[Resenha] Minha Metade Silenciosa

Minha Metade Silenciosa
Título Original: Stick
Autor(a): Andrew Smith
Editora: Gutenberg       Páginas: 304
Lançamento: 2014               ISBN: 9788582351246
 ||Compare & Compre||     ||Skoob||  ||Goodreads||
MINHA METADE
Stark McClellan tem 14 anos. Por ser muito alto e magro, tem o apelido de Palito, mas sofre bullying mesmo porque é “deformado”, já que nasceu apenas com uma orelha. Seu irmão mais velho, Bosten, o defende em qualquer situação, porém ambos não conseguem se proteger de seus pais abusivos, que os castigam violentamente quase todos os dias. Ao enfrentar as dificuldades da adolescência estando em um lar hostil e sem afeto – com o agravante de se achar uma aberração –, o garoto tem na amizade e no apoio do irmão sua referência de amor, e é com ela que ambos sobrevivem. Um dia, porém, um episódio faz azedar terrivelmente a relação entre Bosten e o pai. Para fugir de sua ira, o rapaz se vê obrigado a ir embora de casa, e desaparece no mundo. Palito precisa encontrá-lo, ou nunca se sentirá completo novamente. A busca se transforma em um ritual de passagem rumo ao amadurecimento, no qual ele conhece gente má, mas também pessoas boas. Com um texto emocionante, personagens tocantes e situações realistas, não há como não se identificar e se envolver com este poético livro.
Stark McClellan é o Palito. Ele nasceu sem uma orelha e por ser diferente, logo tornou-se vítima de piadinhas maldosas na escola. As pessoas olham para ele como medo, nojo e até mesmo pena. Seu irmão Bosten é o único que lhe defende, compra todas as brigas de Palito e Emily, sua melhor amiga, lhe incentiva a reagir, a quebrar a cara de um dos fortões da escola, segundo ela, isso seria suficiente para ninguém mais zombar dele. 

Palito e Bosten são dois meninos solitários, sua casa é apenas uma casa, não um lar, já que lar lembra aconchego, conforto, amor, é nosso porto seguro e onde eles vivem isso não existe. Seus pais os tratam com frieza, rigidez, desprezo e violência. Palito se acha feio e repulsivo, quando na verdade é um menino lindo, que merece ser feliz.

Eu ouvi bons comentários sobre o livro, mas nem de longe imaginava o quanto esta leitura poderia ser maravilhosa. A história de Palito é linda mas também é feia, é chocante e nos toca profundamente. Poderia ser mais um livro sobre um garoto esquisito que sofre bullying na escola e vai sair vitorioso no final, mas não, é uma história de sobrevivência e de um amor sem igual entre dois irmãos.

Acredito que o primeiro choque que tomei nesta leitura foi a maneira como os meninos viviam, as regras da casa muito duras, não era como viver, parecia mais um eterno castigo. Os dois encontravam conforto com amigos e na casa destes, e claro, um no outro. Tentavam passar o maior tempo possível na rua, mas não era sempre que dava, chegando lá, o cinto do pai descia em suas costas e um quarto com uma cama de ferro e um balde para necessidades os esperava para passar dias e dias trancados.

Isso aí! Os pais de Palito, ou melhor o pai, criava os filhos desta maneira repugnante, Bosten sofria mais, muito mais, acreditem, não era só por esse horror que ele passava, pois tentava suportar outras coisas para proteger Palito. O pior é que para Palito, que narra a história, isso era a maneira que todos eram criados, mas com o passar do tempo e após muita dor, ele começou a perceber que existiam coisas boas por aí e ele o irmão mereciam cada uma delas.

É uma viagem de férias para Califórnia, para a casa de Tia Dahlia, que mostra aos garotos o que é ser amado e querido, eles não conheciam a tia, até são rudes no começo, mas depois percebem que nunca mais querem deixar aquele lugar. Pela primeira vez na vida, vivem sem medo e como dois adolescentes, tornando a volta para casa um pesadelo e isso finalmente os encoraja à lutar por si mesmos.

A ligação de Palito com Emily e Bosten é linda, com momentos divertidos, inocentes e outros nem tanto, tudo muito comovente. As palavras que Palito usa para contar sua história são fortes e o texto é apresentado de maneira inteligente, em algumas partes mostrado com interrupções, de forma a você entender como Palito escutava, algo que me levou a dividir as sensações do menino, vestir sua pele. Apenas na página sessenta, eu já estava totalmente mexida, sorri algumas vezes, em outras apertei os lábios para não gritar, fiquei indignada com as injustiças que conheci aqui.

Andrew Smith conseguiu nos entristecer ao mostrar dois filhos que sabiam que os pais os consideravam seus dois maiores erros, mas ao mesmo tempo nos inspirou ao ver dois irmãos tão devotados um ao outro, já li livros com irmãos dedicados, mas nunca com um amor tão incondicional. E não é só isso, o autor mostra o lado mais perverso do ser humano, mas também que ainda existem pessoas boas, dispostas a ajudar quem precisa, nem que seja com uma carona, um pouco de dinheiro ou um abraço sincero.

A trajetória de Palito é parte de uma obra de ficção, mas poderia ser a de qualquer menino por aí, os temas abordados em Minha Metade Silenciosa são a realidade de muitos garotos e garotas, o autor mostra a violência doméstica, a descoberta da sexualidade, o preconceito, o homossexualismo, as drogas e o mais marcante, o momento que Palito entende que ninguém nasceu para ser infeliz e machucado, que todos merecemos amor e coisas boas.

É um livro que te deixa triste em muitas partes, surge uma revolta enorme no coração no decorrer da leitura, como eu queria que Palito fosse feliz, ele com apenas treze para catorze anos era bem maduro e nunca perdia tempo com lamentações, era um guerreiro e mais forte que Bosten que sempre o protegeu, meu maior desejo era proteger aquele menino e lhe dar o melhor. Quem conhecer Palito, vai querer levá-lo para casa.

As pessoas olhavam para Palito e achavam que ele era defeituoso por não ter uma orelha, mas na minha opinião, o pior defeito que existe não é visível, pois fica dentro de cada um, começando pela ausência de um coração.

Quando recebi o livro pensei que tinha defeito, pois falta uma orelha, mas agora entendo a genialidade da edição. A capa nacional é bem bonita, mostra a solidão de Palito em seu mundo metade silencioso, mas a capa internacional é bem significativa, mostrando esperança, conquista, libertação e vitória.





Desafio da Tradição - Livro Novo

2leep.com

20 comentários:

  1. Nossa!!!
    Oi Cida, desde o lançamento do livro, eu to com vontade de ler, está é a primeira resenha que leio, e me tocou profundamente, espero conseguir ler!!
    Parabéns pela resenha!

    Beijos Mila
    http://dailyofbooks.blogspot.com.br/2014/05/resenha-quem-teme-morte-geracaoeditorial.html

    ResponderExcluir
  2. Que resenha linda amiga. Adoro livros fortes e intensos que tratem de bullying e da falta de amor nas famílias. Também me tocam demais. Nunca tinha ouvido falar dele, mas agora fiquei com super vontade. Beijos, Mi

    www.recantodami.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Já comprei, por sua causa.. kkk agora falta tempo para ler :P Beijos

      Excluir
  3. Bom dia!!
    Eu já tinha ouvido falar muito deste livro, mas não sei se tenho força pra ler ele agora.
    Ainda mais que sua resenha já me emocionou, imagine quando eu ler este livro!!! Vou ter que tomar antidepressivo pra conseguir chegar no final da leitura, rs.

    É lindo sim, e muito comum sim, vejo isso quase que diariamente aqui, já cheguei até a denunciar mulheres que se dizem mães, mas que não passam de carrascos. Enfim, se eu começar a contar, vou encher sua página, rsrs.
    Quero muito ler, está na minha lista da Bienal e vou comprar. Quando eu estiver no clima lerei com certeza!!

    Bjkssssss

    Lelê - http://topensandoemler.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  4. Oi Cida

    Que resenha linda, para uma história que parece ser emocionante.
    Desde que li sobre o lançamento desse livro fique louca por ele, mas sabe quando você foge de um livro por medo de se machucar com ele?
    Pois é, esse livro com certeza vai me deixar triste em vários momentos e não sei se estou preparada para isso. Livros assim me deixam para baixo mesmo que no final, as coisas terminem diferentes.
    Quero muito ler, mas preciso estar no momento certo.

    Beijos
    Mundo de Papel

    ResponderExcluir
  5. Oi Cida, tudo bem flor?
    Lendo sua resenha me recordei do livro Corações Feridos. Eu confesso que fico aflita com leituras assim, mas mesmo mexendo tanto comigo elas me agradam. Dica mais do que anotada e espero poder conferir em breve. Mesmo tendo consciência que vou ter um misto enorme de emoções.
    Abraços,
    Amanda Almeida
    Você é o que lê

    ResponderExcluir
  6. Eu só ouço falar coisas boas deste livro! E a cada dia mais cresce minha vontade de ler. Mas tenho medo, acho que vou chorar da primeira a última , até desidratar...

    ResponderExcluir
  7. Eu só ouço falar coisas boas deste livro! E a cada dia mais cresce minha vontade de ler. Mas tenho medo, acho que vou chorar da primeira a última , até desidratar...

    ResponderExcluir
  8. Parece ser ótimo.
    Pela sinopse deu para entender porque faltou uma orelha no livro.
    Lendo assim a resenha, acho que este livro seria minha cara. Adoro livros assim. Parece ser tocante.
    Não tinha olhado com interesse para este livro, até hoje. Parabéns pela resenha.


    Blog: livrosvamosdevoralos.blogspot.com.br
    Fanpage: facebook.com/livrosvamosdevoralos

    ResponderExcluir
  9. li boas resenhas sobre esse livro, que assim como a sua me deu uma vontade de ler, entretanto assim como a Le não acho que seja o melhor momento para essa leitura
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Puxa, Cida, já havia lido uma resenha desse livro, mas a sua foi detalhada e profunda, exatamente como pede o livro.
    Quanta dor esses meninos carregam, meu Deus! E pensar que é um drama real, que muitos adolescentes vivenciam, me dói pensar!
    Adorei a premissa do livro, sei que vou sofrer, mas é o tipo de leitura que me atrai e da qual não posso fugir.
    Bela resenha!
    Beijo.

    ResponderExcluir
  11. Oi Cida,
    nossa não conhecia este livro. Gostei, mas acho que não leria no momento

    bjos

    http://blog.vanessasueroz.com.br

    ResponderExcluir
  12. A primeira impressãque tive da capa foi de esquisita, mas depois, quando li a resenha e entendi o enredo, achei muito significativa. A original também, mas preferi a nossa. Muito legal o lance de o livro não ter uma orelha. Gosto de histórias densas como essa, ainda mais quando envolvem questões familiares. Não conhecia o livro, mas já tá na lista de desejados.
    Beijinhos!
    Giulia - Prazer, me chamo Livro

    ResponderExcluir
  13. Oi Cida,
    Ainda não tinha lido nenhuma resenha sobre esse livro, mas por sua resenha deu para sentir que o autor criou uma trama capaz de emocionar e nos fazer refletir. No futuro vou tentar criar coragem e ler o livro.

    *bye*
    http://loucaporromances.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  14. Fiquei com vontade de ler o livro, porém não gostei muito da capa, mas acho que entendi o pq dela ser assim

    bjos
    Pah
    Lendo e Escrevendo

    ResponderExcluir
  15. Tão gostoso quando queremos levar um personagem para casa e cuidar dele. Deve ser uma obra muito bonita mesmo e adorei a capa, é diferente e sempre que via ficava curiosa, mas até sua resenha não imaginava o que ia encontrar! Parabéns flor!
    Participe do Niver de um ano do Blog Overdose Literária - Top Comentarista de Junho!
    Link: http://overdoselite.blogspot.com.br/2014/05/niver-de-um-ano-do-blog-overdose.html
    Beijos - Paulinha do Blog Overdose Literária!

    ResponderExcluir
  16. Nossa, que resenha!
    Que livro mais lindo! Se não fosse pela sua resenha eu nem teria dado atenção, pois achei a capa nacional horrenda e o nome nada atraente, mas depois de ler tudo e ver o título e a capa em inglês, levei o livro mais a sério. A história parece ser incrível, do tipo que faz com que a gente saia dizendo que todo mundo tem que ler o quanto antes. Fiquei muito interessada mesmo, já pra minha wish-list!

    ResponderExcluir
  17. Ola! O livro toca em assuntos mto presentes no nosso dia, e a leveza que o livro trás isso a tona é maravilhoso, ótima resenha

    Beijos Joi Cardoso
    Estante Diagonal

    ResponderExcluir
  18. Tenho uma boa impressão por este livro. E a sua resenha só confirma essa impressão.

    Estou pronta para me emocionar com o Palito :)

    Beijos.

    http://livrosleituraseafins.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  19. Oi Cida =)

    Nossa, eu adoro as suas indicações.
    Para ser sincera não tinha olhado duas vezes para este livro, e nem me interessado. E suas resenha é a primeira que leio sobre o livro e... mudei de ideia. Se tiver a oportunidade vou dar uma chance para o livro sim, e vou ler =) Obrigada pela indicação, o livro parece ser maravilhoso.

    Beijos,
    Livy
    No Mundo dos Livros

    ResponderExcluir

Obrigada por seu comentário.

Sua participação é muito importante.

Um grande beijo!