[Resenha] Cujo

Cujo
Título Original: Cujo
Autor(a): Stephen King 
Editora: Suma de Letras       Páginas: 376
Lançamento: 2016               ISBN:9788556510259
 ||Compre||     ||Skoob||  ||Goodreads||
Frank Dodd está morto e a cidade de Castle Rock pode ficar em paz novamente. O serial-killer que aterrorizou o local por anos agora é apenas uma lenda urbana, usada para assustar criancinhas. Exceto para Tad Trenton, para quem Dodd é tudo, menos uma lenda. O espírito do assassino o observa da porta entreaberta do closet, todas as noites. Você pode me sentir mais perto… cada vez mais perto. Nos limites da cidade, Cujo – um são Bernardo de noventa quilos, que pertence à família Camber – se distrai perseguindo um coelho para dentro de um buraco, onde é mordido por um morcego raivoso. A transformação de Cujo, como ele incorpora o pior pesado de Tad Trenton e de sua mãe e como destrói a vida de todos a sua volta é o que faz deste um dos livros mais assustadores e emocionantes de Stephen King.

Era uma vez… um cachorrinho sinistro!

Cujo inaugura a Biblioteca Stephen King da Suma de Letras. Esta coleção traz clássicos do mestre em edições de luxo. E coloca luxo nisso! Capa dura, ótima diagramação e revisão e ainda conteúdo extra. É ou não é para amar e ter na estante?

Este livro data de 1981. Isso mesmo! Acredito que muitos leitores do blog nem haviam nascido ainda e King já estava na estrada criando histórias de assustar e fazer o leitor roer as unhas. E não é nem por ser um livro tão de terror assim, Cujo nem precisa de elementos tais como os presentes em Sacos de Ossos para te arrepiar.

O cenário é Castle Rock (Maine). Uma cidade pacata, com sua própria rede de fofocas e lendas locais. Já teve serial killer famoso e agora está prestes a enfrentar o verão mais quente de todos os tempos. Um verão que reserva coisas bem ruins.

Este foi um livro de King bem diferente dos demais que li, a história começa apresentando os moradores da cidade, suas rotinas e o que estão vivendo atualmente. Vez ou outra interagem, mas na maior parte do tempo vivem suas histórias individuais. Eu fui lendo e tentando imaginar onde o autor pretendia me levar e o que sua trama ocultava.

Um dos núcleos de personagens  tem um cão, mais especificamente um são bernardo de quase 100 quilos que assusta pelo tamanho. No entanto, Cujo é doce e brincalhão e se você conhecê-lo melhor vai gostar dele, pelo menos no começo…

Por uma grande infelicidade ele adquire raiva e seus donos não notam e daí em diante as coisas vão ficando complicadas e as conexões entre os personagens se formam. Algo para a tristeza dos moradores de Castle Rock e alegria do leitores que queriam sangue e tragédia.

A leitura é uma contagem regressiva, como sempre um história de King que segue para algo grande e perigoso. Eu nunca me deparei com um cão raivoso, mas se for como Cujo espero nunca encontrar. Agonia pura cada cena que ele vai sendo consumido pela doença e ataca pessoas. Eu achei que até o final do livro não teria mais ninguém vivo.

E não pense que ficamos restritos ao cão raivoso e suas vítimas, as vidas dos moradores da cidade são algo a mais para explorar e eles tem muito para contar. São dramas comuns e do cotidiano, mas fascinam por isso, por serem algo fácil de acreditar e ser vivido. Adoro as personalidades complexas e muitas vezes perturbadas dos personagens de King.

Há um pequeno suspense para nos levar a considerar o sobrenatural e isso me deixou bem curiosa. E claro que o destino de Cujo foi outro grande enigma para mim. Que livro intenso e tenso! A leitura fluiu maravilhosamente bem.

Fiz maratona de King nestes dois meses e não poderia ter concluído a mesma melhor. Cujo é peculiar, mas também traz aquilo que o identifica como algo que só poderia ter sido escrito pelo autor. Eu recomendo de olhos fechados e em breve trago mais King para vocês? Quem sabe O Bazar dos Sonhos Ruins? A Torre Negra?   

Oi! Eu sou a Jô. E de vez em quando vocês vão me ver por aqui.


2leep.com

9 comentários:

  1. Oi, Jô!
    Eu li uma resenha desse livro há pouco tempo. Embora já tivesse visto muito esse livro por aí, só nessa ocasião é que fiquei sabendo que o Cujo do título era um cachorro. Que vilão diferente, né?! O livro parece ter todo o clima das histórias do King que tanto me atraem. Fora a tensão que deve ser acompanhar tudo.

    Beijos, Entre Aspas

    ResponderExcluir
  2. Oi, Jô!
    Estou desejando esse livro! Muitos dizem que é um dos melhores do King e eu não tenho dúvidas.
    Beijos
    Balaio de Babados
    Promoção Quatro Anos de Minhas Escrituras
    Sorteio Literário de Carnaval

    ResponderExcluir
  3. Acho que preciso urgentemente trazer King para minha vida e minha estante. Está se tornando imperioso ter ele por aqui!

    Uma Pandora e sua Caixa

    ResponderExcluir
  4. Olá, Jô.
    Eu não sou muito fã do autor. Os livros dele que eu tinha aqui, fui lendo e doando hehe. Mas essa edição eu queria ter na estante hehe. Nunca li um livro do ano que nasci, caso desse aqui e acho que vou ler só por isso. Só por isso nada que me interessei muito e quero saber como termina hehe.

    Prefácio

    ResponderExcluir
  5. Oie Cida =)

    Acho que alguém anda fazendo maratona do King rs...

    O rapaz que trabalha comigo comentou desse livro esses dias, por que ele ainda não leu e está curioso. Vou falar para ele passar aqui no seu cantinho e conferir sua resenha =D

    Beijos;***
    Ane Reis | Blog My Dear Library.

    ResponderExcluir
  6. Cida, eu e o king realmente não nascemos para ter uma história de amor!
    nem o cachorro o cara perdoa! tadinho do cujo!
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Olá Jô,

    Não li nada do KIng ainda, tenho muita curiosidade e esse livro eu ainda não conhecia, gostei da sinopse e sua resenha me despertou uma enorme curiosidade, dica anotada...bjs.


    http://devoradordeletras.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Nossa! E dizem que esse nem é o melhor do autor!!
    Quero muito ler!! Amei a resenha!!

    Bjkss

    ResponderExcluir
  9. Oiii, adoramos o livro também. Tem o seu jeito King de ter uma narrativa um pouco mais descritiva, mas depois que pegamos o jeito adoramos!
    Saudades daqui :)
    Beijos Joi Cardoso
    estantediagonal.com.br

    ResponderExcluir

Obrigada por seu comentário.

Sua participação é muito importante.

Um grande beijo!