[Resenha] Glória e Ruína

Glória e Ruína
Título Original: Queen of Ruin (Grace and Fury #2)
Autor(a): Tracy Banghart    
Editora: Seguinte                 Páginas: 312
Lançamento: 2019             ISBN: 9788555340888
 ||Compre||     ||Skoob||  ||Goodreads||
Na continuação de Graça e Fúria, Serina e Nomi Tessaro vão dar início a uma revolução que vai mudar a vida de todas as mulheres de seu país. As irmãs Serina e Nomi Tessaro nunca imaginaram que acabariam em lugares tão distintos: Serina em uma ilha-prisão, Monte Ruína; Nomi no palácio de Bellaqua, como uma graça, à disposição do príncipe herdeiro do reino. Depois de sofrer uma grande traição, Nomi também é mandada para a ilha e, ao chegar lá, para sua surpresa, encontra Serina à frente de uma rebelião das prisioneiras contra os guardas. Agora as irmãs têm um objetivo em comum: mudar o funcionamento de toda a sociedade. Além disso, elas sabem que Renzo, gêmeo de Nomi, está em perigo. Relutantes, elas se separam mais uma vez, e Nomi retorna à capital, enquanto Serina permanece em Monte Ruína para garantir que todas as mulheres encontrem um lugar seguro para viver. Só que nada sai como o planejado ― e as duas vão ter de enfrentar os seus maiores medos para mudar o país de uma vez por todas.
Glória e Ruína é o segundo volume da duologia Graça e Fúria, de Tracy Banghart, lançada no Brasil pela Editora Seguinte.

Em Viridia as mulheres não têm direito a nada. Não podem opinar, trabalhar, ter dinheiro, escolher o marido ou mesmo ler. Serina Tessaro deveria ser uma das graças de um príncipe (espécie de concubina), mas acabou condenada e jogada em uma ilha presídio por ter um livro. Sua irmã Nomi foi quem acabou entre as mulheres do herdeiro do país e presa as regras que não aceitava.

Serina sempre foi a irmã dócil e conformada, que aceitava o destino das mulheres e Nomi a rebelde que queria a revolução. No entanto, quando jogadas nestas situações inesperadas, os papéis se inverteram. 

Nomi perdeu sua força, ajudou a pessoa errada e colocou o país em uma situação pior. Serina foi obrigada a lutar, literalmente, para sobreviver. Na ilha, ao lado de outras mulheres, ressurgiu como uma guerreira, uma lutadora que foi capaz de começar a revolução.

Agora as irmãs separadas brutalmente, têm a chance de se reencontrar e quem sabe ajudar as mulheres do seu país. Uma chance promissora se apresenta e as duas precisam se organizar bem para tentar uma vitória. Nomi vai ter que ajudar o herdeiro do trono de Viridia a recuperar seu lugar e confiar nele, em suas promessas, de que vai salvar a família dela e ajudar as mulheres. Serina precisa tirar as prisioneiras da ilha e guiar aquelas mulheres rumo a liberdade. Será possível mudar Viridia?

Eu amei o livro anterior e a personagem Serina. Esta moça que começou tão submissa me surpreendeu positivamente ao mostrar tanta força e resiliência para sobreviver e se adaptar a vida que foi obrigada a viver. 

Na ilha de Monte Ruína suas ações e coragem fizeram meu coração bater acelerado. Nesta sequencia da historia ela manteve –se ainda mais forte e mais uma vez roubou a cena. Serina foi a personagem que teve, na minha opinião, o melhor desempenho, carisma e evolução. 

Nomi foi aquela personagem que eu acreditei que seria minha favorita e acabou me decepcionando de diversas maneiras no volume um. Agora ela tenta se redimir, se esforça e admito que fez coisas bem importantes e corajosas, mas para mim ainda é uma personagem que causa incomodo por suas atitudes impensadas e até mesmo egoístas. Eu não consegui simpatizar como Nomi, confiar nela. E já adianto que o destino que teve eu desejei para Serina.

No entanto, apesar de minha ressalva com a personagem, a história em momento algum me decepcionou e a autora conseguiu trazer neste livro dois algo ainda mais grandioso e marcante. Eu adoro a forma brutal com ela conduz as mulheres na luta pela liberdade.  Dá muita dor no coração ver ao que são submetidas, mas a alegria de vê-las se superando e não se deixando abalar sob o domínio dos homens é muito empolgante e emponderador. As mulheres de Monte Ruína lideradas por Serina são o que há de melhor nesta obra e não me importaria de ter mais um volume focado nelas e em como seguiram após a conclusão da história.

Não pensem, no entanto, que todos os homens aqui são ruins. Existem aqueles que se salvam, que ajudam e têm bom coração. O irmão de Serina e Nomi é um deles e foi um rapaz que me ganhou com sua gentileza.

Serina e Nomi são protagonistas bem desenvolvidas e seguem por caminhos árduos, mas têm muita força e vão lutar, mesmo que o preço desta luta seja suas vidas.

Em suma, a duologia Graça e Fúria é um tributo a força das mulheres na luta por seus direitos e anima o leitor por mostrar que elas seguem unidas, como irmãs na luta por uma causa. É tão bom ver o laço que as une por um objetivo em comum, de ver que a autora não quis abordar relações invejosas ou mesquinhas, mas a verdadeira sororidade. É uma história animadora, que faz vibrar e ter vontade de ajudar naquela luta. Eu adorei e recomendo! 

10 comentários:

  1. Oi Cida,
    Eu ainda preciso ler o 1, lembro que quase o comprei na Bienal, mas achei melhor esperar a conclusão da duologia para ler, já que não estava querendo esperar muito para saber o final, rs.
    Beeeijos
    http://estante-da-ale.blogspot.com

    ResponderExcluir

  2. Oi Cida, às vezes os livros possem esses pontos que nos incomodam né, mas nem por isso o livro foi ruim!
    Que bom que apesar das ressalvas o livro foi gratificante para você, eu não tenho muito interesse neste e no anterior, mas gostei da resenha.

    Beijos Mila

    Daily of Books Mila

    ResponderExcluir
  3. Oi, Cida

    Eu tenho o primeiro livro, mas ainda não consegui ler. Você não é a primeira pessoa que vejo que tem uma questão com a Nomi. Espero poder ler pelo menos o primeiro ainda este ano.

    Beijos
    - Tami
    https://www.meuepilogo.com

    ResponderExcluir
  4. Oi, Cida!
    Apesar de todo mundo falar bem dessa duologia, ela ainda não me despertou interesse na leitura. E essas capas não colaboram também.
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir
  5. Oi Cida!
    Eu nao li nem o primeiro e confesso que nao tenho interesse. Alem de achar essas capas feias demais a sinopse me parece muito generica e tem outros que trabalham a tematica parecida e soam melhor.

    Abraços
    Emerson
    http://territoriogeeknerd.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  6. Adorei a proposta do livro e já estou adicionando eles na minha lista !

    Beijos

    Imersão Literária

    ResponderExcluir
  7. Olá...
    Adorei sua resenha!
    Fiquei com muita vontade de ler esse livro, os fatores que compõe o enredo parece tornar a leitura sublime... Gostei bastante de seus comentários!
    Dica anotada!
    Bjo

    http://coisasdediane.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  8. Amei seu post, seu site é muito bom mesmo, estou toda semana visitando e lendo seus artigos.

    Parabéns!

    Beijos💋💋!!

    Meu Blog: Vida Cap

    ResponderExcluir
  9. Oi Cida,
    Tenho muita curiosidade em conhecer, começando pq essas capas são lindas.
    Que bom saber que a autora preferiu focar na união delas. Peguei um livro esses dias, tinha tanta pecuinha feminina, acho que to meio cansada tb.

    até mais,
    Canto Cultzíneo

    ResponderExcluir
  10. Olá, Cida.
    Eu ainda não li o primeiro, estou tentando comprar o segundo para começar a ler mas quase 50 reais pelo livro não dá hehe. Acho as capas dessa duologia lindas e pelo visto o conteúdo condiz com as capas.

    Prefácio

    ResponderExcluir

Obrigada por seu comentário.

Sua participação é muito importante.

Um grande beijo!