[Resenha] Jardim de Espelhos

Jardim de Espelhos
Autor(a): Veridiana Maenaka
Editora: Giz Editorial             Páginas: 376
Lançamento: 2014               ISBN: 9788578552367
imgTitle_20140909120110 ||Compre||     ||Skoob||  ||Goodreads||
Cristina nasceu de um relacionamento proibido entre dois jovens da alta sociedade, por isso é rejeitada e entregue, ainda bebê, a uma mulher humilde. Ignorante de sua origem, cresce como serviçal na fazenda Redenção. Apesar da diferença social, ela e André, filho do dono da propriedade, tornam-se companheiros de folguedos e, na adolescência, namorados. Mas esse amor custa caro a Cristina, e ela cai em desgraça. Quem a salva do desamparo é Olívia, reconhecida alcoviteira, que a transforma numa mulher cobiçada e elegante, uma acompanhante de alto luxo. Na solidão dessa vida a um só tempo glamourosa e degradante, Cristina reencontra André, o amor de infância. Obcecada por reconquistá-lo e retornar triunfante à fazenda Redenção, a moça precisará da ajuda do detestável – e atraente – Eduardo. Paixões, intrigas e sensualidade num envolvente romance de época.

Jardim de Espelhos, de Veridiana Maenaka, é uma romance de época nacional que tem início em meados de 1880 e mostra a dura trajetória de uma garota nascida fora do casamento e por isso abandonada pela mãe. É uma história cheia de intrigas e amores, ódio e desprezo, mas acima de tudo, um retrato da dura realidade da mulher em uma época que a virgindade era superestimada e não ter bom nome e um homem ao seu lado para sustentar e prover era um grande desafio.

Cristina, nossa protagonista, cresceu sem receber afeto em uma fazenda na ala de serviçais, mas isso não impediu de se apaixonar pelo filho mais jovem dos patrões, André, e acabar se deixando seduzir pelo belo rapaz. Ainda uma adolescente caiu em desgraça e foi obrigada a fugir para não ter que casar com um homem mais velho que a aceitasse sem ser um donzela intocada, já que o seu amor não queria nada sério. Assim a jovem foi obrigada a encarar o desafio de ser uma mulher sozinha numa sociedade machista e que valorizava reputação. Sem muitas opções,  se viu aliada a Olívia, uma grande e famosa alcoviteira que lhe apresentou a profissão de meretriz de luxo.

Este livro apresenta uma trama envolvente, cheia de encontros e desencontros. É como uma daquelas novelas de época cheias de reviravoltas e dramas, com uma mocinha que vai ao fundo do poço e ressurge em busca de vingança e sucesso, mas acaba sendo traída pelo coração e sofrendo com facilidade. O prólogo mostra o quanto a vida de Cristina seguiu por um caminho triste e de muitas humilhações, assim surge no leitor aquela expectativa para saber o que levou a garota até ali, e embora seja previsível algumas vezes, é totalmente imprevisível em outras, o que torna tudo muito interessante e você não consegue parar de ler até ter todos os detalhes. E claro, quem ama romance com aquela pitada dramática não vai resistir.

Cristina, sonhadora e ingênua, foi obrigada a crescer, ser forte e cheias de artimanhas. Ela não é aquele tipo de pessoa dada a súplicas e sempre que se viu frente a algo complicado endureceu mais e fechou o coração. Possuía uma certa obsessão doentia que a conduziu por caminhos cheios de mágoas e vingança, cegando - a para as boas oportunidades.  A jovem não percebia, mas era a única que ia se ferir com aquelas atitudes.

Gostei da protagonista e admirei sua frieza em situações que eu mesma teria sentado e chorado, não concordei com muitas de suas escolhas e acredito que se aceitasse uma vida mais humilde não precisaria ter se tornado uma meretriz, mas não nego que se ela tivesse optado pelo mais simples não teríamos este romance maravilhoso em mãos, nem eu teria vivenciado tantas emoções. 

A narrativa em terceira pessoa é focada não só em Cristina, mas em todos os personagens da trama e assim podemos ter uma visão abrangente de tudo. Não só ela vive dilemas, existem tantos outros correndo paralelos com os demais personagens,  para ao final se conectarem com tema central, nos dando assim algo mais sólido e completo. 

Cada um dos personagens é devidamente explorado e você não sente que alguém foi esquecido e poderia ter mais espaço. Veridiana criou algo tão gostoso e empolgante que não me importaria nenhum um pouco se ela escrevesse uma série de época com livros protagonizados por cada um dos personagens que conheci aqui. Guilherme, Vítor, Olívia, Beatriz, Henrieta…

Eu admito que não tive certeza de um final feliz em momento algum e nem sabia com qual dos tantos possíveis pretendentes ela iria terminar. Verdade seja dita, parecia mesmo que ela terminaria morta ou só, e até os últimos capítulos a dúvida prevaleceu, bem como o desfecho para todas as pendências que Cristina tinha em sua vida, tais como: o acerto com a família de sangue, o relacionamento com André e outros homens, o acerto com a mãe de criação, a decisão de continuar ou não sendo meretriz e o maior de todos,  o acerto consigo mesma e a sua redenção. Uma jornada incrível, que despertou em mim uma infinidade de sentimentos. Fiquei angustiada, irritada, triste, suspirei e chorei. É uma história que mexe com a gente e eu não acredito que demorei tanto tempo para ler.

Os romances de época nacionais que tive a oportunidade de conferir não são hilários como os de autoras internacionais que leio atualmente, são mais sérios e profundos, me dando um visão diferente deste gênero. Estou plenamente satisfeita com as experiências que tive até o momento e afirmo que amei Jardim de Espelhos, foi meu primeiro contato com a obra de Veridiana e me vi querendo conferir outros livros de sua autoria. Há sensibilidade em sua história e uma avalanche de sentimentos… esperança, dor, desejo, amor, ódio, amizade e até mesmo um toque de conto de fadas. Simplesmente emocionante.






2leep.com

14 comentários:

  1. Oi, Cida!
    Não sou muito fã do gênero mas, já li tanta resenha boa sobre esse que estou tentada a dar uma chance a ele.
    Curto uma protagonista fria. Cansei das mimizentas hahahah
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir
  2. Oii
    Antes eu não gostava muito de romances de época, mas confesso que esse gênero vem crescendo no meu conceito.
    Que legal que é um livro nacional! É ótimo poder ler e visualizar cenários em território nacional.
    Gostei da sinopse, parece ser uma estória cheia de intrigas e romance! haha

    Beeijo
    www.ooutroladodaraposa.com.br

    ResponderExcluir
  3. menina tem de tudo um pouco! choquei, eu quero esse livro pra ontem
    arrepiei lendo a sinopse!
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Ainda não li nenhum romance de época brasileiro, acho que esse livro seja uma boa dica para fazê-lo.
    Parabéns pela resenha e obrigada pela dica
    Bjoo

    ResponderExcluir
  5. Cida oi !!!

    Amei a sua resenha .. e estou a mil anos tentando comprar esse livro e sempre deixo para depois, mas agora vc me deixou com mais vontade ainda de ler ;) já esta na minha lista de compras do final do mês \o/

    Beeeeijos

    Shay - Artesã Literária
    http://artesaliteraria.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. tem tudo do que eu gosto e promete ser uma trama arrasadora
    felicidadeemlivros.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  7. Adorei sua resenha. O livro parece ser ótimo e essa capa está linda.

    Beijos.
    Blog Não Vivo Sem Livros

    ResponderExcluir
  8. Oi, Cida!

    Como você já sabe, eu amo romances de época, mas ainda não li os nacionais. É interessante ver como ela optou por deixar a história mais séria e conflituosa, e mesmo assim manteve a essência do gênero. "Avalanche de sentimentos"? Adoro histórias assim, que mexem com o leitor.
    Ótima dica!

    Beijocas.
    http://artesaliteraria.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  9. Cida!
    Adoro os romances de época, principalmente ambientados no século XIX.
    E se esse romance nacional vem cheio de altos e baixos, reviravoltas, mocinha indo ao fundo do poço e depois ressurgindo das cinzas, fiquei bem empolgada para ler, mesmo que não tenha momentos hilários, ainda assim, quero.
    “A gente todos os dias arruma os cabelos: por que não o coração?”(Provérbio Chinês)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    Participem do nosso Top Comentarista, serão 3 ganhadores!

    ResponderExcluir
  10. Eu nem tinha me animado a ler este livro.... Até conhecer a autora.
    Gente!!!! Essa mulher é muito incrível!!!
    Agora quero ler o livro e tudo mais que ela escrever.
    Bom, comecei com sua resenha, rsrs.
    Que já seria suficiente para que eu desejasse ler o livro.

    Bjkssss

    ResponderExcluir
  11. Livro interessante e a vida da personagem tem varias reviravoltas e descobertas com certeza esta autora e muito boa .

    ResponderExcluir
  12. Eu amo romances épicos, e confesso que nunca li nenhum nacional ainda!
    Tô para ler, o da Babi A. Sette, a promessa da rosa, que todo mundo fala que é ótimos, mas esse eu não conhecia!
    Não sou muito fã quando os personagens querem se vingar de alguma forma, em algum momento todo mudo sai machucado!

    ResponderExcluir
  13. A autora já está na minha lista de desejos para 2016, quero seus dois livros: jardim de espelhos e onde o amor se esconde. Só leio elogios a suas histórias e escrita envolvente. Amei saber sua opinião, cheia de sentimentos, empolgação e objetividade. Parabéns pela leitura e pelo ótimo texto. Beijos

    Leituras, vida e paixões!!!

    ResponderExcluir
  14. Admiro muito autores que conseguem fazer personagens marcantes e com personalidade forte. Confesso que também não sei se teria tamanha frieza para superar e lidar com algumas situações, mas bom saber que a protagonista não sentou e simplesmente chorou, como você disse que faria hahahaha

    ResponderExcluir

Obrigada por seu comentário.

Sua participação é muito importante.

Um grande beijo!