[Resenha] Graça e Fúria

Graça e Fúria
Título Original: Grace and Fury (Untitled #1)
Autor(a): Tracy Banghart    
Editora: Seguinte                 Páginas: 304
Lançamento: 2018             ISBN: 9788555340703
 ||Compre||     ||Skoob||  ||Goodreads||
Duas irmãs lutam para mudar o próprio destino no primeiro volume de uma série de fantasia repleta de romance, ação e intrigas políticas. Em Viridia, as mulheres não têm direitos. Em vez de rainhas, os governantes escolhem periodicamente três graças — jovens que viveriam ao seu dispor. Serina Tessaro treinou a vida inteira para se tornar uma graça, mas é Nomi, sua irmã mais nova, quem acaba sendo escolhida pelo herdeiro. Nomi nunca aceitou as regras que lhe eram impostas e aprendeu a ler, apesar de a leitura ser proibida para as mulheres. Seu fascínio por livros a levou a roubar um exemplar da biblioteca real — mas é Serina quem acaba sendo pega com ele nas mãos. Como punição, a garota é enviada a uma ilha que serve de prisão para mulheres rebeldes. Agora, Serina e Nomi estão presas a destinos que nunca desejaram — e farão de tudo para se reencontrar.
Graça e Fúria, de Tracy Banghart, lançamento da Editora Seguinte, traz um história ambientada em um país totalmente machista e retrógrado. Em Viridia, as mulheres não podem ler, escrever, cortar os cabelo sem a permissão de um homem… em suma, não são donas de si e de seus destinos.

O soberano desta terra escolhe, em determinados períodos, três mulheres para sua coleção particular. Essas jovens são conhecidas como graças e atualmente ele passou essa incumbência para seu herdeiro, o jovem Malachi.

Serina Tessaros cresceu sendo treinada para concorrer a posição de uma graça e com isso foi moldada na forma de uma mulher delicada, sem vontade própria e submissa. Já sua irmã, Nomi, não se conforma com essas limitações impostas as mulheres e sempre que pode quebra as regras, até aprendeu a ler. Ambas se amam muito, mas são totalmente opostas. Quando Serina segue para o palácio, para participar da escolhas das novas graças, leva Nomi como sua aia e para surpresa de todos o herdeiro acaba escolhendo a irmã rebelde e tudo muda na vida das duas.

Nomi passa a ser propriedade de Malachi e Serina acaba sendo presa quando é surpreendida em uma situação que indica que ela sabe ler. Para proteger Nomi, aceita a acusação e ambas são separadas. Começa, assim, uma luta para sobreviver e quem sabe um dia ser livre.

Eu me encantei com esse livro logo nas primeiras páginas. Tenho um carinho enorme por histórias ambientadas em cenários com soberanos, palácios e herdeiros e quando somamos a isso moças de personalidade forte, tudo fica melhor ainda.

Claro que essa limitação toda que as mulheres têm que encarar me deixou revoltada, mas foi empolgante em igual medida vê-las lutando para se sobressair. Engraçado que logo no começo eu achei que Nomi seria a revolucionária, aquela que eu ia admirar e torcer e de Serina eu esperava … bem, dela eu não esperava nada, zero atitude. E a autora fez com que nada saísse como esperado e eu acabasse totalmente fã de Serina.

Gente! Essa garota foi a grande revelação de toda a história. Não que Nomi seja uma personagem ruim, mas ela com toda sua rebeldia prometia ser esperta e no final seguiu por um caminho previsível e não obteve um bom resultado. Ela viveu como um pássaro enjaulado no palácio, ficou dividida entre dois homens e acabou sendo bastante submissa. Já a irmã, que foi presa e banida para uma ilha erma, lutou literalmente por si, pela chance de salvar Nomi e por uma centena de mulheres que há muito tempo haviam perdido a razão de viver.

Serina chega triste na ilha de Monte Ruína e inconformada por ter sido tão traída pela vida. No entanto, ao invés de chorar e ser a mocinha delicada que foi treinada para ser, ela se molda a nova realidade e busca aprender a viver de outra forma, a ser forte e não abaixar a cabeça para ninguém, em especial para os homens. Ela é tão incrível e tão determinada, que me fez perder o fôlego com tanta coragem e dignidade.

As irmãs vivem no coração uma da outra, mas distantes em milhares de quilômetros. Cada uma vive sua própria história e a autora soube dar o devido brilho para cada um destes núcleos. No entanto, ambos estão ligados e cada coisa que acontece vai estreitando mais os laços entre o que acontece no palácio e o que acontece em Monte Ruína.

Há boa dose de mistério, intriga e ação. Podem esperar também por cenas brutais e banhadas de sangue. Há muitas lutas, muitas mortes, que servem para mostrar o quanto essas mulheres vão precisar de força, inteligência e coragem para sobreviver nesse mundo de homens e encontrar sua liberdade. Os jogos de poder e disputas politicas estão ali nas entrelinhas e são o que regem todo este mundo.

É uma leitura intensa. Eu fiquei roendo as unhas e sem ar em diversos momentos. Parecia que eu estava lá, do lado das garotas e de mãos atadas sem poder ajudar. Dá um desespero enorme não poder dar uma dica, falar “ei, não faz isso, não!”. Por vezes eu tinha a sensação se ser a prisioneira naquelas correntes. Foi bem legal sentir esse envolvimento. A autora te prende fácil e te enfeitiça.

Tracy Banghart nos apresente nesta obra uma trama emponderada. Traz para o leitor duas protagonistas de carisma e força, que não descansarão enquanto não estiverem juntas outra vez e livres. Há uma busca constante por liberdade, dignidade e amor. Sim! Há amor, embora sutil, teremos algum romance também. No entanto, o que se sobressai e ganha destaque neste livro é a jornada das mulheres que sagazmente, com muita graça e perseverança, querem ser donas de suas vidas e destinos. Não temem que a fúria tome seus corações para chegar aonde desejam. Eu fiquei muito surpresa com a força desta obra e torço para que todos possam conhecer Graça e Fúria. 








2leep.com

9 comentários:

  1. Oi Cida! Quando vi o lançamento desse livro já fiquei interessada e ser ambientada com palácios e soberanos sempre me agrada (ainda tenho saudades de "A Seleção"), acho que tem uma atmosfera diferenciada e envolvente, mas confesso que vou ficar muuuuito incomodada com esse comportamento e atitudes machistas, modos tão arcaicos e atrasados. Sabe que jamais pensei que seria um livro de "roer unhas", adoro esse tipo... vou deixar a dica anotada!
    Beijos
    http://espiraldelivros.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. Oiii Cida

    Uma amiga leu esse livro e tb amou, comparou muito com A Rainha Vermelha e disse que tem mais ou menos o memso ritmo inclusive. Eu não gostei nadinha dessa capa nacional, preferia que tivessem mantido a original, era mais adulta e mais intrigante. Enfim, o livro está na minha meta e espero ler em breve

    Beijos

    www.derepentenoultimolivro.com

    ResponderExcluir
  3. Oiê, tudo bem?
    Não conhecia o livro e achei a premissa muito interessante, gostei muito da sua resenha, estou louca de curiosidade agora para saber o que a Serina fez hahaha
    Espero ter oportunidade de ler o livro um dia!

    Obrigada pelo carinho. Volte sempre!
    Um super beijo :*
    Claris - Plasticodelic

    ResponderExcluir
  4. Oi, Cida!
    Essa história parece ser toda trabalhada no girl power, mas essa capa aí me brochou legal...
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir
  5. ainda não conhecia, mas a trama me deixou bem intrigada, histórias com esses elementos são facilmente cativantes

    http://felicidadeemlivros.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  6. Desde que eu vi a capa desse livro circulando nos blogs, fiquei extremamente interessada. Lendo agora uma resenha o meu desejo aumentou ainda mais. Adoro histórias que trazem irmãs diferentes, mas que se amam muito. Me lembrou um pouco de Caraval :) Fiquei curiosa e muito interessada em ler! Os Delírios Literários de Lex

    ResponderExcluir
  7. Olá, Cida.
    Meu exemplar ainda não chegou aqui. Mas estou doida para ler ele. Também gosto muito de história que tem palácios, e essas coisas e essas duas irmas já ganharam meu coração mesmo antes de eu ler o livro hehe.

    Prefácio

    ResponderExcluir
  8. Oi, Cida

    Eu não gosto da capa escolhida, mas a história chama muito minha atenção. Com certeza vou amar a Serina, adoro personagens fortes assim!
    Assim que der vou comprar, espero gostar assum como você.


    Beijos
    - Tami
    https://www.meuepilogo.com

    ResponderExcluir
  9. Oi Cida, tudo bem?
    Apesar de não ter gostado da capa, curti muito a premissa do livro!
    Sua resenha me deixou ainda mais empolgada, porque parece ser uma história cheia de emoção com boas personagens.
    Beijos,

    Priih
    Infinitas Vidas

    ResponderExcluir

Obrigada por seu comentário.

Sua participação é muito importante.

Um grande beijo!