[Resenha] Temporada dos Ossos

Temporada dos Ossos
Título Original: The Bone Season (The Bone Season #1)
Autor(a): Samantha Shannon 
Editora: Rocco (Fantástica Rocco)       Páginas: 448
Lançamento: 2016                               ISBN:9788568263075
 ||Compre||     ||Skoob||  ||Goodreads||
Distopia com uma pegada sobrenatural são os ingredientes da série Bone Season, de Samantha Shannon, que chega ao Brasil pelo selo Fantástica Rocco. Ambientada em 2059, a trama acompanha a protagonista Paige Mahoney, uma andarilha onírica, alguém capaz de entrar na mente das pessoas e captar pensamentos e fragmentos de sonhos. Considerada traidora pelo governo, Paige paga por seu dom com a sua liberdade e é enviada para uma prisão secreta em Oxford. Lá, ela conhece os Rephaim, criaturas de uma raça antiga que desejam controlar a clarividência de Paige e de outros como ela, e precisará aprender a confiar em aliados improváveis não só para reconquistar a liberdade, mas garantir a própria sobrevivência. Considerada um dos principais nomes da literatura de fantasia dos últimos tempos, Samantha Shannon entrega aos leitores um romance surpreendente e arrebatador.

Eu sempre falo que não vou começar uma nova série até ter todos os livros publicados aqui, mas acabei fugindo da regra e lendo Temporada dos Ossos, de Samantha Shannon, com apenas dois livros lançados no Brasil. Ele faz parte da série homônima e é uma publicação do selo Fantástica Rocco. A Ordem dos Clarividentes é o segundo volume e já está na fila de próximas leituras.

Como demorei tanto para mergulhar nesta história?

Não é fácil falar sobre a obra, mais precisamente sobre o universo que Shannon nos apresenta aqui. É um mundo extremamente complexo, que fui absorvendo ao poucos conforme fui lendo e acompanhando as aventuras da protagonista Paige Mahoney.

Só para dar uma introdução básica, o que temos é a humanidade vivendo em 2059 e alguns humanos nascendo com dons extraordinários. Os normais, como nós, são denominados amauróticos e aqueles com “poderes” são os clarividentes. Dentro desta denominação há muitas divisões, tais como: adivinhos, médiuns, sensitivos, áugures, guardiões, fúrias e saltadores. E dentro da divisões outras subdivisões. Os primeiros citados são mais comuns e os últimos raríssimos. Em saltadores temos os oráculos e os andarilhos oníricos e Paige se encaixa nesta última espécie.

Ela anda por planos paralelos (éter), que são os terrenos espirituais e os hackeia em busca de informações e conhecimento. Nesta realidade conhecimento é poder e perigo em igual medida.  Scion, o governo da época, considera os clarividentes inimigos e os caça.

Vivendo na clandestinidade, Paige diz ao pai que trabalha em um bar, quando na verdade faz parte de um grupo subversivo conhecido como Sete Selos. São eles: o Agregador Branco, Visão Vermelha, Diamante Negro, Onírica Pálida, Musa Martirizada, Fúria Enjaulada e Sino Silencioso.

Um belo dia Paige descuida-se e mostra demais seus poderes. Scion a caça e ela tem como certa sua execução, mas descobre então que não é isso que o governo faz. Os clarividentes capturados são enviados para uma colônia penal comandada por seres de uma espécie misteriosa. Os Reph tratam seus prisioneiros como escravos e os organizam de uma forma humilhante. Pregam que estão ali para ajudar a humanidade e salvá-la das consequências de seus próprios erros, mas Paige não acredita naquele discurso dominador e vai em busca de sua liberdade e de libertar aqueles que como ela estão no cativeiro. Está dada a largada para uma grande revolução.

Este livro é incrível e a história meio distopia e meio fantasia me arrebatou. Primeiro foi pela originalidade e complexidade do universo criado pela autora, não apenas a organização política e social bem delineada, mas também pelos poderosos clarividentes. E a seguir pela jornada de busca de liberdade e autoconhecimento vivida por Paige.

Ela é rara como já citei e todos querem possui-la e ter seu dom a disposição. Sem rumo ao sair da adolescência, se deixou dominar pelo chefe dos Sete Selos e ser explorada. No entanto, não enxerga isso e quando está presa acredita que ali só existem inimigos ao seu redor e precisa voltar para os “amigos” e  para o seu empregador, quando na verdade na prisão há também pessoas boas que desejam ajudar, muitas sem nenhum interesse.

Paige trava as batalhas erradas em boa parte do tempo e isso angustia o leitor que vê a verdade antes dela. Eu queria que ela deixasse de ser cega e lutasse pelo que valia a pena. Que buscasse entender quem era e o que poderia fazer e, acima de tudo, o que originou o surgimento dos clarividentes, daquela colônia penal de Rephs e como ela poderia ajudar a por fim numa ditadura onde sua espécie era caçada e subjugada.

O éter é a “fonte” da qual Scion ocasionalmente  parece falar – disse ele. – O reino dos monstros inquietos. A fonte que o Rei Sangrento supostamente acessou durante uma sessão espírita, levando-o  a cometer cinco assassinatos medonhos e provocar uma epidemia de clarividência no mundo. Tudo bobagem, é claro. O éter é simplesmente o plano espiritual, e os clarividentes são aqueles que têm habilidade para acessá-lo. Não houve epidemia alguma. Nós sempre estivemos aqui. Alguns de nós são bons, outros, maus, se é que existe o mal, mas independente do que somos, não somos uma doença.

O mais legal é vê-la tentar fugir daquele que realmente quer ajudar, o Mestre. Seu guardião é um homem misterioso e a princípio parece frio, mas observando melhor notamos o quanto é apaixonado por uma causa e luta pelos seus ideais colocando a própria vida em risco.  Um excelente personagem, assim como a protagonista, que nos empolga a cada página.

São muitos os personagens na trama. Há vilões, mocinhos e aqueles que ainda não podem ser classificados. O fato é que cada um desempenha um papel importante e traz consigo um enigma. Na verdade toda a história carrega nas entrelinhas muito mistério e aos poucos é que vamos desvendando alguns, mas como é uma série estejam preparados para finalizar o primeiro volume com algumas questões pendentes.

Não é uma trama leve, ao contrário, é cheia de jogos de poder, crueldade, sangue, lutas e muito, mas muito perigo e gente impiedosa. E criaturas mágicas, não sei melhor maneira de classificar o que os clarividentes podem fazer e preciso muito ler logo o próximo volume para saber o que o destino reserva para a protagonista após todo o amadurecimento pelo qual passou nesta introdução.

Eu amei cada minuto de tensão que vivi durante a leitura. Virava cada página incerta sobre a sobrevivência de Paige e seus aliados e me surpreendi com as reviravoltas criadas pela autora. Tomara que o segundo volume mantenha o ritmo e que eu não tenha que esperar até 2059 para ter toda a série na estante. Recomendo.




2leep.com

13 comentários:

  1. Oi, Cida!
    Como te falei na dm do instagram, eu queria muito ler essa série. Achei essa premissa dela maravilhosas, mas esperar sair sete livros é demais pra mim. A autora agora que lançou o terceiro.
    Quem sabe quando estiver perto de lançar o último, eu faço um maratonão e leio tudo?
    Beijos
    Balaio de Babados
    Participe do Sorteio de Férias: cinco livros, um ganhador!

    ResponderExcluir
  2. Olá, tudo bem? Esse livro parece ser muito bom, pelo o que você disse... Adorei a resenha e fiquei curiosa para realizar a leitura!

    Beijos,
    Duas Livreiras

    ResponderExcluir
  3. Oi Cida,
    Achei a trama bem original e criativa, e no futuro vou querer conferir esse mundo criado pela autora. Ótima resenha!!

    *bye*
    Marla
    https://loucaporromances.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Tenho visto muitos elogios em relação a este livro, exatamente por haver tantos mistérios, enigmas, o que deixa a trama envolvente, pois a capa página queremos desvendar o que está descrito na entrelinhas. O fato de haver muitos personagens e todos terem um papel importante nesta estória me despertou ainda mais curiosidade em poder embarcar nesta leitura. Confesso que irei esperar o lançamentos dos outros livros da série, pois não tenho paciência para esperar até o próximo, já que demora anos para serem publicados no Brasil.

    Participe do TOP COMENTARISTA de Julho, para participar e concorrer aos livros "O Casal que mora ao lado" e "Paris para um e outros contos".
    http://petalasdeliberdade.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Menina, agora eu fiquei louca pra ler esse livro. Nossa, daria um filme e tanto. Ou até melhor: uma série, onde poderia ser abordada de forma mais abrangente.
    Não conhecia, mas já curti! E minha listinha de compras na Bienal só aumenta, rsrs....

    =)

    Suelen Mattos
    ______________
    Romantic Girl

    ResponderExcluir
  6. Eu também sempre digo que não vou começar a série até o ultimo livro ser publicado, as vezes até consigo hahaha As vezes, pq geralmente, bem, sou geminiana o que posso fazer além de mudar de opinião?!?!? kkk Gosto de ler tramas bem construídas com jogos de poder, magia e uma heroína forte que cresce entre erros e acertos e aprende a discernir o certo do errado no processo. Fiquei curiosa com essa história e sua resenha é uma super recomendação, minha alma consumista literária já ficou curiosa para ler.

    Jaci
    #DoQueEuLeio

    ResponderExcluir
  7. Cida!
    Já estou querendo.
    Gosto de uma ficção bem escrita, baseada em acontecimentos reais e científicos, além de misturar fatos do passado com um futuro distante, e ainda traz protagonistas destemidas e ousadas, que não se rendem e trazem o caos.
    “Bendito seja eu por tudo o que não sei, gozo tudo isso como quem sabe que há o sol” (Fernando Pessoa)
    Cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA DE JULHO 3 livros, 3 ganhadores, participem.
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Oioi!

    A premissa parece ser ótima mesmo, mas não chega a ser meu tipo favorito de leitura! Amei a resenha, mulher <3

    Beijão,
    Querida Cretina

    ResponderExcluir
  9. Oi Cida!! A gente tenta, mas não consegue resistir a séries hehehee eu entendo! Acho que essa questão de jogos de poder foi o que mais me chamou atenção, gosto desse estilo e o elemento futurístico também! Excelente resenha como sempre!

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  10. Oie Cida =)

    Distopia com sobrenatural? Já quero *-*

    É muito dificil a gente fugir das séries, sempre falo isso rs...
    Já tinha visto essa capa em alguns blogs, mas a sua é a primeira resenha que leio dele e fiquei super curiosa!

    Mas um para minha lista ;)

    Beijos;***
    Ane Reis | Blog My Dear Library.

    ResponderExcluir
  11. oi, apesar dos bons comentários e da sua indicação eu confesso que não foi um livro que me despertou aquela ansiedade em ler, não é um enredo que me atraia

    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  12. Olá, Cida.
    Comecei a ler a resenha do segundo livro mas dai percebi que não tinha lido essa ainda e vim conferir. Eu sou dessas também. Vivo dizendo que não vou começar mais nenhuma série que não esteja completa e sempre acabo começando um ou outro que ainda não tem todos lançados hehe. Me interessei muito por essa história. E sua empolgação pulou da resenha para fora da tela e grudou em mim. Vou ter que colocar ele na minha lista de leitura hehe. Indiquei o blog para o Prêmio Mystery Blogger lá no Prefácio.

    Prefácio

    ResponderExcluir
  13. Amo esse tipo de leitura e estou muito curiosa para saber mais. No entanto, como é uma série de 7 livros, fico pensando se leio agora os que já estão pra venda ou se espero. Aí, acabo ficando sem ler, não é mesmo, pois os lançamentos aqui vão demorar muito. Gostei demais da resenha, que me aguçou mais ainda para a leitura. As capas são simples e lindas.

    ResponderExcluir

Obrigada por seu comentário.

Sua participação é muito importante.

Um grande beijo!