[Resenha] F*ck Love - Louco Amor

F*ck Love - Louco Amor
Título Original: F*ck Love
Autor(a): Tarryn Fisher 
Editora: Faro                        Páginas: 288
Lançamento: 2017               ISBN: 978-8562409998
 ||Compre||     ||Skoob||  ||Goodreads||
Helena Conway se apaixonou. Contra sua vontade. Perdidamente. Mas não sem motivo.Kit Isley é o oposto dela desencanado, espontâneo, alguém diferente de todos os homens que conheceu. Ele parece o seu complemento. Poderia ser tão perfeito... se Kit não fosse o namorado da sua melhor amiga. Helena deve desafiar seu coração, fazer a coisa certa e pensar nos outros. Mas ela não o faz... Tentar se afastar da pessoa amada é como tentar se afogar. Você decide fugir da vida, pulando na água, mas vai contra a natureza não buscar o ar. Seu corpo clama por oxigênio sua mente insiste que você precisa de ar. Então você acaba subindo à superfície, arfando, incapaz de negar a si mesma essa necessidade básica de ar. De amor. De desejo ardente. Você pode pensar que já viu histórias parecidas, mas nunca tão genuínas como essa. Tarryn, a escritora apaixonada por personagens reais, heroínas imperfeitas, mais uma vez entrega algo forte, pulsante, que nos faz sofrer mas também nos vicia. Depois dela, todas as outras histórias começam a parecer como contos de fadas. Se você não quer se viciar, não leia a primeira página.
Eu já havia lido um livro no qual Tarryn Fisher escreveu uma história em parceria com outra autora e ali foi meu primeiro contato com o trabalho dela. Eu achei que havia identificado naquela narrativa dupla os traços de sua escrita e ao ler F*ck Love vi que estava certa. O jeito de Tarryn contar uma história é louco, envolvente e deixa o leitor viciado. Eu comecei a ler este livro e quando percebi estava totalmente conectada e devorando cada página. Foram dois dias de leitura intensa e mesmo querendo saber o final, também não queria que acabasse.

Helena Conway se apaixonou pelo namorado da melhor amiga e isso é o que vamos encontrar aqui. Pode soar como uma premissa clichê, já vista muitas e muitas vezes, bem simplória e que significa simplesmente traição. No entanto, nada é simples em F*ck Love, a começar pela maneira como ela se apaixonou por Kit Isley e, foi justamente aí, que fui fisgada.

Não quero entrar em detalhes, só dizer que a culpa foi de um sonho que eu não sabia se de fato era sonho ou não. Tarryn Fisher tem o dom de me confundir e fazer com que eu não saiba se ela está falando sério ou viajando e na ânsia de saber o que temos ali, eu mergulho em sua obra e me perco.

A jornada de Helena para lidar com essa louca paixão é intensa e cheia de altos e baixos. A trama é imprevisível e até o último capítulo eu não sabia se haveria um final feliz e com quem seria este final. Mas apesar da tensão de um possível romance ser bem forte e nos deixar roendo as unhas, o que eu mais amei foi a jornada pessoal da própria Helena. Ela leva um choque quando se apaixona e abre os olhos para a vida. Passa a questionar sua existência certinha e bem planejada, resolve trilhar novos caminhos e arriscar. Eu me senti um pouco Helena durante a leitura, não na questão de gostar do namorado de uma amiga, mas por toda a confusão de sentimentos, medos e anseios. Todos nós em algum momento da vida fomos Helena e a vivacidade, honestidade, carisma e originalidade da personagem é o trunfo da obra de Fisher.

Ela não é perfeita, vai sim tirar você do sério com seus altos e baixos. Só que é uma pessoa verdadeira e isso foi muito positivo. E o Kit? Não é um cara de muita atitude não. Foi a mulherada que marcou presença. 

Claro que a história em si também brilha, e por mais que eu abomine traição, não vou negar que torci por Kit e Helena. O rapaz e a melhor amiga dela não tinham nada a ver e a tal amiga é uma vaca egoísta e egocêntrica, aquele tipo de pessoa que você acaba torcendo para levar um tombo e quebrar aquele narizinho empinado. #f*amiga

Helena é aquela pessoa super expressiva e vive gravando seus momentos com várias fotos. Ela é sensacional com seu humor auto depreciativo, sarcasmo, ironia, fotos no instagram, comparações inusitadas da vida real com Harry Potter e as infinitas hashtags. Eu amei as hashtags # e postei várias no meu stories enquanto lia. Helena te vicia nesse negócio. É hilário.

F*ck Love não traz uma história nada simples, ao contrário, traz algo genuíno e apaixonante. Tarryn Fisher não se preocupa em nos apresentar personagens perfeitinhos, nada aqui é bonitinho e fofo, é na verdade real e como a vida é pra valer. É um mundo de gente grande, de escolhas, de quebrar a cara, crescer e aprender com cada queda e tropeço. Eu amei, amei! Não é fácil explicar a razão do meu envolvimento tão forte e por isso só peço que leia e divirtam usando a #f*ck para tudo aquilo que você desejar. Se expresse com vontade! Recomendo, sim!


Não se aborreça se a felicidade não for uma constante na sua vida. Isso pode levar uma pessoa a se sentir um fiasco. Se a nossa vida pudesse ser representada pela página de um livro, a felicidade seria a pontuação do texto. Ela interrompe partes que são longas demais, e divide outras para lhe dar ritmo. Mas ela é breve – aparece quando é necessário, e enche de pausas os parágrafos mais cansativos. 



2leep.com

15 comentários:

  1. Esse livro me deixou meio fora de órbita
    hahahahahahahahahahaha
    Acabei e fiquei um tempo aérea, meio perdida
    História nada simples mesmo, e o Kit, 'te contar viu?!'
    Tb fiz resenha dele no Pedacinhos!

    Bjooos
    muitospedacinhosdemim.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Oi, Cida!
    Eu também abono traição (por esse motivo que não li um livro da Colleen), mas fiquei sabendo que esse aqui não rola, então tá de boas hahahaha
    Bom saber da jornada pessoal da Helena, apesar dela tirar a gente do sério.
    Beijos
    Balaio de Babados
    Participe do sorteio de aniversário do Balaio de Babados e O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu sei qual é. Li e passe muita raiva, rs. Naquele caso é traição mesmo, agora neste livro é vida que segue, real.

      Excluir
  3. Oi Cida!
    O enredo desse livro não me chamou a atenção, esse eu passo ;)

    Beijos,
    Sora | Meu Jardim de Livros

    ResponderExcluir
  4. Oi Cida, tudo bem?
    Estou louca para ler esse livro, gostei muito da sua resenha, sua empolgação me deixou muito animada pela leitura, espero ter oportunidade em breve, preciso conhecer a escrita de Tarryn Fisher e essa história babado!

    Obrigada pelo carinho. Volte sempre!
    Um super beijo :*
    Claris - Plasticodelic

    ResponderExcluir
  5. Cidaaaaa,
    No início, eu fiquei perdida quanto a história. É confuso, mas um confuso que te prende e você devora a obra, né?
    Ela me fez refletir muito e eu amei demais.
    Resenha ótima!
    Beijos
    http://estante-da-ale.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Oi Cida! Eu nunca li nada da autora, mas só leio criticas positivas desse livro. Estou morrendo de vontade de ler, acho que a Faro Editorial está arrasando nos romances <3

    BJs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  7. Oii Cida

    Eu tenho em casa o primeiro livro de uma trilogia dessa mesma autora pra ler. Não sou muito de romance contemporaneo, mas em vista de tantos elogios acho que merece uma oportunidade. Vou ler esse que já tenho e se curtir a escrita dela com certeza esse tb vai pra listinha

    Beijos

    aliceandthebooks.blogspot.com

    ResponderExcluir
  8. Ei adorei a história também, só tenho uma ressalva quanto Àquele final e aquele personagem estranho! Espero que haja um livro em que ele apareça! Rs.

    Beijos
    Literatura Estrangeira

    ResponderExcluir
  9. Oi Cida,

    Conheço a escrita dela através de Never Never com a Colleen e gostei do jeito que ela conduziu a história, por isso acho que vou gostar desse livro.
    Dica anotada.
    http://diarioelivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Cida a trama tem conquistado pelas resenhas elogiosas que tenho lido e pelo que li na sua essa verossimilhança com a realidade é bem bacana
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  11. Oie Cida =)

    Vi esse livro em vários Instagrams. Ele causou bastante alvoroço rs...

    Confesso que em a primeira vista não é o tipo de livro que me chama atenção. Acho que o fato da narrativa parecer meio confusa a principio e a personagem ser um pouco irritante pode atrapalhar meu ritmo de leitura.

    Mas que sabe um dia eu não dê uma chance para descobrir o que esse livro tem que todo mundo só fala dele rs...

    Beijos;***
    Ane Reis | Blog My Dear Library.

    ResponderExcluir
  12. Oi, Cida!
    Esse livro é uma montanha russa de emoções! Apesar do Kit não ter muita atitude, o livro é bem envolvente!
    Parabéns pela resenha!

    Beijos!
    Eli - Leitura Entre Amigas
    http://www.leituraentreamigas.com.br/

    ResponderExcluir
  13. Oi Cida,
    Que bom que curtiu, estou esperando a Lê finalizar pra pegar.

    tenha uma ótima quarta.
    Nana - Canto Cultzíneo

    ResponderExcluir
  14. Amo quando a jornada pessoal da personagem se torna tão ou mais forte que o romance em si, pois acredito que o romance sozinho não é um fator gerador de felicidade. Acho que a felicidade vem com autoconhecimento e amadurecimento. Estou com você, todas nós já fomos Helena ou seremos dependendo da idade e da faze da vida. Quero muito ler esse livro!!! Tanto entusiamos em volta de um livro é de animar qualquer um a ler, ainda mais eu que sou facinho facinho de querer me agarrar com um livro bom!

    Jaci
    Uma Pandora e Sua Caixa

    ResponderExcluir

Obrigada por seu comentário.

Sua participação é muito importante.

Um grande beijo!