[Resenha] A Transformação de Raven

A Transformação de Raven
Título Original: The Raven (The Florentine #1)
Autor(a): Sylvain Reynard
Editora: Arqueiro                 Páginas: 448
Lançamento: 2015               ISBN: 9788580413861
42875892 ||Compre||     ||Skoob||  ||Goodreads||
Florença, o berço do Renascimento. Um lugar culturalmente fervilhante, perfeito para quem quer esconder segredos ou está em busca de uma segunda chance. Como a doce Raven, que se muda para a cidade na tentativa de esquecer os traumas do passado e se dedicar à sua maior paixão: a restauração de pinturas renascentistas. Um dia, voltando para casa do trabalho na Galleria degli Uffizi, sua vida muda para sempre. Ao tentar evitar o espancamento de um sem-teto, Raven é atacada. Sua morte parece iminente, mas seus agressores são impedidos e brutalmente assassinados. Assustada e prestes a perder os sentidos, ela só consegue vislumbrar uma figura sombria que sussurra: Cassita vulneratus. Ao despertar, Raven faz duas descobertas perturbadoras: uma semana se passou desde o ocorrido e ela se transformou por completo. Quando volta ao trabalho, mais uma surpresa: alguém conseguiu burlar o sofisticado sistema de segurança da galeria e roubar a inestimável coleção de ilustrações de Botticelli sobre A divina comédia. Em busca da verdade, Raven cairá diretamente nos braços do Príncipe de Florença – tão belo quanto poderoso, tão sedutor quanto maligno –, que lhe apresentará um submundo de seres perigosos e vingativos, cujas leis ela precisa aprender depressa se quiser se manter viva e salvar os que a cercam.

A Transformação de Raven, primeiro volume da série Noites em Florença, de Sylvain Reynard, entrou na minha lista de desejados depois que li O Príncipe das Sombras, adorei o clima sombrio e perigoso que a história trouxe e claro, tem vampiros, por mais que já tenha lido vários livros com estas criaturas não me canso, ainda mais quando o ser em questão é tão intenso quanto William.

Em O Príncipe das Sombras conhecemos William York, soberano dos vampiros de Florença e ser atormentado por um passado enigmático. Pouco descobrimos sobre ele, mas sabemos que busca recuperar algumas obras de arte que foram roubadas há muito tempo atrás e quer vingança, matar aquele que está de posse das mesmas, Gabriel Emerson. Enquanto pensa em um plano para pegar o que é seu, seu principado mergulha numa guerra contra Veneza e ele precisa equilibrar os dois assuntos em sua vida.

Eu pensei que neste novo livro teria a história acontecendo no mesmo período que se passa a do Príncipe, mas não, o tempo avançou dois anos. William venceu a guerra e recuperou suas obras, está quase totalmente satisfeito com o rumo das coisas, só falta matar Emerson. No entanto, na noite que vê alguns marginais tentando violentar uma jovem sua vida muda. Ao sentir o cheiro da pureza da alma de Raven, ele não suporta que aqueles homens lhe façam algo de ruim. Contrariando seus princípios, salva uma mulher humana e acaba fascinado por sua beleza e caráter. Ele luta contra isso, mas aquele coração que estava fadado a nunca mais sentir algo, parece ter voltado a bater.

E a partir deste resgaste que Sylvain Reynard desenvolve sua história, criando um laço entre estas duas pessoas, Raven e William, que mesmo sendo de espécies diferentes têm muito em comum,. Ambos extremamente marcados por tragédias e perdas, acabam encontrando um no outro afinidade, respeito e um porto seguro.

A relação não é um mar de rosas, há resistência da parte dela e insistência da dele, um jogo de sedução de caça e caçador. É instigante, mas poderia ter sido mais acirrado, mais complicado do que foi, embora não tenha deixado de ser empolgante.

O livro é narrado em terceira pessoa e foca em ambos, isso permite ao leitor ir conhecendo cada um  pouco a pouco. Eu já havia gostado muito de William desde o Príncipe, por seu charme inegável e a aura de perigo que o cerca. É aquele tipo de cara que mesmo ameaçador te faz te vontade de chegar perto e correr o risco, adoro quando os autores conseguem criar um protagonista que me seduza assim, é um ponto fundamental para me prender na leitura. E vampiro que se preze tem que ter isso, ser uma total perdição. Contudo, dizer que fechei o livro e conheci este homem é mentira, ele é revelado aos poucos, mostra que pode ser um amante incrível, que tem muita honra, que preza a justiça (mesmo que por meios nada ortodoxos), que sabe ser dedicado aqueles que ama e é  muito mais poderoso do que seus súditos sequer imaginam, mas sua história de vida, seu passado e seus tormentos mais íntimos são um grande mistério, ele revela só um pouco disso, mas nem de longe serve para desvendar metade de sua complexidade. William é intenso, não dá para negar.

E Raven é uma mulher boa, de grande coração que traz consigo um passado marcado por violência e tristeza, carrega uma cicatriz que não a deixa esquecer sua infância infeliz, não é uma beldade, foge do estereótipo que a moda prega como modelo de beleza, mas aos olhos do príncipe é perfeita. Gostei dos dois individualmente, embora a teimosia inicial dela e sua insegurança tenham me deixado irritada, só que depois acabou superando isso e correu tudo bem. Como casal combinaram, rolou aquela química e cenas bem quentes incrementaram a trama.

Não há só romance na trama, há um pano de fundo bem elaborado que explora mitologia e sua presença em obras de artes, além dos significados das histórias de seus mitos, como Cupido, Psiquê, Zéfiro, Mercúrio, Cloris, entre outros, e claro que a ligação dos protagonistas com o mundo da arte acaba contribuindo para isso, há sempre citações e comparações que ligam as este universo ao momento atual.

E ainda há a intriga política, enquanto o Príncipe está em busca de redenção nos braços de Raven, alguém planeja roubar sua cidade e por fim em sua vida, uma guerra pior vem pela frente  e o casal não terá muita chance de aproveitar a companhia um do outro. 

Unindo romance, mistérios, intrigas e sedução, com muita elegância, Sylvain Reynard criou uma trama envolvente e sexy. Eu adorei A Transformação de Raven por conseguir me deixar envolta nas emoções dos personagens e trazer de volta vampiros que não são nada bonzinhos, são sugadores de sangue maldosos e dominadores que não relutam em matar, mas mesmo assim têm um líder que vai contra toda esta maldade e tem valores que contradizem sua espécie, um homem intrigante e a jóia da série.

Ler ou não O Príncipe das Sombras antes? Com certeza é possível entender este livro sem ter lido o outro, mas eu recomendo ler antes, pois permite uma conexão maior com os personagens e o universo no qual estão inseridos.

Eu não sei se Sylvain Reynard é homem ou mulher, eu acredito que seja homem, a forma como conduziu sua história é em certas partes contida, o que nas mãos de uma mulher seria mais cheio de floreios, pode ser um artifício para nos enganar, mas ainda assim aposto que é ele, não ela. Cadê o próximo Editora Arqueiro?








2leep.com

16 comentários:

  1. flor eu não ando muito animada com esse livro por conta da proposta sobrenatural que vem a tira colo!
    não me atrai
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Acho que ler os tais contos sempre ajuda, pois você interage mais com o enredo, fica sabendo detalhes legais que no livro você não saberia e fica com mais vontade ainda de continuar a série.

    A única série que leio no momento que tem esses continhos é A Seleção.

    Também faz muito tempo que não leio nada sobre vampiros, na verdade a única coisa que li foi Crepúsculo e me saturei. Saiu tanta coisa sobre na época e mesmo que eu só tenha lido essa série - e assistido aos filmes - desenvolvi uma ressaca do gênero que ainda não foi embora. Acho que prefiro mais os vampiros "originais", hehe.

    Ainda assim, a premissa é bem diferente. Gostei desse negócio de envolver arte na história.

    ^^

    ResponderExcluir
  3. Você chegou a descobrir se esse autor é homem ou mulher? hahha
    Achei a premissa desses livros bem legal. No momento está difícil pra eu comprar livros novos. Mas sempre que vejo estórias assim anoto o nome para um futuro próximo! haha

    Beezu!
    O Outro Lado da Raposa

    ResponderExcluir
  4. Oi, Cida <3 Saudades daqui.
    Gente, mas esse mistério em torno do autor é uma sacada e tanto. Eu acho que é uma mulher, apesar de não conhecer a escrita dela(e). O que mais me chama atenção nessa obra é a ambientação.

    Beijão

    ResponderExcluir
  5. Oi Cida, tudo bem?
    A trama desse livro parece ter tudo que eu gosto, mas como disse do outro livro, não sou muito fã de vampiros. Acho que é por que todos que leio que tem vampiros acabam me decepcionando. Quem sabe um dia eu mude de ideia. Mas a resenha ficou ótima.

    livrosvamosdevoralos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  6. Oi Cida!!! Qto tempo que não passo por aqui.
    Tenho vontade de ler o livro, mas ao mesmo tempo não quero ler, vai entender!!!!
    To lendo várias resenhas até, ter um conclusão. Mas acho a premissa tão boa. :)
    E esse mistério sobre o autor(a), eu tbm acho que seja homem.
    http://odiariodoleitor.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Ai que essa resenha me deixou ainda mais louca para comprar logo esse livro. E eu também queria saber que o Sylvain é homem ou mulher, mas também acho que é homem por conta da forma como escreve, embora possa mesmo ser uma forma de enganar o leitor. Enfim, o fato é que os personagens parecem cativantes e envolventes, então mal vejo a hora de me encantar por eles.

    ResponderExcluir
  8. Cida!
    Sou bem ligada aos livros sobrenaturais e se tem mistérios, intrigas, política e sedução, vale ainda mais a pena a leitura.
    Completamente seduzida por esse enredo fantástico.
    Semaninha de luz e paz!
    “Que eu não perca a vontade de ter grandes amigos, mesmo sabendo que, com as voltas do mundo, eles acabam indo embora de nossas vidas...”(Chico Xavier)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    Participe no nosso Top Comentarista!

    ResponderExcluir
  9. Hahahaha! Adorei sua análise pra dizer se Sylvain é homem ou mulher. Na verdade, amei a forma como vc explicou a resenha. Confesso que se eu não torcesse tanto o nariz pra sobrenatural teria dado uma chance só pela maneira que você falou do livro. Não sei se ficaria meio entendiada por ler sobre arte, uma coisa que não entendo nada, mas poderia tentar, e aí acho que a melhor opção é a trilogia Gabriel por não ter fantasia.
    Beijinhos!
    Giulia - www.prazermechamolivro.com

    ResponderExcluir
  10. Oi, tudo bem? Eu ainda tenho o 0.5, mas ainda não comprei este :( Preciso fazer isso logo, pois estou bem curiosa para ler essa história.

    Beijos.

    http://livrosleituraseafins.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  11. Oi, Cida!

    Confesso que, apesar de ter achado a sinopse bem interessante na primeira vez em que a li, não fiquei louca de amores ao ponto de querer realmente ler o livro. Porém, agora sim eu estou curiosa de fato para conhecer este universo criado por Sylvain. Afinal, gosto muito de vampiros e histórias bem escritas, assim como de personagens carismáticos e encantadores. Vou dar uma chance e espero gostar tanto quanto você, rs.

    Beijocas.
    http://artesaliteraria.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  12. Olá... tudo bem??
    Nossa que resenha mais inspiradora... eu tenho uma enorme pretensão de ler esse livro... e não desejo ler o príncipe, porque é mais introdução e eu não gosto de livros paralelos mesmo que tenha algo a acrescentar na história... de qualquer forma saber que tem vampiros sanguinários e um que é contra tudo isso é uma excelente mesclagem... fora a Raven que só tenho lido elogios a ela... Xero!

    ResponderExcluir
  13. Oi Cida, tudo bom?
    Nunca li nenhum livro de vampiros em que eles fossem vampirões mesmo sabe? Conhecia essa série da Arqueiro, mas não tinha lido nem resenhas ou sinopses ainda. Me interessei e adorei a descrição do William e de toda sua complexidade. Não diria que leria agora, mas apostaria nele.
    Beijos,
    http://livrosyviagens.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  14. Oi, tudo bem?
    Acho que vou ler esse livro só para ver se mudo minha opinião sobre o autor/a. Eu amei a premissa de O inferno de Gabriel, mas a narração arrastada acabou comigo, tanto que abandonei o segundo livro na metade.
    Então, acho que está na hora de dar uma nova chance, e nada melhor que pegar uma série diferente de Sylvian.
    beijos
    http://meumundinhoficticio.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  15. Adorei a premissa da história e com certeza vou solicitar esse livro e o Príncipe das Sombras para ler. Adoro histórias de vampiros envolventes, a leitura flui bem fácil para mim. Adorei a resenha!

    Beijos, Gabi
    Reino da Loucura

    ResponderExcluir
  16. Oieee!
    Achei super legal a premissa apesar de estar cansando um pouco de livros com vampiros, mas acho q posso curtir este, e tb me interessei com o Príncipe das Sombras, amoo livros que tem muito mistério!!
    Bjos!
    Aline Praça
    www.leituravipblog.com

    ResponderExcluir

Obrigada por seu comentário.

Sua participação é muito importante.

Um grande beijo!