[Resenha] Em Busca de Abrigo

Em Busca de Abrigo
Título Original: Sheltering Rain
Autor(a): Jojo Moyes 
Editora: Bertrand Brasil       Páginas: 434
Lançamento: 2015               ISBN:  9788528610840
EM BUSCA DE ABRIGO ||Compre||     ||Skoob||  ||Goodreads||
Na noite da Coroação da Rainha Elizabeth II, em 1953, a comunidade de expatriados de Hong Kong se reúne para celebrar o evento com uma festa. Enquanto os convidados tentam ouvir a cerimônia em um rádio antigo, Joy, uma jovem de 21 anos, se apaixona. Menos de vinte e quatro horas depois da festa, ela já está prometida em noivado ao rapaz, mas só tornará a se encontrar com o noivo um ano depois. Em 1980, um ato de rebeldia faz Kate, aos 18 anos, fugir do Condado de Wexford, na Irlanda, com sua filha ilegítima. Quinze anos mais tarde, Sabine deixa Hackney, o elegante bairro onde mora, em Londres, para visitar os avós que jamais conheceu e descobre que Wexford parece ter parado no tempo. Quando Sabine, sua mãe e sua avó voltam a se encontrar, um segredo de família cuidadosamente guardado é descoberto, bem como algumas verdades importantíssimas: o conflito entre o amor e o dever, as escolhas que as mulheres são obrigadas a fazer e o relacionamento entre mães e filhas.
Errar é humano. Aprender com os erros e saber perdoar, mais ainda.

Em Busca de Abrigo é o primeiro livro da consagrada autora Jojo Moyes, bem conhecida pelas obras A Garota Que Você Deixou Para Trás e Como Eu Era Antes Você, sendo que esta últimoa está sendo adaptado para as telonas. 

O livro já havia sido publicado anteriormente pela Bertrand Brasil e agora em 2015 ganhou nova capa e projeto gráfico. A edição ficou linda, muito bem revisada e caprichada.  Logo mais a Editora vai relançar A Casa das Marés e Baía da Esperança. Os fãs de Jojo agradecem com certeza.


Hong Kong, 1953
A história começa apresentando Joy em uma festa para celebrar a coroação da Rainha Elizabeth. A jovem avessa aos eventos sociais que a mãe a obrigava frequentar, sente-se extremamente deslocada e desconfortável, resolve então beber um pouco para se distrair e o resultado é que passa dos limites e fica bem ruim. Um jovem oficial surge e lhe presta ajuda neste momento tão constrangedor e não apenas isso, acaba sendo aquele que rouba seu coração. Joy e Edward tem um noivado relâmpago e casam-se, dando assim início a linhagem dos Ballantyne.

Inglaterra/Irlanda, 1997
Logo após este evento inicial, a história dá um salto no tempo e conhecemos Kate e Sabine, mãe e filha com uma relação bem conturbada. Kate é uma mulher que salta de um namoro para o outro com a mesma facilidade que troca de roupas, isso gera um incomodo enorme na filha, que vê a mãe como alguém imatura, inconsequente e um motivo de vergonha por ainda agir como uma adolescente com os hormônios em ponto de ebulição, não de acordo com seus 35 anos. E exatamente por conta dos romances de Kate, é que Sabine está sendo enviada contra a vontade, para passar um tempo com a avó Joy na Irlanda. Ao chegar lá a garota se depara com um modo de vida rústico, conduzido por regras muito rígidas e uma avó distante, nada da boa velhinha que todo mundo encontra nas histórias de criança.

A história é narrada em terceira pessoa e foca nestas três mulheres. Joy, Kate e Sabine, que apesar de compartilharem o mesmo sangue, não possuem nenhuma afinidade, não conseguem se conectar e encontrar o verdadeiro sentido do que é ser uma família.

Nas três vemos a necessidade de pertencer, de ter um lar, proteção, amor e abrigo. O título da obra nos remete ao anseio tão evidente em cada uma delas. Joy que não se encaixava na vida social e familiar que era obrigada a levar e que é resgatada por Edward. Kate que por uma razão desconhecida saiu da casa dos pais e vive em busca de um amor que a contente, além do reconhecimento da filha e aceitação dos pais. Sabine que quer uma mãe tranquila e um lar sólido.

Jojo Moyes explora em sua obra os dramas pessoais e frustrações de cada uma, nos apresentando suas vidas com cuidado e delicadeza. A princípio você forma uma ideia sobre elas, mas conforme a leitura avança, e vamos conhecendo - as melhor, a impressão muda.

Eu gostei de Sabine logo de cara, entendi perfeitamente seu ponto de vista e como se sentia em relação a mãe, nem de longe soou como se fosse uma garota mimada ou teimosa, ela era carente e precisava de estabilidade na vida. No decorrer da história foi obrigada a amadurecer e se começou bem, ao meu ver, apesar de alguns erros pelo caminho, terminou melhor.

Joy é a mais misteriosa, seu jeito reservado afasta todos e eu vi nela alguém que tentava esconder algo mais profundo, tive certeza que sua vida não era como todos pensavam. A frieza servia como máscara e todo tempo eu criei mil teorias sobre esta personagem, que não me cativou prontamente, mas no final ganhou minha total admiração. Posso dizer que minha maior desconfiança em relação à ela se mostrou correta e muita coisa fez todo sentido.

Kate é uma mulher errante e como já citei de muitos relacionamentos. Eu não consegui aceitar suas atitudes e simplesmente não senti nenhuma simpatia por ela, alguns podem achar que a filha era dura demais com ela, mas ao meu ver, Kate merecia o tratamento recebido. E afirmo que a forma como agia com os pais, apesar deles dois não serem fáceis de lidar, me deixou ainda mais distante de sua personagem.

O que fica claro é que as relações de mãe e filha aqui são um grande problema, que há segredos e mentiras por baixo do tapete que precisam ser revelados para que algo de bom aconteça. Contudo, a autora vai além destas mulheres e acaba trazendo mais dramas em sua história ao inserir diversos personagens na trama que vivem seus próprios dilemas. Annie, filha da empregada de Joy, que tenta superar a morte da filha. Thom, que perdeu um braço e tem sua própria história com uma das Ballantyne. Eles complementam a história de maneira rica e influenciam a vida das protagonistas de maneira positiva.

É uma história que evidencia o conflito de gerações e as diferenças de personalidade. Os filhos nem sempre atingem as expectativas dos pais, só que o inverso também ocorre e aí cabe a maturidade de cada um, e também muita humildade, para aceitar as diferenças, construindo a partir daí uma vida com harmonia, tolerância e generosidade.

Eu gostei bastante da leitura e no desfecho Jojo conseguiu até me arrancar algumas lágrimas. Contudo, confesso que gostaria que em certos aspectos a história tivesse sido mais ágil, especialmente nos primeiros capítulos, que têm um ritmo bem moroso e descritivo. Senti falta de mais diálogos nesta parte inicial e de capítulos mais curtos. No entanto vale a pena seguir em frente e se deixar levar, pois acabamos sendo envolvidos pelas vidas destas pessoas e sentindo na pele suas emoções. Eis aqui a característica mais marcante de Jojo Moyes, a humanização e veracidade de seus personagens, que acabam saindo das páginas e tornando-se muitos vivos para o leitor. Não há perfeição neles, posso dizer que possuem mais defeitos que qualidades, e exatamente por isso nós acabamos nos apegando e torcendo como se fossem pessoas próximas.

Eu comecei a ler as obras da autora por seus livros mais atuais, com certeza sua escrita amadureceu bastante e a cada dia está melhor, mas mesmo neste seu primeiro trabalho vemos talento e uma história rica, com uma mensagem de valor, para todos os seus leitores, sobre perdão e segundas chances. 


2leep.com

18 comentários:

  1. Cida!
    Já me identifiquei com o enredo, porque na adolescência tinha muita discordância com mainha e brigávamos feito cão e gato, hoje nossa relação é só amor, mas demorou a curar as feridas.
    Gosto da escrita da Jojo, já li um outro livro dela e fiquei encantada.
    Gostaria de acompanhar esse drama.
    Boa semaninha!!
    “A cada bela impressão que causamos, conquistamos um inimigo. Para ser popular é indispensável ser medíocre.”(Oscar Wilde)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    Participe no nosso Top Comentarista!

    ResponderExcluir
  2. Oi Cida, tudo bem
    Nossa, parece ser uma história bem densa. Eu já li um livro da autora e me apaixonei pela escrita dela. Concordo com você, os personagens são muito críveis. É tão complicado esse choque de gerações, sabe lendo sua resenha, eu fiquei pensando: é tudo falta de comunicação. Quando amamos, temos que confiar. Por isso acho importante o diálogo, esses segredos só destroem as famílias. Adorei sua resenha e não vejo a hora de me envolver com personagens femininas tão fortes.
    beijinhos.
    cila.
    http://cantinhoparaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Oi Cida, fico feliz em saber que você gostou do livro. Eu amo a Jojo pelas suas obras atuais, e quando vi o relançamento de Em busca de abrigo com essa capa diva, não pensei duas vezes em solicitar. Mas depois de ver tantas resenhas duvidosas, de gente dizendo o quão cansativo e arrastado o texto é, fiquei louca de medo de não gostar e engavetei a obra. Estou esperando tomar coragem de novo.. kkk tomara que consiga ser tocada pelas histórias tanto quanto você. Beijos, Mi

    www.recantodami.com

    ResponderExcluir
  4. Olá!

    Ainda não tive a oportunidade de ler esse livro, mas se está na Bertrand Brasil, é porque a obra é boa mesmo., mesmo sem saber se a história flui bem ou é enrolada demais. Ótima resenha!

    resenhaeoutrascoisas.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. Olha só, eu soube que este era o primeiro livro da autora, e confesso que fiquei com medo de não curtir.
    Mas agora eu acho que estava enganada. Pelo jeito ela é boa desde o primeiro, rsrs.

    Você vai me levar à falência.

    Bjks

    Lelê

    ResponderExcluir
  6. achei a proposta interessante e pelo retrospecto com a autora eu vou querer ler
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Noooosssa quero muito ler este livro, só ouço comentários positivos sobre a autora, todos os livros dela eu tenho vontade de ler.

    Amei a sua resenha, quero muito compra todos os livros dela, não sabia que este era o primeiro.

    ResponderExcluir
  8. Oie, Cida! As personagens da Joy e Sabine também são as que mais me interessam, senti maior afinidade pela história delas. Falando na história, ela parece ser muito bonita, mas de todos os livros esse não é o que mais me chama a atenção. O que mais me interessa seria A garota que você deixou para trás.
    Anna - Letras & Versos

    ResponderExcluir
  9. essa edição é mesmo mt linda.. nunca li nenhuma obra da autora, por falta de oportunidade mesmo, ate porque a historia me contagia.. capitulos mais curtos eh o que eu espero em todos os livros sahuashsau contudo tb gosto de historias que te envolve, sua resenha confesso que me deixou um pouco confusa se devo ler, ate pq a historia tem que ser mt boa para eu pegar (nesse tipo de romance de epoca), mas vou anotar o nome aqui e uma hora se der vontade eu leio!
    tonsdeleitura.blogspot.com

    ResponderExcluir
  10. OI Cida...
    O que me chamaria atenção neste livro é o foco nos dramas das personagens, o que curto em um livro.
    O que ouvi muito e o que percebi com você também, é que ainda ficou faltando algo no livro. Pois até mesmo a autora disse, que ela amadureceu muito seus próximos livros, que todos consideram melhores. Eu ainda quero conferir o livro, na verdade ainda não li nenhum dela.

    livrosvamosdevoralos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  11. nunca li nenhum livro dessa autora e quero começar por como eu era antes de vc, sendo o primeiro livro vc sempre percebe que os autores ainda tem mt a desenvolver ne? e primeiros capitulos bem descritivos aff nao mas acho que no final daria uma chance para esse livro
    tonsdeleitura.blogspot.com

    ResponderExcluir
  12. Oi Cida, tudo bem?
    Eu estou louca para ler algo da Jojo, mas quero muito começar por Como eu era antes de você. Porém esse livro me chama atenção e, mesmo que você tenha algumas ressalvas, percebi que a leitura valeu a pena, então a dica está mais que anotada. Parabéns pela resenha :D

    Beijos
    www.leitorasempre.com

    ResponderExcluir
  13. Oie! :D

    Da Jojo, só li Um Mais Um e gostei bastante, bem leve e divertido. Mas não é um mega livro, daqueles que te deixam pensando na história por dias e tudo o mais. Acredito que os outros sejam mais dramáticos e pesados.
    Este livro parece ser lindo, amei a sinopse, e sua resenha me deixou com muita vontade de ler. Esse sim parece ser um daqueles livros! Gosto muito dessa temática mãe&filha ou drama familiar, me encanta mais.

    Vou por nos desejados, coooooom certeza! Ótima resenha, Cida!

    Beijo!
    http://livrosontemhojeesempre.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  14. Oi, Cida!

    Ainda não li os livros da Jojo e confesso que este foi o que mais chamou minha atenção. Gostei da abordagem da autora, especialmente por escrever sobre três mulheres de gerações diferentes.
    Fiquei curiosa para saber com tudo irá se desenrolar e conhecer melhor a Joy. Também ficaria incomodada com as atitudes de Kate.
    Amei a resenha! Quero ler para ontem.

    Beijocas.
    http://artesaliteraria.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  15. Adoro os livros da Jojo e achou suas histórias maravilhosas. Por sua resenha, este também é um grande sucesso. Nos livros da Jojo sempre tem personagens bem fortes e cheias de segredos.
    Quero muito conhecer essa obra, pois me cativou bastante!

    ResponderExcluir
  16. Aiiii que lindoooo,a mei sua resenha!!
    Nunca li nenhum da Jojo, gostei de todas as sinopses e resenhas que li dela!
    Mas como sou muita ansiosa, pedi para uma amiga me contar o final de Como eu era...
    PRONTO! Pra que fui fazer isso??!?! Fiquei tão chateada e triste pelo final (mesmo sem ter lido kkkkkkk) que não tive coragem de ler outro dela! rs
    Mas confesso que Em busca de abrigo e A Garota que você deixou pra trás está me chamando...
    rsrsrsrs
    assim que der, lerei!!
    bjos

    ResponderExcluir
  17. Estou com muita vontade de ler esse livro e acho que vou me agradar pelos personagens e amadurecimento deles, que é algo que gosto de acompanhar durante a narrativa. Adorei a resenha e ele já está na minha listinha!

    ResponderExcluir
  18. De todos da Jojo esse é o que mais me encantou!! Gosto muito de livros com dramas familiares, acho que aprende muitooooo e vejo o quanto devo dar valor à minha família, que mesmo nós sendo diferentes, nos amamos iguais.
    A capa eu acho uma coisa linda demais!!
    bjs

    ResponderExcluir

Obrigada por seu comentário.

Sua participação é muito importante.

Um grande beijo!