[Resenha] Moxie

Moxie 
Título Original: Moxie
Autor(a): Jennifer Mathieu 
Editora: Verus                      Páginas: 288
Lançamento: 2018               ISBN: 9788576866824

||Compre||     ||Skoob||  ||Goodreads||
Vivian Carter está cansada. Cansada da direção da escola, que nunca acha que os jogadores do time de futebol estão errados. Cansada das regras de vestuário machistas, do assédio nos corredores e dos comentários babacas dos caras durante a aula. Mas, acima de tudo, Viv está cansada de sempre seguir as regras. A mãe de Viv era dura na queda, integrante das Riot Grrrls nos anos 90. Inspirada por essas histórias, Viv pega uma página do passado da mãe e cria um fanzine feminista que distribui anonimamente para as colegas da escola. É só um jeito de desabafar, mas as garotas reagem. Logo Viv está fazendo amizade com meninas com quem nunca imaginou se relacionar. E então ela percebe que o que começou não é nada menos que uma revolução feminista no colégio.

Moxie, Quando as garotas vão à luta, de Jennifer Mathieu, foi um dos lançamentos de Verus do final de 2018 e posso dizer que foi um livro que me surpreendeu totalmente.

Eu amo histórias passadas em ambiente estudantil e este foi o primeiro motivo que me levou a me interessar pela obra e o outro foi vê-lo sendo considerado um grito de guerra das garotas contra as restrições que tentam impor ao sexo feminino.

Vivian Carter era uma menina que preferia ser discreta na escola e não chamar a atenção, bem diferente de sua mãe que na juventude foi considerada radical e feminista, uma Riot Grrrl. Viv gosta de olhar as lembranças da mãe dessa época, materiais guardados em uma caixa intitulada “minha juventude perdida” e que alimentam uma possível Vivian rebelde, embora ninguém acredite que ela possa existir.

Quando um grupo de garotos humilha uma colega na classe e Viv se dá conta que eles sempre se safam, sejam por serem garotos ou mesmo por serem membros do time esportivo da escola e um deles filho do diretor. O fato é que a direção da escola sempre protege os meninos e persegue as garotas. É uma organização extremamente machista e injusta e isso faz a garota desejar tomar uma atitude. Então ela cria a Moxie.

Moxie é uma zine (como um jornalzinho)  que Vivian confecciona e distribui secretamente na escola. Ali, naquelas páginas, ela critica as mais recentes injustiças praticadas contra garotas em sua escola e aponta logo os culpados e a falta de atitude das pessoas em relação a isso. 

No começo a publicação não chama muita atenção, mas consegue alguns fãs. No entanto, não demora a reunir mais e mais meninas, ao mesmo tempo que a escola as agride mais e mais psicologicamente e os meninos, em alguns casos, fisicamente. Moxie se torna um movimento, um grito de guerra.

Vivian vive em uma cidade do Texas muito conservadora e para algumas meninas é dificil agir contra um sistema onde elas não têm voz e espaço, onde devem ser apenas dóceis e submissas. Assim, Moxie vai entrando nestas mentes aos poucos e Viv, mesmo secretamente, se vê dividindo sua ideia de maneira lenta, mas eficaz. A zine passa a ser de todas , não apenas dela.

A obra é inspiradora do começo ao fim. Abre os olhos para relacionamentos e comportamentos abusivos e mostra que a união faz a força e que todos somos seres humanos com direitos iguais, independente de raça ou sexo. É uma obra sobre igualdade e até mesmo desmistifica alguns aspectos de ser feminista, como exemplo de que uma mulher assim é meio avessa aos homens. A autora equilibra a luta de Vivian com um romance, um garoto legal que a entende e não acha que mulheres devem ser dominadas. Na verdade, defender seus direitos não é um gesto de ódio. É uma busca por respeito.

Uma leitura muito envolvente e empolgante. Eu me sentia parte da história, dividindo com aquelas garotas sua luta e torcendo muito para que conseguissem ter seus direitos respeitados. Eu tinha vontade de dar um chute no traseiro daquele diretor e do filho babaca dele, de brigar por cada menina daquela escola.

A obra é inteligente, de fácil leitura e com um conteúdo muito atual. Acredito que seja uma leitura indicada para todas as idades, mas em especial para os adolescentes. Eu adoraria ter tido esta obra em minha juventude para me ajudar a abrir os olhos para coisas que pareciam inofensivas, mas que hoje vejo como sendo nocivas e disfarçadas com brincadeiras e meias palavras. Nós acabamos por aprender, cedo ou tarde, mas quanto antes melhor.

Moxie sabe passar sua mensagem, conversa com o leitor e nos prende do começo ao fim com seu carisma. A Vivian é uma personagem cativante, assim como boa parte de seus amigos e a família. É uma garota real, assim como toda a história, que é bem convincente e autêntica. Recomendo!   


2leep.com

7 comentários:

  1. É muito bom quando o livro nos trás reflexão. Sinceramente eu era igual a personagem não gostava de chamar atenção, mas com o tempo eu percebi que me expressar seria o melhor caminho a seguir. Como é um livro focado para adolescentes eu não vou ler no momento, mas irei recomendar pra gente gosta do gênero. ❤

    www.depoisdaleitura.com.br

    ResponderExcluir
  2. Oi Cida, tudo bem?
    Amei a dica e amei a proposta, de ser um livro curto e voltado ao público mais jovem com temas tão importante. Isso me faz botar fé nas futuras gerações, sério!
    Beijos,

    Priih
    Infinitas Vidas

    ResponderExcluir
  3. Oi, Cida! Tudo bom?
    Eu queria ter lido essa história quando era adolescente. É o tanto que amei esse livro e considerei ele importante; é o tipo de trama que deveria estar nas estantes de todo mundo porque é tão rápido, fácil e IMPORTANTE <3
    E agora vai ter filme aaaaaaaaaaaa

    Beijos,
    Denise Flaibam.
    www.queriaestarlendo.com.br

    ResponderExcluir
  4. Oi Cida, eu não conhecia a obra, mas agora que vc me apresentou confesso que estou morta de curiosidade! Quero conferir sim!

    Bjs, mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  5. Oi, Cida!
    Eu estava com pé atrás com o livro, mas depois da sua resenha acho que seria uma ótima experiência. E eu sou apaixonada por essa capa.
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir
  6. Oi Cida,
    Eu estou bem curiosa pra ler esse livro, ainda mais agora depois de conhecê-lo melhor pela sua resenha. Adorei toda ideia da Vivian e fiquei curiosa pelos caminhos que se dá. E tb estou ansiosa pela adaptação da Netflix.

    até mais,
    Canto Cultzíneo

    ResponderExcluir
  7. Olá, Cida.
    Estou doida para ler esse livro. Acredito que eu também teria amado ler um livro assim nessa idade. Mas sempre é tempo. As pessoas não entendem que o que queremos é apenas respeito e igualdade. Nada mais que isso.

    Prefácio

    ResponderExcluir

Obrigada por seu comentário.

Sua participação é muito importante.

Um grande beijo!