[Resenha] Um Amor Perdido

Um Amor Perdido
Título Original: The Lost Wife
Autor(a): Alyson Richman 
Editora: Bertrand Brasil       Páginas: 336
Lançamento: 2018               ISBN: 9788528622645
 ||Compre||     ||Skoob||  ||Goodreads||
Separados pela guerra, ligados pela memória: uma história envolvente e instigante no rastro da Segunda Guerra Mundial. Na Praga do pré-guerra, Lenka, uma jovem estudante de arte, apaixona-se por Josef, um médico recém-formado. Eles vivem cheios de ideais e de sonhos para o futuro, mas também são judeus e muito ligados à família. Casam-se, mas, pouco tempo depois, como tantas outras famílias, são separados pela guerra. As escolhas impostas pelo destino os afastam, mas deixam marcas permanentes: o caos e as informações truncadas dos tempos de guerra os levam a crer que o outro morre. Na América, Josef torna-se um obstetra bem-sucedido e constrói uma família, apesar de nunca esquecer a mulher que acredita ter morrido. No gueto de Terezín, Lenka sobrevive graças aos seus dotes artísticos e à memória de um marido que julgava nunca voltar a ver. Apesar de todas as provações e dos infortúnios, mantém a chama daquele primeiro amor acesa, guardada em seu coração. Da glamorosa vida em Praga antes da ocupação aos horrores da Europa nazista, Um Amor Perdido explora o poder do primeiro amor, a resiliência do espírito humano e a eterna capacidade de recordar.
Um Amor Perdido, de Alyson Richman, lançamento da Bertrand Brasil, traz a história de dois jovens apaixonados que foram separados injustamente pela guerra.

Lenka e Josef se apaixonaram em Praga algum tempo antes de ver sua terra ser tomada pelos nazistas. Eles, mesmo que por poucos meses, tiveram a chance de viver um amor inocente, cheio de paixão e livre de preocupações. No entanto, com a ameaça constante da invasão alemã, a leveza foi substituída pelo medo e os dois casaram-se as pressas de forma que assim ficasse mais fácil conseguir uma fuga para os EUA.

O casal, infelizmente, não teve o final feliz esperado. Uma série de infortúnios os leva a uma separação e temos então a história de dois amantes que nos contam como foram suas vidas longe um do outro e, ainda assim, nunca deixando de se amar.

O relato de Josef tem um tom saudosista e melancólico. Ele nunca esqueceu sua Lenka, mas nos EUA se viu reconstruindo a vida e tendo oportunidades de ser feliz. Ele teve muitas chances e as agarrou, posso dizer que mesmo sem seu grande amor conseguiu ser feliz. Josef fala pouco sobre a guerra, ele não a viveu como a esposa já que foi para outro país e permeia sua narrativa com os detalhes de ser um imigrante, de recomeçar e de como, ao final, foi gratificante ser um obstetra e trazer muitas vidas ao mundo. Ele procurou Lenka, mas as notícias que recebeu não foram animadoras.

Na Europa temos Lenka. Seu relato é com certeza o verdadeiro drama da história. Não estou diminuindo a dor de Josef que perdeu todos, mas ao passo que ele teve uma fuga, ela teve que viver na pele os horrores de ser judia. Lenka amava a família e ficou ao lado deles todo o tempo. Viu a fortuna do pai se esvair e o homem orgulhoso que ele era ser diminuído a um homem com medo e receio de ser assassinado.

As reprimendas e opressão aos judeus estão vivas nos relatos de Lenka. Você sente uma dor imensa e muita compaixão ao ver o grau de humilhação ao qual foram submetidos. Após perderem tudo, ela e a família, foram escorraçados de casa e colocados num local de pura miséria e imundície. Não apenas perderam a liberdade, mas foram privados de viver como serem humanos e eram tratados como animais e escravizados. 

Lenka e outros judeus encontravam conforto apenas entre si, mas não o conforto de uma cama macia e sim outro mais simples que para eles significava um mundo. Os meses no gueto de Terezín foram terríveis, mas nada comparados ao terror que a assolou em Auschwitz. Aí sim,  a narrativa torna-se dura, cruel e somente suavizada quando intercalada com os capítulos de Josef. A autora foi engenhosa em apresentar a história assim, caso contrário longas pausas seriam necessárias para o leitor tomar fôlego e seguir com Lenka. É muito triste.

Sem dúvidas histórias de guerra são dolorosas e um romance protagonizado por dois jovens desta época torna-se mais marcante que outros romances. Não é apenas pelo sacrifício, mas pela força de manter o sentimento vivo em meio a tanta tragédia. É interessante ver como o casal não permanece junto, mas você sente o laço que os une e acredita no que sentem. Lemos esperando por um encontro, mesmo não sendo um encontro de contos de fadas.

Um Amor Perdido é um romance maduro e dramático que não apenas se passa na época da Segunda Guerra Mundial, mas que sobrevive e serve como força para duas pessoas se manterem de pé quando o mundo estava ruindo. É um relato realista e emocionante de duas pessoas que foram vítimas e, ainda assim conseguiram de alguma forma vencer.



2leep.com

9 comentários:

  1. Oiii Cida

    Não sou muito de romances ambientados nesse periodo, acho tão triste e como já li antigamente vários livros ambientados na Segunda Guerra acabei saturando do tema. Um amor perdido no entanto tem uma premissa que me chama mais a atencão, acho que a história parece ser daquelas que envolve o leitor. Não descarto conferir essa trama futuramente, essa capa linda merece...rsrs

    Beijos

    www.derepentenoultimolivro.com

    ResponderExcluir
  2. Olá, Cida.
    Eu já tinha visto esse livro em outro blog e já coloquei na minha lista de desejados. Eu gosto muito de livros que se passam durante a Segunda Guerra. Sou dessas que gosta de romances sofridos assim hehe. Vou querer ler com certeza.

    Prefácio

    ResponderExcluir
  3. Essa capa... Essa premissa...
    Não vejo a hora de ler, parece ter tudo aquilo que eu busco em um romance!
    Uma ótima dica, Cida!
    Beijos
    https://estante-da-ale.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Oi Cida,
    Romances nessa época sempre mexem comigo também. Seja em livro ou filme-série...Estamos nós aqui, acompanhadinhas da caixa de Kleenex, lendo. haha

    até mais,
    Nana - Canto Cultzíneo

    ResponderExcluir
  5. Oi,

    Eu gosto de livros com a temática da Segunda Guerra Mundial, mas confesso que sofro muito com eles e fico abalada por um longo tempo. Recentemente li um que se passava na mesma época e eu fiquei bem emocionada.
    Estou bem interessada por esse livro, acho que vai ser mais um daqueles que vai me deixar caída de tanta emoção.
    Adorei a resenha!

    Beijos
    http://espiraldelivros.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  6. Oi Cida, só pela sinopse deu pra perceber que é um romance mais sério mesmo e bem mais maduro, inclusive bem desenvolvido. Em breve pretendo conferir!

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  7. Oi, Cida!
    Nossa, só de ler essa resenha meu coração se apertou e eu já me vi torcendo para que Lenka e Josef se reencontrassem.
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir
  8. nossa, com esse enredo eu preciso ler! eu preciso chorar com essa história!
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Oi Cida!
    Que linda a capa desse livro. E a história promete ser emocionante!

    Beijos,
    Sora | Meu Jardim de Livros

    ResponderExcluir

Obrigada por seu comentário.

Sua participação é muito importante.

Um grande beijo!