[Resenha] O Jardim das Borboletas

Jardim das Borboletas
Título Original: The Butterfly Garden (The Collector #1)
Autor(a): Dot Hutchison  
Editora: Planeta                                Páginas: 304                          
Lançamento: 2017                           ISBN: 9788542212020
 ||Compre||     ||Skoob||  ||Goodreads||
Quando a beleza das borboletas encontra os horrores de uma mente doentia. Um thriller arrebatador, fenômeno no mundo inteiro. Perto de uma mansão isolada, existia um maravilhoso jardim. Nele, cresciam flores exuberantes, árvores frondosas... e uma coleção de preciosas “borboletas”: jovens mulheres, sequestradas e mantidas em cativeiro por um homem brutal e obsessivo, conhecido apenas como Jardineiro. Cada uma delas passa a ser identificada pelo nome de uma espécie de borboleta, tendo, então, a pele marcada com um complexo desenho correspondente. Quando o jardim é finalmente descoberto, uma das sobreviventes é levada às autoridades, a fim de prestar seu depoimento. A tarefa de juntar as peças desse complexo quebra-cabeça cabe aos agentes do FBI Victor Hanoverian e Brandon Eddinson, nesse que se tornará o mais chocante e perturbador caso de suas vidas. Mas Maya, a enigmática garota responsável por contar essa história, não parece disposta a esclarecer todos os sórdidos detalhes de sua experiência. Em meio a velhos ressentimentos, novos traumas e o terrível relato sobre um homem obcecado pela beleza, os agentes ficam com a sensação de que ela esconde algum grande segredo.

O Jardim das Borboletas, de Dot Hutchison, lançado no Brasil pela Editora Planeta é o primeiro volume da série Collector. Os livros são suspenses policiais que abordam crimes cometidos contra jovens e crianças, tendo como ponto em comum os investigadores Brandon Eddison, Victor Hanoverian e Mercedes Ramirez. Os dois primeiros têm papel mais ativo neste volume e conduzem a investigação sobre o jardim das borboletas, um enorme cativeiro de meninas oculto na propriedade de um homem rico e bem visto pela sociedade.

O jardim pegou fogo e só assim foi descoberto. Muitas meninas, que ali estavam há anos, são libertas e outras acabam morrendo no incêndio. A polícia tenta entender o que aconteceu conversando com uma das vítimas, uma menina que as outras enxergavam como líder.

Maya parecia ter as respostas do que aquele lugar escondia e dos horrores que cada uma ali viveu. A trama se desenrola em partes entre os dias atuais com ela na sala de interrogatório da policia e as demais no hospital e no passado, quando ela conta sobre sua vida antes de ser sequestrada pelo Jardineiro e de seus dias presa no jardim.

Não achei Maya uma personagem cativante, mas seu relato é envolvente e fica impossível desgrudar do livro. Eu li super rápido, mesmo com longas pausas para respirar após saber sobre cada abuso que aquelas meninas sofreram no jardim. É uma história que mostra um homem de personalidade doentia, desejos asquerosos e atitudes bizarras.

Maya vai nos inserindo no jardim conforme ela mesmo o adentrou. A cada nova descoberta do que ocorria ali, meu sangue gelava. Acho que por ser mulher a sensação de saber como as vítimas se sentiam foi pior, pois aquele homem atacava a nós, brutalizava e tirava a dignidade. E o pior, era que dizia amar cada menina naquela loucura, as tratando como propriedade e marcando-as. O pior aspecto é como as mantinha com ele mesmo após morrerem.

A história, para quem curte estes enredos mais pesados, é uma grata surpresa e segue de maneira furtiva, esquiva e insondável tal como a personagem de Maya. Ela não confia nas pessoas e demora para de fato dizer tudo aos policiais. Não é uma personagem de carisma, mas é um personagem intrigante. Já os policiais, eles sim, são carismáticos e estou ansiosa para ler outros livros da série e conhecê-los melhor.

E voltando ao jardim dos horrores… 

A trama é densa e tortuosa. Tem momentos de grande impacto psicológico, mas acho que o final poderia ter sido conduzido de outra forma, trazendo algo mais marcante e cuidadoso. Ocorre a inserção de uma certa personagem no desfecho de maneira estranha. Não acho que sua participação tenha sido totalmente necessária  ou mesmo convincente. Ela poderia ter aparecido apenas como um conforto para Maya e  não como justificativa.

No mais, O Jardim das Borboletas é um livro com um suspense sombrio e incomodo, que prende a atenção do leitor com facilidade, ainda que seu final não tenha sido como eu esperava. 





2leep.com

9 comentários:

  1. FIQUEI SEM FÔLEGO.
    Eu quero ler, Cida!!!
    Estou amando ler thrillers ultimamente, nem estou me reconhecendo mais HAHAHAHAHA
    Beijos
    http://estante-da-ale.blogspot.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você tem me surpreendido bastante apostando no gênero. Estou adorando ver você lendo este tipo de obra.

      Excluir
  2. Adorei a resenha! Até fiquei com vontade de ler o livro mesmo não sendo um estilo literário que aprecie muito...
    Um abraço :)
    Mundo da Fantasia

    ResponderExcluir
  3. Eu adoro livros policiais, principalmente quando tem uma dupla ou no caso aqui um trio que aparecem como núcleo, mas sempre que envolve crianças ou adolescentes fico apreensiva, com aquele misto de quero ler, mas não quero me sentir mal. Anotei a dica, quem sabe eu comece a série quando terminar alguma outra.

    Beijo!

    ResponderExcluir
  4. Oi Cida,
    Adoro thrillers mais pesados. Tinha visto a capa desse, achei que fosse um drama, na verdade. Adorei a dica.

    até mais,
    Canto Cultzíneo

    ResponderExcluir
  5. Olá, Cida.
    Eu já vi a capa desse livro, mas ainda não tinha lido nenhuma resenha dele. Achei o enredo super interessante e pelo título nunca ia imaginar que era isso. Eu quando leio livros assim também me sinto como se fosse eu ali, não me conformo que esse tipo de coisa ainda aconteça. Acho que é um livro que lerei.

    Prefácio

    ResponderExcluir
  6. Oie Cida =)

    Parece ser o tipo de história bem densa, que ao mesmo tempo que no deixa envolvidos com a narrativa nos causa um misto de emoções dolorosas.

    No momento não é o tipo de temática que me atraí, por conta da carga emocional mais pesada. Mas, que sabe no futuro.

    Beijos e uma ótima semana;***
    Ariane Reis | Blog My Dear Library.


    ResponderExcluir
  7. Oi Cida,

    Olhando pela capa nem imaginava todo esse suspense sombrio.
    Gostei da premissa da história, vou anotar na lista, mas tenho alguns na frente por enquanto rs.
    Bjs e um bom fim de semana!
    Diário dos Livros
    Conheça o Instagram

    ResponderExcluir
  8. Oi Cida, engraçado que nos últimos tempos os autores tem pecado no final, né? De qualquer forma, a premissa é interessante!

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir

Obrigada por seu comentário.

Sua participação é muito importante.

Um grande beijo!