[Resenha] Mulher-Maravilha: Sementes da Guerra

Mulher-Maravilha: Sementes da Guerra
Título Original: Wonder Woman: Warbringer (DC Icons #1)
Autor(a): Leigh Bardugo
Editora: Arqueiro                 Páginas: 400
Lançamento: 2017               ISBN:9788580417463 
 ||Compre||     ||Skoob||  ||Goodreads|| 
Antes de se tornar a Mulher-Maravilha, ela era apenas Diana. Filha da deusa Hipólita, Diana deseja apenas se provar entre suas irmãs guerreiras. Mas quando a oportunidade finalmente chega, ela joga fora sua chance de glória ao quebrar uma lei das amazonas e salvar Alia Keralis, uma simples mortal. No entanto, Alia está longe de ser uma garota comum. Ela é uma semente da guerra, descendente da infame Helena de Troia, destinada a trazer uma era de derramamento de sangue e miséria. Agora cabe a Diana salvar todos e dar seu primeiro passo como a maior heroína que o mundo já conheceu.

Mulher-Maravilha: Sementes da Guerra é o primeiro volume da série Lendas da DC, publicada no Brasil pela Editora Arqueiro. Cada volume traz uma história de um dos famosos personagens dos quadrinhos da DC Comics e foi escrito por um autor diferente. Este aqui veio pelas mãos de Leigh Bardugo, autora conhecida pelas séries Six Of Crows e Grisha Verse.

A Mulher Maravilha dispensa apresentações, ainda mais depois daquele filmão que estreou ano passado. Este livro traz uma aventura desta personagem tão incrível e forte. Desta vez Diana precisa impedir que o caos da guerra se espalhe pelo mundo e para isso precisa deixar a segurança de sua ilha e ajudar uma determinada humana a se purificar de seu legado ancestral.

A Diana de Bardugo me causou um estranhamento inicial. Como a imagem mais recente da Mulher Maravilha que tenho em mente é a do filme, demorei um pouco para me adaptar a sua versão adolescente, insegura, imatura e tentando se achar no meio do universo das amazonas.

Essa Diana é ainda apenas a filha da rainha das amazonas e não sabe muito bem como ser uma princesa e pior ainda, ser aceita por seu povo. Ela é a única que não foi forjada no calor da batalha e por isso não tem a admiração e respeito das demais. Diana sempre acha que alguém está doido para ver sua queda e sente uma imensa necessidade de um grande feito, algo que a consagre e torne digna de estar ao lado da mãe e entre as demais.

Quando um barco naufraga perto da ilha onde Diana vive, ela resolve verificar se há sobreviventes e acaba salvando a vida de Alia Keralis, uma jovem rica de Nova Iorque. No entanto, Alia não é uma garota comum e faz a ilha de Diana literalmente surtar e as amazonas começam a ficar doentes. Alia é uma semente da guerra, uma descendente de uma longa linhagem de mulheres que consciente ou inconscientemente, desperta nos homens o desejo de brigar, matar e guerrear. Onde antes existiu uma semente houve um grande conflito.

O Oráculo da ilha aconselha Diana a deixar Alia morrer, mas a princesa é teimosa e acredita que pode haver uma forma de impedir que o mal da semente seja disseminado. O Oráculo diz que há e Diana abandona tudo para trás e decide salvar Alia e o mundo. Nesta missão reside a chance do grande feito que ela sempre desejou realizar.

Há muita ação na história e muito mistério. Tudo que envolve Alia Keralis e sua família é obscuro e ao mesmo tempo que Diana segue com a jovem e um grupo de amigos dela na busca por quebrar a maldição da semente da guerra, ela tenta entender toda a mitologia que segue a semente e o que os Keralis escondem.

Alia vai escapar de mil e uma tentativas de assassinato e não sabemos quem deseja por fim em sua vida. Há um vilão nas sombras e eu nem de longe imaginei quem fosse tal pessoa. A autora soube bem com manter esse enigma até o final e casando bem tal dúvida com diversas batalhas de Diana e fugas incríveis.

E falando em batalhas e fugas, este aspecto da obra é muito bem desenvolvido. Você tem a sensação de estar vendo cada acontecimento e sentido na pele a loucura vivida pelos personagens na comoção de salvar a pele. É bem eletrizante.

É uma trama de muita adrenalina, embora Diana ainda seja bem ingênua no geral. Ela até que se sai bem fora da proteção da ilha e começa a dar os primeiros passos em sua jornada de Mulher Maravilha. Vai cometer alguns erros, vai cair muito e levantar ainda mais forte. Eu surtei com a forma como se deixou enganar muitas vezes, mas vê-la se reerguer e dar a volta por cima fez valer todo o sofrimento.

Diana e os personagens desta trama começam bem frágeis, mas a cada página vão ganhando mais resistência e maturidade, vão sendo esculpidos em novas pessoas e aqueles que chegam vivos ao final são bem diferentes daqueles que conhecemos no começo. A evolução é muito digna.

Gostei muito! Eu não duvidava que fosse ser uma boa história, mesmo estranhando essa Diana tão teen, eu já conhecia o trabalho de Leigh Bardugo de outras obras e ela sabe como deixar o leitor roendo as unhas e de coração acelerado. Tomara que esta série traga não apenas este, mas outros livros protagonizados pela Mulher Maravilha.

O segundo volume é Batman: Criaturas da Noite, escrito por outra autora que sou fã, Marie Lu. Na verdade os quatro autores de Lendas da DC são meus queridinhos, em breve teremos Catwoman: Soulstealer (Sarah J. Maas) e Superman (Matt de la Pena)








2leep.com

6 comentários:

  1. Oi Cida,

    Só autores bons nesses quatro livros.
    Esse livro já está na minha lista de leitura, assim como os outros.
    Bjs!
    Diário dos Livros
    Siga o Instagram

    ResponderExcluir
  2. Oi, Cida!
    O começo foi bem ruim pra mim, mas eu amei a história. Queria bem mais da Diana e Alia juntas. Que sisterhood linda!
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir
  3. Oi, Cida! Tudo bom?
    Eu tô lendo Batman nesse momento e essa coisa da ingenuidade provavelmente vai ser trabalhada em todos os livros; o que é legal, porque estabelece o arco de crescimento e fortalecimento dos heróis.
    AMEI Sementes da Guerra e queria muito ver mais sobre a Diana escrita pela Leigh.

    Beijos,
    Denise Flaibam.
    www.queriaestarlendo.com.br

    ResponderExcluir
  4. Oiii Cida

    Eu adoro a escrita da Leigh Bardugo, acho ela criativa, original, sabe conduzir os diálogos. Apesar da MUlher Maravilha não ser um personagem que me chame tanto a atenção, não descarto conferir essa história se sobrar um tempinho extra, porque da Bardugo ja decidi que quero ler tudo...rsrs

    Beijos

    www.derepentenoultimolivro.com

    ResponderExcluir
  5. Oi Cida, lá no blog é a Lu que acompanha essa série e ela tb gostou. Quero conferir porque eu adoro a Diana e uma trama cheia de adrenalina!

    Bjs, Mi


    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  6. This book made a strong impression on me dear i want to read it..
    https://clicknorder.pk online shopping in pakistan

    ResponderExcluir

Obrigada por seu comentário.

Sua participação é muito importante.

Um grande beijo!