[Resenha] Corra, Abby, Corra!

Corra, Abby, Corra!
Título Original: Girl On The Run
Autor(a): Jane Costello 
Editora: Record                    Páginas: 420
Lançamento: 2015               ISBN: 9788501097316
Abby ||Compre||     ||Skoob||  ||Goodreads||
Abby nunca foi de se preocupar com hábitos saudáveis. Aos 28 anos, ela acaba de fundar a própria empresa de web design, e sua rotina parece consumir todo o seu tempo. Ela não tem a menor ideia de quando foi a última vez que deu um beijo apaixonado. E o pior: mal tem tempo para comer, malhar então... nem pensar. Mas quando sua melhor amiga a convida para participar de um clube de corrida, a jovem empresária encontra uma motivação: Oliver, charmoso e bem-sucedido médico que parece estar interessado em suas investidas. Seu primeiro dia de corrida, entretanto, não acaba como imaginou e ela jura que nunca mais vai correr. Até o dia em que sua assistente Heidi revela ser portadora de esclerose múltipla. A partir daí, Abby vê nas corridas uma forma de arrecadar fundos para a pesquisa da cura para a esclerose. Só que ela precisa de muito fôlego para gerenciar a empresa, lidar com sua operadora de seguro para arcar com o prejuízo de um motoqueiro que ela atropelou por acidente, e ainda conquistar o Dr. Sexy. Mas o que Abby não imagina é que pode estar correndo atrás do homem errado...
Divertido, otimista e cativante.

Abby é uma jovem empresária que vive em Liverpool e acabou de montar sua empresa de web design. Ela é filha de uma mulher rica e bem sucedida no mundo dos negócios, mas não quer que a mãe seja sua madrinha de maneira alguma. Abby precisa obter sucesso com o próprio esforço para que possa se sentir feliz.

A vida de Abby é uma loucura, ela vive lutando contra o avanço dos ponteiros do relógio e nunca dispensa um bom docinho entre uma reunião e outra, por isso está bem acima do peso, embora não esteja incomodada com este fato. Foi exatamente indo para um destas reuniões que acabou atropelando um belo motoqueiro. Tom entrou na vida dela – literalmente – por acidente. Eles brigaram por conta do seguro, trocaram um primeiro beijo incomum e finalmente tornaram-se amigos. Mas será que era apenas amizade o que queriam?

Não dá para saber logo de cara, ainda mais porque a mocinha tem um problema bem maior para lidar, Heidi, sua melhor funcionária de apenas 23 anos, está muito doente. A jovem tem esclerosa múltipla.

Pela primeira vez Abby notou o quanto nossa vida é efêmera, que ninguém deveria ficar de braços cruzados com tantas atitudes para tomar. Então, disposta a ajudar a amiga de alguma forma - mesmo sabendo que a doença era incurável –, resolveu levantar fundos para a pesquisa da esclerose  participando de uma meia maratona. Estava lançado o maior desafio da vida da sedentária Abby, perder uns quilinhos e correr.

Amor versus malhação. Corra, Abby, Corra!

Este não é o primeiro livro de Jane Costello lançado no Brasil, mas é o primeiro que leio e posso dizer que me deixou com aquele arrependimento enorme por não ter lido nada dela antes. Os capítulos curtos terminam com pequenas surpresas e te fazem ansiar pelo próximo. A narrativa fluida, muito bem humorada e envolvente, foi capaz de capturar minha atenção logo nas primeiras páginas, não só por me arrancar boas risadas, ou melhor, gargalhadas, mas por trazer também personagens que esbanjam carisma e uma história linda, cheia de mensagens positivas e bons sentimentos.

Pode parecer que a história vai enveredar por uma caminho mais dramático pelo fato de ter uma personagem com uma doença tão grave, mas embora o problema de Heidi esteja ali, a intensão não é a de fazer você chorar e sim enxergar possibilidades e a chance de se superar a cada dia. Tanto ela, quanto Abby, foram capazes de me fazer abrir os olhos e enxergar como basta ter coragem e força de vontade para atingir objetivos, mesmo quando isso parece ser algo impossível.

A narrativa em primeira pessoa, pela voz de Abby, nos permite acompanhar não só seu dia a dia no trabalho, mas também a relação com os pais, com os amigos e a luta para entrar em forma e conseguir competir na maratona. Não posso deixar de citar também suas tentativas de conquistar Oliver, um integrante do clube de corrida do qual ela resolve participar.

Abby é muito atrapalhada e cheia de argumentos para nunca perder uma discussão, mesmo que esteja errada, é teimosa e não dá o braço a torcer. Contudo é uma pessoa boa, a melhor amiga, a melhor chefe, e poderia até ser a melhor namorada se houvesse oportunidade.´

Eu gostei desta garota, ela é genuína e seus milhares de defeitos balanceados com muitas qualidades a tornam mais real. Abby não aspira pelo modelo de perfeição, mas está ali tentando seu melhor e a cada página virada você nota como se transforma e evolui, amadurece e torna-se uma mulher que queremos conhecer, aquela amiga ideal. Como toda protagonista de chick-lit, acaba vivendo uma quantidade de confusões bem acima da média, tantas que em determinado momento sua vida dá aquela reviravolta e tudo parece que vai afundar. E você pensa: Quem vai salvar nossa amiga?

Abby é uma excelente personagem, mas a galera que a cerca não deixa por menos. Heidi, Matt e Priya são aqueles colegas de trabalho que todos merecemos. A turma do clube de corrida o incentivo necessário para qualquer um amar malhar, eu queria todos na minha vida. Os pais encantadores e dedicados ao seu modo. Tom é perfeito e dispensa maiores comentários, além disso tem um vovô fofo demais e muito sábio.

É uma história empolgante e muito atual, em muitas partes vai parecer com a nossa própria vida. Você vibra acompanhando a trajetória de Abby para entrar em forma. Se delicia com as relações dela com os amigos, embora no caso da melhor amiga Jess eu não tenha aceitado a decisão da protagonista, algumas coisas são, ao meu ver, imperdoáveis. Torce pelo seu amadurecimento na forma de encarar o divórcio dos pais e praticamente quer entrar no livro para fazê-la olhar para Tom como mais que um amigo e esquecer aquele dissimulado do Oliver. Afinal Tom é um espetáculo de homem.

São diversos acontecimentos e a autora os liga de forma eficiente, tornando a trama completa e coerente. Comove, diverte e nos faz ficar com aquele sorriso bobo no rosto ao fechar o livro. Uma história sobre amor, amizade, generosidade e superação, mas acima de tudo sobre viver a vida da melhor maneira possível e nunca desistir de lutar para ser feliz. Recomendo sem ressalvas, virou favorito.



2leep.com

14 comentários:

  1. Cida, eu ja li um outro da Jane, ja tenho outro na lista de desejados e agora quero esse desesperadamente!
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Olá!

    Eu preciso desse livro!! Adorei a Abby, mesmo sem conhecê-la! Me identifico com ela - com a personalidade, não com a empresária bem-sucedida, ela é um amor, deu pra ver só pela sua resenha! Já está incluso na minha lista!

    resenhaeoutrascoisas.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Oi Cida...
    Gostei de conhecer um pouco da Abby, e acho que gostaria de ler uma personagem com o estilo dela, vivendo uma vida assim e sendo um pouco atrapalhada. Sem contar que ela reflete nos dias atuais.
    Gostei da resenha, e claro que leria, ainda mais com os elogios quanto ao desenvolvimento e narrativa.


    livrosvamosdevoralos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  4. Eu me ligo muito em livros que tenham personagens marcantes.
    E agora esse me chamou a atenção justamente pelo modo como você a descreve.
    Acho que os autores deviam se preocupar mais em construir personagens assim, que sirvam de inspiração, sabe?
    Adorei sua resenha.


    Beijo

    O Outro Lado da Raposa

    ResponderExcluir
  5. A premissa da obra é muito boa e se o livro ainda faz pensar um pouco, sem levar para o lado do drama, ainda melhor.
    Vou querer ler o livro, com certeza.

    Desbrava(dores) de livros - Participe do nosso top comentarista de julho. Serão dois vencedores.

    ResponderExcluir
  6. Oi Cida, tudo bem?
    Nunca li nada desta autora, mas como amo Chick lit e sua resenha está cativante, ele será mais um pra minha lista.
    Ainda mais que a protagonista e´fortinha e não aquelas mulheres lindas e perfeitas.
    Já quero. kkkk
    Bjus
    Lia Christo
    www.docesletras.com.br

    ResponderExcluir
  7. Abby, pelo jeito é aquele tipo de personagem que vira minha amiga, rsrs. Tô até me imaginando batendo um papo com ela, dando conselhos e recebendo broncas e vice-versa.

    Adorei a premissa. Nem imaginava que seria assim o livro.

    Bacana!

    Anotei a dica!

    Bjksssssss

    Lelê

    ResponderExcluir
  8. Oi Cida,
    Tua resenha me deixou animada para ler esse livro!
    Me identifiquei com a Abby, na parte do sedentária haha
    A capa é super fofa!

    bjs e tenha uma ótima quinta.
    Nana - Obsession Valley

    ResponderExcluir
  9. Oi Cida, tudo bem?

    Hoje em dia algumas pessoas vivem tão focadas no trabalho que realmente esquecem de viver. Gostei da premissa do livro e parece ser bem interessante. Quero ler e ver o que vai acontecer na vida de Abby :)

    Beijos.

    http://livrosleituraseafins.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Cidaaa!
    Tava doida para ler uma resenha deste livro para saber se comprava ou não. Eu tinha me apaixonado pela capa e depois que li a sinopse fiquei naquela de: acho que quero ler, mas será que vai ser uma leitura legal?. Ultimamente são tantas decepções que a gente até fica com o pé atrás. rsrs
    A Abby é o tipo de protagonista que eu curto e se os outros personagens são tão bacanas quanto, já é certeza que irei adorar!
    Obrigada pela dica, Cida! Vou comprar. \o/
    Beijos
    Coisas de Meninas

    ResponderExcluir
  11. Oi Cida,
    O livro parece ter bons ingredientes, assim como Abby parece ser uma boa protagonista. Se surgir uma oportunidade vou querer ler sim e descobrir o que vai dar a história de Abby e Tom.

    *bye*
    http://loucaporromances.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  12. Oi Cida,
    O livro parece ter bons ingredientes, assim como Abby parece ser uma boa protagonista. Se surgir uma oportunidade vou querer ler sim e descobrir o que vai dar a história de Abby e Tom.

    *bye*
    http://loucaporromances.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  13. Oi, Cida, tudo bem?

    Eu gosto bastante de chick-lit, mas não conhecia essa autora. Como você falou, Abby parece, realmente, ser bem real, nada estereotipada, uma mulher comum, com seus defeitos e qualidades.
    Gostei da ideia da corrida para levantar fundos pra pesquisa, é bom ver autores inserindo campanhas tão importantes como está!
    Pela capa do livro a gente não imagina esse conteúdo! rsss

    Beijo
    - Tamires
    Blog Meu Epílogo | Instagram | Facebook

    ResponderExcluir
  14. Cida!
    Não tem como não dizer que o livro é atrativo, tanto pela perspectiva da protagonista que quer ajudar a amiga com uma doença incurável, como a forma que a protagonista é apresentada pela autora.
    É mais uma forma de refletirmos sobre nossa vida e nosso dia a dia.
    “Não existe um caminho para a felicidade. A felicidade é o caminho.”(Mahatma Gandhi)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    Participe no nosso Top Comentarista!

    ResponderExcluir

Obrigada por seu comentário.

Sua participação é muito importante.

Um grande beijo!