[Resenha] Quissama - O Império dos Capoeiras

Quissama - O Império dos Capoeiras
Autor(a): Maicon Tenfen
Editora: Biruta                     Páginas: 308
Lançamento: 2015               ISBN: 9788578481377
 ||Compre||     ||Skoob||  ||Goodreads||
Rio de Janeiro, dezembro de 1868.  moleque Vitorino Quissama foge da senzala para procurar a mãe desaparecida. Recorre ao viajante Daniel Woodruff, ex‑agente da Scotland Yard que pode ajudá‑lo em sua missão. Transitando entre os salões da corte e as precárias moradias dos cortiços, a dupla terá de enfrentar os perigos e as injustiças de uma sociedade sustentada pelo trabalho escravo. Baseado nos manuscritos de Daniel Woodruff (1832-1910), O Império dos Capoeiras reconstitui a saga de uma cidade dividida pela guerra secreta dos Nagoas e Guaiamuns, duas das maiores e mais temidas maltas do século XIX. Numa época em que o escritor José de Alencar era Ministro da Justiça e o Império do Brasil destinava todos os seus recursos à Guerra do Paraguai, Woodruff mal podia imaginar que, por trás da busca pessoal de Vitorino, insinuava‑se uma conspiração que mudaria os rumos da nossa História.
Primeiro de uma trilogia, Quissama - O Império dos Capoeiras, de Maicon Tenfen, publicação da Editora Biruta, traz uma história cheia de ação, intriga política e mistério. A ambientação se dá em pleno Rio de Janeiro no ano de 1868 e foi baseada nos manuscritos de Daniel Woodruff (1832-1910).

Daniel é um ex‑agente da Scotland Yard que após perder a mulher e o filho resolveu deixar a Inglaterra e desbravar os sete mares como marinheiro. Em sua longa jornada aportou no Brasil e se estabeleceu em uma pousada no Rio de Janeiro, local onde fez amigos e aprendeu mais sobre nossa cultura.

Amante de lutas, viu na capoeira um objeto de estudo e interesse crescentes. Seu talento como investigador foi usado para encontrar uma artista desaparecida e logo Woodruff ganhou fama, tanto que numa bela noite foi abordado por um escravo fugitivo que queria contratá-lo para encontrar a mãe. No entanto, o inglês estava de partida e recusou o trabalho. 

Vitorino Quissama – o escravo –, era um moleque persistente e deixou o serviço pago mesmo com a recusa. Assim Daniel se viu com uma jóia valiosa em mãos e um serviço que não queria. Ele cismou que precisava devolver a joia para o dono do escravo e não imaginava a rede de intrigas na qual estava se envolvendo quando tomou esta decisão.

O desaparecimento da mãe de Vitorino leva o ex-investigador ao grande chefe do crime e jogatinas Alemão Muller, logo a seguir percebemos que no sumiço da escrava havia algo muito estranho. Se não bastasse surge um novo desafio para Daniel, desvendar quem escreveu um poema ofensivo contra o imperador. Daí em diante, a cada página, mais complicações surgem. Assassinatos, perseguições policiais, corrupção,  conspirações, disputas territoriais entre capoeiras e uma corrida contra o tempo para salvar o menino Vitorino e sua própria pele. Ação e emoção sem medidas em uma narrativa ágil, envolvente e cativante.

Quissama tem um conteúdo histórico rico e belamente apresentado. Tenfen nos apresenta os momentos da História do Brasil que precederam a assinatura da Lei do Ventre Livre e anos depois a Abolição da Escravatura, ou como eles elegantemente se referiam no livro, o fim do elemento servil.  A exploração, a discussão e as especulações políticas sobre este período são  incríveis e de uma vivacidade única, eu me senti em pleno Rio de Janeiro vendo o Imperador, sua filha Princesa Isabel e até mesmo Jose de Alencar (escritor e politico um tanto controverso) passando logo ali em suas carruagens.

Eu adoro histórias cheias de mistérios para serem desvendados, mas foi mesmo a parte histórica que mais me impressionou, ainda que nada nesta trama não seja excelente. Eu gostei porque a História não foi apresentada num tom professoral e sim de maneira investigativa e vívida. Pelos olhos de Daniel e por suas ações tudo aquilo ganhou cores, sons e cheiros, ou seja, vida. É também curioso ver o Brasil e seus costumes pelos olhos do ex-investigador, que tenta aprender a todo o momento sobre a realidade que o cerca. Isso dá profundidade para tudo, além de uma significância maior para detalhes que acabamos deixando passar. Você se pega analisando as coisas de maneira mais acurada e aprendendo.

O texto é apresentado em uma linguagem que combina com a época, mas mesmo nos diálogos formais ou nos recheados de gírias não há desconforto. É fácil de entender. É uma total viagem no tempo. A história não é pomposa, mas elegante e existe um bom humor sutil e desafiante nas entrelinhas.

O intrépido Daniel é um narrador simpático e carismático e, por ser um estrangeiro desacostumado com a realidade local, acaba sendo mais ousado do que as pessoas esperam, com isso não só ganha respeito, mas empolga o leitor com suas bravatas. É um herói a moda antiga e acredita em justiça, mesmo que para isso precise agir de maneira pouco convencional. Na verdade não é bem justiça de lei e sim o que é certo e justo. Naquela época nem sempre este conceito combinava com a lei (lei esta que era ditada por quem tinha mais força ou dinheiro).

Em suma, Quissama - O Império dos Capoeiras é um livro maravilhoso. Bem embasado historicamente, nos faz vibrar com uma grande aventura ao mesmo tempo que conta como nossa nação mudou social e politicamente durante o período abolicionista e fim da monarquia. Recomendo.

Nota: A edição conta com ilustrações e um formato envelhecido que nos faz crer que temos um antigo folhetim ou mesmo manuscrito em mãos.  



2leep.com

10 comentários:

  1. Oi, Cida!

    Eu também gosto bastante de romances com base histórica. Nunca ouvi falar deste livro, mas o achei muito interessante. Fiquei curiosa para saber o que houve com a mãe do garoto e tudo o mais.
    Ótima resenha!

    Beijocas.
    http://artesaliteraria.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Oi!
    Apesar de ter gostado da resenha, o livro não em chamou tanta atenção coo eu gostaria...Talvez seja o gênero, não sei...Essa dica eu passo...
    Bjs

    ResponderExcluir
  3. achei bacana misturar essa realidade dos fatos com a trama ficcional com certeza essa diagramação que você comentou dá um ar diferenciado a trama
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Oie Cida =)

    Não conhecia o livro, mas adoro enredos que tem como base a história "real", por assim dizer. Ainda mais algo que é nossa que se passa aqui na terrinha.

    Porém o que mais me chamou a atenção em sua resenha é o fato da história ter um toque de mistério. Afinal são dois ingredientes que amo, fatos históricos e mistério.

    Dica anotada ;)

    Beijos e uma ótima semana para você;***

    Ane Reis.
    mydearlibrary | Livros, divagações e outras histórias...
    @mydearlibrary


    ResponderExcluir
  5. Oi Cida!

    Parece ser um excelente livro, tb adoro a parte histórica das obras, sou super curiosa com isso. O livro realmente parece valer a pena!

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  6. Olá, Cida.
    Já tinha visto esse livro antes e me interessado por ele. Eu não sou e nunca fui muito fã de história, era a matéria que eu menos gostava, mas acho que lendo livros como esse, a matéria se torna interessante. E que legal ele ter esse aspecto mais antigo.

    Blog Prefácio

    ResponderExcluir
  7. Olá Cida,
    Esse é um livro bastante interessante, pena que não faz muito o meu tipo de leitura. Esse eu vou deixar rsrs.
    Adorei a resenha.
    Bjs e uma ótima tarde!
    Diário dos Livros
    Siga o Twitter

    ResponderExcluir
  8. Oi Cida, tudo bem?
    Livros com carga histórica têm que ser muito bem escritos pra que não fiquem cansativos e passem bem o seu enredo. Parece ser esse o caso. =) Fiquei curiosa pra conferir as ilustrações!
    Beijos,

    Priscilla
    Infinitas Vidas

    ResponderExcluir
  9. Oi Cida! Não tinha visto falar desse livro até então, mas achei que ele vale a leitura! Adorei seu post! Beijos!!

    www.lendo1bomlivro.com.br
    Instagram :) @lendo1bomlivro

    ResponderExcluir
  10. Oiii Cida

    POis foi exatamente esse contexto histórico que mais me chamou a atenção, mais até do que o mistério. Nunca li nada do Brasil império, à exceção lógico de livros escolares e tenho vontade de me aventurar em uma história ambientada naquele tempo.
    Adorei a recomendação

    Beijos

    unbloglitteraire.blogspot.com.ar

    ResponderExcluir

Obrigada por seu comentário.

Sua participação é muito importante.

Um grande beijo!