scarlett não pretende desobedecer ao pai. Sendo assim, Donattela, com a ajuda de um misterioso marinheiro, sequestra e leva Scarlett para o espetáculo. Mas, assim que chegam, Donattela desaparece, e Scarlett precisa encontrá-la o mais rápido possível. O Caraval é um jogo elaborado, que precisa de toda a astúcia dos participantes. Será que Scarlett saberá jogar? Ela tem apenas cinco dias para encontrar sua irmã e vencer esta jornada.
Caraval tem sido muito elogiado desde seu lançamento no exterior e tendo adquirido os direitos de publicação da obra de Stephanie Garber no Brasil, a Editora Novo Conceito não apenas garantiu o lançamento já neste primeiro semestre de 2017, como também antecipou para os parceiros a leitura do livro.  E eu que estava bem curiosa sobre a história mergulhei na leitura rapidinho.

Scarlett é uma jovem que tomou para si a missão de proteger a irmã caçula Donatella. Filhas de um pai tirano e violento e de uma mãe que simplesmente desapareceu e as deixou, as meninas cresceram em meio à regras severas e nenhuma liberdade de escolha. A única distração eram as histórias da avó sobre o Caraval, um jogo que viajava pelo mundo comandado pelo Mestre Lenda. No entanto, não é um jogo comum,  é algo além da imaginação e com magia. Lenda e seus artistas proporcionam aos participantes algo inesquecível. 

Durante anos Scar escreveu para Lenda pedindo para que ele que fosse visitar a ilha que ela vivia. Queria que o Caraval fosse um presente para irmã e também para si. A garotinha virou uma mulher e prestes a casar recebeu finalmente a resposta de Lenda e os convites para o jogo. Só que o tempo havia passado e agora ela temia uma aventura que desafiasse o pai, preferia a segurança de um casamento arranjado para tirar a irmã daquele lugar. Mas Tella tinha outros planos e com a ajuda de um marinheiro travesso – Julian – conseguiu levar Scarllet para o Caraval e lá tudo mudou…

A aventura de Scar realmente começa quando ela chega na ilha onde está o Caraval  e lá nós nos aventuramos com ela por um universo encantador, perigoso e sedutor em igual medida. É importante dizer que nossa protagonista não queria ter ido, o medo era maior do que o desejo de realizar um sonho, mas chegando lá se viu obrigada  a participar do jogo, pois a irmã Tella foi sequestrada e só vencendo o Caraval é que Scar poderia encontrá-la.

Scar vai ter que contar com Julian para jogar, mas não confia no marinheiro que com certeza esconde diversos segredos. E vamos combinar que aquilo é um jogo e você não pode acreditar em nada e nem ninguém que vê ali. O Caraval não é real.

É simplesmente empolgante do começo ao fim. Eu adoro livros que sejam capazes de me transportar para dentro da história e melhor ainda quando me fazem crer num universo de fantasia original e cheio de surpresas. O Caraval é meio espetáculo circense, meio jogo.  É uma mistura dos dois ambientado numa cidade que lembra um pouco Veneza e um pouco uma Londres nebulosa, mas não é nenhuma das duas é apenas o Caraval. A narrativa de Garber ajuda e muito a visualizar o ambiente e senti-lo. Ela nos apresenta sua história de maneira diferenciada, descrevendo cada detalhe da trama com cheiros, sabores, sentimentos e cores. Isso permite que o leitor realmente viva aquela experiência e a sinta. É bem palpável e visual.

É um jogo mágico que encanta e engana. Enche os olhos e o coração e você se vê preso naquele mundo de ilusão, embriagado por tudo o que vê, desejando - a princípio –, que seja real. Junto com Scar nos questionamos até onde fantasia e realidade se distanciam e até onde se tornam uma coisa só, já que é impossível o Caraval ser apenas o jogo que afirma ser.

Há aventura, mistério, perigos, mortes, sangue, sedução, lendas, magia, o amor de irmãos e romance, embora este último seja mais um dos aspectos que vamos ter que descobrir se é verdadeiro ou falso.

Ele era todo feito de mistério e perguntas não respondidas.

Ah! Que gostoso seguir com Scar em sua tentativa de salvar a irmã, vencer o jogo, libertar-se do pai, amar e entender se o sonho de menina é sonho mesmo ou pesadelo.

Os personagens são ótimos também e crescem muito durante a história. Scar é ingênua, boa e aquela garota disposta a qualquer sacrífico pela irmã, até mesmo deixar de lado seus sonhos e felicidade. Desta forma o pai usa Tella para domar Scar.

Tella é a rebelde, a menina com cara de anjo e sorriso endiabrado que é bem mais realista que a mais velha e não se conforma com viver segura e sem liberdade. Ela afirma que a vida é bem mais do que segurança e adora entrar em confusões.

Julian é um enigma, você logo percebe que não é apenas um marinheiro e de alguma forma conhece ou pelo menos sabe muito sobre Lenda.

E Lenda é o que seu nome diz… uma lenda que todos querem saber se é ou não real. E o melhor é que ele pode ser qualquer um, me vi tentando encontrá-lo em cada pessoa que surgia. Amei cada um destes personagens e me encantei por cada uma de suas características.

Ninguém via jamais via Lenda – ou quem via não sabia que era ele – mais ele tudo via durante o Caraval.

A história te leva facilmente, faz disparar o coração e conta com vários momentos de impacto. Os capítulos encerram com grandes revelações ou novos enigmas. Surpresas não faltam e o desfecho traz cenas dramáticas mescladas com outras com cara de contos de fadas. É uma duologia e pensei que terminaria com aquele cliffhanger, mas até que não.

A autora poderia ter finalizado aqui se quisesse, na minha opinião foi 99% conclusivo. Exatamente por Garber ter optado por deixar este 1% em aberto é que vamos ter continuação. Se gostei? É claro, estou quase relendo para ver se aguento até a chegada do próximo. Eu amei Caraval e recomendo sem dúvidas!

Nota: Caraval teve seus direitos adquiridos para uma adaptação cinematográfica.


2leep.com

12 comentários:

  1. Caraca! Com esses elogios aí, fica difícil resistir.
    Amou mesmo.... Quero conhecer esse jogo/espetáculo/precisoler!!!

    Bjksss

    ResponderExcluir
  2. Oi, Cida!
    Eu estava super ansiosa por sua resenha hahhahaha
    Fico bastante feliz que tenha sido conquistada pelo livro como eu fui. Imagine a minha alegria ao saber que a NC ia lançar logo por aqui? Essa foi uma das melhores fantasias que eu já li esse ano.
    E nem me fala dessa continuação, que eu já estou super ansiosa!
    Beijos
    Balaio de Babados
    Participe do #Sorteio1KSeguidores

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amei! Amei! Amei! Lu, este livro é bom demais.

      Excluir
  3. a editora esta com bons lançamentos e com uma boa diversificada, particularmente caraval não me chamou a atenção conforme eu esperava
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Olá Cida!
    Gostei muito de Caraval e sua leitura superou minhas expectativas. Vejo que gostou também e como detalha em sua resenha é jogo mágico que encanta e que engana e você se vê preso nele do início ao fim.
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  5. Oi Cida!
    Eu acho que cheguei a falar desse livro no blog quando ele foi lançado nos EUA. Fiquei feliz em ver a NC publicando ele por aqui, parece ser muito bom.

    Beijos,
    Sora | Meu Jardim de Livros

    ResponderExcluir
  6. Oi Cida, sua linda, tudo bem?
    Eu estou mega curiosa para descobrir o que aconteceu com a irmã dela e para saber quem é esse marinheiro. E sinceramente, não confio nesse jogo, acho que no fim há um grande perigo por trás dele. Que magia é essa que os faz confundir a realidade? Quem está pro trás disso tudo??? Estou louca para ler e ter meu coração disparado como o seu. Adorei a resenha!!!
    beijinhos.
    cila.
    http://cantinhoparaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Ooi realmente li muitos elogios sobre o livro, também gostei da resenha! Vou tentar adiantar as leituras para ler ele também !
    beijinhos boa semana adorei o blog
    bellapagina.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  8. Oi, Cida

    Espero que a NC faça um bom trabalho com o livro e que publique a sequência rápido... ela anda vacilando nesse quesito.
    Estou muito curiosa a respeito desse livro, de verdade. E olha que eu nem curto fantasia! Achei um pouco meio Jogos Vorazes no quesito da irmã e do jogo, mas mesmo assim consigo enxergar originalidade. Provavelmente vou dar uma chance! \õ/

    Beijo
    - Tami
    Blog Meu Epílogo | Instagram | Facebook

    ResponderExcluir
  9. Oi Cida!! Eu que estou bem afastada de livros do gênero tb gostei. Achei que a autora faz descrições ótimas e os personagens tb são bons! Agora é esperar pelo segundo volume!

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante
    Sorteio A guerra que salvou a minha vida

    ResponderExcluir
  10. Oi Ci,
    Tenho ouvido falar muito bem desse livro, mas ainda não li, Já está na minha listinha
    Blog Entrelinhas

    ResponderExcluir
  11. Olá! Eu vi diversos comentários negativos sobre esse livro, principalmente em relação ao desenvolvimento da trama, mas recentemente li algumas opiniões que me deixaram curiosa. Pretendo conferir essa história em breve, parece ser uma leitura envolvente. Beijos!

    http://frases-perdidas.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Obrigada por seu comentário.

Sua participação é muito importante.

Um grande beijo!