[Resenha] Como Se Apaixonar

Como Se Apaixonar
Título Original: How to Fall in Love
Autor(a): Cecelia Ahern
Editora: Novo Conceito        Páginas: 352
Lançamento: 2015               ISBN: 9788581637860
 ||Compre||     ||Skoob||  ||Goodreads||
Depois de não conseguir evitar que um homem acabasse com a própria vida, Christine passa a refletir sobre o quanto é importante ser feliz. Por isso, ela desiste de seu casamento sem amor e aplica as técnicas aprendidas em livros de autoajuda para viver melhor. Adam não está em um momento muito bom, e a única saída que ele encontra para a solução de seus problemas é acabar com sua vida. Mas, para a sorte de Adam, Christine aparece para transformar sua existência, ou pelo menos tentar ajudá-lo. Ela tem duas semanas para fazer com que Adam reveja seus conceitos de felicidade. Será que ele vai voltar a se apaixonar pela própria vida?

Como Se Apaixonar, de Cecelia Ahern, publicado no Brasil pela Editora Novo Conceito, nos traz a história de Christine, uma mulher que está considerando deixar o marido mas ainda não sabe como, contudo após ficar frente a frente com um homem que quer se matar, ela sente um abalo tão grande que acha a coragem para por fim no casamento. Dias depois um fato incomum acontece com ela, novamente seu caminho cruza com o de um suicida – Adam -,  e ela consegue impedir que ele pule de uma ponte fazendo um acordo. Que acordo? Vai ajudá-lo a resolver seus problemas. Como? Era o que eu queria saber. 

A protagonista deste livro assumiu um missão praticamente impossível num momento de pressão e depois acabou tendo que lidar com um cara de mais de trinta anos que havia perdido a namorada para o melhor amigo, perdido o emprego que gostava, o pai estava  morrendo, a irmã tinha roubado o dinheiro da família e fugido e a empresa da família ia ficar em suas mãos em breve e ele não queria isso de jeito nenhum. Em resumo: a vida de Adam estava de ponta cabeça e ela tinha apenas duas semanas para ajudar ou ele iria se matar.

Os últimos livros de Ahern que li me surpreenderam de maneira positiva por trazerem tramas bem incomuns e intrigantes, que não nos permitem saber como terminarão. O engraçado é que eu mais uma vez não gostei da protagonista e seu jeito sabichão de ser, mas sua jornada é interessante e divertida demais, e isso torna a leitura fluida, envolvente e empolgante de maneira sem igual.

Christine é entediante e acredita piamente que poderá ajudar qualquer pessoa com os conselhos dos livros de auto-ajuda que coleciona, mas o mais incrível é que a vida dela estava um caos total e seus livros não resolviam nada. A mulher precisava ser mais livre, espontânea e acessível. As pessoas aos poucos estavam se distanciando dela por não aguentarem mais sua arrogância de solucionadora de problemas. Só que ela não percebia, o que chega a ser cômico até mesmo quando trágico. Para piorar o marido abandonado estava infernizando a vida dela e tirando tudo que reuniram nos período que ficaram juntos. O cara era meio terrorista e assustador.

A narrativa em primeira pessoa é na voz da protagonista e você fica de queixo caído com seus pensamentos mirabolantes e atitudes desmedidas para salvar Adam. Não posso negar que ela esquecia até de si para se dedicar à ele, é algo bonito, mesmo que insano na atual situação.  E mesmo que eu não tenha me sentido ligada à ela, não deixo de admirar tamanha determinação.

Os livros de Ahern sempre me deixam emotiva, mas desta vez a história me arrancou diversas gargalhadas, tantas foram as confusões da protagonista. Mesmo que exista uma carga dramática, comparado os demais, este foi o livro mais leve que li da autora.

E há um um ponto muito positivo na trama, ou melhor, alguém que traz um diferencial e nos cativa. Este personagem roubou a cena com sua beleza, humor auto-depreciativo e fragilidade, é impossível não torcer por ele. Adam é encantador, mesmo em seus piores momentos ele vai ganhar.

E claro que desta ligação dos dois surgiu algo, Christine começou a sentir mais do que compaixão por Adam e chega um momento que você não tem certeza  se ela vai conseguir se manter firme na proposta de fazer ele e a ex reatarem ou se vai finalmente aceitar o que sente e se  declarar.

Eu torci muito para que os dois se acertassem e Christine percebesse que para ser feliz não há fórmulas, teorias de dez ou vinte passos que nos ensinem isso. O amor é espontâneo, acontece quando menos se espera e acho que você deve estar de coração aberto para aceitar. O que eles realmente precisavam aprender é como se apaixonar e querer viver para curtir isso. Recomendo.


2leep.com

12 comentários:

  1. gostei do livro por ser da Cecelia e tal, mas senti uma certa falta de quimica entre eu e os personagens, não foi aquele arrebatamento natural e instantâneo
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Oie, Cida! Ainda não li nada da autora, mas tenho vontade, assim que encontrar uma promoção bacana vou comprar. Essa história tem um ar bem leve, apesar do que desencadeia a trama. É uma das minhas capas favoritas dos livros dela.
    Beijinhos!
    Anna - Letras & Versos

    ResponderExcluir
  3. Oi Cida!
    Os livros dessa autora costumam ser ótimos! Eu ainda não li esse mas está na lista de desejados.

    Obs: Tem sorteio novo no blog :)
    Beijos,
    Sora - Meu Jardim de Livros

    ResponderExcluir
  4. Olá!
    Não conhecia esse livro, mas, além da capa lindíssima, a trama me agradou também.
    Obrigada pela dica!

    Beijos!
    Gatita&Cia.

    ResponderExcluir
  5. Cida!
    Li esse livro também e me emocionei, mesmo dando algumas gargalhadas vez por outro.
    Adoro a escritora e gostei do livro, embora não seja um dos melhores dela.
    “Geralmente aqueles que sabem pouco falam muito e aqueles que sabem muito falam pouco.” (Jean-Jacques Rousseau)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    Participe do TOP COMENTARISTA de Janeiro, são 4 livros e 3 ganhadores!

    ResponderExcluir
  6. Gosto muito dos livros da Cecelia Ahern e já tinha me interessado por esse quando vi que ia lançar. Concordo que as personagens são um pouco chatinhas as vezes, mas no fim sempre acabo gostando da história.
    Já está na lista e espero ler em breve.
    Bjo

    ResponderExcluir
  7. Oi, Cida!
    Gente, esse Adam passou foi longe da fila da sorte, hein? Tadinho.
    Odeio personagens que se acham donos da verdade. Dá vontade de dar um tapas. Christine foi outra que passou longe da fila da sorte.
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Lu! O interessante é que ela não percebe que é tão azarada assim.

      Excluir
  8. Olá :)
    Ainda não li nada da autora, mas acredito que no momento não estou no clima drama, mas amei a resenha!

    Beijos,
    http://livrosentretenimento.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Christine é uma das personagens mais altruístas que eu já conheci na literatura! Ela lida com os traumas dela e aquilo que ela não quer ser tentando ser perfeita, compreensiva e disponível, não percebe que afasta as pessoas, mas é tão esforçada que eu não consegui deixar de amar ela. Já o Adan hahaha foi um amor, nossa eu adorei esse livro foi o melhor da Cecelia que li, foi o melhor do ano, foi um daqueles livros que o autor só conta a história e deixa por nossa conta a interpretação. A Cecelia, na minha opinião, tinha essa fragilidade como autora, ela adjetivava demais os personagens dela e eu acabava discordando dela porque o personagem agia muitas vezes no sentido contrario aos adjetivos que ela usava... Mas nesse ela foi enxuta em seus adjetivos e me cativou demais. Também indico!

    Pandora
    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  10. Amo os livros escritos pela Cecelia Ahern ♥ Já ouvi muitas coisas boas a respeito desse, mas ainda não tive oportunidade de ler. Gostei da tua resenha :) Beijos

    www.quetransborde.com.br

    ResponderExcluir
  11. Oii! Tô doida pra ler esse livro! Só li comentários positivos sobre ele! Bjs!

    ResponderExcluir

Obrigada por seu comentário.

Sua participação é muito importante.

Um grande beijo!