[Resenha] Um Amor Escandaloso

Um Amor Escandaloso
Título Original: A Little Scandal
Autor(a): Patricia Cabot
Editora: Record                    Páginas: 378
Lançamento: 2015               ISBN:9788501088437
Um amor escandaloso ||Compre||     ||Skoob||  ||Goodreads||
Quando a bela Kate Mayhew é contratada como dama de companhia de Isabel, filha de Burke Traherne, o marquês de Wingate se vê numa situação complicada. Por um lado, tem consciência de que a Srta. Mayhew é exatamente o que a jovem precisa, mas, ao admiti-la em sua casa, o marquês é obrigado a controlar a atração que sente pela moça. O grande inconveniente é que o cargo que ela ocupa a impede de se tornar uma de suas amantes. E Burke vive sobre o juramento de nunca mais se casar, depois de ter flagrado a ex-esposa num ato de traição. Já a Srta. Mayhew não consegue parar de pensar em um homem pelo qual jurou nunca se apaixonar, e esconde um escândalo do passado. Ousará a bela moça lutar contra seus desejos e os fantasmas que parecem persegui-la? O homem que frequenta seus sonhos mais despudorados e o que habita seus piores pesadelos aproxima-se cada vez mais, e ela não sabe por quanto tempo mais conseguirá suportar.

A versatilidade de Cabot é incrível. A mulher consegue se aventurar por vários gêneros e fazer algo de muita qualidade, é difícil dizer se gosto mais de seus livros como Meg ou Patricia.

Conheci seu trabalho lendo os romances de época e isso já poderia ser um ponto para garantir a preferencia de Patricia, mas depois de conhecer Susana Simon, em A Mediadora, que é uma série incrível, Meg ganhou também seus pontinhos. Então, simplesmente sou fã de Meg Patricia Cabot e desejo de todo coração poder vê-la quando estiver em breve aqui no Brasil.

Um Amor Escandaloso, escrito como Patricia Cabot, traz como protagonistas um casal envolto em escândalos. De um lado temos Kate Mayhew, que foi rica, viu os pais morrerem em um incêndio e sua fortuna desaparecer junto com seu bom nome. O motivo? Um grande mistério. Sabemos apenas que é algo que envergonha e intimida a jovem. Aos 23 anos, Kate quer apenas ficar longe da alta sociedade que a repudiou e ser uma simples babá. A garota é inteligente, ousada e sabe lidar com os ricos de maneira brilhante, capaz de domar da mais peralta criança até a mais intransigente jovem dama.

De outro lado temos Burke Traherne, o marquês de Wingate. Ele casou bem jovem, e por amor, mas a esposa não nutria por ele os mesmo sentimentos e logo arrumou um amante. Burke descobriu, atirou o outro pela janela, divorciou-se e criou a filha Isabel sozinho. O ato lhe garantiu a fama de violento e hoje, aos 37 anos, ainda não superou o fato. Ele tem amantes, mas não deseja casar outra vez, já perdeu a fé nas mulheres e no amor. Seu único desejo é apresentar Isabel para a sociedade, lhe dar um bom casamento e depois passar o resto dos dias em sua casa de campo lendo bons livros. Só que Isabel é rebelde. Ela é indomável. Espantou todas as últimas damas de companhia e para Burke só resta uma esperança, contratar Kate Mayhew para cuidar de Isabel. O problema é que ele acha a futura empregada atraente demais e é ele quem gostaria de ser acompanhado por ela.

Já deu para perceber o que teremos pela frente. O patrão caindo de amores pela empregada e tentando resistir. Kate intriga Burke e o deixa muito tenso, o homem chega a fugir de casa para evitar cair na tentação. Só que quando um não quer, dois não brigam. Se dois querem, então a briga está feita, neste caso a cama, pois ambos sentem algo além de simpatia e respeito um pelo outro. Torcemos logo pelo momento que as emoções vão superar a razão e o casal vai se entregar à uma paixão louca e desenfreada.

Enquanto o grande momento não chega, Cabot nos leva por situações engraçadas e cheias de charme. Passeamos pelos bailes da sociedade inglesa, conhecemos homens encantadores e outros perigosos, vemos os rompantes rebeldes de Isabel dando lugar para o carinho de uma filha que deseja que o pai ache um grande amor. E ainda tentamos descobrir mais sobre o passado misterioso de Kate.

Os personagens são cativantes. Kate com toda a sua audácia, tato e língua afiada. É uma mulher que foge do passado e tem medo do presente, mas nem por isso se intimida pela autoridade de Burke e o desafia sempre que pode. Ele por sua vez, apesar da fama de violento, é um homem ferido e com medo de confiar, nos engana, revelando algo muito diferente do que acreditamos ser à primeira vista. É tão fofo ver sua fragilidade e falta de jeito para lidar com os sentimentos, só mesmo Isabel para falar o que ele precisa de fato ouvir. 

É delicioso acompanhar o passo a passo dos dois e ver o sentimento ficando mais forte. Confesso que em certo momento eu desejei que Burke tivesse tido atitude e lutado mais, faltou energia ali, mas felizmente alguns desdobramentos o empurraram para seu destino.

A narrativa em terceira pessoa é ideal para a história, podemos assim ver o que está acontecendo por diversos ângulos. É um texto fluido e cheio de humor, as cenas mais quentes são sensuais, sem apelar para nada vulgar, aquecem de um jeito mais romântico do que erótico. Gosto disso, é mais meu estilo, amor, não apenas sexo.

Isabel tem sua própria história paralela e consegue também acrescentar algo na trama, assim como lorde Palmer, um amigo de infância de Kate que me deixou com a pulga atrás da orelha todo o tempo, sem saber se ele era mocinho ou bandido.

É aquele romance de época indicado para todos os fãs do gênero, que além de ter uma história de amor com duas pessoas bem opostas, mas feitas para se completar, contesta o modo vazio e frívolo de viver da alta sociedade inglesa, que segundo nossa protagonista não tem nada de alta, é baixa e vil demais como ela própria sentiu na pela. Os costumes até que não são seguidos a risca, foi dado um jeitinho em muita coisa no decorrer da história, fiquei surpresa especialmente como Isabel não sofreu as consequencias de uma certa decisão. Enfim, você suspira e deseja um final feliz para o casal, pois ambos foram injustiçados e feridos,  merecem muito a felicidade. Recomendo.


Burke deveria ter pensado nisso. Se tivesse, não estaria sentado ali, numa sala de estar destruída, bebendo uísque diretamente do gargalo numa tarde de segunda-feira, perguntando-se como um homem que não tinha coração podia ter tanta certeza de que o seu estava despedaçado.


2leep.com

14 comentários:

  1. Oie Cida, tudo bem?!! =D

    Esse livro parece ser muuito legal! Adorei a premissa da história e os livros dela como Patricia sempre me atraem, mas ainda não li nada dela! Uma amiga nossa, que agora está como colunista no blog, a Carol, ama ela de paixão e já leu muitos, talvez esse também, então acho que ela vai resenhar mais do que eu o trabalho da Patricia. Mas estou louca por este livro depois da sua resenha hahaha. To numa fase literária romântica! (medo)

    Adorei a resenha Cida, como sempre!!
    Beijão

    http://livrosontemhojeesempre.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. eu sou problemática, apesar desse ser um pseudonimo da Meg Cabot, juro juradinho que só tenho vontade de ler os romances de época dela, são os que mais fluem pra mim
    felicidadeemlivros.blogspot.com.br/2015/07/resenha-mentiras-que-confortam.html

    ResponderExcluir
  3. Ai, eu amo os livros da Cabot, sou a maior fã. Dia desses vi esse na Saraiva, mas como estava lisa, acabei tendo que deixar para depois. E essa é a primeira resenha que vejo sobre ele, então não tenho dúvidas de que vou adorar. Preciso do meu o quanto antes, amo romance de época.
    Adorei a resenha!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  4. Ai Cida!
    Como adoro os romances de época...
    E que bom que a sociedade da época é de certa forma questionada aqui pela união de pessoas bem diferentes em vários aspectos.
    Adoro Cabot porque cria mocinhas com personalidades fortes.
    Bom domingo!
    “Os homens de poucas palavras são os melhores.”(William Shakespeare)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    Participe no nosso Top Comentarista!

    ResponderExcluir
  5. Estou doida pra ler esse livro, curto muito romance de época e gosto muito da escrita dessa autora e essa resenha me deixou ainda mais interessada em conferi essa história.

    ResponderExcluir
  6. eu posso ser a pessoa mais desatualizada que existe, sim, mas eu fui saber agr que patricia e meg era a msm pessoa, pensei que era parente ou sla, nao me julgue. ate pq nunca li um livro dela, realmente nao chegaram a me interessar mt de fato. esse livro tem uma premissa boa, mas nada que eu pegaria correndo para ler, como vc fez uma resenha positiva da historia irei anotar o nome para caso tenha a oportunidade.. (esses dias eu to msm querendo ler mais romances de epoca)
    adorei tua resenha, mt bem escrita, parabens!
    tonsdeleitura.blogspot.com

    ResponderExcluir
  7. Oi Cida...
    Confesso que não sabia que Meg escrevia romances de época.
    Gostei de conhecer o livro sobre seu ponto de visto. Também sou assim, gosto do amor, e não só sexo. Gosto quando as narrativas são assim.
    Fiquei curiosa para saber como a personagem se saiu. Pelo que você falou ela passou por cima de algum costume, e acho que não pagou por isso rs

    livrosvamosdevoralos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  8. Oi Cida,
    Até o momento só li um conto da autora, como Meg Cabot. Gostei do livro, fiquei curiosa pelo mistério envolvendo o passado de Kate, sem falar que ela e Burke parecem ter uma boa química. Dica anotada!!

    *bye*
    http://loucaporromances.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Oi Cida,
    Até o momento só li um conto da autora, como Meg Cabot. Gostei do livro, fiquei curiosa pelo mistério envolvendo o passado de Kate, sem falar que ela e Burke parecem ter uma boa química. Dica anotada!!


    *bye*
    http://loucaporromances.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Noosssa sempre ouço falar dela e de seus livros, mas confesso que nunca me chamaram atenção, porque não gosto muito de romance de época, porém os da Meg Cabot eu sempre me interessei inclusive a serie Mediadora.

    ResponderExcluir
  11. Oi, Cida!

    Foi tão difícil encontrar este livro nas livrarias, pois em todo lugar estava esgotado. Porém, finalmente consegui compra-lo e não vejo a hora de ler!
    Gostei da química do casal e de Kate, que parece ser uma ótima personagem. Adorei sua resenha, me deixou ainda mais curiosa!

    Beijocas.
    http://artesaliteraria.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  12. Me pareceu um bom livro para ler a época em que se situa a historia da um sabor a mais ao romance dos personagens e seus obstáculos para enfim encontrar o amor entre eles da vontade de ler todo o livro.

    ResponderExcluir
  13. Oi Cida, tudo bem?
    Eu adoro a Meg como Patricia, pois adoro como ela escreve os romances de época. Estou louca para ler esse livro, parece ser uma leitura maravilhosa e fiquei bastante ansiosa para ler.

    Beijos
    www.leitorasempre.com

    ResponderExcluir
  14. Eu li poucos da Cabot, e amei, agora quero ler esses de época, que além das capas serem lindas ainda parecer ser superfofos e bem escritos!!!
    Achei uma graça esse Burke, quero conhecer mais ele! rsrsrsrs
    bjos

    ResponderExcluir

Obrigada por seu comentário.

Sua participação é muito importante.

Um grande beijo!