[Resenha] Golias

Golias
Título Original: Goliath (Leviathan #3)
Autor(a): Scott Westerfeld
Editora: Galera Record         Páginas: 460
Lançamento: 2014               ISBN: 9788501097538

GOLIAS ||Compare & Compre||     ||Skoob||  ||Goodreads||
Scott Westerfeld, autor da série Feios, reinventa aqui a Primeira Guerra Mundial em uma narrativa steampunk. Em lados opostos, mekanistas lutam com aparatos mecânicos, enquanto darwinistas usam imensos animais geneticamente modificados. Em Golias, o conflito entre os dois lados atinge seu ápice. Assim como a tensão entre o mekanista Alek e a darwinista Deryn. Enquanto luta para descobrir o que Deryn esconde com tanto afinco, Alek se torna próximo de Nicolas Tesla, um brilhante inventor que guarda um segredo também — o Golias, uma máquina capaz, ao que parece, de destruir cidades inteiras. Ele promete usá-la para impor a paz. Mas qual o mérito de se acabar com uma guerra com mais mortes ainda?
Golias é o desfecho da trilogia steampunk, Leviatã de Scott Westerfeld, publicada no Brasil pela Editora Galera Record, é um livro que eu queria muito ler ao mesmo tempo que também não queria, já que esta é a série do gênero que mais gosto e antes mesmo de começar a leitura já estava sentido saudades do universo fascinante de mekanistas e darwinistas criado por Westerfeld.

A história desta série acontece no período da Primeira Guerra Mundial, onde acompanhamos a eterna luta entre os mekanistas e darwinistas, as máquinas de aço contra os animais de guerra fabricados pelas teorias de Darwin. No meio deste caos estão Alek e Deryn, ele o mekanista, ela a darwinista, ferrenhos em defender suas crenças nestas culturas, acabam vendo que a solução do conflito, na verdade o fim da guerra, não está na supremacia de uma delas e sim na união das duas, os dois jovens desempenham papel importante em toda a trama, e ouso dizer que o futuro está em suas mãos.

Após ter ajudado em uma grande revolução em Beemote, Alek, o herdeiro do trono do Império Austro-Húngaro, está de volta ao Leviatã como um prisioneiro, sente-se inútil e oprimido, as lembranças dos conselhos de seu pai são um conforto momentâneo, mas em nada aliviam o medo do que o futuro lhe reserva. Ele está mais observador do que antes e pela primeira vez nota que a história de Deryn apresenta muitos furos, vê que seu amigo esconde um segredo e dos grandes, para Alek que a conhece como Dylan, algo está muito errado. Com a cabeça na guerra e em seus problemas pessoais, Alek está dividido, cheio de dúvidas e assustado, chega o momento de tomar uma grande decisão e escolher um lado, mas estando tão transtornado, nosso príncipe pode não fazer a escolha correta.

Neste terceiro livro o leitor já está totalmente familiarizado com o universo steampunk de Westerfeld, mas posso dizer que nem por isso deixa de surpreender, a magnitude dos detalhes e engenhosidade usadas para recriar o mundo que conhecemos em um formato totalmente novo é fascinante, desde que li o primeiro livro da série fiquei apaixonada, não só pela criatividade, mas por amar tramas passadas durante guerras.

Todos os livros trazem ilustrações que permitem que você veja o que as palavras estão descrevendo, é algo que ajuda muito em sua visualização do cenário e do ambiente; outro fator positivo da obra, e que a torna inteligente e complexa, é sua base histórica, reviver a Primeira Grande Guerra Mundial não é apenas uma viagem ao passado, é uma aventura emocionante, cheia de conflitos políticos e estratégias.

Este cenário pode parecer frio em um primeiro momento, mas não é,  aqui temos personagens cativantes, que enchem nosso coração de alegria e no decorrer da série tornam-se nossos amigos e companheiros, cada um amadurece gradativamente e evolui com a história, suas relações são bem exploradas e ganham solidez, não cito apenas em relação a  Deryn e Alek, mas entre os darwinistas e mekanistas, contudo são os dois jovens que roubam a cena, aquilo que era para ser apenas uma aliança, tornou-se uma grande amizade e hoje caminha para algo maior. Não vou negar, mesmo sendo bem espertos cometeram deslizes, ela por em alguns momentos deixar-se abater pelo medo e ele por deixar o preconceito dominar e agir como um tolo em relação a Deryn, no entanto aprenderam a lição mais tarde.

Foram várias as minhas expectativas durante esta leitura, eu queria saber quem venceria a guerra, se Alek assumiria o trono, como seria sua reação ao descobrir que Deryn era uma menina e se eles iriam ou não ficar juntos, mas as respostas não vieram logo, aconteceu muita coisa no livro e eu nem acreditava que fosse o último, tantas reviravoltas e conflitos, além de uma volta ao mundo a bordo do Leviatã, já passamos pela Áustria, Inglaterra, Suíça, Constantinopla, Rússia, China, México e até EUA. Nestas idas e vindas Deryn e Alek se aproximam e se distanciam, este livro aborda a relação dos dois de maneira mais profunda, é mais sentimental que os volumes anteriores, embora tenha cenas de guerra o centro de tudo não é isso, a questão aqui são as escolhas, do que você esta disposto a abrir mão por alguém que ama.

É uma história intensa e dinâmica, mas não pesada, diverte por ser pontuada pelos humores sarcásticos e sagazes de seus personagens e pelo carisma das criaturinhas darwinistas perspicazes. As respostas que eu queria vieram e fico feliz com a escolha do autor para o destino de seus protagonistas, foi um final tão fofo e com clima de esperança e dias melhores,  me deixou sorrindo. A série foi bem desenvolvida e o enredo bem trabalhado, em cada livro a aventura de nossos personagens foi ficando mais e mais desafiante e eles acompanharam o ritmo.

Não só os locais e eventos foram inspirados em fatos reais, alguns personagens também, não deixa de ser uma homenagem do autor para figuras tão importantes e também uma maneira de apresentar tudo isso para os jovens leitores, ele coloca um nota final mostrando a linha que separou a fantasia da realidade, e o melhor de tudo é que no mundo de Westerfeld o desfecho da Primeira Guerra seria menos sangrento, quem sabe não teria nem acontecido a Segunda Guerra. Pode ser um sonho, mas para que existem os livros se não forem para nos fazer sonhar?

Vou sentir falta de Alek e Deryn, a viagem no Leviatã foi incrível.


Confira as resenhas dos outros livros da série.





2leep.com

12 comentários:

  1. Cida eu desconhecia o livro e apesar de ter uma pre concepção sobre ele estou curiosa depois de tantos elogios!
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Também amo tramas passadas em guerras, então não poderia esse livro, ainda mais por trazer personagens, locais e eventos reais.
    Amei a resenha! Bjs, Cida <3

    ResponderExcluir
  3. Ouvi muito sobre este autor da série feios, já vi os livros e a história é uma distopia se não me engano, me interessou mas nunca procurei.
    Gostei da onde se passa a história e as disputas entre dois tipos de raças, achei massa também o fato de conter ilustrações, por ser desenvolvido com fatos reais e você ter citado a evolução e amadurecimento dos personagens me deu um pouco de curiosidade para saber mais sobre a história.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  4. Oi Cida,
    confesso que não leria este livro pela capa, não me chama atenção, mas sua resenha me deixou curiosa.

    dica anotada.

    http://blog.vanessasueroz.com.br

    ResponderExcluir
  5. Oie Cida
    não sou muito fã do gênero, e acho que por este motivo não fiquei tão empolgada quando lançou esse livro. Mas fiquei um cadinho curiosa depois dessa sua resenha.
    bjos
    www.mybooklit.com

    ResponderExcluir
  6. Oie, Cida! Vou começar a série ano que vem, por isso acabei pulando umas partes da resenha (quase tudo), mas foi bom saber que ela tem um final tão bom. :D
    Letras & Versos

    ResponderExcluir
  7. Oi, Cida! :)

    Sou louca para ler algum livro do Scott Westerfeld. Aliás, eu tenho a série Feios, mas ainda não li.
    Suas resenhas dessa trilogia me empolgaram bastante, especialmente porque eu nunca li steampunk e tenho muita curiosidade. Já que você recomenda e fala tão bem, acho que vale a pena ler também! Fico feliz por ter terminado tudo bem e você ter gostado do final.

    Beijocas.
    http://artesaliteraria.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  8. Oi, tudo bem?

    Eu não conhecia este livro, estou começando a gostar deste gênero literário e eu gostei muito da resenha deste livro. Fatos reais contados de uma maneira diferente, gostei da ideia.

    Beijos.

    http://livrosleituraseafins.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Oi Cida, tudo bem?

    Ouvi falarem muito bem dessa trilogia!
    É muito legal o fato dos personagens terem aquele carisma que cativa, né? Acho que isso faz uma conexão maior entre o leitor.

    Beijocas
    http://www.estantedasfadas.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Tenho muita vontade de ler essa trilogia, sua opinião tão positiva quando a história ajuda bastante na vontade rs parece ser um livro emocionante (no sentido de tirar o fôlego).

    ResponderExcluir
  11. Oi Cida!
    Não li nenhum livro da série, mas por ser steampunk me interessei!

    Beijos,
    Sora - Meu Jardim de Livros

    ResponderExcluir
  12. Olá, tudo bem?
    Ainda não conhecia a trilogia, mas me parece que é muito boa. Vou colocar na minha lista de livros para 2015 rs :)
    http://www.magisbook.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Obrigada por seu comentário.

Sua participação é muito importante.

Um grande beijo!