[Resenha] A Lente de Marbury

A Lente de Marbury
Título Original: The Marbury Lens (The Marbury Lens #1)
Autor(a): Andrew Smith
Editora: Gutenberg       Páginas: 288
Lançamento: 2016               ISBN: 9788582351505
 ||Compre||     ||Skoob||  ||Goodreads||

O LUGAR ERRADO NA HORA ERRADA! Um sequestro, um assassinato, um par de óculos… Aos 16 anos, tudo o que Jack mais quer é curtir as férias de verão com seu melhor amigo, Conner, e eles vão dar uma grande festa para celebrar o fim das aulas. Mas algo dá muito errado! Jack perde a linha, fica bêbado e acaba caindo nas mãos de um maníaco que o droga e o sequestra. Ele escapa por um triz, e só conta o que sofreu para Conner. O amigo tenta tranquilizá-lo, dizendo que tudo vai acabar bem. Mas será que vai? A viagem de férias para a Inglaterra parece ser a oportunidade perfeita para se livrar de seus fantasmas, mas Jack sabe que sua vida nunca mais será a mesma. Em Londres, um estranho lhe entrega um par de óculos cujas lentes lhe mostram um outro mundo. Um local chamado Marbury. Marbury está em guerra. É um lugar desolador que cheira à morte e destruição, onde os poucos sobreviventes precisam fugir se quiserem continuar vivos. Nesse mundo apocalíptico, Jack é responsável por dois garotos mais jovens, que são seus únicos companheiros, e também precisa enfrentar Conner, que o persegue e quer matá-lo. Será que Jack conseguirá escapar e lutar com seu melhor amigo? Será que tudo o que ele viu nesse unverso paralelo é real, ou seriam apenas alucinações provocadas pelas drogas que o sequestrador lhe injetou? Como agir quando loucura e realidade se confundem? Jack está perdendo o controle e sua única certeza é que sua vida está em jogo.

O meu primeiro contato com o trabalho de Andrew Smith foi com a leitura de Minha Metade Silenciosa (♥) e desde então estava querendo conferir outra obra do autor. Em 2016, a Gutenberg lançou A Lente de Marbury – primeiro volume de uma série de mesmo nome –, e finalmente tive meu meu reencontro com o autor. Em comparação ao outro, este livro não poderia ser mais insano.

Jack foi criado pelos avós e sempre evitou uma relação mais próxima com ambos. Posso dizer que a ausência dos pais deixou o garoto com receio de apegar-se demais as pessoas, somente o melhor amigo Conner consegue transpor esta redoma que cerca Jack e ser um confidente.  Nosso protagonista vive a fase de descobertas pela qual todo adolescente passa, mas seus dezesseis anos são bem mais difíceis do que o de muitos outros garotos por aí.

Os dois amigos estavam prestes a viajar para a Inglaterra quando Jack foi sequestrado por um homem. Aquele dia foi um marco, segundo ele o que o levou a tornar-se um monstro. Jack dividiu isso com Conner e o resultado não foi nada bom. Ao chegar na Inglaterra as coisas ficaram ainda mais insanas quando ele recebeu um par de óculos que o levou para outra realidade, um lugar chamado Marbury.

Eu já li vários livros que trazem histórias onde os personagens descobrem uma realidade paralela, mas nem de longe alguma delas se compara com a Marbury de Smith. É um lugar selvagem, onde a humanidade vive na mais pura degradação e sobreviver é uma guerra constante. É tanta brutalidade e selvageria que fiquei horrorizada, e não no sentido de sentir medo, mas pavor, horror puro e chocante. É bizarro, acho que não há palavra melhor para definir. O autor criou um cenário tão caótico, debilitante e sangrento que vai assustar até os mais fortes. Ele viajou nas asas da imaginação, mas por mais absurdo que seja parece tão verdadeiro, que sinceramente não dá para determinar de cara se é ou não um delírio de Jack. Que autor ousado e inteligente! 

A narrativa é na voz interior de Jack e na dele mesmo. Como assim? Pode ser Jack brigando com seu eu interior.  A impressão que dá é que temos uma pessoa de dupla personalidade (mais uma insanidade) e desta forma é praticamente impossível saber se ele é louco ou lúcido.

É uma viagem surreal e nervosa, precisei parar muitas vezes e tomar fôlego e assim seguir em frente. E não foi uma parada de minutos, para digerir eu só retomava no dia seguinte ou no outro. Sintam então o peso da trama.

Eu acho que o que mais nos consome é ver Jack agindo com alguém seduzido e drogado, pois ele não tem força para resistir as lentes e sempre que pode escapa para Marbury. Por mais terrível que seja o lugar, é lá que ele se sente seguro. As perturbações que o perseguem em nosso mundo o levam à uma fuga constante. Ele é fraco, mas também forte e esta é apenas uma das controvérsias que a trama nos reserva.

E Marbury por si só é outra, considero o local um personagem a mais, a  semelhanças de lá com o aqui e agora são ainda mais espantosas. É como se tudo fosse o mesmo, mas na verdade não é, só lendo para entender melhor esta complexidade. Desvendar cada mistério é algo único.

E mesmo no caos há algo belo. Neste caso a amizade de Jack e Conner. Os dois são companheiros para o que der e vier, especialmente Conner. Ele é tão leal, parceiro e fofo! Gente que amigo especial! Daqueles que você sente inveja de não ter na sua vida. A relação dos dois é o que alivia a trama e permite acreditar que apesar de tudo existe luz e bondade nesta vida.

Tanto Minha Metade Silenciosa como A Lente de Marbury me chocaram. Embora as histórias sejam bem distintas, em ambas temos aspectos que marcam a narrativa de Smith. Ele fala das inseguranças e medos que afligem os jovens. Não as mais simples e sim aquelas que machucam, que marcam e doem demais. Ele tira o tapete e mostra o que está lá embaixo, nunca de uma maneira vulgar ou sensacionalista. Exatamente por isso eu o admiro, pois é sensível, mesmo quando mostra um lado brutal da vida. Há um jeito todo especial que ele usa para nos apresentar isso, que sem nenhuma dúvida comove.

Eu indico, mas peço que leiam de mente aberta e sem preconceito, só assim será possível absorver, especialmente no caso deste livro. A Gutenberg está vindo com outro lançamento do autor é já estou querendo saber em  qual viagem que vou embarcar.

Não sei se o que vejo e falo em Marbury está no futuro ou se vem do passado. Talvez tudo esteja acontecendo ao mesmo tempo. O que sei é que desde que comecei a visitar aquele lugar não pude mais parar. Sei que parece loucura, mas comecei a me sentir mais seguro em Marbury; pelo menos lá as coisas eram mais previsíveis…

The Marbury Lens

*A Lente de Marbury (#1)*   *King of Marbury (#1.5)*  *Passenger (#2)*






2leep.com

13 comentários:

  1. oi flor tenho lido algumas resenhas desse livro que mostram o quanto ele é inovador e diferenciado!
    caótico e avassalador na trama, mas bem escrito nos quesitos criativos
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Oi, Cida!
    Gente, esse livro é uma viagem no ácido total, pelo que vi. Adoro livros assim.
    Eu não conhecia o autor. Li sua resenha de Minha Metade Silenciosa e fiquei encantada e super interessada pra ler.
    Anotei os dois livros nas dicas de próximas aquisições.
    Beijos
    Balaio de Babados | Participe do sorteio do livro Marianas

    ResponderExcluir
  3. Oi
    Não conhecia esse livro e fiquei muito curiosa para saber mais sobre essa história tão incrível. Tenho que confessar que a sua resenha despertou a minha curiosidade e com certeza vou ler os dois livros desse autor.
    Beijinhos
    Renata
    Escuta Essa

    ResponderExcluir
  4. Olá!
    Parece ser uma ótima leitura, gostei da premissa e não conhecia a obra.
    Só me desanima no momento, por ser série. Quero finalizar algumas antes de pegar outras.
    Beijos
    http://estante-da-ale.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Nossa Cida! Só de ler o enredo eu fiquei sem fôlego e com vontade de saber como é Marbury! E tb saber o que aconteceu com o Jack! Viu procurar saber mais do autor!

    Bjs, Michele

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  6. Oi Cida, tudo bem?
    Não conhecia a obra, mas achei tudo bem "maluco" (não no mau sentido). Parece realmente uma imersão em algo totalmente diferente. Fiquei curiosa!
    Beijos,

    Priscilla
    Infinitas Vidas

    ResponderExcluir
  7. Oooi! Tudo bem?

    Nossa, parece bem bizarro mesmo. Não leria agora porque é um livro bem pesado pelo que você falou, e estou procurando leituras mais leves, não estou no clima para coisas no estilo desse aí. Mas vou anotar o nome, com certeza depois leio. Parece bem original, e a forma como você se envolveu emocionalmente mostra que o autor soube conduzir bem a história, sem poupar o leitor.

    Beijinhos, te espero lá no http://amendoasefelpices.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Meu Deus, que complexidade! hahahaha
    Fiquei curiosa pra ver todo esse caos e brutalidade que vc mencionou. Eu já havia visto a capa no Facebook da editoa e achei bem interessante. Sua resenha é a primeira que eu leio e aumentou consideravelmente a minha vontade de ler o livro.
    Esse enredo psicodélico daria até um filme!

    Beijo
    - Tami
    http://www.meuepilogo.com

    ResponderExcluir
  9. Oi Cida, sua linda, tudo bem
    Parece ser uma loucura mesmo!!! Achei incrível a ideia da narrativa ser dividida entre ele e a voz interior dele, super original. O texto parece ser muito inteligente, e a trama muito rica. Sua resenha ficou ótima!!!
    beijinhos.
    cila.
    http://cantinhoparaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Eu já li e amei. Li a resenha e amei de novo o livro!!!

    Adorei!!

    Bjks

    Lelê

    ResponderExcluir
  11. Olá Cida, tudo bem?

    Essa é a terceira resenha que leio desse livro que já tinha desde a primeira resenha adicionada na minha lista de desejados, não li nada do autor ainda e claro com tantos elogios vou querer conferir....bjs.

    devoradordeletras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  12. Oi, Cida! Eu tinha lido a sinopse e não tinha muita certeza se queria ler o livro. Mas assim que li sua resenha, eu necessito ler. Minha curiosidade se elevou a mil depois da resenha. Espero que eu goste tanto do livro quanto você.
    Beijos, Isa

    ResponderExcluir
  13. Oi, Cida. Eu tô louca para ler este livro. Vou solicitar com certeza na primeira oportunidade.
    Nunca li nada do autor então não sei o que esperar de sua escrita em si. Acabei me interessando pelo livro pela sinopse e principalmente a capa. Espero gostar tanto quanto você;
    Beijos
    Sil - Estilhaçando Livros

    ResponderExcluir

Obrigada por seu comentário.

Sua participação é muito importante.

Um grande beijo!