[Resenha] A Árvore do Halloween

A Árvore do Halloween
Título Original: The Halloween Tree
Autor(a): Ray Bradbury  
Editora: Bertrand                 Páginas: 160
Lançamento: 2014               ISBN: 9788528614787
 ||Compre||     ||Skoob||  ||Goodreads||
Na noite do dia 31 de outubro, em uma pequena cidade dos Estados Unidos, oito garotos vestem suas fantasias e saem às ruas em busca de Gostosuras ou Travessuras. Ao perceberem o desaparecimento de um nono integrante, o grupo decide explorar a casa mal-assombrada do outro lado da imensa ravina. Nos fundos da propriedade, eles descobrem uma gigantesca e magnífica árvore, repleta de abóboras de diferentes tons, formas e tamanhos. Em cada uma delas, há um rosto talhado. Eles nem imaginam o que estão prestes a conhecer. A trama, por meio de metáforas e personagens históricos, dá uma aula a respeito desta data tão comemorada ao redor do planeta. Os jovens, na perseguição pelo amigo desaparecido, viajam pelo tempo, passando pelo Egito Antigo, pela Grécia dos filósofos, e pela Paris medieval, aprendendo as origens do Halloween, bem como o porquê do terror, das mortes e das assombrações associados a ele.
Este livro está na minha estante desde o lançamento, sempre fazia o planejamento para lê-lo em outubro e não sei por qual motivo acabava deixando de lado. Este ano com o Desafio Doces Travessuras e Livros inclui ele na meta e decidi que leria sem falta.

Na noite de Halloween, um grupo de amigos veste as fantasias e sai para pedir doces. São ao todo nove garotos, ou melhor oito, já que o nono integrante da turma está agindo de maneira atípica e não se junta aos demais logo de cara. Quando parece que Pipkin vai estar com o grupo algo acontece e ele desaparece.

E este não foi o único fato assustador da noite. Antes de o garoto sumir, os demais tinham encontrado uma velha mansão com cara de assombrada e estavam sendo vítimas das travessuras do morador do local. O Sr. Montarlha era um cara sinistro e desafiou-os a buscar o verdadeiro significado do Halloween, que ao que tudo indicava eles desconheciam. Assim estava dada a largada pela busca ao amigo e uma aula nada convencional sobre a origem desta data tão funesta.

Sempre vi mil elogios sobre a genialidade da obras de Bradbury, mas nunca havia lido nada dele. Assim, A Àrvore do Halloween, foi meu primeiro contato com o autor e fui surpreendida com uma história diferente e surreal.

Este é aquele tipo de história que toda criança adoraria viver ou pelo menos já viveu quando a imaginou. É uma aventura cheia de loucuras e coisas fantasiosas, mas que nos leva diretamente aos sonhos da infância de viver algo grande e heróico ao lado dos amigos. Quem nunca se viu dentro de algo louco e ainda assim acreditando ser totalmente real?

Imaginação é a palavra de lei. Para os personagens que precisavam acreditar no que estavam vivendo guiados por Montarlha e para nós leitores que temos que ler sabendo que jamais nada daquilo acontecerá, mas que a proposta é a de viver a mais incrível e inesquecível noite de Halloween de nossas vidas. E embora a forma como as coisas aconteçam seja bem fantasiosa, as explicações sobre a data são baseadas em fatos reais, com apresentação de situações plausíveis e coerentes, então de alguma forma há verdade no que temos aqui.

A noite dos garotos, que começou apenas com um passeio para pedir doces e deveria terminar na visita até a possível casa assombrada, mudou quando viram aquela árvore estranha cheia de aboboras sorridentes e depois deram chance para Montarlha lhes explicar algumas coisinhas. Daí em diante tudo poderia acontecer e literalmente aconteceu. Pipas gigantes com uma rabiola de meninos, passeios pelas pirâmides do Egito, encontros com sacerdotes druidas e soldados romanos, a Inquisição, fantasmas e até a Festa dos Mortos no México. Todos estes elementos apresentados de maneira sombria, com aspecto de brincadeira e uma referência inteligente não apenas ao significado do Halloween, mas habilmente associados as fantasias de cada um dos garotos. Adorei esta sutileza.

E o amigo? Onde Pipkin estava nesta jornada? Lá e aqui. Aqui e lá. Em todo e em nenhum lugar.

O mistério da história reside aí e não vou contar nadinha sobre isso para que você tenha o prazer de descobrir quando ler. Só digo que é uma gracinha esta trama. É para temer e assustar de leve, mostrar bonitos gestos de amizade e como a infância é com certeza a época mais doce, ingênua e livre de nossas vidas. Quando crianças, dominados pela curiosidade, somos donos de uma coragem sem igual, aceitamos assim desafios e nos permitimos viver sem medo de fracasso, apenas pela promessa de uma ótima diversão. Nos permitimos ser um pouquinho inconseqüentes em busca de alegria.  

Aqui no Brasil o Halloween não é tão marcante quanto nos EUA, mas se eu fosse comemorar esta data adoraria ter estes garotos e o sinistro Montarlha como companhia. E as ilustrações? Lindas e dão um toque especial para a narrativa, lembrando bastante as histórias que Tim Burton levou para as telonas. Recomendo.

É enorme, é grandiosa…
É grandiosa, é um espanto…
Preenche o céu da Noite de Todos os Santos…
A visão mais estranha que terás por fim.
A Monstruosas Árvore do Halloween.
O sorriso de uma Bruxa, o sorriso de um Gato,
O sorriso de uma Besta, o sorriso de  um Sapo.
O sorriso da Morte negociando o fim.
Talhados e brilhantes na Árvore do Halloween…
2leep.com

11 comentários:

  1. Oi Cida, tudo bem?
    Me lembrou um pouco Stranger Things, a questão do amigo sumir e tal.
    Mas gostei da ideia do livro, parece o tipo de história que eu leria!
    Beijos,

    Priscilla
    Infinitas Vidas

    ResponderExcluir
  2. Oi, Cida!
    Eu fico bem triste do Halloween não ser tão comemorado aqui.
    Gente, e eu jurando que era um terror terrorzão hahhaha Ainda sim quero ler.
    Beijos
    Balaio de Babados
    Participe da promoção Halloween Literário

    ResponderExcluir
  3. Quero este livro tem tanto tempo!!!

    Amei a resenha. Continuo querendo ele, rsrs. Lerei com certeza ♥

    Bjks

    ResponderExcluir
  4. é uma data que ganhado mais expressão nacionalmente, Cida e em grande parte é graças a livros como esse, que despertam a magia sinistra da data, ressaltam a imaginação!
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. O mistério acerca do desaparecimento do amigo deles me lembrou Stranger things hahaha. Mas lógico, o caminho até encontrá-lo (ou não) com certeza deve ser diferente, e cheio de fantasias, pelo que você comentou. Gostei bastante da capa e fiquei curiosa com a história, aquele estilo juvenil que a gente embarca com a maior facilidade. Eu iria tranquilamente com eles pedir doces ou travessuras também! hahaha

    xx Carol
    http://caverna-literaria.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Olá, Cida.
    Quando vi a capa e o título do livro eu já quis ler ele. E lendo sua resenha só me deu mais vontade ainda de ler. Nunca tinha visto ele antes, mas me interessei bastante. Adoro livros que brincam com a imaginação. E já fiquei aqui imaginando umas teorias para o que aconteceu com o garoto desaparecido hehe.

    Blog Prefácio

    ResponderExcluir
  7. Oi Cida,
    Não conhecia o livro, mas adorei a premissa dele. Parece ser bem mágico, com certeza vai para a lista de leitura.
    Bjs e uma ótima noite!
    Happy Halloween ☻
    Diário dos Livros
    Siga o Twitter

    ResponderExcluir
  8. Oie Cida =)

    Não conhecia o livro e confesso que a primeira impressão que tive dele ao entrar em seu blog é que a história era mais voltada para o terror. Porém conforme li sua resenha ele me pareceu uma fantasia com um toque se sobrenatural, que particularmente gosto.

    Dica anotada ;)

    Beijos;***

    Ane Reis.
    mydearlibrary | Livros, divagações e outras histórias...
    @mydearlibrary

    ResponderExcluir
  9. Oi, Cida! Conheci esse livro esses dias, quando pesquisei livros sobre o assunto. De cara a trama que chamou a atenção e lendo sua resenha vejo que é uma leitura que com certeza vou curtir. Parece ser um livro para um público mais jovem, né?! Essas histórias de aventuras com amigos sempre são. Adorei!

    Beijos, Entre Aspas

    ResponderExcluir
  10. Oiii Cida

    Não conheço ainda a escrita desse autor também e eu gostei dessa dica por não ser terror pesado, mas sim algo mais ligeiro. Fica a recomendação anotadissima.

    Beijos

    unbloglitteraire.blogspot.com.ar

    ResponderExcluir
  11. Eu me apaixonei por Bradbury quando li "Fahrenheit 451" um livro de filosofia disfarçado de distopia e com muita qualidade então quando vi esse livro no seu instagram fiquei louca aguardando a resenha e desejando o livro... Agora então, eu preciso.

    Jaci
    O Que Tem Na Nossa Estante

    ResponderExcluir

Obrigada por seu comentário.

Sua participação é muito importante.

Um grande beijo!