[Resenha] Noturnos

Noturnos
Título Original: Nocturnes (Nocturnes #1)
Autor(a): John Connolly  
Editora: Bertrand                 Páginas: 294
Lançamento: 2016               ISBN: 9788528616811
 ||Compre||     ||Skoob||  ||Goodreads||
Crianças acreditam que monstros são reais. Adultos tentam convencê-las do contrário — ou de que, no final, eles sempre serão derrotas. Nesta que é sua primeira coletânea de contos, John Connolly escreve sobre os mundos infantil e adulto em confronto em dezesseis histórias absolutamente assombrosas, com ecos de alguns dos mestres do horror — M.R. James, Ray Bradbury, Stephen King —, mas sem abrir mão da voz única e inconfundível que o consagrou em O Livro das Coisas Perdidas. Amores perdidos, crianças desaparecidas, demônios predatórios e fantasmas vingativos são apenas alguns dos ingredientes que compõem esta imperdível antologia.
Noturnos, de John Connolly, é um livro de contos publicado pela Bertrand Brasil. Já fazia um tempinho que eu queria conhecer o trabalho do autor e este livro foi a oportunidade que eu buscava. Caiu como uma luva.

Posso dizer que fui surpreendida de maneira bastante positiva e quero muito ler mais de suas obras, tais como: O Livro das Coisas Perdidas, Os Portões (Samuel Johnson - Livro 01) e Sinos do Inferno (Samuel Johnson - Livro 02).

São ao todo dezesseis contos e não posso dizer que tenha um que não me agradou. Claro que alguns são mais marcantes e empolgantes. Mas todos se equiparam no clima sombrio e sinistro e isso com certeza foi o que mais gostei na coletânea. Eu estava imaginando algo leve, bem juvenil e encontrei histórias maduras e densas.

Você não vai encontrar situações comuns, mas a forma como Connolly nos leva por dentro de suas histórias é bem convincente e envolvente, ao ponto de o leitor se ver mergulhado nos mais bizarros cenários e situações. Ele é objetivo e não coloca panos quentes em nada. Os contos são vivos e cercam você sem permissão. Não vejo outra forma de descrever a sensação que tive. É como se cada personagem, cenário e afins tivesse entrado sorrateiramente na minha casa e me abraçado de surpresa, me carregando para dentro de suas aventuras. Em um dos contos fiquei tão imersa que me vi na pele do personagem, quando ele se identifica como um menino eu parei e pensei não é uma garota? Ops! A garota sou eu, eu pensei que estava vivendo aquilo. Que susto bom! 

Não que os contos sejam de dar aquele medo avassalador, dão calafrios e nos deixam alerta com certeza, mas não para perder o sono ou sentir medo de ler quando estamos sós.  O que espanta são as situações, os comportamentos e a imprevisibilidade. Há muito de fantasia, mas se observamos melhor vamos perceber que em boa parte do tempo são os fantasmas, medos e culpas que cada personagem carregava que de verdade os perseguia. E os desfechos não são óbvios.

É uma leitura fluida e causa uma agonia gostosa. Estranho? Sim! Mas,  mesmo com receio de virar a página, você não larga. O primeiro conto – A Balada do Caubói Canceroso – foi o que achei mais forte e perturbador. As atitudes do personagem principal são assustadoras, maldade pura. Os meus contos preferidos foram: O Rei dos Elfos, A Nova Filha, O Ritual dos Ossos, As Bruxas de Underbury, Redemoinhos de Areia e Noturnos.

Recomendo para quem quer conhecer o trabalho do autor e aprecia bons contos, daqueles com finais redondinhos e coerentes.

Inventamos nomes para nosso medos e rezamos para não encontrar nada pior do que aquilo que nós mesmos criamos. Mentimos para proteger nossos filhos, sem saber que ao mentirmos, nós os expomos aos mais graves perigos. (O Rei dos Elfos).

2leep.com

11 comentários:

  1. Oie tudo bem? Gostei muito da ideia o livro, ainda não conhecia o autor, mas agora depois de ler sua resenha já vou inclui-lo em minha listinha para 2017!

    bjs

    www.leituraentreamigas.com.br

    ResponderExcluir
  2. Olá, Cida.
    Não sou muito fã de livros de contos, mas como é do autor me interesso em ler. Eu li O livro das coisas perdidas e amei a escrita dele e a forma como ele em envolveu. E uma das coisas que gostei bastante nesse foi que a capa tem o mesmo padrão de O livro das coisas perdidas e que foi a causa de eu ter comprado o livro.

    Prefácio

    ResponderExcluir
  3. Não tenho muito costume de ler livros de contos, mas esses dias eu li um para o Natal, que adorei, são 12 histórias de Natal, então pretendo dar uma chance ao estilo de leitura.

    www.paginadaleitura.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  4. confesso que não é o tipo de leitura que de cara me chamou a atenção, sua resenha foi bem escrita e elogiosa, mas não tive aquele ímpeto de querer ler
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Olá Cida, tudo bem?

    Adoro livros com contos e este parece ter uma pegada bem gostosa. Gosto dessa sensação de frio na barriga e de uma agonia boa, é sempre bom quando isto acontece. Fiquei bem interessada e irei adicionar as minhas leituras!

    Beijos,

    Gnoma Leitora

    ResponderExcluir
  6. Oi Cida!!!

    Eu tenho vontade de ler o livro! Gosto muito de contos e tb tenho curiosidade de conhecer a narrativa do autor, me anima saber que os finais não são óbvios!

    Adorei a resenha!

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  7. Oi, Cida!
    Eu achava que era uma história mesmo, mas curti de saber que são contos. Não conheço o autor, mas pelos títulos dos contos sei que vou gostar.
    Beijos
    Balaio de Babados
    Participe da promoção de três anos de Um Oceano de Histórias

    ResponderExcluir
  8. Oiii Cida

    Tenho certa dificuldade com livros de contos, demoro pra conseguir "entrar" de vez na história e no caso do conto, quando me empolgo ele já está terminando então parece que fica uma pontinha de frustração.
    Fico feliz que esse tenha te surpreendido positivamente.

    Beijos

    resenhaatual.blogspot.com

    ResponderExcluir
  9. É um livro de contos???
    OMG!!! Quero muito!! Não sabia que fosse assim.

    Vai pra lista de desejados agora mesmo!!

    Bjksssssss

    ResponderExcluir
  10. Oi Cida! Eu sempre quis ler algo do autor, porém sentia medo de ser juvenil demais. Foi ótimo você fazer essa abordagem na resenha, em como "é" a sua escrita. Fiquei encantada, e com certeza irei colocar a obra na lista de desejos.
    Beeijos
    http://lua-literaria.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  11. Eu sou apaixonada por Johm Connolly desde que li "O livro das coisas perdidas" e achei a coisa mais linda do mundo a forma como ele dialogou com Perrault, Andersen e irmãos Grimm. Ai quando vi "Noturnos" tive que ler e quando vi que você leu já fiquei aguardando a resenha! kkk Também gostei muito do conto "O Rei dos Elfos", achei ele perturbador e real pq lido com crianças diariamente e me pergunto o que devo ou não conta, peso minhas medidas com elas, tudo que adultos desejam é que as crianças fiquem bem sabe, essa frase que você destacou bateu muito forte em mim, ainda bate. E sim quero demais ler e ter em minha estante os livros "Os portões" e "Sinos do Inferno".

    ResponderExcluir

Obrigada por seu comentário.

Sua participação é muito importante.

Um grande beijo!