[Resenha] Sociedade J. M. Barrie

Sociedade J. M. Barrie
Título Original: The J.M. Barrie Ladies' Swimming Society
Autor(a): Barbara J. Zitwer
Editora: Novo Conceito        Páginas: 288
Lançamento: 2017               ISBN: 9788581635231
||Compre||     ||Skoob||  ||Goodreads||
Após passar por altos e baixos na vida, Joey ­ finalmente tem uma grande oportunidade: a empresa de arquitetura onde trabalha decidiu mandá-la para Inglaterra para supervisionar a restauração de uma antiga casa. A Stanway House é o lugar onde J. M. Barrie teria escrito Peter Pan, o livro favorito de Joey. Entretanto, a tarefa se mostra mais difícil do que ela imaginava. Até que um dia, enquanto corria pelo parque, Joey conhece um grupo de alegres octogenárias. Elas são membros da Sociedade de Natação de Senhoras J.M. Barrie. O desafio delas é nadar nas águas geladas do lago. A cada dia de Natal, desde 1864, os membros da Sociedade fazem uma competição ao ar livre. J.M. Barrie era o patrono e deu aos participantes um troféu, agora conhecido como Troféu Peter Pan. Essa sociedade, adorável e divertida, transforma a vida de Joey, e marca o início de uma amizade que a mudará de maneira inesperada. Encontrar o amor é muitas vezes apenas um mergulho em nós mesmos.
Sociedade J. M. Barrie - A Vida Secreta Das Senhoras da Terra do Nunca, de Barbara J. Zitwer, publicado pela Editora Novo Conceito foi aquele livro que chegou na hora certa para mim, proporcionando uma leitura deliciosa e me deixando com aquele vontade de abraçar os personagens e a história num todo.

Eu digo que chegou na hora certa não por trazer uma mensagem de vida ou mesmo algo para refletir, o que ocorre é que eu tenho minhas fases de leitora e por vezes sinto a necessidade de certo tipo de história. Eu tenho os meus surtos de policiais/thrillers e leio vários do gênero na sequencia, assim como tenho meus surtos com fantasia, romance e por aí vai. Por estes dias eu estava meio que querendo história de gente como a gente, de vida real e coisas do cotidiano e Sociedade J. M. Barrie é cem por cento assim, ou seja, caiu como uma luva para meu desejo literário da vez.

Eu o peguei aleatoriamente na minha estante para folhear e esqueci do tempo. Conheci aqui a jovem Joey, uma moça dedicada ao trabalho, solteira e que acabou de ter o coração partido. A protagonista tenta lidar dia a dia com cada novo obstáculo que surge e, sem dúvidas, mergulhar no novo projeto de trabalho é um ótimo remédio para não pensar nos problemas.

Joey está trabalhando no projeto de restauração e reforma de Stanway House, lugar onde J. M. Barrie escreveu Peter Pan. Ela não é a responsável direta, mas sua carga de tarefas é bem maior do que a do responsável e por uma bela reviravolta do acaso, Joey acaba tendo que assumir o projeto e precisa sair de Nova Iorque rumo a Inglaterra para cuidar de tudo. Assim a vida da moça ganha novas cores.

Eu até imaginei que fossemos ter uma abordagem dentro da obra sobre Peter Pan, mas embora o livro de Barrie seja citado no começo, a trama gira em torno de Joey e como ao assumir este trabalho de reforma de uma casa, acabou reformando a própria vida.

Ela é uma moça que no decorrer da vida deixou muito de lado pela carreira, afastou-se de amigos, guardou mágoas e deixou de acreditar no romance após ser decepcionada. É prática e cética e ao chegar na Inglaterra percebe que seu jeito de viver e ser pode um dia ter feito ela feliz, mas hoje mostra-se incompleto.

Joey reencontra na Inglaterra uma velha amiga de infância e nesta relação se vê passando a limpo velhas dores e redescobrindo o prazer da amizade cúmplice e sincera, nada de relações superficiais como as dos últimos tempo. Conhece um grupo de senhoras nadadoras muito perspicaz, que compartilha com ela suas experiências de vida mostrando o verdadeiro prazer de viver e aproveitar as pequenas coisas. E há também um jovem viúvo com uma filha adolescente, ambos entram no coração da moça fazendo-a desejar algo mais que a correria de uma carreira de sucesso.Fazem Joey pensar em família e aconchego no final de um dia.

Cada um dos momentos que Joey vive com estas pessoas forma uma história bonita de amor, amizade e esperança. A autora entrelaça todas essas vidas com muita sensibilidade e nos apresenta algo de aquecer o coração. A história é simples se você parar para analisar, mas é real e viva. Temos pessoas que são como nós, vivendo seu dia a dia com normalidade e tentando fazer o melhor para ser feliz. É delicioso acompanhar suas trajetórias e sonhar com bons finais para cada um, especialmente para uma certa adolescente, seu pai viúvo e  uma moça de Nova Iorque bem legal.

Em suma, foi mais do que uma história no papel para mim, Sociedade J. M. Barrie foi uma  oportunidade de passear pelos campos da Inglaterra, conhecer pessoas carismáticas e fechar o livro com um sorriso e a sensação de que, no final, tudo pode dar certo. 


2leep.com

10 comentários:

  1. Oii!
    Eu entendo completamente seus surtos. hahhahaha
    Tô até vivendo um momento como o seu. Um livro que veio na hora certa (no caso Cem Anos de Solidão). Fazia muito tempo que eu só andava lendo terror e suspense. hahaha
    Já coloquei esse livro na lista de próximas leituras. Amei muito sua resenha!
    Beijo

    Canastra Literária

    ResponderExcluir
  2. Oi!

    Achei a sinopse legal e gostei muito da resenha, mas a história não me cativou muito, apesar de ter sido uma resenha positiva exaltando a qualidade da história.
    Obrigada pela indicação.

    Beijos
    http://espiraldelivros.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  3. Olá, Cida.
    Foi o mesmo que o livro me passou. Achei que é uma história que poderia ser de alguma amiga pois parece tão real. E amei ele ser simples mas ao mesmo tempo falou no meu coração.

    Prefácio

    ResponderExcluir
  4. Bacana, não conhecia, como estou atolado de coisas para ler, vou anotar a dica!



    clebereldridge.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  5. Oi, Cida!
    Engraçado que pensamos que o livro vai ter algo a ver com Peter Pan, mas segue algo completamente diferente.
    A maioria das resenhas que li também comentavam o quanto o livro surpreendeu. Quem sabe um dia me surpreenda também?
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir
  6. Oi Cida, tudo bom?
    Eu quero MUITO ler esse livro. Espero que os correios sejam bonzinhos comigo e entreguem logo, já me extraviaram uma vez </3
    Adoro essas histórias que parecem tão reais de tão bem escritas.

    Beijos,
    Denise Flaibam.
    www.queriaestarlendo.com.br

    ResponderExcluir
  7. Oi Cida,

    Já tinha visto o livro, mas sabe quando batemos o olho e não procuramos mais? Foi isso que aconteceu comigo, mas por se tratar de uma obra tocante, vou colocar na lista de leitura.
    Bjs
    http://diarioelivros.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  8. Oie Cida =)

    É uma delícia pegar um livro aleatoriamente da nossa estante e passar horas com ele.

    Eu fiz isso com Anjo Mecânico e estou adorando. A sua é a primeira resenha que leio desse livro, mas fiquei encantada com a forma que você descreveu a história.

    Beijos;** Ane Reis | Blog My Dear Library

    ResponderExcluir
  9. OLá,
    Amo tudo que se passa na Inglaterra. O livro parece lindo, cheio de lições, principalmente pra Joey. Adorei a dica!

    até mais,
    Nana - Canto Cultzíneo

    ResponderExcluir
  10. Oi Cida, eu tenho um carinho muito grande por esse livro, eu amei a relação das personagens, da parte da natação e tb da ambientação. Eu só queria mais do final pq já tinha me apegado a história rsrsrsrs

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir

Obrigada por seu comentário.

Sua participação é muito importante.

Um grande beijo!