[Resenha] Rich e Mad

Rich e Mad
Título Original: Rich and Mad
Autor(a): William Nicholson
Editora: Galera Record         Páginas: 304
Lançamento: 2015               ISBN: 9788501098566
Rich e Mad ||Compre||     ||Skoob||  ||Goodreads||
Rich e Mad é um drama sobre problemas reais: a envolvente história do primeiro amor, da primeira relação sexual e de tudo entre um e outro. Um olhar contemporâneo e sincero sobre o primeiro amor e a descoberta da sexualidade. Mad sonha em se apaixonar perdidamente e, em meio a encontros e desencontros, acaba descobrindo que sua cara-metade é o amigo Rich. Com honestidade e delicadeza, a história clássica do ‘garoto encontra garota’ ganha um novo significado. Agora repleto de descobertas e de aprendizado.
Eu admito que foi esta capa me me fez querer ler este livro, lembrei na hora de A Probabilidade Estatística do Amor à Primeira Vista - um livro que muito me encantou com sua história de amor doce e com cara de contos de fadas –, só que Rich e Mad não tem nada a ver com a história do outro livro, mesmo sendo protagonizada por dois adolescentes. A história aqui gira em torno das primeiras vezes de um adolescente: o primeiro amor, o primeiro beijo, a primeira transa e todas as descobertas que vem com tantas primeiras vezes.

Eu adoro livros protagonizados por adolescentes e com histórias passadas no ensino médio. Mesmo que eu já tenha passado por esta fase, é uma época da vida que sempre vai deixar saudades, sendo assim, este tipo de leitura não é só nostálgica, como também me faz ver com certos sonhos não podem ser deixados para trás. Há um outro motivo que me leva a ler histórias neste estilo, que é poder recomendar para jovens leitores obras que possam trazer algo de positivo para suas vidas.

Rich é um garoto de 17 anos que ama ler e escrever poemas. Gosta de coisas antigas, ouve música em discos de vinil e não liga muito para ser ou não popular. Ela não tem celular - este aparelho tão indispensável para a garotada de hoje não significa nada para Rich -, que acredita que se alguém realmente quer falar com ele, vai procurá-lo. Claro que não é tão diferente assim dos outros garotos de sua idade e acaba nutrindo um amor platônico pela garota mais linda do colégio, a fria e distante Grace.

Mad é diferente de Rich, gosta de modernidade e sente que o celular é parte de si. É uma garota que decide que chegou a hora de ter um namorado e sua primeira vez, então acaba escolhendo como alvo Joe Finnigan, um garoto mais velho e de sorriso encantador, seu único defeito é ter namorada. E que defeito não é mesmo Mad?

Rich e Mad vivem realidades diferentes e não são nem amigos, mas eis que seus amores platônicos acabam sendo um ponto e comum e a razão que os aproxima, permitindo assim que comecem uma amizade e quem sabe algo mais.

Já citei que amo histórias assim, mas até a metade do livro a trama não havia me capturado. Embora eu tenha gostado de Rich desde o começo, não posso dizer o mesmo de Mad. Sua determinação de conquistar Joe e todos planos que armou para ficar perto do garoto me deixaram irritada, eram fúteis e imaturos, ainda mais por serem voltados à alguém que tinha namorada, algo ao meu ver bem feio.

Só que tanto Mad, quanto Rich, estavam fadados a ter sua primeira desilusão amorosa e foi quando isso aconteceu e eles ficaram amigos, que a história deu uma guinada e me pegou de jeito. A relação que ambos constroem é fofa e cativante, evolui dia a dia e torna-se algo terno. É bem óbvio o que acaba acontecendo, mas nem por isso menos empolgante, o que me fez só deixar o livro de lado quando terminei de ler. A história ganhou novos ares, me fez rir bastante e criar novas expectativas.

O mergulho de Mad no mundo diferente de Rich foi incrível, pois ele prezava o que de verdadeiro existia na vida e compartilhou isso com ela. Uma boa música, a família, a amizade e a vida em si sem frieza ou fingimento. Ele a fez pensar e questionar, a fez rir.

A relação de Rich com a irmã é comovente, bem como com os demais membros da família, acho que foi observando isso que fez Mad ver naquele menino nada popular uma pessoa de verdade. Ela também tem uma relação boa com os pais e a irmã, embora sua família esteja em crise no momento.

Wiliam Nicholson soube trabalhar com destreza esta fase de descoberta da sexualidade e do amor na juventude, nada soou forçado e clichê, ao contrário seguiu de maneira inesperada e prezou ternura e delicadeza. É doce e mostra com autenticidade as inseguranças sobre transar, encorajando que seja de maneira segura e com amor. Este foi um dos pontos mais positivos da obra, mostrar aos jovens que amor e sexo podem sim caminhar juntos sem ser piegas, incentivando relacionamentos sinceros, respeitosos e saudáveis. O outro ponto positivo foi a valorização de momentos mais simples, singelos, deixando de lado um pouco desta avalanche de modernidade e redes sociais para simplesmente brincar com uma criança, ler, cantar parabéns para uma avó ou sentar num banco do parque e comer um sonho.

E ler, você sabe, é a melhor “outra coisa” que existe. Ler é o mundo inteiro.

Além de apresentar um romance fofo, traz de quebra um pequeno mistério sobre Grace, que vive uma vida muito suspeita.

Em suma Rich e Mad foi uma leitura deliciosa, que conseguiu me surpreender e encantar, ainda que não tenha começado com todo aquele gás, conseguiu dar uma guinada e tornar-se um livro queridinho.



2leep.com

13 comentários:

  1. Oi Cida...
    Não sou lá muito de ler livro com todas essas temáticas adolescentes, mas este até parece bonitinho.
    A leitura desse livro parece incentivar muito os jovens, e mostrar valores. Acho que leria por isso.

    livrosvamosdevoralos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Oi Cida, faz tempo que não leio livros assim exatamente, apesar de ter lido Isla e o Final Feliz recentemente e acho que posso encaixar num genero semelhante. Tenho curiosidade de ler, mas minhas chances de comprar livros estão zero recentemente, espero conseguir diminuir minha pilha nos próximos anos - háhá.
    Adorei o que você comentou sobre o livro, espero ter oportunidade também.

    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Oi Cida!
    Eu também gosto de livros adolescentes, apesar de ter passado dessa fase faz tempo rs
    A capa desse livro é muito fofa, compraria só por ela.

    Beijos,
    Sora - Meu Jardim de Livros

    ResponderExcluir
  4. oi Cida, eu também amo esses livros com uma pegada adolescente! estou muito ansiosa para ler este! espero ter a mesma boa impressão que você!

    felicidadeemlivros.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  5. Oii
    Esse livro é fofo em todos os sentidos, tem uma capa fofa, uma estória fofa e personagens fofos! haha
    Aina não li, mas claro que está na minha booklist!
    Amei a resenha.

    Beijos
    www.ooutroladodaraposa.com.br

    ResponderExcluir
  6. Vi a capa deste livro essa semana. E mesmo tendo gostado dela, pensei que o livro fosse mais um entre tantos iguais.
    Não que ele não seja, mas senti algo diferente agora. Talvez seja o jeito que ele narrou, pelo menos foi isso que senti na resenha. Se você estiver me enganando, volto aqui depois de ler o livro.
    Gostei muito!!!

    Bjks

    Lelê

    ResponderExcluir
  7. Oi Cida, tudo bem?
    Eu também gamei nesta capa. Foi o que primeiro me chamou atenção neste livro.
    Estou de olho nele desde o lançamento, inclusive está na minha listinha de compras da Bienal.
    Gostei muito da sua resenha, ela me deixou com mais vontade ainda de conferir esta história.
    Bjus
    Lia Christo
    www.docesletras.com.br

    ResponderExcluir
  8. Oi Cida!
    Que fofura esse livro, pena que hoje em dia o estilo de vida do Rich está se tornando exceção. Apesar dessa história falar sobre jovens, a mensagem transmitida sobre dar valor às coisas simples da vida, às amizades e à família serve para todas as idades.
    Beijos... Elis Culceag. * Arquivo Passional *

    ResponderExcluir
  9. adorei a capa tb, eh uma fofura.. a historia realmente me atrai, e c uma resenha tao positiva que nem a sua, da vontade mais ainda de ler..

    ResponderExcluir
  10. Adorei suas palavras, também gosto de livros com protagonistas adolescente e assim como você, gosto muito do livro A probabilidades estatística do amor a primeira vista.

    Sobre Rich e Mad, adorei os personagens, embora não me simpatize tanto com garotas meio mimadas e que usam de coisas até erradas para conseguir o que querem.

    A capa do livro é maravilhosa e muto romântica. Estou doida para lê-lo.

    ResponderExcluir
  11. Que fofura!!!
    Já faz um tempo que vi sobre ele no face e achei a capa uma coisa de linda!
    Mas essa é a primeira resenha dele que leio e me encantou.
    Também adoro tudo sobre o universo adolescente, na verdade, ainda me sinto adolescente, mesmo já tendo 20, rsrsrsrs
    É um período de muitas dúvidas, medos e sonhos, que já está ficando para trás no meu caso, mas tento sempre me manter otimista e com a alma de criança! rs
    Ler esses livro super nos dá um up além de ser fofo e lindo!
    Já quero esse!
    bjs

    ResponderExcluir
  12. Bem Cida!
    Pelo visto o livro é mais voltado para os jovens que estão iniciando suas vidas sexuais e tentam resolver seu problemas da forma como os adolescentes resolvem.
    Em sendo um romance fofo já vale a pena.
    “A alegria evita mil males e prolonga a vida.”(William Shakespeare)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    Participem do nosso Top Comentarista!

    ResponderExcluir
  13. Adoro essa mistura de romance e mistério, então é claro que esse livro entrou para os meus desejados assim que o vi pela primeira vez. Sem contar que a capa é linda, né? Qual será o segredo que ela esconde? Estou curiosa!

    ResponderExcluir

Obrigada por seu comentário.

Sua participação é muito importante.

Um grande beijo!