[Resenha] Neve Na Primavera

Neve Na Primavera
Título Original: Blackberry Winter
Autor(a): Sarah Jio 
Editora: Novo Conceito        Páginas: 336
Lançamento: 2015               ISBN: 9788581637211
 ||Compre||     ||Skoob||  ||Goodreads||
Seattle, 1933. Vera Ray dá um beijo no pequeno Daniel e, mesmo contrariada, sai para trabalhar. Ela odeia o turno da noite, mas o emprego de camareira no hotel garante o sustento de seu filho. Na manhã seguinte, o dia 2 de maio, uma nevasca desaba sobre a cidade. Vera se apressa para chegar em casa antes de Daniel acordar, mas encontra vazia a cama do menino. O ursinho de pelúcia está jogado na rua, esquecido sobre a neve. Na Seattle do nosso tempo, a repórter Claire Aldridge é despertada por uma tempestade de neve fora de época. O dia é 2 de maio. Designada para escrever sobre esse fenômeno, que acontece pela segunda vez em setenta anos, Claire se interessa pelo caso do desaparecimento de Daniel Ray, que permanece sem solução, e promete a si mesma chegar à verdade. Ela descobrirá, também, que está mais próxima de Vera do que imaginava.
Neve na Primavera, de Sarah Jio, lançado no Brasil pela Editora Novo Conceito é um livro que traz uma bela história sobre amor, perdas, mães e filhos.

Que livro tocante e comovente! Eu ainda não acredito que não havia lido nada desta autora, que esbanja sensibilidade e força em cada linha desta obra e nos faz sentir na pele os dramas de suas personagens.

Eu adoro histórias que se alternam entre passado e presente. É algo fascinante para mim tentar achar o elo que liga as duas épocas. E aqui é evidente que há uma forte ligação entre a história de Vera Ray, na Seattle pós Depressão de 1933 e Clare Aldridge, na Seattle moderna de 2010.

O primeiro fato que as conecta é um acontecimento raro, que pelo que sabemos aconteceu apenas duas vezes e nos anos citados acima. As duas mulheres testemunharam neve caindo na primavera, e embora para uma tenha marcado o começo do fim, eu acredito que para a outra marcou um recomeço.

Vera era uma mulher muito pobre, mas pobre mesmo, ao ponto de passar fome. Uma noite precisou deixar o filho de apenas três anos sozinho para ir trabalhar e ao voltar Daniel Ray havia sumido.

Claire é uma jornalista talentosa, mas após perder seu bebê, perdeu também a energia para viver. Mesmo amando o marido Ethan, não acredita que seu casamento vai durar muito tempo. Quando cai a neve fora de época, seu chefe lhe pede para fazer uma matéria sobre o assunto, ela deve comparar o presente com o passado e assim acaba se deparando com a história de Vera. Depois de muito tempo Claire sente que algo importante está acontecendo em sua vida. Ela precisa descobrir a verdade sobre o desaparecimento de Daniel Ray.

Intercalando passado e presente, Jio vai nos permitindo acompanhar os dramas destas duas mães que perderam seu filhos e precisam seguir em frente. São duas histórias de vida que me comoveram demais e meu coração se partiu diversas vezes. Eu havia escolhido o livro pelo fator mistério, queria desvendar o desaparecimento do garoto, mas foi mesmo a luta de Vera e Claire que me fascinou.

Minha conexão maior foi com Claire, não só por ser uma mulher da minha época, mas porque sua personalidade marcante foi muito mais presente que a de Vera. Eu torci tanto por ela, mas tanto, que cheguei ao ponto de querer estar lá ao seu lado e quebrar a cara daquele marido. Gente, que ódio das atitudes de Ethan.

A trama aborda perdas, desencontros, relações familiares, crises financeiras, carreira, traumas e dor. Os personagens são quebrados. Não espere por perfeição e alegria constante. É um drama, mas ainda que seja doloroso, não há como não ficar envolvido pela junção de seus pedaços.

Neve na Primavera revela a Seattle de 1933 imersa na pobreza e a de 2010 cheia de charme e cantinhos que desejei conhecer. Fiquei muito interessada na cidade, que sempre me vinha a mente com a imagem de uma balsa nos episódios de Grey’s Anatomy e Jio me permitiu uma nova visão do local, mais ampla e charmosa.

É um livro para ser lido com carinho e de coração preparado para sofrer um bocado, mas garanto que vale a pena se deixar envolver pela humanidade e delicadeza desta trama.


As coisas mais difíceis sempre se transformam nas mais recompensadoras. 




2leep.com

13 comentários:

  1. Gosto muito de história de suspense, policial e mistérios, ainda mais quando os acontecimentos de passado e presente se misturam e formam uma trama perfeita. Adorei a resenha e desejo muito ler o livro.

    ResponderExcluir
  2. Esse livro é emocionante e foi muito bem escrito. Uma leitura que tocou o meu coração e que valeu muito a pena ler. <3
    Mil Beijos!
    http://pensamentosdeumageminiana.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Aii, fico de coração apertado só de pensar na premissa desse livro. Perder um filho desse jeito deve ser a pior maneira, não se sabe se está vivo ou não, como ele está... é horrível.
    Fiquei muito curiosa mesmo com esse livro, espero poder ler em breve, mas nunca o vi em livraria nenhuma... /:
    Ótima resenha!
    Beijoss
    www.vidaemmarte.com.br

    ResponderExcluir
  4. Não conhecia o livro, e fiquei bem tocada com a história, deve ser um livro lindo, vou adicionar a minha lista de leituras *_* Adorei a resenha <3

    Beijos
    http://resenhaatual.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. oi flor, eu adorei esse livro da autora, não consegui parar de ler até o final, o entrelaçamento das histórias dessas mulheres que compartilham o mesmo sentimento é indescritível
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Adorei a resenha. O enredo parece ser muito bom e a conexão entre duas histórias distintas (mas de perdas) entre passado e presente deixa a história mais envolvente. Gostei muito. Um drama que parece valer a pena ser lido!

    ResponderExcluir
  7. Nossa, eu sofri muito com a leitura desse livro. Não gosto de livros assim, mas acabei lendo esse e amei só que o coração ficou daquele jeito. haha
    Beijos
    SIL ~ Estilhaçando Livros

    ResponderExcluir
  8. Li esse livro em maio do ano passado. Foi tudo o que você falou, emocionante, envolvente, tocante... Tive vontade de matar o marido da Claire também, achei ele desleal. Tive empatia com as duas e o desfecho de suas histórias provocou em mim uma verdadeira enchente de lágrimas... Foi um livro muito muito tocante, não a toa "O Bangalô" da Jio está aqui para ser lido!

    Pandora
    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  9. Olá :)
    Confesso que livros que alternam entre passado e presente não me atraem, mas a história deste parece ser ótima!
    Beijos,
    http://livrosentretenimento.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Oie Cida =)

    Sempre leio resenhas positivas dos livros da autora, mas ainda não tive oportunidade de ler nenhum. As histórias dela parecem realmente ser daquelas que nos emocionam e envolvem de uma forma surpreendente.
    Espero não me decepcionar =D

    Ótima resenha!

    Beijos;***

    Ane Reis.
    mydearlibrary | Livros, divagações e outras histórias...
    @mydearlibrary

    ResponderExcluir
  11. Eu não quis ler este livro só por causa da capa, rsrs. A sua resenha foi a terceira que li, e todas disseram praticamente a mesma coisa. O quanto o livro é tocante.
    Tô tão arrependida de não ter lido.
    Vou ler os outros dela que eu tenho aqui, depois comprarei este.
    Adorei a resenha.

    Bjks

    Lelê

    ResponderExcluir
  12. Cida!
    Fiquei tão emocionada com a história desse livro.
    Senti a dor da protagonista pela perda de seu filho e todo sofrimento que passaram.
    E fiquei contente que na modernidade tudo pode ser descoberto.
    Livro ótimo!
    “Sábio é aquele que conhece os limites da própria ignorância.” (Sócrates)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    Participe do TOP COMENTARISTA de Janeiro, são 4 livros e 3 ganhadores!

    ResponderExcluir

Obrigada por seu comentário.

Sua participação é muito importante.

Um grande beijo!