[Resenha] Antes De Partir

Antes De Partir
Título Original: Before I Go
Autor(a): Colleen Oakley  
Editora: Bertrand                 Páginas: 322
Lançamento: 2016               ISBN: 9788528620627
 ||Compre||     ||Skoob||  ||Goodreads||
Na véspera do que esperava ser uma triunfante comemoração de três anos livre do câncer, Daisy, 27 anos, sofre um golpe devastador: seu médico lhe diz que a doença está de volta, desta vez ainda mais agressiva. Tendo apenas de quatro a seis meses de vida, ela está apavorada com o que será de seu marido, Jack, quando não estiver mais lá para cuidar dele. Esse medo tira seu sono, até que uma solução lhe vem à mente: ela precisa encontrar outra mulher para ele. Com uma determinação singular, Daisy visita parques, cafeterias e sites de relacionamento à procura do par perfeito para Jack. Mas, à medida que ela avança em sua busca, ela se vê forçada a decidir o que é mais importante no curto tempo que lhe resta: a felicidade de seu marido ou a sua própria?
O que você faria se descobrisse que tem apenas seis meses de vida?

Daisy, aos 27 anos, feliz da vida cursando psicologia, esperando ansiosa a formatura do marido Jack, planejando a reforma da casa e livre do câncer de mama há pelo menos três anos, recebe a triste notícia que a doença voltou. Não apenas na mama, mas por todo seu corpo. Não há cura, apenas paliativos para que o prazo limite de seis meses possa, quem sabe, aumentar para oito ou nove meses.

O que fazer nesta hora? Curtir cada minuto, literalmente, como o último? Colocar tudo em ordem? Manter o mesmo ritmo? Procurar tratamentos alternativos e outras opiniões médicas? Procurar uma nova esposa para o seu marido? Sim! Esta última é uma boa opção. E Daisy cismou que deveria encontrar alguém ideal para cuidar de seu Jack.

É desta premissa triste e dolorosa que Colleen Oakley conduz sua história. Vamos conhecer esta jovem que não queria nada impossível da vida, apenas ser feliz com o marido, vê-lo se formar, reformar a casa, concluir a universidade e ter filhos. Fazer viagens de férias divertidas, ver curiosidades, envelhecer e ter algo que muitas mulheres tem pavor, cabelos brancos. Só que ela não chegaria nem aos trinta anos e via como necessidade suprema garantir que seu amor pudesse realizar estes sonhos com outra mulher.

Parece loucura, mas ela se empenha na tarefa e esquece de si mesma. Não há aqueles momentos do tipo “preciso fazer isso por mim antes que seja tarde” ou “preciso realizar um sonho antigo”, ela só pensa em achar uma esposa para o marido e com isso acaba colocando o casamento que sempre foi feliz em risco. Daisy afasta Jack e muitas vezes acaba agindo como uma pessoa sem sentido e fria .

O drama da personagem é forte, foi um soco no estômago a hora da revelação do diagnóstico. Eu fiquei tão triste e imaginando como seria estar na pele dela. Não sei qual seria minha reação e por mais que não tenha concordado com as atitudes de Daisy na maior parte do tempo, eu não consigo afirmar que ela estava certa ou errada. É uma situação onde ninguém consegue ser racional, não quando abre os olhos sabendo que só resta lhe esperar pelo fim. Não um fim que você não sabe quando vai chegar, mas um logo ali na sua porta doido para entrar.

A autora consegue com maestria te colocar dentro da história e permitir compartilhar os sentimentos dos personagens. Antes de Partir não promete um final feliz, nem nada que vá te fazer sorrir, mas ainda assim você fica preso a história e se permite sonhar com uma solução inesperada, com um milagre, um passe de mágica. O que seria da vida sem a esperança?

O clima é tenso, mas em alguns momentos os pequenos gestos das pessoas o preenchem com doçura e bondade. Embora Daisy não seja uma pessoa fácil de lidar, as pessoas ao seu redor a amam muito e fazem de tudo para confortá-la.

E quando digo difícil de lidar é porque mesmo sentindo muita pena dela, não fui cativada pela protagonista. Falta algo em Daisy. Um carisma maior, uma flexibilidade para aceitar o amor das pessoas e até mesmo corresponder ao sentimento. Não vou dizer que é porque estava doente que é justificado, as atitudes extremas sim, mas não a maneira como tratava a mãe, esperava devoção total da melhor amiga e a paciência eterna de Jack. A personagem é complexa, é frustrante, mas por outro lado tem uma forma de não se deixar derrubar que é impossível não admirar.  Até agora não sei se gosto o desgosto totalmente desta garota.

Alguns vão sentir falta de romance na relação do casal, mas eu achei que foi realista. Afinal a vida não é um conto de fadas.

Já a melhor amiga Kayleigh  e Jack roubaram meu coração. Que pena só o último capítulo ser na voz dele, pois foi ali que meu coração se partiu e eu chorei como criança. Ah, Jack! Será que a Daisy fazia ideia do quanto você amava? Ele pode até parecer frio e distante, mas eu entendo o Jack. Ele não é corajoso ou destemido e mesmo não tendo o espaço merecido na história, eu via ali alguém assustado e paralisado.

A pergunta acima foi aquela que me fez pensar na mensagem que este livro trouxe para mim. Não sobre somente aproveitar a vida, mas especialmente sobre valorizar o amor que as pessoas dedicam a nós. Será que somos atenciosos o suficiente com estas pessoas? Sabemos aceitar seus sentimentos? Valorizamos algo tão maravilhoso como ser amado?

Fechei o livro vendo como Daisy perdeu tanto tempo surtando com uma busca infundada, quando deveria estar apenas perto de seus entes queridos. Nos preocupamos tanto com coisas bobas e deixamos grandes momentos passarem despercebidos.

Uma história tocante e delicada. Sobre amor, amizade e vida. Vai deixar o coração apertado, mas vai valer a pena ler para pensar sobre sua mensagem. 

2leep.com

11 comentários:

  1. Que história linda e comovente, imagino como seria estar na pele da Dayse também, quer dizer, por mais que não tenha lido o livro. Mas penso que ela deveria estar transtornada, afinal, nem todas as pessoas conseguiriam lidar com uma situação dessa, logo isso tornou ela mais fria e fazia agir desse modo. Apesar disso, ela deve ter se mostrado forte quando decide tomar essas iniciativas. Já quero ler, só tenho medo de chorar!

    bEIJO
    WWW.LEITORASVORAZES.COM.BR

    ResponderExcluir
  2. Ai Deus, tô aqui analisando p ver se tenho estrutura p ler esse livro
    heheheheheehe
    Adorei sua resenha, me deixou bastante curiosa!

    Bjooos
    muitospedacinhosdemim.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  3. Oi Cida!
    Que legal ver esse livro aqui. Minha mãe ganhou ele de uma amiga e ela, que lê bem menos que a gente, leu rapidinho e adorou. Vou pegar emprestado com ela!

    Beijos,
    Sora - Meu Jardim de Livros

    ResponderExcluir
  4. Quanto sofrimento.... ai gente... não tô preparada psicologicamente pra isso no momento.
    Mas achei tããão lindo!! Tão forte e tão tocante.
    Quero ler sim, mas depois... Vai pra lista de desejados agora mesmo. Preciso estar muito bem pra ler... na TPM nem pensar, rsrs.

    Amei muito a resenha!! ♥

    Bjks

    Lelê

    ResponderExcluir
  5. Que resenha linda! <3 Comprei esse livro, mas ainda não li. Estou me preparando emocionalmente, pois esse livro promete uma grande carga emocional, não é mesmo? E é verdade... Infelizmente nos preocupamos com coisas banais enquanto grandes momentos passam por nós.

    Beijos. | * Blog PS Amo Leitura *

    ResponderExcluir
  6. Olá!
    Esse é o tipo de leitura que não costumo fazer com frequência, mas que me deixa totalmente envolvido com a estória.
    Acho o enredo bem triste e tocante, mas a mensagem que o livro passa é algo que não devemos esquecer nunca.
    Adorei a resenha e espero poder ler, e me emocionar, com esse livro logo, logo.

    Abraço!
    http://tudoonlinevirtual.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. eu achei que ia ser uma história mais triste, mas ao mesmo tempo em que encontrei o drama me vi rindo com as loucuras de daisy e a mensagem da trama é muito bonita
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Oi Cida!

    Nossa a premissa é mega interessante, mas acho que eu precisaria de dias e dias pra digerir uma história assim, bem forte e tocante. Gostei de saber mais do livro! <3

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  9. Oi, Cida

    Eu não leria esse livro. Acho o plot extremamente surreal. Já leu Dançando Sobre Cacos de Vidro? A proposta é parecida, mas ao invés de tentar arrumar outra para o marido, a protagonista passa todos os seus últimos momentos ao mado dele, demonstrando o quanto o ama e que é possível viver sem ela, e mostrando também que ele não vai ficar sozinho, vai estar rodeado de amigos que o ajudarão. Acho bem mais crível, bem mais humano.
    Vou elogiar pelo menos a capa, é linda.

    Beijo
    - Tami
    http://www.meuepilogo.com

    ResponderExcluir
  10. Oi, Cida!
    Menina, o título em inglês só me lembra Summertime Sadness da Lana..
    Enfim... Eu ainda não havia lido uma resenha tão emocionada quanto a sua.
    Creio que eu não me afeiçoaria a Daisy justamente por essa obsessão de encontrar uma esposa nova pro marido do que curtir o restante da sua vida.
    Beijos
    Balaio de Babados
    Participe da promoção 5 Anos de Além da Contracapa
    Participe do sorteio Halloween Literário

    ResponderExcluir
  11. Oi, Cida!
    É curioso como as pessoas têm reações tão diferentes diante de uma doença potencialmente fatal, né?! O que à primeira vista pode parecer uma atitude altruísta por parte da Daisy se revela uma espécie de fuga... Ao invés de viver por inteiro com o marido o momento pelo qual está passando, ela se distancia nessa busca esquisita. Também acho que ficaria divida em relação a ela. Ainda assim, pela sua resenha, parece ser uma leitura bem emocionante. Pretendo ler.

    Beijos, Entre Aspas

    ResponderExcluir

Obrigada por seu comentário.

Sua participação é muito importante.

Um grande beijo!