[Resenha] Carbono Alterado

Carbono Alterado
Título Original: Altered Carbon (Takeshi Kovacs #1)
Autor(a): Richard Morgan
Editora: Bertrand Brasil       Páginas: 490
Lançamento: 2017               ISBN: 9788528621655
 ||Compre||     ||Skoob||  ||Goodreads||
Um eletrizante thriller noir de ficção científica em adaptação para série do Netflix No século XXV, a consciência de uma pessoa pode ser armazenada em um cartucho na base do cérebro e baixada para um novo corpo quando o atual para de funcionar. A morte, agora, nada mais é que um contratempo inconveniente, uma falha no programa. Takeshi Kovacs, um ex-militar de elite, após sua última morte, tem sua consciência transportada a Bay City, a antiga São Francisco, e é trazido de volta à vida para solucionar o assassinato de um magnata. Isso só para descobrir que seu contratante é a própria vítima, que voltou à vida em um novo corpo, mas sem as memórias do crime. Mal sabe Kovacs, porém, que essa investigação irá lançá-lo no centro de uma conspiração perversa até para os padrões de uma sociedade que trata a existência humana como um produto a ser comercializado.
Carbono Alterado, de Richard Morgan, é o primeiro volume da trilogia Altered Carbon publicada no Brasil pela Bertrand.  É um thriller de ficção científica complexo e bem elaborado, que nos transporta para um mundo onde a alma humana é armazenada em um tipo de cartucho e podemos prolongar nossa existência por séculos apenas trocando de corpo, ou melhor dizendo, de capa.

Takeshi Kovacs é um Emissário. Uma máquina de matar treinada pelo governo do mundo de Harlan e que em determinado momento se rebelou contra as regras.  Ele foi caçado, capturado e condenado. Quando um milionário da Terra precisou de alguém para investigar sua "quase morte”, comprou a liberdade de Kovacs e o trouxe para nosso planeta como um investigador particular e é aí que começa a nossa história, com uma investigação de assassinato que esconde mais do que eliminar uma pessoa.

Esta trama é bem complexa e admito que demorei para me sentir familiarizada com este mundo novo e suas expressões. Estranhei a princípio a maneira como se referiam aos novos corpos como capas e a facilidade que você poderia trocar de um para o outro conforme ocorresse um dano físico (eles referiam –se ao processo como ser encapado). Entendam que as pessoas não eram ressuscitadas, mas sim transferidas de receptáculo. Alma e consciência eram armazenadas em algo que vi como um super pen drive  e quem fosse bem rico poderia até mesmo fazer um backup dos dados em nuvem e garantir a recuperação de sua vida mesmo quando o “pen drive” fosse destruído. Não é imortalidade, há sim como matar uma pessoa destruindo o local que ficam armazenados os dados, é apenas um prolongamento inteligente da vida.

Há ainda nesta nova realidade muita inteligência artificial gerindo negócios e vivendo em harmonia com outros seres vivos e também o livre trânsito entre planetas. A Terra é apenas um dos mundos em Carbono Alterado.

E enquanto eu ia absorvendo tanta informação, fui seguindo com o protagonista na investigação do “assassinato” de seu contratante. O milionário teve sorte de ter seus dados em nuvem e por isso sobreviveu ao ataque que seria morte certa, mas quer saber quem tentou por fim em sua existência. A polícia julgou que foi uma tentativa de suicídio, mas ele afirmava que não tinha motivos para isso.

Kovacs entra numa jornada que poderia ser bem simples, mas logo se vê sendo perseguido e entende que algo ou alguém não quer que ele descubra a verdade. Embrenhando-se na rede de drogas, sexo e crimes da Terra ele percebe que há muita política ao redor de tudo e um mistério perturbador.

Um ótimo thriller sem dúvidas e com bastante ação em cada página. Não dá para piscar do começo ao fim. É uma trama imprevisível e original, que esbanja avanço tecnológico, mas que preserva características bem humanas e antigas. Mostra que não importa o grau de evolução que o mundo atinja, antigos vícios permanecem e as pessoas sempre vão ser violentas, mesquinhas, traiçoeiras e perigosas na sua busca por poder além dos limites. Em contrapartida, mostra que também existem aqueles que ainda acreditam que vale a pena fazer o certo e lutar pelos amigos. Kovacs é um justiceiro que tentará – de maneira pouco ortodoxa – fazer justiça.

Ele trava uma relação interessante com uma policial e os dois são uma ótima dupla. Ortega tem um interesse especial pelo Emissário, mas não necessariamente pelo homem Kovacs e sim pela sua capa. Não vou dizer mais nada, se quiser entender o problema com a capa (corpo) vai ter que ler e eu sinceramente torci para que ela mudasse de ideia.

Kovacs é um anti-herói. Embora faça justiça, tenha consciência e lute pelos menos afortunados, é um tipo de mercenário e como tal já sujou as mãos muitas vezes e  vai continuar sujando. Ele não é um anjo, mas perto dos verdadeiros bandidos te faz sentir certa segurança. Acredito que seja um personagem criado para gerar conflitos morais e dúvidas no leitor, mas sua inteligência, astúcia e ousadia são ímpares e dignas de admiração.

Eu o achei incrível no papel que desempenhou, fiquei de queixo caído com sua coragem,  mas não me apeguei sentimentalmente ao personagem. Na verdade, exceto pela minha simpatia por Ortega, não consegui ter uma conexão com mais ninguém na trama. As pessoas aqui são estranhas, interesseiras, frias e distantes. É como um jogo de quem pode mais do que o outro e tanta tecnologia os torna máquinas. Encapa, desencapa, encapa, desencapa… nascer e renascer em laboratório não tem calor humano e achei assustador viver uma realidade tão desprovida de paixão. Assim, acho que foi este aspecto tão estéril que me impediu de criar vínculos mais fortes com Kovacs e companhia.

Embora eu abra este parênteses em relação a minha relação com os personagens, eu gostei do que encontrei aqui e fui surpreendida de maneira positiva com a forma que o autor conduziu sua narrativa e me deixou no escuro até o final. Nem de longe desconfiei da verdade, vibrei com as cenas de luta e surtei a cada vez que alguém morria pra valer. Há um humor ácido que permeia os diálogos e deixa tudo ainda mais cáustico. O final é fechado, mas nos leva a pensar sobre o futuro de Kovacs e querer saber qual a próxima confusão que vai enfrentar. Venham se aventurar neste mundo perigoso!

Carbono Alterado vai ganhar uma adaptação para as telas. Em breve a Netflix vai dar um rosto para Takeshi Kovacs e eu estou bem curiosa para conferir este seriado.

2leep.com

9 comentários:

  1. Oi Cida!
    Estava curiosa para saber mais sobre esse livro. Gostei da sua resenha, não sei se vou ler o livro mas com certeza quero ver a adaptação.

    Beijos,
    Sora | Meu Jardim de Livros

    ResponderExcluir
  2. Oi Cida,
    Não costumo ler ficções cientificas, mas a parte investigativa da trama despertou meu interesse, sem falar do final fechado, que diminui a ansiedade de esperar a continuação. Dica anotada!!

    *bye*
    Marla Almeida
    http://loucaporromances.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Oi Cida,
    Estou bem curiosa pra ler e assistir a série tb, parece ser um thriller bem bacana.

    tenha um ótimo final de semana =D
    Nana - Canto Cultzíneo

    ResponderExcluir
  4. Nossa, bota complexo mesmo nesse mundo criado pelo autor hahaha mas super inovador, original e criativo! Fiquei surpresa com todas as ideias que ele teve com essa distopia, diferente de tudo o que eu já vi. Fiquei aqui bolando mil teorias enquanto lia a resenha sobre como seria o procedimento de mudar de "capa", ficar pulando de um corpo para o outro... E os corpos, são conservados também? Como saber qual corpo está disponível para habitar? Que doidera! Uma doidera boa hahaha adorei a resenha, quero ler o livro!

    xx Carol
    http://caverna-literaria.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  5. obrigada pela dica, não é muito a minha cara, mas é bom conhecer novos enredos!

    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Oi Cida,
    A Ed. Bertrand está arrasando nos livros que publica né? Só podiam ser um pouco mais baratos :(
    Não sabia que a Netflix iria adaptar, já gostei ainda mais!
    HAHAHA
    beijos
    http://estante-da-ale.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  7. Vi este livro ontem na livraria, gostei dele e tals, mas agora que vi que é o primeiro de uma trilogia, me deu uma desanimada.
    Ando fugindo um pouco disso, mas até que esse parece valer a pena.... Tô indecisa né, já deu pre perceber, rsrs.

    Bjks

    ResponderExcluir
  8. Oi Cida, apesar de não ter entendido tudo, a Marise lá no blog adorou eu fiquei bem curiosa com a trama toda e quero tb conferir a série quando sair na Netflix.

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  9. A maioria das resenhas que tenho visto tem sido positivas.
    Eu fiquei super empolgada com a premissa, pois adoro esse gênero todo, lendo o livro então eu não vou conseguir parar.
    Queria ler antes de lançar na netflix.

    beijos
    She is a Bookaholic

    ResponderExcluir

Obrigada por seu comentário.

Sua participação é muito importante.

Um grande beijo!